15 de maio de 2017

Primeiras coronéis do Exército falam sobre maternidade e trajetória na instituição

Ana Lúcia de Oliveira, Beatriz Helena Ferreira e Carla Beatriz de Souza receberam, em Brasília, condecoração inédita da corporação. 
'Abrimos portas', diz primeira militar do Exército a engravidar.
Letícia Carvalho, G1 DF
Há 25 anos, um grupo de 54 mulheres ingressou no primeiro concurso do Exército Brasileiro que abriu portas ao público feminino. Dessas, três se destacaram e, mesmo em um universo predominantemente masculino, conseguiram trilhar um caminho firme na hierarquia militar.
Hoje, de forma inédita, estão no posto de coronel lutando exatamente como mulheres: com garra e dedicação. Durante esse período, elas ainda foram além. Engravidaram e lidaram com todos os percalços de uma gestação dentro dos batalhões. Sobre ser mãe e militar, as três afirmam sem pestanejar: “Somos mais rígidas, ‘duronas’ em casa”.
Ana Lúcia de Oliveira, de 48 anos, Beatriz Helena Ferreira, de 49, e Carla Beatriz de Souza, de 51, chegaram à patente que nenhuma brasileira havia alcançado dentro do Exército. Carla Beatriz também atingiu outra colocação inédita: foi a primeira mulher grávida da história da corporação. Em 30 de abril, as três receberam as condecorações e, na plateia de Brasília, os aplausos mais calorosos foram dos filhos.
“Como mulher, tive algumas obrigações extras. Nós temos um zelo adicional com os nossos filhos. Mas entrei no Exército sabendo que seria um trabalho de dedicação exclusiva. Essa promoção veio como um reconhecimento do nosso empenho e da nossa força”, apontou Carla Beatriz.
“Desde pequeno, meu filho frequentava os quartéis. A família se adapta e o resto a gente conserta na ponte aérea”, completou Ana Lúcia.
Por causa da carreira, os militares costumam ser enviados para diferentes estados. De acordo com Exército Brasileiro, cerca de 10 mil mulheres compõem o quadro da instituição. O número de homens é bem maior – são aproximadamente 210 mil militares.
O Exército começou a aceitar mulheres em 1992, para compor o Quadro Complementar de Oficiais (QCO). Elas se formavam no ensino convencional em áreas como administração, comunicação e saúde, e depois eram integradas à corporação – mas não podiam chegar aos postos mais altos.
Somente neste ano, a instituição abriu processo seletivo para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx). Pela primeira vez em 76 anos, a academia, que forma aspirantes para a linha bélica, terá uma turma feminina.

Feminismo reservado
Pioneiras, Ana Lúcia, Beatriz Helena e Carla Beatriz viveram situações que, dificilmente, outras mulheres precisarão encarar na carreira. No primeiro ano de ingresso no Exército, elas lembram que encontravam dificuldades para achar banheiros femininos na Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx), em Salvador – local onde os alunos concluem sua formação.
“A gente precisou se adaptar, mas também abrimos muitas portas”, resumiu Beatriz Helena. Durante a entrevista, as três preferiram não aprofundar o debate sobre as dificuldades enfrentadas na trajetória dentro dos quarteis cheios de testosterona. Por meio de um toque discreto na perna da outra, o assunto foi encerrado e a conversa seguiu conforme a rigidez que o regimento militar impõe.
Antes de exibirem o uniforme e os coturnos, as coronéis ostentavam graduações que traçaram um pouco de suas histórias no Exército. A carioca Ana Lúcia formou-se em estatística. Carla Beatriz, conterrânea de Ana Lúcia, aproveitou a paixão pela língua portuguesa e conseguiu o diploma em letras. E a paixão por cavalos da curitibana Beatriz Helena lhe rendeu o canudo de veterinária.
Ainda que tenham desempenhado funções administrativas no Exército, elas conseguiram exercer dentro da instituição um pouco daquilo que estudaram na faculdade. Nos primeiros anos, Ana Lúcia – a única delas que sempre sonhou em ser militar – trabalhou em um departamento responsável por realizar pesquisas.
Beatriz Helena, durante todo esse tempo de militarismo, cuidou da alimentação da corporação. Segundo ela, em seu curso de veterinária, chegou a ter disciplina sobre o assunto. Carla Beatriz foi professora de português e inglês, especializou-se e virou tradutora e intérprete, o que lhe rendeu o cargo de chefe da seção de intérprete no Haiti por sete meses.
Em 2004, o Brasil recebeu o convite para liderar a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah). À época, o Haiti vivia uma realidade marcada pela violência entre gangues rivais e pelo alto nível de instabilidade política.
Atualmente, todas fazem um trabalho de assessoria, coordenam atividades ou chefiam departamentos. “A nossa mochila vai pesando conforme os anos vão passando”, disse Ana Lúcia.
Durante este ano, outras mulheres que ingressaram ao lado de Ana Lúcia, Beatriz Helena e Carla Beatriz no Exército também vão receber a promoção a coronel da instituição.
G1/montedo.com

38 comentários:

Anônimo disse...

http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2017/05/refeicoes-para-meirelles-e-comitivas-em-avioes-da-fab-custarao-r-219-mil-em-um-ano.html

Anônimo disse...

Este quadro nasceu da necessidade dos Chefes acomodarem suas filhas no Exército...é triste mas é verdade.

Anônimo disse...

Prefiro as russas!kkkk

Cel R/1 Inf Júlio César disse...

Interessante o escrito pelo comentarista "Anônimo" das 16:29. Acerca disso,algumas considerações: Será que o distinto se preocupou em pesquisar o histórico das oficias para verificar se realmente essas mulheres eram, à epoca, filhas de "comandantes"? E,se eventualmente forem filhas de militares,isso tira o mérito intelectual de alguém aprovado num concurso público,de caráter nacional,com uma média de 250 candidatos por vaga? Por acaso teriam sido essas "Coronéis (sim,são e com todo o mérito construído ao longo de 25 anos de carreiras) promovidas em desacordo à legislação vigente? Teriam elas conseguido alcançar um feito milagroso que as fez promovidas de tenentes à coronéis,sem terem realizados todos os cursos necessários ,bem como passado por todos os postos para alcançar tal mérito? Terá,por acaso, essa pessoa "anônima" algum rancor ou mágoa por não ter conseguido demonstrar ao longo de sua vida militar o mesmo talento e capacidade dessas senhoras em alcançar uma meta profissional ou pessoal de tal envergadura? Será que essa pessoa que demonstra estar com seu ego ferido (inveja,rancor,mágoa?)pelo sucesso alheio não consegue vislumbrar que tais mulheres conseguiram conquistar seu espaço profissional apenas com sua capacidade de trabalho,competência profissional e dedicação,sem compadrio ou apadrinhamento? Resumindo: amigo,mostre sua cara e não demonstre tanta fragilidade pessoal e profissional ao verificar que outras pessoas conquistaram o que vc eventualmente não teve capacidade de conseguir.

Anônimo disse...

O pior que deram Carona em Oficial de Arma e operacionais Guerra, PQD, Comandos. Sempre falo o que vale é o papiro! Ralar para que? Jovens não se iludam com breves e cursos. Estudem e entrem pela área de saúde. Meio expediente, só de branco, chamado de Doutor até pelos Generais. Sem falar a moral no Público Civil, Oficial e Doutor. Brasil$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Anônimo disse...

Verdade para quem, para vc, inveja detected??? Fala sério, é cada fariseu que me aparece.
Surgiu da necessidade de aperfeiçoar a área adm com profissionais qualificados, experientes e selecionados por rigoroso exame. Este mesmo exame q reprovou vc e outros q falam asneiras como essa q sou obrigado a ler.
Maj LEONARDO

Anônimo disse...

As pedra fundamentais da instituição são HIERARQUIA e a DISCIPLINA, MAS INFELIZMENTE a BABAÇÃO é um atributo principal para MERECIMENTO que supera a base da instituição.

Quem não tem padrinho não chega onde sonha e deseja.

Anônimo disse...

Coronéis com 25 anos de serviços?? Eu com 29 ainda vou ser ST pela projeção da "brilhante" carreira que o EME quer para mim e para meus companheiros praças. Deve ser inveja. Devo ser um recalcado. Vou continuar aqui no papiro da faculdade, pois esse edifica. Já tive minha cota de desmotivação de hoje. Parabéns às coronéis. Esse exercito feudal e atrasado foi feito por, e serve à gente atrasada como esse Maj Leonardo, rei da soberba que odeia praças.

Anônimo disse...

O concurso existe há muito tempo, se elas se qualificaram, prestaram concurso público e lograram êxito, parabéns. Ao leões, porque não buscaram o ensino superior e prestaram o mesmo concurso? As portas sempre existiram, o problema é a vontade de querer forjar a chave.

Anônimo disse...

Enquanto isto o CHQAO vai ficar mais difícil com a exigência de um idioma, já sendo chamado de "queminha das praças" não é QEMA é "queminha" mesmo, Ultima turma ser qao serão do CFS 93 e nem todos qao serão Cap vai ser merecimento de 1º Ten para Cap QAO. A carreira em "y" será a solução? Dúvidas e vários comentários de alojamento e nada de concreto. E a galera de 94 em diante como vai ser? Quem tem nível superior vai concorrer dentro de sua área e os que não tem? serão poucas vagas? Vamos ficar mesmo 11 anos como Subão? O CCOMSEX tem que lançar um Informex informando a tropa, a aflição é total nos alojamentos.

Anônimo disse...

Apareceu papai pra caramba...misturando alhos com bugalhos e apostando em uma suposta competência de seus rebentos mas, nas OMs não é isso que se verifica. Ainda bem que o EB não vai a guerra!

Anônimo disse...

Parabéns pelo mérito de terem alcançado o posto de Coronéis. Gostei da matéria.


Terminei minha faculdade ano passado, pois servi como soldado, fui cabo e passei na ESSE é com 22a, transferido para um lugar sem acesso e rotinas mais puxadas, cursos no EB e filhos... Normal... estou no limite de idade (farei 33a), e não abriu meu curso, certamente não conseguirei fazer o QCO, mas quem sabe um Acesso interno como 2° ou 1°sgt.
X
Iniciei os estudos e pretendo fazer outros concursos como melhores salários.

Mais uma vez parabéns!

2° Sgt ESA/ 200

Anônimo disse...

Há sempre uns caras que vem comentar besteiras por aqui... Fugindo ao assunto.
Nada a ver dizer que é um cargo para colocar as filhas dentro do É.B. O NPOR e Oficiais temporários podem até ser usados para esse fim, mas os QCO não.

Sgt Mat bel 2003

Anônimo disse...

Em relação ao comentário "Este quadro nasceu da necessidade dos Chefes acomodarem suas filhas no Exército...é triste mas é verdade.", não vejo nenhum problema, desde que tenham entrado no Exército, por meio do QCO, por exclusivo mérito intelectual.

Sou QCO, mas fui sargento por muitos anos e vejo que alguns sargentos - friso: ALGUNS - tem um certo recalque por não terem conseguido nada melhor, seja por limitação intelectual ou comodismo.

Estatisticamente, cerca de 40% dos militares do QCO são oriundos das carreiras de sargentos, que conseguiram melhorar um pouco suas vidas decorrente de seus esforços.

Alguns ficam esperando no tal de QEO (Quadro Especial de Oficiais)algum tipo "bolsa família", de modo que pelos menos uns 2/3 dos sargentos (uns 1200 a cada ano) passem de uma hora para outra, para um nova carreira que lhes dê a oportunidade de chegarem ao menos até o posto de major.

Isso não acontecerá. Sabemos disso. Joguem na Mega Sena ou arrisquem na carreira empresarial que terão mais sucesso.

Temos excelentes sargentos (e muitos limitados também e isso vale para oficiais, cabos e soldados), mas o problema é que foram aprovados em um concurso de nível fundamental ou médio (a partir do concurso de 2008) aí não dá para ficar esperando milagre. O cara, por exemplo, pode ser o melhor técnico judiciário de um tribunal, mas não terá como fazer, internamente, ele ser juiz de direito, sem que seja aprovado em um concurso específico para tal. O inverso também é verdadeiro: por mais incompetente que seja o juiz, não tem como rebaixá-lo para técnico judiciário.

É difícil entender isso ou estou errado?

Anônimo disse...

Sou Sargento e concordo com o comentário do Cel R/1 Inf Júlio César

Anônimo disse...

Mais uma vez, para registro: eu não odeio praças, como os bobagentos insistem em dizer. Não teria nem como, porque fui Sgt de carreira e tenho ótimos companheiros da turma do CFS mt brilhantes. Agora, dizer que não tolero engana-bobos, que aparecem para falar sem razão, sem conhecimento de causa, sem competência alguma, sem nada, e posam de sabichões, de doutores, aí perco a paciência. Não deveria, porque meu tempo é valioso demais para dar confiança a esses "ispertos" que não saem do sofá, não largam o balde de cerveja, não deixam de ficar nas peladas e churrascos de fds, e, pior, vivem mexendo com as mulheres de companheiros deles nas vilas militares. Não por menos, estes são praças, fazer o quê.
Há, para o bem da nação - ainda bem! - os capazes. Aqueles que opinam neste espaço, apresentando suas visões de determinada situação sem precisar usar de conversa fiada, desmerecendo carreiras ou funções, principalmente qdo destinadas a oficiais. Meus fracos, queiram ou não, oficiais de carreira serão sempre oficiais. Sejam eles de AMAN, QCO, QEM, QSau, QCM. E a eles são destinadas vantagens próprias das carreiras, como tem de ser. Ou vcs acham que não sabemos das oportunidades melhores para os de AMAN, das chances de estudo no exterior para os QEM, de expediente diferenciado para os QSau??? Sabemos e respeitamos, pois tem de ser assim. E vcs, caras-pálidas, têm de saber que há melhores condições para nós do que para vcs. E tem de ser assim.
Portanto, reforço, tenho ótimos companheiros de trabalho, tanto oficiais qto praças. Gente com mt capacidade e talento. O prob é que há uma parcela, principalmente destes, que são uns incapazes e vêm querer posar de lentes, de mestres etc., denunciando-se como pústulas que são simplesmente ao redigirem ou apresentarem suas ideias, pueris e tolas.
Maj LEONARDO

Portal do empréstimo disse...

Repito as palavras do Maj.

"Verdade para quem, para vc, inveja detected??? Fala sério, é cada fariseu que me aparece.
Surgiu da necessidade de aperfeiçoar a área adm com profissionais qualificados, experientes e selecionados por rigoroso exame. Este mesmo exame q reprovou vc e outros q falam asneiras como essa q sou obrigado a ler."

Anônimo disse...

Ao Maj QCO: "oficiais de carreira serão sempre oficiais. Sejam eles de AMAN, QCO, QEM, QSau, QCM"

E daí? Eu trabalho no judiciário, tu não é nada perto disso rs, pica fumo.

Abraços!

Anônimo disse...

Concurso é concurso e não tem peixada,tem é concorrência. E se o camarada não estudar e ficar somente preocupado com a classificação de seu time no "Brasileirão" vai pro barro meu amigo !!!

3º Sgt / 2013

Anônimo disse...

Prefiro as Russas !!!

Anônimo disse...

A verdade (que nao eh triste) eh que vc eh que eh um fraco!
ST INFA BRAZIL

Anônimo disse...

Maza galo veio...

Anônimo disse...

Ao anônimo de 16 de maio de 2017 06:59, vc fala do Judiciário que paga 6k para Tec e 9K para analista? Do Judiciário cujos servidores são chamados de capachos dos advogados e juízes??? Do mesmo Poder da República, em que tenho 3 analistas e 5 Tec - diversos órgãos - que são meus alunos, doidos para vazarem de lá??? Sei... Vá enganar incautos, fraco.
deixe-me ficar como TCel, ganhando meus 16,6k, morando em apart funcional e Trnp na quadra para me levar e trazer.
Da próxima vez, apresente argumentos mais consistentes, fraco.
Maj LEONARDO.

Anônimo disse...

Li só metade Maj Leonardo...quando virar filme eu assisto seu desabafo.. continuo firme na minha opinião sobre sua soberba. Pelo menos dessa vez não falou que praça vive tomando cerveja, discutindo sobre futebol e mexendo com mulher alheia.V Majestade andou papirando no dicionário algumas palavras difíceis para desqualificar os argumentos das visitas praças. Acabo de notar.

Anônimo disse...

Ao Maj Leonardo
QCO vai acabar. Oficial de carreira não gosta de QCO, já ouvi isso de vários. Ou vcs acham que sair coronel na frente dos "Demi-Gods" da Acadimia com curso na Unisquina, com um ano em Salvador é visto com bons olhos? "Oficiais de carreira serão sempre oficiais..." Mímimi...não é o que vemos na prática.

Anônimo disse...

Caro Maj Leonardo!
Eu respeitava as suas opiniões até ler essa pérola que você escreveu...
" Sabemos e respeitamos, pois tem de ser assim. E vcs, caras-pálidas, têm de saber que há melhores condições para nós do que para vcs. ""E tem de ser assim.""" "
Você realmente pensa dessa forma??
""E tem de ser assim.""
Por que "tem que ser assim"???
Aproveite o seu "feudo" pena que esqueceu de onde veio...
Att
Praça 93

Anônimo disse...

Parabéns a todas pela merecida conquista, pois isso é fruto da capacidade e do estudo de cada uma!

Luciano - 2º Sgt QE

Anônimo disse...

Maj Leonardo, só pode ser um praça recalcado se passando por oficial para semear a discórdia e ver o circo pegando fogo! Não caiam nesse engodo! Percebemos isso neste trecho:

"Meus fracos, queiram ou não, oficiais de carreira serão sempre oficiais. Sejam eles de AMAN, QCO, QEM, QSau, QCM. E a eles são destinadas vantagens próprias das carreiras, como tem de ser. Ou vcs acham que não sabemos das oportunidades melhores para os de AMAN, das chances de estudo no exterior para os QEM, de expediente diferenciado para os QSau??? Sabemos e respeitamos, pois tem de ser assim. E vcs, caras-pálidas, têm de saber que há melhores condições para nós do que para vcs. E tem de ser assim."

Quer audiência? Entra em contato com alguma rede televisiva e crie um programa de "polêmicas militares" com assuntos do tipo "oficiais X praças" ou "quantitativo e desigualdade na distribuição de pnr entre of e praças" ou "por que a carreira do of é melhor que a do praça?"!!!

Rir para não chorar!

Sgt Brincante

Jiddu Siciliano disse...

Tive a satisfação de servir com as então tenentes Carla Beatriz e Ana Lúcia, no CEP, excelentes militares e pessoas de fino trato, parabéns!! E também a todas as pioneiras da turma de 1992.

Anônimo disse...

Major Leonardo
não gostei da forma que enfatizou:

"Não deveria, porque meu tempo é valioso demais para dar confiança a esses "ispertos" que não saem do sofá, não largam o balde de cerveja, não deixam de ficar nas peladas e churrascos de fds, e, pior, vivem mexendo com as mulheres de companheiros deles nas vilas militares. Não por menos, estes são praças, fazer o quê".

sou sargento, não me sinto mal por isso, gosto de tomar minha cerveja e fazer meu churrasco. Estou realmente feliz por ter sido transferido 4x a pedido, ido 1x ao exterior e realizado meus cursos, incluso PQD que pagam 20%(1ºSgt). Quero sim, claro, sair QAO. Cursei faculdade e pretendo na minha reserva exercer a advocacia, pois acredito nos 30a e tenho tempo de Guarnição Especial.

Mas não fiquei satisfeito com seu texto, pois não costumo mexer com mulheres alheias, inclusive as respeito, tenho 2 filhos e 1 filha, em colégio militar e tento passar o melhor exemplo, pois o exemplo educa. Sou umbandista, casado com uma mulher católica, a qual também bebe cerveja e bebe comigo; Também ajudo uma comunidade de crianças carentes que necessitam de orientação, e até falo da ESA, de cursos profissionalizantes, da ESPECEX e de cursar Faculdades como caminhos a serem seguidos.

Não tinha nada contra vossa senhoria, até o momento citado acima.
Quanto a comentários de anônimos denegrindo ou se desfazendo da imagem de outras pessoal não me dá o direito de acusá-las de uma ou outra graduação\posto.


Passar bem

concordo com o Cel Julio Cesar.

S Ten INF 92

Anônimo disse...

Concordo com o Anônimo 15 de maio de 2017 16:49 - Prefiro as russas!!!

Anônimo disse...

Tomara que nenhuma delas seja comunista!

Anônimo disse...

Prezado Praça 93, não fui claro ao me expressar. Qdo digo "têm de ser assim", isso se deve em face à diferença de prerrogativas inerentes a cada cargo - parecido com o q o colega QCO indicou acima.
Um cargo de NS, cujo servidor se dedicou a ele (formação em NS, dedicação ao concurso, aprovação no concurso, sujeição ao curso etc.), tem, por decorrência natural, prerrogativas peculiares ao cargo, e tem de ser assim. Não há como equiparar um (oficiais de NS) com o outro (praças de NM, cujo ingresso foi muito menos esforço, pois sei do q falo).
Não vemos isso nos demais órgãos, em que magistrados possuem condições diferenciadas dos demais servidores, alguns destes que ocupam, inclusive, cargos de NS, mas cuja exigência de ocupação é muito aquém da do magistrado. Da mesma forma na RFB, com os AFRFB e ATRFB; na PF, com os Deltas e EPAs, e por aí vai.
Portanto, evidentemente que oficiais devem ter prerrogativas diferentes - para mais - com relação às praças. E, dentro do oficialato, as prerrogativas inerentes à formação, como informado antes. E não sejamos hipócritas, basta vermos na carreira de praças. Os Sgt Sau têm as mesmas agruras do infante e cavalariano (conheço muitos, inclusive, q cumprem meio expediente a semana inteira, e nada fazem nesse intervalo, pelo contrário, só reclamam)? Os de MB, Int têm as mesmas dificuldades que os comunicantes e engenheiros?? Nunca !!
Assim, se vc se ofendeu, não foi a minha intenção. Mas, acredite, tenho completo domínio do q afirmo.
Por fim, para o desprovido de vocabulário que falou besteiras lá em cima, digo-lhe com muita propriedade: meu vernáculo é rico por razões de estudo e dedicação, não de "cola", se é q seja possível procurar palavras para escrevê-las em um texto. Como poderia procurar algo q não sei o significado? Já falei e repiso: se querem me confrontar, façam-no com inteligência, conhecimento e perspicácia. Adjetivos que faltam a imensa totalidade aqui.
Maj LEONARDO

Anônimo disse...

Pensando melhor, acho que preciso de uma afago de algum QE.
Major LEONARDO

Anônimo disse...

Meu nobre S Ten INF 92, não se observe nesse universo, demonstrou claramente que não se insere nele. Parabéns pelo belo trabalho q faz junto com a digníssima esposa. Velame!
Maj LEONARDO

Anônimo disse...

Para o bem ou para o mal, felizmente ou não, o quadro será extinto. Já é decisao do EME. Conheço muitos oficiais QCO excelentes. Mas tem uma grande parte que veem a carreira com a mesma ótica de um funcionário público. Burocratas que não assumem riscos ou responsabilidades. Quando vejo uma praça reclamar das regalias que eles têm, chego a entender sua revolta. Não justifica, mas é de se entender. Precisamos de oficiais que assumam as responsabilidades necessárias para transformar nossa exército em uma força armada do novo século pois ainda estamos na 1a guerra mundial. Chega de burocratas ineficientes que agregam muito pouco.

Anônimo disse...

Ao Maj LEONARDO. 16k bruto né filho, um analista do Judiciário com 13 anos de carreira tira 20.800 bruto, só pra relembrá-lo, teve aumento ok, líquido tu deves pegar nem 10k direito, soldinho rsrsrs.
Proponho-lhe um acordo, topa?

1) Vamos cruzar os contra-cheques que tal?
2) Vamos cruzar o auxílio alimentação, opss, vc não tem rs.
3) Vamos cruzar as horas semanais?
4) Vamos cruzar as gratificações por Funções de confiança/cargos comissionados, opss, vc não tem de novo...
5) Vamos ver quem tem mais moral na hora de comprar um apartamento na planta rs.

Tu és capacho de general ou algum coronel pois tu é QCO e QCO só pega boca podre.

Abraços!
AJAA TRF4 ex terceireba do EB.

Anônimo disse...

Praça metido a esperto na ativa é duro de aguentar; ex-praça (o prefixo "ex" exige o hífen, ô capacho do Judiciário) q pensa ser esperto, servidor capacho de advogado, juiz e pessoal da faxina, é difícil. Esses, coitados, merecem o descaso. Mas vamos lá...
Eu, como QCO, peguei a "boca podre" de 2 anos nos EUA (CEBW), onde aprimorei o meu inglês, prestei consultoria lá (e fiz um bom pé de meia), alarguei minha netowrking fora do Brasil e, para melhor, adquiri um apartamento na praia com os dólares q lá ganhei. Sabe qdo vc, capacho, terá isso no Judiciário? Nunca!!!
Com relação ao vencimento, pare de graça, não me engana com esses valores falsos. Já lhe disse, tenho 5 colegas seus doidos para vazarem do seu reino, onde vc é o bobo da corte. Eu, com 16,6k, 11,8k líquidos (não tenho nenhum empréstimo, nenhum financiamento, nenhuma PJ), apart. funcional, Trnp na quadra, respeitado e admirado onde estou é muito, mas muito superior ao q vc, ex-praça, conseguiu. Aliás, aposto o meu braço q vc é mais um daqueles que não teve competência para passar na ESAEx e caiu de paraquedas no Judiciário. Evidentemente, vc jamais admitirá isso, mas, acredite, continuarei com os meus 2 braços, pois tenho ctz do q digo.
Por fim, e nunca mais me dar ao trab de perder tempo contigo, boa sorte com o teto do INSS qdo se aposentar aos 65 anos de idade,sem dentes, careca, olhos esbugalhados e cheio de tique nervoso dos esporros constantes dos advogados, juízes e até do pessoal da faxina.
Somente eu mesmo para perder tempo com gente dessa qualidade...
Maj LEONARDO

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics