29 de março de 2017

Esse cara sou eu! Selva!!!

No Exército, existem varias Equipes de Instrução de Sobrevivência na Selva, mas existe a Equipe de Instrução do cabo Silva Filho!!!
Seeeellva!!!

Recife: Justiça Militar condena sargento da Marinha e um civil por corrupção passiva e ativa

Resultado de imagem para corrupção passivaO Conselho Permanente de Justiça da Auditoria de Recife condenou, por unanimidade, um sargento da Marinha e um civil, acusados dos crimes de corrupção passiva e ativa, respectivamente, previstos nos artigos 308 e 309 do Código Penal Militar.
O civil, comerciante, teve a pena fixada em dois anos de reclusão e o militar recebeu a pena de quatro anos de reclusão, com a pena acessória de exclusão das Forças Armadas. O sargento recebeu mais de R$ 23 mil em propina.
Segundo a sentença, o sargento, que exercia a função de fiel de municiamento, passou a realizar uma série de manobras ilegais a fim de receber propina do dono da empresa que fornecia gêneros alimentícios para o Grupamento de Fuzileiros Navais.
O militar proporcionou, no exercício do seu trabalho, diversas ações, como maquiagem de estoque em um sistema de controle, conhecido como sistema Quaestor, e fez vales de retorno fictício.
Durante as investigações, inclusive com a quebra do sigilo bancário dos acusados, ficou comprovado que mercadorias não eram entregues ao quartel, ao mesmo tempo em que pagamentos eram realizados ao comércio de alimentos.
Nas datas em que eram depositados os pagamentos à empresa, ou no mesmo período, foram verificados também depósitos na conta do sargento realizados pela mesma empresa, por meio de transferências bancárias.
Além do pagamento indevido ao sargento, restaram comprovadas também uma entrada e uma saída fictícias de mantimentos do paiol - local onde se guarda munições e explosivos - do Grupamento Grupamento de Fuzileiros Navais.
O civil e o sargento cumprirão a pena, em regime inicialmente aberto, com o direito de apelar em liberdade. Ao comerciante ainda foi concedida a suspensão condicional da pena, benefício negado ao militar.
Da decisão, cabe recurso ao Superior Tribunal Militar, em Brasília.

Processo Relacionado
STM/montedo.com

Nota do editor
O militar condenado é o 2ºSG Renato Oliveira da Silva.
Confira aqui a Sentença proferida pelo Conselho Permanente de Justiça da Auditoria de Recife

Tirrim, tirrim, alguém ligou pra mim!

Histórias de Quartel
Tirrim, tirrim, alguém ligou pra mim!

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Ruben Barcellos

Meu amigo tava no expediente e foi avisado, na sargenteação, que a ligação era pra ele. O soldado ainda avisou:
- Voz de mulher, sargento!
Ele atendeu. A galera na volta, só cuidando.
- Pois não, é o Rodrigues.
E do outro lado:
- Oi Rodrigues, eu moro quase na frente do quartel e tenho te visto passar por aqui...
E o meu amigo:
- Ah é?...em que posso ajudar?
Ela - Não preciso de ajuda, preciso só que olhes pra mim...
Ele, sentando - Me diz mais precisamente onde moras...
Ela, enternecendo mais a voz - Ah, tem uma casa verde na frente do quartel; depois uma com grade na frente; e no lado, uma com duas janelas e um balanço de pneu. É ali.
Ele, cruzando a perna e se sentindo - Ah, sim...gosto de balanço de pneu, gosto de balançar de qualquer jeito...
Ela, depois de um risinho abafado - tu tem me balançado nos últimos dias; adorei tua moto vermelha...
Ele, já ouvindo a música " ah, se eu te pego" - tá às ordens (se referindo à moto)...
Ela, mudando o tom de voz e fazendo o meu amigo voltar da lua: - Tu não tá reconhecendo a minha voz, sargento Carlos Augusto Rodrigues?
Ele, reconhecendo a voz da sua mulher - É claro, meu amor, só te dando corda!
Ela, achando que já sabia o bastante pra fazer da vida do Rodrigues um inferno:
- Quando tu chegar em casa a gente conversa mais!
E deu o tiro de misericórdia:
- Então tu gosta de balanço de pneu? Hoje tu vai balançar com vontade!
Meu amigo Rodrigues liga pra casa 10 minutos depois:
- Bah, tu não vai acreditá, fui boleado de serviço AGORA.
Do outro lado alguém desligou sem responder nem desejar "bom serviço"!
É como dizia minha vó: enquanto o relho sobe e desce, as costas folgam.

Tríplice coroado: STM condecora o juiz Sérgio Moro

O juiz federal Sérgio Moro recebe nesta quinta (30) a Ordem do Mérito Judiciário Militar, durante as comemorações dos 209 anos da Justiça Militar, no Clube do Exército, em Brasília.

Medalha, medalha, medalha!
Esta será a terceira condecoração concedida a Sérgio Moro pelo establishment castrense. Em dezembro de 2015, ele foi condecorado com a Ordem do Mérito Cívico, concedida pela Liga de Defesa Nacional. 

Em agosto do ano passado, ele recebeu a Medalha do Pacificador, em solenidade no Comando do Exército, quando foi tietado por militares de todos os escalões.

Leia também:
Juiz Sérgio Moro é condecorado em solenidade militar 
Exército concede Medalha do Pacificador para o juiz Sérgio Moro 
Do general ao sargento: militares tietam Sérgio Moro na entrega da Medalha do Pacificador
Sem ressentimentos
Vale lembrar que o Vice-Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, atualmente cumprindo pena de 43 anos de prisão por fraudes nas obras de Angra 3, foi um dos alvos da Operação Lava-Jato, comandada por Moro.

Com informações do Diário do Poder

28 de março de 2017

Alexandre Garcia na AMAN

A honra e a responsabilidade de falar por 2 horas aos cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras. Ao fim da palestra, os futuros oficiais do Exército me homenagearam com a Canção da AMAN. De arrepiar. Fiz selfie para guardar para sempre.
A imagem pode conter: 1 pessoa, multidão

Despesas com militares da reserva e pensionistas são encargos da União e não benefícios previdenciários, diz Secretário do TCU

Em nova entrevista, Sergio Mendes, Secretário de Recursos do Tribunal de Contas da União, fala sobre a Proteção Social dos militares.

Capitão reformado do Exército morre ao ser atingido por corda de caminhão

Idoso morre após ser atingido por corda de caminhão em Olinda
Olinda (PE) - Um acidente na Avenida Coronel Frederico Lundgren, no bairro de Rio Doce, em Olinda, no Grande Recife, deixou um idoso morto na manhã desta segunda-feira (27). A vítima foi identificada por Mitinao Kohno, de 70 anos. Segundo testemunhas, ele trafegava pelo local em uma motocicleta quando foi atingido no pescoço por uma corda arremessada pela condutora de um caminhão.
O idoso não resistiu ao ferimento e morreu na hora. Mitiano Kohno era descendente de japoneses e capitão reformado do Exército Brasileiro. Familiares da vítima estiveram no local do acidente, mas não quiseram comentar sobre o caso.
video

A condutora do caminhão, que não teve a identidade divulgada, foi detida por policiais militares e levada para prestar depoimento na delegacia do bairro. O corpo de Mitinao Kohno foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife, que fica no bairro de Santo Amaro, área central da cidade.
TV Jornal/montedo.com

Luciano Huck ganha medalha do Exército

Luciano HuckANCELMO GOIS

Agora em abril, Luciano Huck vai receber, do Exército Brasileiro, a Medalha da Ordem do Mérito Militar, maior comenda da Força Terrestre.

O Globo/montedo.com

Exército: Operação Rastilho III será acompanhada pela imprensa em tempo real

Resultado de imagem para operação rastilho II
TEMPO REAL
O Exército realiza nesta terça, em 13 Estados, a operação Rastilho III para investigar comércio ilegal de explosivos. A novidade será a imprensa acompanhando a operação em tempo real.

Anjos da Guarda somos!

27 de março de 2017

Quando a privada afundou o submarino

Durante a Segunda Guerra, a dor de barriga do capitão levou à destruição de seu U-Boat
HISTÓRIA MALUCA 

A situação não devia parecer promissora para os tripulantes do U-1206, que partiu em 6 de abril de 1945 rumo à costa da Grã-Bretanha com a missão de afundar qualquer coisa que pudesse. A guerra estava perdida – antes do final do mês, Adolf Hitler jogaria a toalha com um tiro na própria cabeça em seu bunker. Com o completo domínio aliado dos mares, a missão era suicida. Mas ao menos um consolo eles tinham: podiam usar a descarga. 
Para economizar espaço, os submarinos alemães não tinham um compartimento para dejetos como os dos aliados. A descarga era direto na água. Isso quer dizer que era impossível usar o banheiro quando a máquina estava submergida, porque a pressão no exterior faria a água correr para dentro. Assim, os marinheiros tinham que usar baldes, latinhas, o que desse – num espaço mal ventilado e já poluído pelos odores de suor e óleo diesel. 
Mas o 1206 vinha com um ultratecnológico banheiro de alta pressão, que podia ser usado a qualquer profundidade, baseado num sistema de válvulas complexo. 
Tecnológico até demais: era tão complicado que exigia treinamento específico. Em 14 de abril, o capitão Karl-Adolf Schlitt atendeu às necessidades da natureza e resolveu dar descarga sozinho. O sistema inteiro se abriu para o exterior, quando o submarino estava a 61 metros de profundidade. A água, numa pressão de 7 atmosferas, jorrou violentamente de dentro da bacia, atirando seu conteúdo ao alto – mas agora isso era o menor dos problemas. 
Logo abaixo do banheiro ficavam as baterias do submarino. O ácido nelas reagiu com a água, soltando gás cloro – tão letal que foi usado como arma química na Primeira Guerra. O capitão não teve escolha a não ser mandar o submarino emergir. 
Chegando à superfície, foram recepcionados por aviões britânicos. Um marinheiro morreu e outros três caíram na água. Schlitt mandou todo mundo para os botes salva-vidas e afundou o próprio submarino com explosivos, para evitar sua captura pelos aliados. Afinal, vai que eles quisessem copiar a magnífica tecnologia de banheiros alemã?
A dor de barriga do capitão levou à captura de 46 alemães, contando com ele próprio.

RJ: Morre o último Ministro do Exército, general Zenildo Lucena

Publicação original: 26/3 (15:11)
Morreu na manhã deste domingo no RJ (26), aos 87 anos,  o general Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena, Ministro do Exército nos governos de Itamar e FHC. Ele estava internado no Hospital Geral do Exército. Nascido em 2 de janeiro de 1930, em São Bento do Una (PE), Zenildo cursou Cavalaria e formou-se na Aman, em 1950, chegando a general-de-brigada em março de 1983, segundo o verbete com seu nome no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (Cpdoc) da Fundação Getulio Vargas (FGV).
"Ligado aos setores mais nacionalistas do Exército, integrou um grupo de oficiais que apoiou a indicação do general Albuquerque Lima para suceder o general Artur da Costa e Silva (1967-1969), na presidência da República. O objetivo do grupo era evitar a indicação do general Emílio Garrastazu Médici, que, no entanto, acabou sendo eleito pelo Congresso Nacional a 25 de outubro de 1969", diz um trecho do verbete.
Ainda conforme o Cpdoc, Lucena era próximo do general Ernesto Geisel, presidente de 1974 a 1979. Ao assumir o cargo de ministro do Exército, em meio à crise que culminou com o impeachment de Collor, o general teria atuado para evitar uma intervenção dos militares. "Em junho de 1993, rebateu as declarações do deputado federal e capitão da reserva Jair Bolsonaro favoráveis ao fechamento do Congresso e à volta do regime de exceção, garantindo o apoio do Exército ao governo", diz o verbete do Cpdoc.
No primeiro governo Fernando Henrique, atuou também para segurar a oposição dos setores mais conservadores das Forças Armadas a medidas como a aprovação da Lei dos Desaparecidos Políticos, que concedeu atestados de óbito a desaparecidos políticos durante a ditadura militar e previa o pagamento de indenizações às famílias das vítimas. Segundo o Cpdoc, Lucena lançou uma nota em agosto de 1995 afirmando que a indenização era uma decisão exclusiva do presidente da República.
O general Zenildo deixa esposa, duas filhas e cinco netos. O velório será nesta segunda-feira no Palácio Duque de Caxias, sede do Comando Militar do Leste. (com informações de O Globo e O Estado de São Paulo)

Temer garante comandante do Exército no cargo

Comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas tem tratado sem rodeios seu problema de saúde. Ele sofre de uma doença neuro motora degenerativa que o obriga a usar bengala.
O general gravou vídeo ao Exército justificando o uso da bengala. “Me sinto plenamente em condições de chegar até o final do meu comando, até o momento em que o presidente julgar necessário”.
Michel Temer esta a par do caso e já garantiu que vai mantê-lo no cargo.
Coluna do Estadão/montedo.com

#rindodapolicia: adolescente envolvido na morte de subtenente do Exército é liberado e posta foto rindo nas redes sociais


O adolescente T.L.O, de 16 anos, que foi apreendido na sexta-feira de posse da arma do subtenente do Exército Vladimir dos Santos Ladeira, morto no domingo passado na Feira da Compensa, acabou sendo liberado por conta da legislação e postou foto ontem nas redes sociais sorrindo e fazendo sinal de positivo.
A postagem imediatamente ganhou os grupos de policiais, com a hastag #rindodapolicia.
T.L.O confessou participação no crime.
Blog do Hiel Levy/montedo.com

Leia também:Polícia apreende menor e recupera pistola roubada do subtenente do Exército assassinado em Manaus

MS: Exército rejeita parte de asfalto para recapeamento de ruas em Campo Grande



Exército rejeita parte do asfalto produzido para recapear quatro vias
Material passa por testes e nem sai da fábrica quando qualidade está aquém do ideal
Anahi Zurutuza
Campo Grande (MS) - Parte do material que foi produzido para o recapeamento das quatro vias que formam o corredor sudoeste do transporte coletivo em Campo Grande, foi rejeitado por técnicos do Exército, responsável pela obra. A massa asfáltica é testada antes de sair da fábrica.
De acordo com o tenente-coronel Ronaldo Matias Soares, comandante do 9º Batalhão de Engenharia de Construção de Cuiabá (MT), desde que a obra começou, no dia 13 de fevereiro, já consumiu cerca de 40 caminhões de asfalto. A parte do material rejeitado é equivalente ao conteúdo de três carregamentos.
“O material passa por testes e se não está em conformidade nem vem para a obra. Não foi aplicado”, garantiu o coronel.
Para o coronel, o excesso de chuva atrapalhou a produção. “A massa é composto do betume (derivado do petróleo) e o agregado (pedra brita). Estamos num período bem chuvoso em Campo Grande e o problema se deu justamente no grau de umidade do agregado”.
O capitão Filipe Almeida Corrêa do Nascimento, que é engenheiro, explica ainda que sempre que uma obra é planejada, estima-se o desperdício de material. “Geralmente, a margem de perda é de 5%”.
Os 40 caminhões de asfalto foram usados no recape de 10,5 mil metros quadrados da traves Guia Lopes e trechos da rua Brilhante. O Exército gastou até agora R$ 110 mil na compra do material.

Fabricante
Paulo Alvarez, o dono da Usimix, fornecedora do asfalto, explica que a própria empresa faz controle rigoroso da qualidade material produzido. Ele faz questão de explicar que até agora não houve devolução de caminhões com massa asfáltica, mas confirma que sempre que a massa asfáltica é reprovada nos testes, ela é descartada.
Alvarez lembra que a última leva de caminhões enviada para o recapeamento da rua Brilhante foi fiscalizada por ele mesmo. “Na terça-feira (23), enviamos dois caminhões para eles, eu mesmo liberei com a autorização do laboratorista deles”.

Etapas
O projeto prevê a troca do asfalto em 12 km. Além da travessa Guia Lopes e da rua Brilhante, as avenidas Bandeirantes e Marechal Deodoro também serão recapeadas. As quatro vias formam o corredor sudoeste do transporte coletivo.
O investimento total na revisão do sistema de drenagem e repavimentação é de R$ 24 milhões. O Exército será responsável pela execução direta de obras de R$ 17,1 milhões.
A obra está sendo feita por etapas e tem prazo de dois anos para ser concluída. A parte de drenagem só começará a ser feita em maio, com o fim das chuvas. Só depois desta fase que os cruzamentos e os acostamentos receberão asfalto novo.
Nas pistas que ficarão reservadas para os ônibus, o pavimento será diferente, de material mais resistente.
Campo Grande News/montedo.com

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics