14 de maio de 2017

Trava negociação em torno de aposentadoria de militares

Resultado de imagem para aposentadoria de militares
Edna Simão
O impacto fiscal que a reestruturação dos planos de carreiras dos militares pode trazer para as contas públicas está emperrando as negociações em torno de mudanças nas regras de aposentadoria das Forças Armadas. Segundo técnicos ouvidos pelo Valor PRO, serviço de informação em tempo real do Valor, a reestruturação da carreira significa "algum impacto fiscal de curto prazo em troca de uma reforma estruturante no longo prazo".
A ideia do governo é finalizar um texto com a contribuição das Forças Armadas para a Reforma da Previdência Social ainda em maio para encaminhá-la à Câmara dos Deputados entre junho e julho. O envio, no entanto, dependerá do ambiente político pois não pode contaminar as discussões para garantir a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da reforma da Previdência Social.
O problema para retirar do papel o projeto das regras de "aposentadoria" dos militares, ou seja de reserva e reformado, é que, atualmente, não há folga no orçamento para conceder benesses, como a reestruturação das carreiras, que implicam aumento salarial num momento de forte restrição fiscal.
Nos bastidores, uma fonte disse que o impacto da reestruturação do plano de carreira dos militares, seria de bilhões ao longo de quatro anos. Um dos números mencionados é de algo em torno de R$ 30 bilhões. Esse montante pode variar dependendo dos termos da reestruturação das carreiras. O temor de alguns dentro do governo é de que esse custo inviabilize as mudanças.
Outro técnico disse que "esses valores ou quaisquer outros não procedem", pois a proposta ainda não está fechada. "Estamos fazendo as contas", contou. Além disso, ainda não está descartada a possibilidade de se fazer apenas as mudanças na Previdência Social, ou seja, todas as possibilidades estão sendo consideradas. "Garanto que as negociações estão evoluindo para que saia mais uma medida estruturante", ressaltou o técnico. "O mais importante é que os militares sabem de suas responsabilidades em relação aos desafios fiscais que temos no curto e no longo prazos."
Representantes do governo têm reforçado que as Forças Armadas, assim como acontece em vários países, devem ter um regime diferenciado de aposentadoria. A intenção é aproximar, ao máximo, as regras dos militares daquelas que serão exigidas da maior parte da população.
Dentre as propostas em estudo estão o aumento do tempo de serviço do militar de 30 para 35 anos, a idade mínima para passarem para a reserva e a cobrança de uma alíquota de 11% de contribuição para os pensionistas, que hoje são isentos. Também pode haver aumento no percentual descontado dos salários para contribuir com a Previdência.
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, por exemplo, já disse que os militares serão atingidos pela reforma que estabelece idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, mas haverá especificidades inerentes à categoria. No geral, as aposentadoria dos militares seriam limitadas por exemplo, ao teto de aposentadoria do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que atualmente é de R$ 5.531,31, deixando de passar para a reserva com o benefício equivalente ao salário dos militares da ativa.
Quando encaminhou a PEC 287 ao Congresso, em dezembro, o governo Temer foi alvo de inúmeras críticas por deixar de fora os militares, cujo déficit com aposentadorias e pensões é expressivo.No ano passado, o regime de previdência dos militares teve um rombo de R$ 34,069 bilhões, ante R$ 32,506 bilhões de 2015, segundo o Relatório Resumido da Execução Orçamentária, divulgado pelo Tesouro Nacional.
Se considerado o regime dos servidores civis, o resultado negativo foi de 43,082 bilhões em 2016, ante R$ 40,007 bilhões de 2015. Consolidando os dados, o Regime Próprio de Previdência dos Servidores Públicos federais, incluindo militares, fechou o ano de 2016 com um déficit de R$ 77,151 bilhões, o que representa um aumento de 6,4% ante 2015 (R$ 72,514 bilhões).
Valor ECONOMICO/montedo.com

100 comentários:

Anônimo disse...

Fiquem tranquilos que nossos Comandantes Chefes não vão aceitar uma proposta final no "hup hup" como se diz na cavalaria.

Anônimo disse...

Será que não vão aceitar? O governo tá de sacanagem e os militares estão calados. Qual é o efetivo e salário médio dos militare FA e civis Federais? Como que o impacto será imediato e o retorno a longo prazo. É o que tem que ser feito. Pensar no longo prazo, senão a coisa não anda. O governo tem que ceder agora para que no futuro as contas baterem. O salário atual dos militares já está arroxado há décadas, mais uma vez querem colocar na nossa conta!?

Ps Silv disse...

Preocupante...

Anônimo disse...

Gostaria de saber se os funcionários públicos civis quando se aposentam ficam pagando para a previdência.

Anônimo disse...

Se pagarem um salário bruto por ano de sv trabalhado na passagem para a reserva. Até que o teto não seria pouco.

Anônimo disse...

Só o papiro liberta.

Junior disse...

Um General ou um Cel ganhando na reserva, teto da previdência, duvido.

Anônimo disse...

Gen e coronéis trabalham até 55 anos, 60 anos porque suas atividades são de coordenação no ar condicionado. O civil não sabe disso. Coloca um coronel ou um general de 60 correndo de calça e coturno no sol de 40 graus, ou em pé de mochila 5 horas em uma formatura...para as praças poderá se tornar real, haja vista, mesmo como oficial do QAO a praça ser tratada como aspirante recém saído da AMAN. Imaginam que o QAO tem 25 de idade, e não 50 anos para determinadas atividades. Totalmente inviável realizar atividades operacionais como sexagenário ou cinquentenário como querem os civis.

Anônimo disse...

Fiquem tranquilos, nossos comandantes estão cuidando dos nossos interesses.

Anônimo disse...

Os militares deveriam propor em troca como por exemplo as pensionistas, receberem o teto ti INSS, desde já. Quase seis mil reais para uma pensionista está ótimo.

Anônimo disse...

Pagam sim.

Anônimo disse...

Nada está tão ruim que não possa piorar.

Vamos pagar pela crise institucional. O Brasil precisa de nós. Não nos neguemos a honrar o país que juramos defender, até doando a nossa própria vida.

Se não quiser pagar a conta, saia das FFAA.

A Selva nos une. Tudo pela Amazônia.

Anônimo disse...

Várias categorias de funcionários públicos tiveram reajustes superiores a inflação repondo as perdas. Só as forças armadas é que sempre tem uma desculpa e nunca recebem nada vamos ver se agora conseguem algo.

Anônimo disse...

"O mais importante é que os militares sabem de suas responsabilidades em relação aos desafios fiscais que temos no curto e no longo prazos." - retirada do texto - É aqui onde os militares sempre se dão mal. Vamos arcar com o ônus sem ter direito a bônus!!!

Sgt2001 disse...

Preocupante. será que vem por ai mais um pacote do mau? Tá mais para nos empurrarem goela abaixo sem nada em troca, afinal quem irá reclamar?

Anônimo disse...

...Nobres colegas a esperança já foi embora, nossos comandantes já abandonarão a tropa ao inimigo faz tempo, já está tudo acertado a jeripóca vai pia mais uma vez nos lombos dos praças, generais fracos, corruptos, comunistas saudade onde os generais tinham moral, palavra, hombridade com a tropa...

Anônimo disse...

Falou em dar aumento para militar a conversa fica engasgada mesmo. KKKK

Anônimo disse...

Iche, se sair aux moradia e volta adic tempo sv, já vai ser muito.

Anônimo disse...

Pessoal.
Essas postagens não são verdadeiras, só servem pra contaminar o ambiente, tudo lançado pela mídia comunista.

Anônimo disse...

Como aceitar tais mudanças?
O exemplo deve ser dado pelos que planejam as mudanças, ou seja, os políticos. Qdo estes viverem como a maioria e não como a minoria da população, poderemos pensar em aceitar qqer tipo de mudança nas Forças Armadas.

Anônimo disse...

Taí o resultado do "elogio"feito recentemente pelo chefe supremo aos militares das FFAA.
É muito fumo, e não tem essa de ser somente nos ativos, é fumo de rolo, em pó, para todos inclusive as pensionistas.
Será que são somente as Forças Armadas que dão prejuízo à nação?
Então desativem-nas para que fique mais fácil uma invasão.
Dizerem que serão respeitados direitos adquiridos e como a MP 2215/2001 retirou vários direitos? Lá vem o teto do INSS para os nobres senhores oficiais generais e virá o escalonamento vertical para os outros.
Quem mandou "abrirem" de mais em 85? Agora sofram, mas ainda alimento a esperança de no mês de julho modificará alguma coisa.

Anônimo disse...

Vamos a verdade, tem de voltar o adicional tempo de sv, para equiparar a ativa com a reserva. E ainda pagar aux moradia pra quem não mora em pnr. Resto ja eh sonho.

Anônimo disse...

Que moral tem estes políticos para propor qualquer tipo de reforma, ainda mais que afete os militares, nossa cota de sacrifício já foi dada com a MP do mal. Eles tem que mais se preocupar com a reforma da prisão em Curitiba.

Anônimo disse...

Somente os militares sabem o que é a carreira militar. Sindicatos, greve, hora extra, FGTS, auxlio moradia, auxilio remedio, 14 sakario, participação nos lucros da empresa tudo isso a carreira militar não proporciona. Ja dizia Rui Barboza "Tratar os desiguais desigualmente, a medida que eles se desigualam".

Anônimo disse...

Fiquem tranquilos pq o Itaú recebeu o perdão de 25 bilhões do governo federal. Fiquem tranquilos pq as empresas que devem o INSS serão salvas pelo governo federal. Fiquem tranquilos pq a caixa preta do BNDES não existem. Fiquem tranquilos que podemos confiar no governo.

Anônimo disse...

Engraçado pq os militares de carreira não compõem nem 30% do efetivo das FFAA. O governo se esqueceu que a maior parte do efetivo é formado por recrutas?

Marcelo Carvalho disse...

Senhores, acreditem: estamos ferrados.

Anônimo disse...

...pouco a pouco estão terminando com as forças armadas...

Anônimo disse...

Complicado....sem luz no fim do túnel

Anônimo disse...

Comentaristas, olhem as dias reportagens nos links abaixo postados


http://diariodopoder.com.br/noticia.php?i=79502018176

http://diariodopoder.com.br/noticia.php?i=79503572954

Anônimo disse...

Como sempre, qualquer proposta ou negociação em torno do salário dos militares das FFAAs é um parto! Vira estudo que não acaba nunca, vai causar inflação, não foi incluído no orçamento, não tem dinheiro...! Porque isso não acontece quando os parlamentares aumentam seus próprios salários na calada da noite, da noite para o dia? Porque que nada impede que os deputados e senadores aumentem as verbas de gabinete que oneram os cofres públicos em milhões de reais? Algum deputado ou senador vai receber o teto do INSS quando se aposentar?

João Luiz disse...

Quero ver se os oficias e praças vão aceitar ganhar apenas R$ 5.531,31...já passou da hora de nos mobilizarmos como todas as categorias estão fazendo.

Anônimo disse...

Claro que sim. Desde 2003. Estude!!!

Anônimo disse...

Será que nossos comandantes aceitarão um teto para aposentadoria de rs$5000,00, se isso for permitido será a falência de instituicao....

Alan Gustavo Santos disse...

O que virá por aí não vai agradar os militares e pra variar seremos entubados novamente, lamentável.

Anônimo disse...

Espero que decidam logo essas mudanças, pois, dependendo do que for acontecer, não vou esperar para ganhar minha carta de alforria dessa escravidão que está se tornando a profissão militar... uma carga de trabalho sem limites e sem horários - sem horário de término de expediente (muitas vezes por pura sacanagem do Cmt ou SCmt ou incompetência do Of Dia), vários finais de semana e feriados trabalhando fardado, com nenhum retorno... Se mudarem as regras atuais nos moldes como diz no texto, vou ter que continuar servindo minha pátria como civil mesmo.

Anônimo disse...

"O mais importante é que os militares sabem de suas responsabilidades em relação aos desafios fiscais que temos no curto e no longo prazos." Tá, e os políticos?? qual a cota de responsabilidade desse bando que todo ano aumenta a verba e os salários ??

Anônimo disse...

Notícia profundamente desanimadora e com final previsível! Uma "balinha"pra adoçar a boca da galera e...tchau!!!

Anônimo disse...

Se não podiam fazer a reestruturação salarial, pq prometeram?

MARCOS VINICIUS disse...

Uma vergonha para os militares se isso passar, nossos Comandantes dever falar, aqui em Brasília um Soldado da PM e do Bombeiro recebem mais que um Suboficial com 30 manos de serviço, Tem que alguém lembrar isso ao paisano Padilha,

Anônimo disse...

Entendi bem ? O que tá travando a mudança na aposentadoria dos milicos é o contraponto da reestruturação salarial, kkk estamos ferrados vão nos empurrar a aposentadoria sem melhoras alegando o grande gasto!

Anônimo disse...

Eu confio na palavra do Ministro da Defesa.

bebeto1000 disse...

Mais um estudo que vai durar uma eternidade e quando for implantado,já sabemos o resultado.

Anônimo disse...

Não brinca comigo... Porque eu não ando só !

Anônimo disse...

Lembro-me que os Comandantes disseram para só acreditarmos em notícias oficiais.

Anônimo disse...

Vamos chorar nos 35 anos e não virá nenhuma contrapartida.

Anônimo disse...

01 de junho sou promovido e 02 de junho estarei entrando com pedido de reserva.
Gostaria de continuar mais 3 anos, só que já estou calejado e sei que estamos acéfalos.

Anônimo disse...

Na Câmara e no Senado tudo é votado na base do toma lá da cá, a gente só toma lá...

Anônimo disse...

Podem ter certeza de uma coisa, assim como em 2000, vão jogar nas nossas costas o arrombo do governo, como ninguém briga por nós, vai sobrar pra nós pagarmos a conta. Mais cortes de direitos virão podem ter certeza.

Anônimo disse...

Estou chegando a conclusão que está reforma vai ficar no zero a zero.

2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Cade os comandantes ?

Anônimo disse...

Se não sair a reestruturação da carreira agora, então que saia um reajuste digno em julho.

Anônimo disse...

No mês passado foi criado um grupo misto de estudo. lembram?
Foi dado um prazo de 120 dias para a conclusão. Esse bizú do Valor pode estar furado.

Anônimo disse...

Já perdemos muito ao longo dos anos e agora vem de novo com esse argumento que não convence ninguém. Nossos comandantes não podem aceitar de espécie alguma.

Gilberto Luiz Alves disse...

"No geral, as aposentadoria dos militares seriam limitadas por exemplo, ao teto de aposentadoria do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que atualmente é de R$ 5.531,31, deixando de passar para a reserva com o benefício equivalente ao salário dos militares da ativa."
Por favor, alguém pode esclarecer pra mim? Preciso saber se meu pai, que é Cel av, vai pra reserva ganhando isso.

Altevir Stall disse...

AS VERDADES SOBRE A APOSENTADORIA DOS MILITARES


O inicio da história.
Antigo Sistema chamado de Montepio Militar: " Nos primórdios das Forças Armadas no Brasil, os militares, enquanto vivessem, recolhiam contribuições voluntárias, quer tivessem filhas ou não, para beneficiar a viúva e as filhas.

Em 1960, (presidente na época Janio Quadros e depois João Goulart) o Governo resolve incorporar ao Tesouro os fabulosos recursos do Montepio Militar (que era propriedade privada dos militares) e, a título de compensação, assume o compromisso de pagar a pensão militar em substituição ao Montepio Militar. Saliente-se aqui, que o Governo fez excelente negócio: incorporou uma fortuna ao Tesouro e comprometeu-se em desembolsar suaves prestações, ao longo dos anos, no pagamento de pensões.

Pagavam contribuições militares que deixavam para suas esposas e filhas os valores de 20 vezes a contribuição no caso de falecimento normal, 25 vezes no caso de falecimento em serviço e 30 vezes no caso de morte em campanha (guerra).


Com a constituição de 1988, outro golpe é aplicado em cima dos militares. É oferecido pelo governo, o pagamento da pensão integral na graduação ou posto do militar no momento de sua morte. Essa proposta resolvia os problemas das necessidades das famílias dos militares falecidos, mas, em sua estrutura escondia um grande aumento das contribuições dos militares.

Em 29 de dezembro de 2000, nova alteração e mais um golpe. A contribuição aumenta mais (pensão para a esposa 7,5%, pensão para a filha 1,5% e fundo de saúde 2,7% dos vencimentos totais, e a obrigação de continuar esse recolhimento na inatividade (os militares são os únicos funcionários federais nessa situação). Esses fatos fazem com que os militares recolham as contribuições, em média, por mais de cinqüenta (50) anos.

A pergunta é. Os recursos que o governo resolve incorporar ao Tesouro os fabulosos recursos do Montepio Militar. Que valor teria hoje?
A que se destinou?

Isto não é divulgado nos Jornais e Televisão.

A população do País ainda enxerga em cada militar um privilegiado.


Vejamos um exemplo na prática: um Coronel, após mais de 50 anos de contribuição, (isso acontece em todos os postos ou graduações) contribui com R$ 960,00 mensais e ao falecer deixa uma pensão de R$ 8.000,00.

Se essa retribuição fosse feita pelo critério anterior, ou seja, de 20 vezes o valor da contribuição, esse valor subiria para R$ 19.200,00. Um valor 120% maior.

Agora vamos pensar nas aposentadorias milionárias recebidas por terroristas, os quais lutavam em favor de um Socialismo, tal qual a que existiu na antiga União Soviética e ainda existe em Cuba.

Na nova reforma em estudo, novas perdas, com certeza, virão. Desse rápido estudo fica claro que o Governo, para resolver seus problemas de caixa, aplica seguidos planos em cima dos militares. Nessa seqüência é fácil prever, num futuro próximo, que vão continuar a enfraquecer todos os militares e pensionistas e os seus dependentes.

Os militares não têm sindicatos para defender os seus interesses e não fazem greves. São cidadãos brasileiros, disciplinados e patriotas.

Estão a serviço da nação para garantir a Lei e a Ordem, que infelizmente a mídia maldosamente tenta denegrir.

Anônimo disse...

Tamuslascadus

Anônimo disse...

Olá aos companheiros. Peço o fim da dedicação permanente e atribuição de carga horária semanal.

Anônimo disse...

O repórter escreve o que quer! não sejamos burros! Lisandra Paraguassu e outras jogam contra a instituição

marcos costa Costa disse...

Estamos pagando, juntamente com o povo os juros da dívida pública de já aproximadamente 500 bilhões, devido aos incentivos fiscais às grandes empresas, 200 bilhões de corrupção anual, bolsa empresário do BNDES. Tudo isso para garantir a renda dos banqueiros e fundos de investimentos. Pesquisem sobre o crescimento e corredores da dívida pública.

Anônimo disse...

Realmente é aviltante, já fui para reserva, mas fico pensando nos companheiros e na família. Não sei como nossos "comandantes" "assessoria jurídica podem ficar calados nessa situação.
Fica até difícil comentar um lixo desses. REVOLTANTE!!!!!

Anônimo disse...

Sempre batem na mesma tecla: déficit disto ou daquilo, mas não se fala nos gastos mensais de mais de 100 mil reais que cada político causa, mais de 1,4 milhão por ano, já que eles têm até 14° salário. Multiplicando isto por mais de 500 deputados e juntado aos senadores, quando deu na sua conta aí? Mas deles próprios eles não falam! Portanto, eu não tenho que contribuir com nada, esses LADRÕES da política que têm que contribuir, e isto nem seria contribuição alguma, seria moralização desta falta de vergonha.

Anônimo disse...

Se é pra ser igual, ok! Então paguem-nos tb FGTS, horas extras, adicional noturno, insalubridade, periculosidade, nos dêem carga horária, criem um sindicato, etc.

Igualar só para os malefícios não, se é pra igualar que venham os brneficios tb!

Anônimo disse...

Para os civis o que vai mudar? Pelo que sei será somente tempo para aposentaria (o que não deixa de ser sacanagem). Por qual motivo no nosso caso teremos mais perdas??? Posso estar errado mas acredito que seria a única categoria que enfiariam de goela abaixo um dever a nossas pensionistas pagarem um tributo tão elevado. 11% não é qualquer coisa. Quem muito se abaixa o fundo aparece. Eu acho que na mesa de negociações tem que estar em pauta a volta do que perdemos e não mais perdas consideráveis. Nessa hora não se pode ser cordeiro não senão vão acabar com as FFAA. A nossa reestruturação tem que ser pra ontem e isso independe de previdência. Se jogar o militar para o teto adiós FFAA. Quem ficaria com o ônus de ser militar com um plano de aposentadoria tão medíocre? A debandada seria geral. Disciplina e hierarquia são conceitos que devem estar atrelado a outros fatores tais como MOTIVAÇÃO, coisa que não se vê muito ultimamente. Acho que nossos chefes têm a responsabilidade, acima de tudo, com o futuro de nosso PAÍS e deixar com que idiotas nos empurrem sérios danos seria burrice e dolo. Vou esperar pelo melhor mas confesso que diante de tantos inimigos estou preocupado com a possível falta de competência e sensibilidade de nossos chefes. A confiança que querem que tenhamos se traduz em fatos e não em promessas. Somente o tempo nos dirá tudo.

Anônimo disse...

Na reportagem tem a seguinte frase muito interessante:

'Além disso, ainda não está descartada a possibilidade de se fazer apenas as mudanças na Previdência Social'

È exatamente isso que vai acontecer, vão botar nos milicos e a carreira fica para o futuro.

Anônimo disse...

A grande preocupação é com o impacto nas finanças em detrimento de uma FFAA seriamente debilitada, sem recursos humanos de excelência. Se fizerem tudo o que os técnicos desejam adeus IME, ITA, etc. É claro que os NPOR passariam a ser o protagonista mas isso são detalhes. O que nosso país precisa é punir com severidade o câncer da corrupção, investir pesado em estradas de ferro, em educação, dar independência às FFAA gerar seu próprio parque industrial de defesa, absorvendo os impostos inerentes a este setor e desenvolver uma mentalidade de ordem, trabalho e progresso. Que nosso bom Deus abençoe nosso país e nos traga governantes tementes a palavra.

Anônimo disse...

Calma pessoal! Quem tem mais a perder são os oficiais. Vejam a média salarial dos praças, R$ 4.000,00. Quando a borracha descer vai doer mais nas costas dos oficias que nas dos praças. Ele que pulem. Como eles dizem: cabeças serão cortadas! dessa vez não serão as dos praças. Como diz o pessoal sudestino: agora é só aguaidair.

Anônimo disse...

Que boa ideia! Também poderiam fazer como nos países com altíssimos IDH onde os congressistas trabalham em emprego formal durante o expediente e ao término desse, assumem como congressistas. Lembrando que nesses países trabalham sem ônus para o governo, ou seja, de graça!
Ah lembrei! aqui é Brasil, terra de bananas, onde o jeitinho impera desde os tempos de Cabral! onde aquele que se sacrifica pelo Brasil, tira serviço, manuseia armamento e não tem direito de reclamar, tampouco de sindicalizar, ao final de 30 anos de serviço receberá (quem sabe)um teto do INSS, o mesmo que o ascensorista (piloto de elevador) também receberá. Vale lembrar que o maior risco que esse cidadão passou foi o de acabar a luz entre um andar e outro. Só no Brasil mesmo! Que Deus nos ajude!
2º Sgt 2005.

Anônimo disse...

Sobre a situação salarial nas FAs, uma coisa é certa: DO JEITO QUE ESTÁ NÃO PODE FICAR !!!

Anônimo disse...

Não entendo como esse blog (montedo.com) publica esse artigo cheio de erros.
1º) O Trololó do Padilha é uma incoerência....... segundo a Constituição os vencimentos não pode ser diminuído. Então como pode ele falar tamanha asneira.
2º) O militar não se aposenta ele passa para reserva remunerada que é custeado pela União.
3º) Esse déficit referente às pensionistas não existe. O que temos é uma má aplicação dos recursos realizados pelo governo. Já que o montante recolhido vai para o caixa único do governo. Como também, as pensões especiais que são criadas e o governo repassam a conta para os militares. Como exemplo: as que a Comissão da Mentira criou ( Terrorista Lamarca é um). São milhões que vai para o ralo.
4º) Lembrar novamente os Militares das Forças Armadas não tem regime
Previdenciário.
O companheiro de farda montedo, analise melhor as publicações nesse sentido.

Anônimo disse...

Só é conceder reajuste salarial aos de carreira, os temporários não abrem a boca mesmo...

Sergio Martins Junior disse...

Alguém já reparou que sempre tem um comentário "confio em nossos comandantes, porque eles farão o melhor" ou "confio no nosso Ministro da Defesa"?
Aposto que isso é gente do próprio governo escrevendo aqui, porque sabe que esse fórum é muito frequentado por militares.

Altevir Stall disse...

A Comissão interministerial criada para apresentar proposta sobre a Previdência dos Militares, tem um prazo de 120 dias. O início dos trabalhos foi em 03.03.17, portanto, o prazo expira em 03 de julho de 2017. Oficialmente a comissão ainda não se pronunciou. Por enquanto a imprensa está só especulando.

Anônimo disse...

Concordo plenamente!

Anônimo disse...

Não vou comprar farda nova esse ano, vou ficar com a minha branquinha mesmo!!!!!!!

Sax Bari disse...

Nobres Senhores, o que falta a VCs praças das FA é ter superiores de pulso, que briguem por VCs pois eles também irão entrar no pacote, servi o EB, hoje em dia sou Sgt PMPR e não me arrependo de ter feito essa troca, principalmente quando vejo o que um Sgt das FA ganha e o que Eu ganho, sinceramente desvalorizaram VCs de uma maneira absurda e isso não é justo, VCs merecem o reconhecimento devido, mas vamos aguardar e que Deus nos ajude.

Anônimo disse...

Que moral tem o ministro eliseu......, para nos fixar 65 anos de idade para pedir a reserva. Noticia de hj jornal zero hora, para variar, lava jato.

http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/politica/noticia/2017/05/policia-federal-no-rs-investigara-gauchos-com-foro-no-supremo-9792962.html#showNoticia=Kyhqb2cyVV8xMDAxMzE0NTg1MjEyMzYyNzUyRD5IMTQwOTY0NDMyNTUyMjM0NTQ4MmdSSzYzNTY3MDEzNTMzODkwNjQxOTJbenRpeUNPR3pLUGxATlt5ckI=

Anônimo disse...

Em 2000 o PSDB CRIOU A MP DO MAL, E QUAL O PARTIDO QUE ESTA NO PODER, ABRAÇADO AO PMDB AGORA?

3° Sgt/ 2008 disse...

E eu lhe pergunto o que pode fazer um pracinha sobre isso?

Anônimo disse...

Eu como praça aceito, não vai mudar muito, nós sub ten, já estamos neste teto mesmo. Pra mim devia aumentar 11%, incluir os pensionistas, e incorporar o teto da previdência, pois se aumentar para 35 vai ficar pesado pra praça veia de guerra.

Anônimo disse...

@Gen_VillasBoas
@STCrivelatti

Tweetem eles...

Anônimo disse...

Dica de concurso para a PM-BA ...
http://www.bocaonews.com.br/noticias/principal/bahia/175059,inscricoes-para-concurso-da-pm-e-corpo-de-bombeiros-comecam-nesta-segunda-feira.html

Anônimo disse...

Alguém "planta" uma noticia fictícia que envolva os militares só para ver o resultado aqui no blog, onde se concentra uma grande parte dos militares das FFAA e depois provavelmente fica "tirando sarro" da nossa situação, que agitados, parecemos um bando de "baratas tontas", quando nada disso ainda foi confirmado pelos senhores comandantes.
Sugiro que aguardemos primeiro a manifestação das autoridades, para então conhecermos a verdade.Até o momento não existe nada de oficial, lembrem disso.

Anônimo disse...

No aspecto da previdência acabaria os seguintes direitos:
1. Não existirá mais a reserva remunerada, quando for para a inatividade o militar será imediatamente reformado;
2. Acabará o quota compulsória;
3. Será extinta a ajuda de custo quando passar para inatividade;
4. Extinção do PTTC.
5. Extinção do adicional de permanência.
6. Perda do direito de utilizar o tempo de serviço privado para passar para a inatividade;
7. O direito da família do militar estabilizado continuar a receber a remuneração dele, quando o mesmo for expulso, condenado ou excluído a bem da disciplina.
8. Extinção da compensação pecuária para os militares temporários.
9. Extinção dos militares temporários ficarem vinculados às forças armadas quando reformados por invalidez, passando para o INSS.
10. A extinção da igualdade do soldo para militares da ativa, reserva remunerada e reformados.
11. A passagem para a reserva ex-officio quando um general mais antigo ou coronel​ for ultrapassado pelos mais modernos.

Não podemos esperar nada de bom vindo de Brasília para os militares.
Só Jesus Salva.

Anônimo disse...

Amigos
Pelo o que entendi é o seguinte, a respeito da idade:
A expulsória atual começa de 44 anos até 65 anos.(conformo posto e graduação).
o tempo de serviço irá aumentar para 35 anos.
A idade da expulsória será elevada para 55 a 70 anos.
Idade mínima para passagem para reserva será de 55 anos (igual a PF).
Quem tiver os 35 anos de sv ou estar dentro do tempo naquela tabela de regra de transição irá para reserva, independente de ter 55 anos.
Como a idade da expulsória será elevada para 55 a 70 anos, não haverá mais o caso de o militar ir para reserva com apenas 25 anos de serviço (44 anos no caso do soldado, que entra com 18 anos).

osmar david disse...

Ela é um fantasma com 7 crianças ádvenas interraciais, todas com um estranho sinal nas costas.
A outra é uma criança com 7 fantasmas polirraciais, dotados de 6 dedos nas mãos.
Tudo se complicou quando a sogra veio morar junto com eles, e todos se mudaram da zona rural para a cidade para se tornarem promotores públicos.
É complicado demais!
Mas o ápice da complicação foi quando o primo deles passou na EsSA. Agora ele é Sargento e não sabe quando vai ser promovido, quando vai poder se aposentar, se vai ser transferido. Enfim, ele tá mais perdido que cego em tiroteio, porque no exército que ele serve, ninguém fala nada, ninguém sabe de nada, e só querem o pronto da missão e o cumprimento dos regulamentos. O futuro deste primo está nas mãos de um bando de políticos ladrões, todos com processos na justiça por roubar milhões dos cofres públicos. E basta qualquer um destes políticos ladrões assinarem uma folha de papel que este primo vai ter que pegar a mochila, largar a familia em casa e ir pra onde for mandado cumprir a missão que lhe for determinada (atuar em favela, varrer rua, catar lixo pra evitar dengue, transportar agua, etc, etc, etc).
Isto sim é complicado

O

Anônimo disse...

Não existe soldado de carreira.
Vá estudar.

Anônimo disse...

Acho que já vi esse filme antes!!!

Anônimo disse...

Se fizerem a reestruturação nas carreiras, terá uma despesa de BILHÕES e, se aumentarem o tempo de serviço e contribuição, terão uma arrecadação de BILHÔES. Qual das duas vocês acham que vai passar??? Então ficou comprovado a mentira dita pelo governo no início do ano quando chegou a prometer a volta do auxílio moradia e tempo de serviço. Era só para enganar, no costumeiro jogo políticos de toma-lá-da-cá.

Anônimo disse...

Enquanto isso o governo quer reduzir os juros e multas dos Estados e empresas com dívida com o INSS com prazo de apenas 200 meses....

Anônimo disse...

Esses jornalistas não sabem nada. O ministro Padilha também não sabe de coisa nenhuma. O governo está completamente desinformado. O meu amigo chapa quente já deixou bem claro que haverá um reajuste considerável no contracheque de junho, todo o resto é balela. Vamos aguardar, é fonte muito quente.

Curioso disse...

Estão???....

Celso Dos Anjos disse...

E se juntamente com a reestruturação salarial houvesse uma diminuição das horas trabalhadas? Tipo meio expediente todos os dias, ou algo semelhante.

Anônimo disse...

Entre os poucos comentários sensatos, gostaria de destacar dois que se referem a comissão mista de estudo, criada em março e com prazo de 120 dias. É só o que há de definido até o momento. O resto é ilação.

Anônimo disse...

11 por cento isso e um absurdo,e um assalto ,cade os comandantes?

Anônimo disse...

O pior que não companheiro. Quem fala essas pérolas são militares, mas não oficiais e sim os Sargentos.
Em pleno 2017 e ainda acreditamos em Papai Noel e coelinho da Páscoa.
Nao precisa explicar porque estamos nesta situação.

Anônimo disse...

e se junto à reestruturação tivessemos escalas de 12 x 36 ou 24/72?

as forças auxiliares, PM e bombeiros tem essa escala, independente se dormiram ou não em algum momento durante as 24h.

enfermeiros e médicos tem o descanso no plantão e tem 12/36 e 24/72

Anônimo disse...

talvez seja a hora de uma redução efetiva das OM e dos efetivos do EB

quantos serão chamados para os concursos neste ano?

obrigado

wilton leite disse...

Art. 98. A transferência para a reserva remunerada, ex officio , verificar-se-á sempre que o militar incidir em um dos seguintes casos:

I - atingir as seguintes idades-limite: (Redação dada pela Lei nº 7.503, de 1986)

a) na Marinha, no Exército e na Aeronáutica, para os Oficiais dos Corpos, Quadros, Armas e Serviços não incluídos na alínea b; (Redação dada pela Lei nº 7.666, de 1988)

Postos
Idades

Almirante-de-Esquadra, General-de-Exéreito e Tenente-Brigadeiro
66 anos

Vice-Almirante, General-de-Divisão e Major-Brigadeiro
64 anos

Contra-Almirante, General-de-Brigada e Brigadeiro
62 anos

Capitão-de-Mar-e-Guerra e Coronel
59 anos

Capitão-de-Fragata e Tenente-Coronel
56 anos

Capitão-de-Corveta e Major
52 anos

Capitão-Tenente ou Capitão e Oficiais Subalternos
48 anos

(Redação dada pela Lei nº 7.503, de 1986)
b) na Marinha, para os Oficiais do Quadro de Cirurgiões-Dentistas (CD) e do Quadro de Apoio à Saúde (S), componentes do Corpo de Saúde da Marinha e do Quadro Técnico (T), do Quadro Auxiliar da Armada (AA) e do Quadro Auxiliar de Fuzileiros Navais (AFN), componentes do Corpo Auxiliar da Marinha; no Exército, para os Oficiais do Quadro Complementar de Oficiais (QCO), do Quadro Auxiliar de Oficiais (QAO), do Quadro de Oficiais Médicos (QOM), do Quadro de Oficiais Farmacêuticos (QOF), e do Quadro de Oficiais Dentistas (QOD); na Aeronáutica, para os Oficiais do Quadro de Oficiais Médicos (QOMed), do Quadro de Oficiais Farmacêuticos (QOFarm), do Quadro de Oficiais Dentistas (QODent), do Quadro de Oficiais de Infantaria da Aeronáutica (QOInf), dos Quadros de Oficiais Especialistas em Aviões (QOEAv), em Comunicações (QOECom), em Armamento (QOEArm), em Fotografia (QOEFot), em Meteorologia (QOEMet), em Controle de Tráfego Aéreo (QOECTA), em Suprimento Técnico (QOESup) e do Quadro de Oficiais Especialistas da Aeronáutica (QOEA): (Redação dada pela Lei nº 10.416, de 27.3.2002)

Postos

Idades

Capitão-de-Mar-e-Guerra e Corone

62 anos

Capitão-de-Fragata e Tenente-Corone

60 anos

Capitão-de-Corveta e Major

58 anos

Capitão-Tenente e Capitão

56 anos

Primeiro Tenente

56 anos

Segundo-Tenente

56 anos

c) na Marinha, no Exército e na Aeronáutica, para Praças: (Redação dada pela Lei nº 7.666, de 1988)

Graduação
Idades

Suboficial e Subtenente
54 anos

Primeiro-Sargento e Taifeiro-Mor
52 anos

Segundo-Sargento e Taifeiro-de-Primeira-Classe
50 anos


Graduação
Idades

Terceiro-Sargento
49 anos

Cabo e Taifeiro-de-Segunda-Classe
48 anos

Marinheiro, Soldado e Soldado-de-Primeira-Classe
44 anos

Estatuto Militares

Anônimo disse...

O Temer e os demais, que subtraíram os cofres públicos, têm que devolver o que nos tiraram para assim, resolver o problema da previdência.Nao foram 200 milhões de brasileiros que roubaram, e sim, uma minoria dentre esses. Não é justo descontar em bode expiatório.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics