3 de maio de 2017

Prepara, Exército! Ministro anuncia reforço da Força Nacional e da PRF na segurança do RJ

Ministro da Justiça anuncia reforço da Força Nacional e da PRF no Rio
Osmar Serraglio disse que, em reunião, Temer solicitou medidas para conter a crise de segurança no estado. Governador Pezão pediu ao governo federal o envio de homens.
Resultado de imagem para segurança pública
Gustavo Aguiar, G1, Brasília
Governo Federal anuncia ajuda e reforço policial no RJ
O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, anunciou nesta quarta-feira (3) envio de homens da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal para atuar na crise de segurança pública no Rio de Janeiro.
A decisão, segundo ele, foi tomada em reunião com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto. De acordo com o ministro, o presidente ligou durante a conversa para o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, que solicitou o reforço de homens.
"Já dispomos de 125 integrantes [da Força Nacional no Rio] e iremos reforçar essa participação através de mais 100 neste primeiro momento. E também há um pleito relativo à Polícia Rodoviária Federal", afirmou Serraglio em pronunciamento no Palácio do Planalto.
Ainda de acordo com o ministro, setores de inteligência identificaram que a Via Dutra é um dos pontos que mais precisam do reforço de policiais rodoviários, por ser rota de tráfico de drogas e armas, além de veículos de carga que passam pela via serem alvo de frequentes assaltos.
"Há uma identificação por parte do Rio que, entre outras rodovias, mais especificamente a Via Dutra está servindo de canal de alimentação do Rio de drogas, armamentos, assalto a cargas, transportes, e tudo isso termina alimentando o sistema da organizãoes criminais", afirmou o ministro.
Ônibus queimados
O governo afirmou que o reforço para o Rio não se deve unicamente aos nove ônibus queimados nesta terça-feira (2) na Avenida Brasil. O ataque ocorreu após megaoperação da Polícia Militar para acabar com a guerra entre traficantes na Cidade Alta, comunidade em Cordovil, na Zona Norte.
De acordo com o ministro, o reforço da União leva em conta o quadro de insegurança que o estado vem apresentando nos últimos meses.
"Neste momento, claramente, o Rio de Janeiro precisa dessa mão amiga que o presidente está estendendo", disse Serraglio.
G1/montedo.com

14 comentários:

Anônimo disse...

O Rio de Janeiro já vive há muito tempo um estado de guerra civil, onde o estado esta quebrado e sua autoridade não se faz presente em lugar algum. Com isso milicias e traficantes de drogas assumiram o comando de inúmeras comunidades. Essa ausência do estado dos órgãos de segurança, que estão sucateados, aliados a uma justiça inoperante, trazem ao cidadão de bem a verdadeira sensação de uma guerra civil, onde morrem inocentes quase que diariamente. Esse é o preço pago por anos e anos de corrupção, descaso de nossos parlamentares que elaboram leis fracas e de um judiciário promiscuo.

Anônimo disse...

E lá vamos nós....
3 2 1 aciona os severinos!!!
Att
Praça 93

Anônimo disse...

E vai adiantar enviar tropas,PRF F.Nacional com essas Leis que temos que logo logo, soltam os bandidos presos?
Isso é só "enxugamento de gelo" se não mudarem as Leis antigas.

Anônimo disse...

Medidas paliativas apenas para mostrar que o estado está agindo contra as facções, mas que não vão dar em nada duradouro. O Rio está em guerra ha vários anos e as autoridades, aproveitam os grandes eventos, aproveitam para mostrar uma segurança fictícia. Depois dos eventos, tudo volta ao "normal". Sem investimentos, valorização do setor de segurança, as milícias, as corrupções e ações desastrosas aumentam. O Rio está sitiado por favelas, comunidades dominadas por facções muito bem armadas, muito bem comandadas pelos líderes presos nos presídios de "segurança máxima". A população deixada a própria sorte enquanto os chefões estão bem protegidos nos presídios. Falta coragem ou a vergonha é tanta pela condição administrativa atual, que não nem se cogita pedir uma intervenção federal para dar segurança às pessoas que merecem.

Anônimo disse...

Vão reforçar com mais 100, muito expressivo esse efetivo. Vão fazer o quê lá com essa multidão? Seria por acaso os 100 de Esparta? Deus abençoe essa gente e os proteja dos maus.

Anônimo disse...

Em meio a tantas turbulências no Brasil, ainda temos boas notícias, como essa que saiu na mídia: Bloqueio do WhatsApp fez mãe reencontrar a filha dentro da própria casa após meses sem conversar.

Anônimo disse...

Não adianta colocar todas as forças armadas nas ruas, isso não resolve. O que é preciso ser feito, é manter o bandido na prisão, pois atualmente, a polícia prende e em dois dias a "justiça", manda soltar. Começa o exemplo pelos ladrões da lava jato.

Anônimo disse...

Pobre mãe. Imagina o desespero dela.

Anônimo disse...

As instituições estão funcionando, STF é um bom exemplo de que estão funcionando, esqueceram de dizer para que fim estão!

Anônimo disse...

Força nacional 550, 00 diária , do outro lado os militares com diária de 30,00. Quem mandou não estudar

Anônimo disse...

Por que será que não usam a Policia Legislativa para enfrentar também os bandidos? Só servem para proteger os senadores e deputados?
Tem os salários comparados aos das Forças Armadas, ou ganham menos?
Servem para defender o país em qualquer circunstância?
Perguntar não ofende.

Anônimo disse...

Manda os QCO, eles merecem sair Cel, os combatentes não!

Anônimo disse...

Hoje em dia não espero mais nada desse "glorioso exército de Caxias". Não vai demorar a ser requisitado para substituir alguma Guarda Municipal em greve!

Ricardo Mattos disse...

Tudo cortina de fumaça. Falta emprego, saúde, educação, cidadania, valores, não vai ser polícia ou Forças Armadas que irão resolver o caos do RJ. Vai ter aquele embuste de fazer o hasteamento da Bandeira Nacional e blá blá blá e depois cada um dos entes do Estado vai saindo pela tangente e o problema volta. O Brasil virou o país do faz de conta, com hipocrisia reinante.Os militares das FFAA viraram os lixeiros da República, estão sempre corrigindo as imundícies deixadas por teóricos do Estado banana.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics