28 de agosto de 2012

“Chega de igualdade! Mulher não dá para ser soldado!”

“Chega de igualdade! Mulher não dá para ser soldado!” – diz capitã dos “marines” dos EUA
Publicado por Luis Dufaur, no blog Conservador
"Não coloquem mulheres em combate", pede Katie Petronio
"Não coloquem mulheres em combate", pede a capitã dos fuzileiros
navais dos Estados Unidos Katie Petronio, que lutou no Iraque e no Afeganistão
“Chega disso! Nós não fomos criados todos iguais”
“Mulher nunca deveria ser soldado de infantaria”, escreveu a capitã dos Marines Katie Petrônio na revista Marine Corps Gazette, segundo informou a agência LifeSiteNews.
No artigo intitulado “Chega disso! Nós não fomos criados todos iguais”, a capitã defende que a anatomia feminina não é capaz de resistir às asperezas de uma longa carreira militar que envolve operações de infantaria.
Ela adverte que os fuzileiros navais (marines) vão sofrer “um aumento colossal no número de mulheres incapacitadas e obrigadas a concluir sua carreira por causas médicas”.
Katie Petronio se baseia na experiência pessoal, adquirida em situações de combate no Iraque e no Afeganistão. Isso acabou lhe causando sérios danos físicos, malgrado um promissor começo na elite da oficialidade da arma.
“Chega disso! Nós não fomos  criados todos iguais”
“Chega disso! Nós não fomos criados todos iguais” 
A capitã escreveu que “preenchia todas as condições” para ser uma mulher-soldado ideal quando começou a carreira. “Eu era uma estrela no hóquei sobre gelo no Bowdoin College, pequena escola de elite no Estado do Maine, com um título em Direito e Administração”.
Ela também alcançou resultados “de longe acima da média em todos os testes físicos de capacidade para mulheres”, embora não completasse todo o treino prévio.

“Cinco anos depois, eu não sou fisicamente a mulher que já fui, e meus pontos de vista a respeito de a mulher ser bem sucedida numa carreira duradoura na infantaria mudaram muito”, escreveu Petronio.
“Eu posso dizer, com base na minha experiência pessoal direta no Iraque e no Afeganistão, e não é apenas uma impressão, que nós ainda não começamos a analisar e a compreender as questões específicas de saúde do gênero e os danos físicos nas mulheres por causa de contínuas operações de combate”.
“Cinco anos depois, eu não  sou a mulher que uma vez fui”
“Cinco anos depois, eu não sou a mulher que já fui” 
Petronio “participou em numerosas operações de combate” que por vezes duravam semanas, sofrendo stress e falta de sono.
Suas pernas começaram a se atrofiar, perdeu a mobilidade, perdeu peso, parou de produzir estrógeno e desenvolveu uma síndrome no ovário que a deixou estéril.
Ela completou seu período com bons resultados, mas percebeu que lhe seria impossível aguentar o esforço que um homem é capaz de fazer e pediu para se aposentar por motivos de saúde.

"O corpo da mulher não aguenta o esforço que um homem é capaz de fazer"
Petronio manifestou sua preocupação diante da pressão dos grupos que impulsionam a integração de mulheres no corpo de Infantaria (combate no solo).
“Quem está promovendo essa agenda? Eu pessoalmente não vejo marines femininas, recrutas ou oficiais, batendo às portas do Congresso, queixando-se de que sua impotência para servir na Infantaria viola o direito à igualdade” escreve ela.
Kate diz que essa pressão está sendo aplicada pelo “pequeno comitê de civis nomeado pelo Secretário de Defesa” denominado Comitê Consultivo em Defesa para as Mulheres em Serviço (Defense Advisory Committee on Women in the Service – DACOWITS).
Embora alguns deles tenham experiência militar, nenhum de seus membros “estão no serviço ativo ou têm qualquer tipo de experiência recente em combate ou em operações relevantes sobre as realidades que eles estão tentando modificar”, observou Petronio.
Ricardo Setti (Veja)/montedo.com

24 comentários:

Anônimo disse...

E AGORA PRESIDENTE DILMA???

BOCA-BRABA

Anônimo disse...

Quem pode dizer se dá ou não são elas. Esse sexo vem lutando há tempos no tocante a direitos iguais, que tal deixá-lo provar um pouco do dever.

Conde de monte cristo

Anônimo disse...

Tem muito homem que tambem não aguenta tanta ralação, tem muito militar que com cinco, seis anos de serviço já ta todo quebrado, isso depende o organismo de cada um independente de ser mulher ou não. Sejam bem vindas mulheres, o exercito brasileiro so serve para tirar serviço e fazer faxina vcs serão estrelas nesse tipo de combate!
Pantaneiro

Anônimo disse...

Mulheres não têm Testosterona e, por isso, não têm a mesma força, rusticidade e perfomance em geral que os homens. Quando uma mulher morre em combate, o impacto na tropa é bem maior. O mesmo ocorre quando uma delas perde um braço ou uma perna, também, em combate. Além disso tudo, elas só querem igualdade nos direitos; pois, por exemplo, nem uma delas passa a Zero no momento da incoporação e nem tem que manter o cabelo curto durante toda sua carreira.

http://www.youtube.com/watch?v=NuRZ1c9V04M&feature=player_embedded

2:24 e 2:30= Flexão com os joelhos apoiados
2:51= Tamanho do toros delas..uhahuahuahuahua
Barra, não mostra..mas é so segurar por alguns segundos, ou seja, sem nenhuma repetição...

Quero ver elas carregarem o FAL por mais de 30 min uahuahauha, se pra homem já é difícil.

Nem falo nada do erro no salto, pois os alunos homens também estão sucetíveis a tais ocorrências.

O desempenho da tropa cai.

Anônimo disse...

mulher fraca ou tática do exército americano, para enfraquecer os exércitos que estão com vontade de incorporar as mulheres nas fileiras da infantaria!

Anônimo disse...

Pois é. Esse papo de mulher combatente é muito bom no cinema (Demi Moore e cia), nos tapetes do Congresso e em papo de bar.
Quando a coisa é para valer, vemos que praticamente nenhum País sério sequer levanta essa discussão.
Um dos poucos que tenta forçar a barra é justamente os Estados Unidos, sendo que a experiência vem se mostrando DESASTROSA!
Conversei certa vez com um instrutor de West Point e ele me disse que as piores coisas que haviam acontecido recentemente no Exército Americano haviam sido a retirada dos cavalos, a base da soldadesca estar se consolidando em cima de imigrantes por incentivos do Governo e a entrada das mulheres na condição de combatentes. Isso lá pelos idos dos anos 90, e os resultados nefastos da situação criada politicamente são claramente verificados na atualidade, principalmente no tocante à disciplina.

Anônimo disse...

Eu sou mulher e concordo.

A gente reclama dos trabalhos domésticos que nunca acabam, mas fazemos por ter que fazer... Aí enfrentar o que os soldados enfrentam deve ser difícil. Mulher pode e deve fazer parte das FFAA, mas com funções que conseguimos fazer. No atendimento, administrativo, na saúde, mas não no combate direto, etc.

Essa luta por igualdade é até ridícula... Basta ver a simples(e complexa ao mesmo tempo) tarefa de ser mãe...

Anônimo disse...

Concordo com o parecer da capitã, a mulher não tem a mesma força, resistência e compleição física do homem, por conseguinte não suportaria situações de estresse, esforços físicos e fadiga extremas, às quais o homem está acostumado. Questão de fisiologia funcional. O homem foi feito pra o serviço bruto, combater, a mulher pra gerar e criar filhos. Sem querer ser machista, pois considero esse termo antiquado. Existem muitas outras funcionalidades em que o seguimento feminino teria pleno êxito em nosso Exército, mas acho que combater, fora a situação homérica(ou não) de uma invasão que implicasse a população civil,não compete à mulher.Nas op tipo polícia, é indispensável a presença de agentes do segmento feminino, porém a legislação atual prevê o acompanhamento desses exercícios por agentes de forças auxiliares, que provê essa necessidade.

PASTOR NONATO disse...

Até que enfim alguém cai na realidade que não ignorar Deus e seus preceitos. Todos sabem (em tese) que o Criador criou o homem distinto da mulher; biológico, anatomica, psiquica e emotivamente difirente do homem, inclusive na sua estrutura e consistencia molecular. O inimigo é que quer disvirtuar tudo isso. mulher não foi feita para ser militar. Pois Deus não planejou para tal. Ela éo nosso complemento. Mulher militar é uma rebelião à natureza feminina. Não fica legal com farda e a protuberância dos seios. E quando elas menstruam? E quando tem TPM. Não tem são dotadas da higidez que temos. A voz de comando não é como a nossa. Se um Exército de uma Nação fosse constituído somente por mulheres, e todas elas ficassem grávidas (7º mês) e surguisse uma guerra... O que ocorreria??? Hein??? Isso prova que Deus está certo e o mundo errado. Fique na sua posição de mulher, querida mulher; sua meiguice, docilidade, sensualidade. MULHER NÃO COMBINA COM GUERRA E BRABEZA. AD SUMUS

1ºSG-FN-IF NONATO

Anônimo disse...

Eu concordo em grau genêro e número, não consigo imaginar mulheres, ficando 5 dias sem tomar banho, por motivos naturais, fazendo patrulhas, rastejando, não consigo imaginar ainda uma mulher ferida, acho que causaria um impacto muito grande nos companheiros do sexo masculino, sim, por enquanto apenas suposição. Enfim apenas uma opinião, que necessariamente não foi comprovada ainda no nosso exército.

Anônimo disse...

nao tô nem aí pra mulher entrar na Aman, EsSA, etc. Eu quero é aumento salarial. Tenho muito mais pra me preocupar, como por exemplo minhas contas que vencem todos os meses.

Anônimo disse...

BEM, SE AS MULHERES NÃO POSSUEM AS QUALIDADES FÍSICAS E PSICOLÓGICAS NECESSÁRIAS PARA ENFRENTAR O COMBATE EU PERGUNTO: E OS GAYS??? SERÁ QUE POSSUEM EQUILÍBRIO PSICOLÓGICO? SERÁ QUE CONSEGUEM COMANDAR? SERÁ QUE SERÃO RESPEITADOS NO CAMPO DE BATALHA? OU SERÁ MAIS UMA TENTATIVA INÓCUA QUE TRARÁ MAIS PROBLEMAS DO QUE SOLUÇÕES?

BOCA-BRABA

Anônimo disse...

Prefiro ser comandado por uma mulher fraca do que por um homem que só pensa em sua carreira, Generais a tropa não confia em vcs!

Anônimo disse...

Se fosse um homem que dissesse isso já tava sendo processado. A liberdade de opinião tá cada vez mais restrita. Só vale o que alguns querem. Censura na democracia, é mole.

Anônimo disse...

Bom até que enfim alguém tomou coragem de falar, nada mais justo que venha por parte da própria mulher, enfim no Brasil parece que a presidente “OPIS PRESIDENTA”, é assim que ela gosta de ser chamada, acha que em tudo neste mundo criado por Deus a mulher e o homem têm papeis iguais, porém não é bem assim, este relato da Capitão americana, só vem a comprovar o que o Senhor Deus deixou escrito na Bíblia, entretanto não quero entrar em questões de religião neste momento, o que acontece é que a mulher nunca poderá se igualar ao homem em determinadas situação, não por menos capaz ou menos inteligente, simplesmente por uma questão de estrutura e formação corporal, nada mais, é certo que algumas mulheres adquirem habilidades que até as vezes superam alguns homens mas em regra geral o homem sempre será estruturalmente mais resistente e consistente em determinadas atividades.
Nunca existirá direitos iguais em determinadas atividades, e a atividade de infantaria, caso das soldadas americanas, é um exemplo claro disto, lá nos EUA já algum tempo tem-se esta situação de mulheres soldados na infantaria, porém só agora esta aparecendo o resultado de toda esta situação descrita na reportagem, pois só o tempo mostraria o que todos já sabemos, mais esse feminismo irracional que esta se implantando no mundo, e agora aqui no Brasil está cegando as próprias mulheres, mulher foi a dádiva de Deus permitida ao homem, auxiliadora, adjuntora, não levem pro lado machista esses comentários, mais sim que o homem que foi feito pro trabalho bruto, guerra, briga, e tudo em que há uma pressão maior, imaginem, quando um homem é capturado no combate, são feitas as maiores atrocidades conosco, e a mulher, talvez ser estuprada a todo tempo seria a menor das torturas, quem sabe, perguntem a INGRID BETANCOURT, e tantas outras mulheres que foram feitas prisioneiras.
Como li em outros comentários aqui, tem tantas outras atividades que não ferem em nada a inteligência e a formosura que é a mulher, mulher tenha sabedoria não queira entrar num mundo em que a pressão e o desgaste dói na carcaça, o trabalho da mulher como mãe é lindo como esposa e tantos outros que não envolvem as mazelas que competi ao homem suportar, A INFANTARIA É UMA DELAS, AGUENTAR DIAS E DIAS NA SELVA, MOLHADO COM FOME, AGUENTAR CARREGAR ENORMES QUANTIDADES DE PESOS NAS COSTAS COM SEU MATERIAL, E AINDA ASSIM RESISTIR AO FIM PARA TOMAR A DECISÃO DE FAZER O QUE TEM QUE SER FEITO NO FINAL, SE É QUE VC ME ENTENDEM, ISSO DURANTE MUITOS ANOS NÃO APENAS 5 ANOS, OU MENOS igualdade não é fazer tudo o que outro faz, e sim respeitar o outro isso é igualdade, Deus fez o homem e a mulher e não iguais homens ou mulheres somente.
Porem acho que aqui no Brasil só se aprende com a dor, então venham para o mundo que é dos homens e daqui a 20 ou 30 anos veremos como estarão, aprenda com os erros dos outros e não com os seus próprios erros, já dizia SUN TZU autor da arte da guerra.
INFANTARIA ADSUMUS “COUTI”. A Deus toda honra e toda a glória, AMÉM.

Ana paula disse...

Vc ai que fez o ultimo comentário, vai virar uma laje, seu grosso!! Todos nos queremos aumento, nao to nem ai para suas contas tbm, que vençam todas!!!!

Anônimo disse...

IMAGINA TER QUE FAZER UMA EXFILTRAÇÃO NO MARCHE MARCHE DURANTE ALGUM MINUTOS COM MOCHILA FUZIL E TUDO QUE MILITAR TEM DIREITO E A MULHER COMANDANTE DE FRAÇÃO FICANDO PARA TRAS... O QUE FAZER? DEIXAR A COMANDANTE PRA TRAS, CARREGAR A COMANDANTE DA FRAÇÃO NO COLO OU CHAMAR ALGUM DESSES ESPECIALISTAS EM EXERCITO PRA CARREGAR A MULHER????

Anônimo disse...

Nossa mais que delicado que vc e!!! Deveria virar uma laje para aumentar a renda. Aumento todos nos queremos, isso e apenas um debate, se nao tem condições de se posicionar, a omissão e a melhor opção.

PASTOR NONATO disse...

A Paz do Senhor Jesus Cristo seja com todos de nossas queridas e honradas (desonradas pelo governo)Forças Armadas MB+CFN, EB E FAB e nossas queridas familias.

Mais uma vez ouso corroborar o mérito do assunto em lide.

Fato é que todos sabemos que a que há um movimento mundial co mcara de bonzinho (mas ilusório) para disvirtuar o papel original da mulher na sociedade. quando estudamos as Civilizações Antigas (egípcia, medo-persa, babilônica, israense, grega e romana, bárbara) não vemos as mulheres sendo inceridas nesse contexto. muito embora, creio que administrativamente elas podem exercer algumas atividades na caserna (MAS NÃO COMO MILITAR - A FUNÇÃO MILITAR DE MANDO E COMANDO DEUS NÃO DELEGOU A ELAS - BASTA VER NO TOM DA VOZ, NA HIGIDEZ E AGILIDADE DOS MOVIMENTOS E MALÍCIA EM COMBATE - EU JÁ VIVENCIEI NO HAITI E NUM BATALHÃO NOSSO NA ILHA DO GOVERNADOR (deu pane na mulher e danou a chorar, na verade destoa do papel natural de mulher. Até o tirante de peitoral da mochila operativa afeta os seis delas, pois apertam e causam má circulação nesse órgão.
Ressalto ainda, que, esse turbilhão de induzir a mulher a se por no mesmo patamar de macho macula sua natureza, pois a faz concorrer com o homem como se seus " inimigo fosse", e tem feitos os homens (inconscientementes) e vê-las como uma concorrente no mercado de trabalho e nãp mais como uma esposa ou ajudadora. Isso é diabólico. Conheço a Psicologia e posso exarar um juízo de valor ao mérito: Toda as vezes em que sociedade afronta os princíos da natureza colhe desastrosas consequencias. E uam delas a desvalorização das virtudes e nuances femininas, como a meiguice, o senso de matriarcal, a docilidade de onde deriva a deformação na formação das futuras geraçoes, pois a supressão ou omissão desses caracteres nas futuras mamães afetará os elementos estruturais de personaliades das crianças e adoelcenset do futuros, afetando todo o País em geral. Assim, amada mulher, fique na vocação em Deus te chamou. Isso é lindo tanto para nós, homens, quando para as famílias. Quem não vai gostyar é o maligno. Vamos orar e agir pelo nosso justo e merecido reajuste. Por último, solicito aos irmãso casernas a acessarem meu blog: http://pastornonatoramos.blogspot.com e ler parte de um dos livros que estou escrevendo { Descubra como o diabo vem destruindo o mundo e maculando a igreja}. Tem um capítulo que versa sobre inversão dos papeis masculino e femininos. Deus abençoes nosso Brasil, Nossa famílias, nossas mulheres e nós machos e nos livre dessa corja anti-Deus que atualmente gerencia esat Grande Nação.
Cordialemnte, Pastor Noanto

1ºSG-FN-IF NONATO

Ad Sumus !!!

PASTOR NONATO disse...

Diletos irmãos de caserna,

Peço venia pelos lapsos involuntários de grafia. Sei que a ideia do conteúdo é compreensível. E AGRADEÇO A VOSSA COMPRRENSÃO.

Cordialmente,

Pr. Nonato AD SUMUS!!!

1ºSG-FN-IF NONATO

Anônimo disse...

Agora quero ver algum General, Almirante ou Brigadeiro peitar a Dona Dilma e dar a real para a mesma, de que as FFAA são CONTRÁRIAS à essa situação de mulher combatente, inclusive por questões de ordem técnica no combate.
No caso do Exército, eu até já vislumbro o que ocorrerá: as mulheres terão vaga na Intendência, no Material Bélico e nas Comunicações (desculpem os comunicantes, mas as COM não são arma "de frente" nem aqui e nem na China), ou seja, na logística operacional, considerada "mais leve" do que as armas de "frente". Com isso alguma satisfação darão à Dona Dilma, que quer ver as meninas na AMAN e nas escolas de Sargentos das Armas, apenas para que se atenda ao "politicamente correto". Fala sério!

Anônimo disse...

Sou brasileiro e serví 8 anos na US Army Infantry. Não sei quanto aos US Marine Corps, mas com base no que ví e vivi em minha primeira passadinha no Iraq (12 meses), posso dizer que o sexo é o que menos importa. O que dá certo é saber o caráter de quem tá perto de você. Homem ou mulher, se não tiver compromisso com o companheiro ao lado, vai sair correndo sem olhar para trás. Há muitas mulheres nas Forças Armadas Americanas e essa questão já é antiga, agora a Capt.Petronio vem recebendo muitas críticas das próprias mulheres que dizem que ela deveria falar por ela. Eu aconselho aos amigos que estudem um pouco sobre as mulheres no Israel Defense Forces ou mesmo aí perto nas FARC Colombianas.
Um abraço. Nas férias estarei aí...

Anônimo disse...

MUITAS coisas que aparecem na mídia não condizem com a verdade; quem afirma que serviu "aqui" e "acolá", e que gênero não importa, provavelmente negligenciou dados, como por exemplo, se em Israel existem as mulheres fortes e destemidas, porque a maioria que ainda morre em combate são HOMENS? a mesma coisa ocorre aqui no Brasil, nas Forças Armadas e nas Forças Auxiliares, mas esse tipo de pergunta, uns não sabem responder, outros sabem mas é desagradável e politicamente incorreto responder.

É como foi dito em um comentário deste post: Pagar de Demmi Moore e Cia é moleza no cinema e no que a mídia mostra, mas vida real é inegável as diferenças entre os gêneros.

Mulher pode combater? pode! mas deve-se reconhecer os limites, pois de quê adianta pagar de princesa guerreira se na vida real a mulher sai duas ou três vezes mais arrebentada do que os homens?

Macho foi projetado para ser fisicamente, emocionalmente e psicologicamente um casca-grossa. Minha opinião, sem discriminações.

Anônimo disse...

Gente, mulher já está em linha de frente de combate, já está lutando em guerras em vários países. Existem mulheres e mulheres, assim como existem homens e homens. Vocês já viram aquela lutadora de judo a Adnancy, tem quase dois metros e um corpo forte que dá de dez a zero em muitos homens fracos, magrelas. Outra coisa, tem gente que acha que mulher é bibelô, não conhecem mulheres nordestinas que carregam baldes de água super pesados na cabeça, carpem, plantam, colhem, cuidam de animais. Minha mãe conta que havia uma tia dela que era igual homem para trabalhar, e saia da roça para parir, trabalha até os nove meses. Esse negócio de mulher fraquinha, delicadinha, é tipo que muitas fazem para se aproveitar dos homens. Eu, por exemplo, consigo trocar galão de 20 l do bebedouro, mas faço o maior drama para o meu marido e filho jovem: "Onde já se viu uma casa com três homens, eu uma mulher frágil ter que trocar galão de água, é o Ó." Eles às vezes estão ocupados, param tudo e vem trocar, ninguém fala nada. Trocar botijão, idem, inclusive, trazendo de uma grande distância o cheio, quando não tem homem em casa, eu troco. Quando não tem faço o mesmo teatro, e eles pensam que sou frágil, sei?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics