19 de junho de 2017

Homem pisa no capô de carro de militar do Exército e é baleado na perna em MS

A vítima foi atingida por um tiro de revólver na perna esquerda

Bela Vista (MS) - Na madrugada deste domingo (18), por volta das 3h, um sargento do Exército de Bela Vista – distante 322 km de Campo Grande, se envolveu em uma briga de bar e atirou contra um homem, que ficou ferido na perna.
Conforme o boletim de ocorrência, a vítima foi atingida por um tiro de revólver na perna esquerda, em frente ao bar. Pessoas que estavam no local e viram a cena, o encaminharam até o Hospital São Vicente de Paula para atendimento médico.
O autor do disparo fugiu do local, mas foi localizado pela Polícia Militar no 10º Regimento de Cavalaria Mecanizada e identificado como sendo sargento. Ele foi levado para a delegacia e alegou legítima defesa.
À polícia, o militar disse que estava cantando no bar quando saiu uma briga em que a vítima estava envolvida, e ao sair correndo, pisou em cima do capô do veículo do sargento, que foi tirar satisfação do outro lado da rua.
Eles se desentenderam, mas pouco depois voltaram para o bar. Até que, segundo o militar, o homem pulou de novo no capô do carro, xingou o sargento e o ameaçou com um capacete. O militar sacou a arma e atirou. Na delegacia comprovou ter posse do revolver 38, pertencente ao Exército.
Fátima em Dia (Campo Grande News)/montedo.com

23 comentários:

Anônimo disse...

... bares, boates, bebidas, prostitutas, sempre nesses ambientes acontecem coisas ruins, mortes, brigas, ferimentos, etc ... pensem e se cuidem.

Anônimo disse...

https://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/leilao-de-92-veiculos-do-exercito-sera-realizado-durante-esta-semana

Anônimo disse...

Com essas atitudes destes militares...
vai afundar de vez o projeto de "porte de arma".

Unknown disse...

Como assim afundar o projeto? O militar defendeu seu patrimônio com um disparo não letal! A arma nesse caso cumpriu sua finalidade..

Anônimo disse...

Esse Blog só queima a imagem dos militares...

Of MB disse...

Arma é para ser usada quando precisa...concordo que ele apenas se defendeu...afinal atirou na perna.

3° Sgt/ 2008 disse...

Penso a mesma coisa.

Anônimo disse...

Amigo, acho que você se equivocou um pouco. A integridade fisica é um bem juridico muito superior ao patrimonio. Nao existe legitima defesa de patrimonio. E é isso que dá quando se emite um porte sem antes se exigir do usuario que passe por uma habilitaçao especifica. O militar deve sim ter deu direito ao porte garantido, porém antes disso, deve passar por uma habilitaçao. E quando digo habilitaçao nao falo de ir no estande e dar 10 a 15 tiros e pronto, mais sim uma parte teorica com legislaçao inirente, parte pratica e psicologica.

Anônimo disse...

É cada besteira que se fala...
O que mais ocorre é briga de trânsito e não bares

Anônimo disse...

É para isso que servem às armas, para defesa do cidadão de bem e de seu patrimônio, mas o politicamente correto acha que só o bandido pode estar armado!

Anônimo disse...

"Na delegacia comprovou ter posse do revolver 38, pertencente ao Exército".Como assim?
Eu tive que comprar minha arma. O exercito não me deu.

Marcelo Carvalho disse...

Eu acho engraçado os teóricos do Direito exigirem um monte de pré requisitos para o porte de um militar que tira serviço toda semana equipado com um fuzil ou pistola, foi formado para o combate e se defendeu de um agressor com um disparo não letal. Queria o que ? Que o militar distribuísse flores ao agressor ?

Anônimo disse...

Ao comentarista sem noção acima.

O BLOG não queima ninguém, apenas transcreve o que a imprensa publica. Vá ler os sites oficias como do EB, DGP, etc ...

Anônimo disse...

Fica dificil imaginar um militar ou uma pessoa qualquer armada com porte, ver o seu bem adquirido com tanto sacrificio, ser destruido repetidas vezes e ficar olhando, aceitar, não fazer nada !

Não esqueçamos, que muita gente veio ao mundo apenas para dar trabalho, fazer o mal, prejudicar, etc ...

Alvo a frente, fogo a vontade.

Anônimo disse...

Pensei que só temporário (temporeba) que dava alteração, pelo menos pela opinião do pessoal que acompanha esse blog, parece que só temporeba faz esse tipo de coisa.
Pois é...

Anônimo disse...

Como é aquele expressão: "explica mas não justifica". Ambiente de bebedeiras, boates e assemelhados sempre podem ocorrer fatos assim. Às três da manhã é a hora dos bebuns, das confusões. Geralmente só está ali quem não sabe parar de beber e só sai quando fecha tudo. O sargento mesmo sendo o cantor, acho, que vai ser enquadrado em algum regulamento militar, que data de 1940. Acho que lá está escrito que o militar não deve frequentar esse tipo de lugar. O regulamento é uma "múmia" mas ainda está válido. Fugiu, por quê? Agora arranjou um inimigo e vai ter que aumentar a segurança.

Anônimo disse...

Bom dia a todos!!
Façam a correta interpretação do texto...
"...o homem pulou de novo no capô do carro, xingou o sargento e o ameaçou com um capacete..."
Ou seja ele não defendeu somente seu patrimônio, mas também sua integridade física...
Parabéns ao militar, agiu apenas para reprimir a ameaça, usando a arma que possuía, no caso arma de fogo, para se defender.
Att
Praça/93

Anônimo disse...

Vivemos em uma sociedade de consumo, em que o material concorre com a vida. Alguns acham tirar uma vida para defender patrimônio legítimo.
É isso que dá ver tanta filme de herói bobão e ter como modelo a doente sociedade americana.

Anônimo disse...

E se não tivesse o revólver, só tivesse o capacete na história? O que seria do sgt?

Anônimo disse...

Está errado, muito errado... mas até que o bebum mereceu pelo abuso. Qualquer um reagiria, talvez da mesma forma. Cidadão quando reage dessa forma só atrai problemas, enquanto que o meliante causador do tumulto faz o que quer e vai embora, sem consequências.

Paulista disse...

Montedo, bom dia.

O site é seu, claro (antes que vc me diga isto), mas há que se repensar a exposição desnecessária do nosso pessoal em situação controversa.
"Queima" a classe de sargentos, por extensão, os militares do EB.
Qualquer cidadão, provocado, tem o DEVER de reagir a injusta agressão.
O que o (maldito) jornalista esperava? Que o militar se acovardasse?
Sou lutador e muito forte; dominaria o violento com facilidade, mas não vejo nada imoral no fato do colega se defender com os meios que possui.
Sem fazer nada é que não pode.
Atenciosamente, despeço-me.



Anônimo disse...

Tinha que atirar no peito dele, queria ver fazer de novo e o pior, vai ficar perseguindo o militar e a familia, tinha que ter finalizado.Cavalaria

Anônimo disse...

Não existe mais o tiro para o alto?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics