18 de abril de 2017

O recruta do Exército que se tornou herói em acidente aéreo


Francisco Martins do Nascimento (1948-2017)
Francisco Martins do Nascimento (1948-2017) - Arquivo pessoal
EDOARDO GHIROTTO
DA EDITORIA DE TREINAMENTO
Um acidente de avião fez um recruta do Exército virar herói para os mais de 40 mil habitantes de
Guajará­Mirim, a 330 km de Porto Velho (RO).
Francisco Martins do Nascimento tinha se alistado no Exército havia menos de um mês quando, em
fevereiro de 1968, o hidroavião da Força Aérea em que viajava caiu na floresta amazônica.
Aos 19, conhecido como Leão, devido ao porte físico e ao cabelo longo, Nascimento foi uma das 40 pessoas que sobreviveram ao acidente. Quatro morreram na queda. Apesar da inexperiência, ele tomou a frente do resgate e cuidou dos feridos, que incluíam crianças. O Exército encontrou os destroços dois dias depois, graças aos sinais de fumaça feitos pelo recruta.
O episódio não lhe rendeu promoção. Nascimento foi cabo do Exército por mais de 25 anos, até ir para a reserva como terceiro­sargento.
"Esse feito não consta nos registros do meu pai, mas ele nunca se preocupou com isso. Nunca quis bater no peito", diz Fredson Martins, 36, um de seus oito filhos.
Apenas em 2012 um militar de alta patente soube da história e iniciou os trâmites para que recebesse a Medalha do Pacificador, honraria militar.
Em Guajará­Mirim, onde morava desde 1972, ele se dedicou à inclusão de jovens em programas esportivos e culturais. Também atuou como representante da sociedade civil nas negociações que levaram uma universidade federal ao município.
Nascimento morreu no dia 5, aos 68, vítima de um câncer no fígado. Além dos filhos, deixou a mulher, Cleonice, 21 netos e oito bisnetos.
FOLHA/montedo.com

9 comentários:

Anônimo disse...

O País está carente de herois. Como tem gente porcaria no Brasil.

Anônimo disse...

Pacificador é reservado para "heróis de verdade" como o guerrilheiro terrorista José Genoíno.

(melhor nem receber mesmo).

Anônimo disse...

Servi com um Sub Tenente que certa vez salvou a vida de uma criança. Como reconhecimento o Cmt dele recebeu a Medalha do Pacificador.

Anônimo disse...

Se tivesse sido um oficial, teriam promovido rapidinho. Uma forma de provar o reconhecimento, que não tem medalha que pague, seria promovê-lo, mesmo depois da reserva.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 8:50!
Mágoa é triste! Desmereceu totalmente a memória do Sgt! Era melhor ter ficado quieto!

Anônimo disse...

Grande militar e cidadão brasileiro. Se recebeu medalha, foi por merecimento pois, Praça receber esta medalha ou trabalha em brasília ou com general, como não é o caso, é merecida. Os oficiais recebem por tempo de serviço.

Anônimo disse...

A aeronave era um Catalina da FAB a serviço do CAN. Fez um pouso forçado por falha de um dos motores, sendo que dos 28 a bordo, quatro faleceram, incluindo dosi soldados. O resgate foi feito pela FAB e consta que quem tomou a frente foi a tripulação.

Anônimo disse...

Os verdadeiros heróis morrem assim, desconhecidos e desprestigiados.

Agora olhem ao redor e observem aqueles sempre lembrados, com o peito cheio de medalhas e honrarias, com o próprio nome designando logradouros, praças e até municípios. Sempre ficaram atrás de uma mesa, sob o confortável clima do ar-condicionado. Passam a vida inteira manejando a lingua, pois é a única arma, ou instrumento de trabalho, através da qual consegue angariar as mordomias e reconhecimentos.

No EB temos uma multidão de exemplos assim, de "falsos heróis".

SAUDAÇÕES TRICOLORES disse...

corri pra comentar, mas desisti, porque
o Anônimo de 18 de abril de 2017 08:50 tem plena razão:
por que desmerecer um cara desses com uma medalha
que já foi outorgada a guerrilheiros e ladrões???

mas pago uma cota de Crowdfunding pra fazer um filme desse
honrado herói...

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics