13 de julho de 2017

Áudio mostra discussão entre general e juiz impedido de entrar em presídio no Acre

Publicaçao original: 12/7 (22:09)

118 comentários:

Anônimo disse...

É, o general ta achando que manda muito, ele manda dentro do universos dos quarteis, fora disto a muitas leis e tramites a ser seguidos, e eles (generais) não entendem e se acham muitas vezes superiores as leis.

Anônimo disse...

"Um General com coragem, até que enfim um militar volta a mostrar quem manda, os três poderes da república contaminados pela corrupção, um juiz kkkk, parabéns General." Me representa...estou igual a um pit bull! Só mandar pegar! Força e honra!

Anônimo disse...

Uma operaÇÃozinha rolha dessa e que todo mundo sabe que é a PM que carrega e o General arrogante desse jeito. Vai entender...

Anônimo disse...

Parabéns general.
Tem meu respeito.
2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Parabéns ao General.

1Ten BM do CBMERJ

Anônimo disse...

Porra, Genera!
Muito bom!

Anônimo disse...

Só fez o EB perder...Juiz de Execução é sempre amigo das Polícias. Não havia nada a perder deixando ele acompanhar. Aí o General diz que o juiz está fora de jurisdição....Que absurdo. I infelizmente o General fez chilique...

Anônimo disse...

Síndrome de Estocolmo?

Sylvio Moya disse...

Se a autoridade judiciária fizesse seu trabalho com eficiência, não seria necessário a presença do EB. O juiz tem autoridade, mas não visitou e inspecionar o Presídio em datas anteriores. Resolve criar clima ruim no dia da operação. Parabens ao General. EB é para resolver e não ficar de mimimi. Terminada a operação o Juiz pode voltar as atividades de autoridade Judiciária que deixa celulares entrarem em presídio.

Blog do José Elson disse...

Gostei da atitude do general. A figura do juiz, "Deus", não pode prosperar.

Anônimo disse...

Não... É sensatez mesmo amigo.

Anônimo disse...

Ignorante, ele só dá seguimento à LEC.Não é guarda do presídio.

Anônimo disse...

LEP*

Anônimo disse...

Kkkkkkkk... Legislativo, executivo e judiciário n funcionam! Chamem os militares! Até q enfim alguém com culhao para ensinar os 3 poderes a trabalhar!!! Agora vão choramingar sobre opressão, desprestigio, etc

Ângelo Giordani Ribeiro disse...

O Exército é uma instituição séria e confiável que a sociedade tem chamada para cumprir diversos papeis que muitas vezes extrapolam o a função constitucional. Parabéns Gen Leal pela firmeza e profissionalismo. Entendo que não houve problema algum no caso pois o magistrado queria fazer o trabalho que entendia ser correto e o Gen fez o seu de forma irreparável.

Carlos Cesar Santos de Souza disse...

Ouvindo a gravação,inclusive, e considerando a situação acabo por concordar com a postura do general.

Anônimo disse...

General não podia fazer isso , foi autoritário assim como a maioria dos oficiais das FFAA o são . Parece que o ex General não conhece a lei , o juiz tem sim o direito de acompanhar a operação , pois ele é o magistrado responsável pela vara de execuções .
É bom o general ter um bom advogado , pois ele pode pagar caro pelo embuste e por sua arrogância e ignorância .
forte abraço a todos .
subten PMERJ Guedes

Anônimo disse...

Ignorante e arrogante . O pior são os que ainda apoiam isso !

Anônimo disse...

General não é jurista , não entende nada de competência judiciária , foi autoritário com o juiz de direito , e outra ,os policiais militares da escolta do juiz , não estão subordinados ao general , deveria o magistrado dar voz de prisão ao general que não conhece sequer a constituição .
Sou policial militar e jamais serei subordinado à qualquer militar de FFAA que não sabem nada de trabalho policial !
Subten PMERJ Guedes

Sobrevivente disse...

O general foi radical,mas quando os militares assumem,assumem mesmo.

Anônimo disse...

https://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/sob-gritos-de-ja-ganhou-bolsonaro-faz-discurso-e-chama-moro-de-heroi

Sérgio Prado disse...

Muito estranho essa insistência do juíz em querer entrar. Acompanhar o que sabendo dos vários ilícitos que tem ali? muito estranho. Nós simples mortais estamos cansados de saber que a justiça está muito mais a favor dos marginais do que da sociedade honesta e policiais. No mais parabéns ao General de Exército!

Anônimo disse...

Ele mostrou quem manda..

Anônimo disse...

Parabéns Gen Leal, eu já tive a oportunidade de trabalha com esse Oficial e ele é realmente diferenciado, além de muito ponderado e firme em suas convicções, li alguns comentários falando sobre arrogância do Gen, realmente ouviram o áudio? Observaram o Juiz (semi-Deus) ironizando e se achando o todo poderoso e o Gen apenas avisou que era uma intervenção militar e nesse momento o comando era dele, normal. Parabéns o Sr me representa!

2º Sgt Art - 2001

Anônimo disse...

Sub Guedes, milico é pior que petista. Difícil explicar qualquer coisa mais complexa que meia volta volver. Nem perca seu tempo.

João Luiz disse...

Sinceramente não sei o que esses que são contra o general ainda estão fazendo nas Forças Armadas...são por causa desses trastes recalcados que estão sempre contra a Força e que estamos nessa situação. PARABÉNS GENERAL, mostrou para esse juizeco quem manda.

Bento Franca disse...

Muita gente para mandar, pouca gente para obedecer...

Anônimo disse...

General é General. Não entra e ponto final. Juiz deveria ter feito seu trabalho bem feito antes pra que o Exercito não tivesse de assumir o controle e a ordem.

O juiz fez o que fez pra tentar justificar sua "autoridade" que naquele momento não detinha, haja vista que a União (na pessoa do general) é quem detinha toda a autoridade.

Dr. Juiz faz seu trabalho sem holofotes, apenas cumpra com sua missão, que é de assistir os trabalhos do presídio que o Sr. disse ser Corregedor.

Ora tenha paciência.

Anônimo disse...

A resposta virá a galope. A própria Presidente Carmém Lúcia tomou para si o caso. pensou que o juiz era seu taifeiro ou estafeta. Num país sério com os EUA, brigada é comandada por r um Coronel. Lamentável...

Anônimo disse...

Se o general não fizesse era covarde, se fez foi autoritário, um militar com mais de 35 anos de carreira acredito que ele saiba o que fez e qual a implicação disso, meus parabéns general, se é para chamar o EB que não se metam no trabalho dele.

Anônimo disse...

Subten PMERJ Guedes.

CF. Art.144,§ 6°.

Anônimo disse...

Subtenente Guedes. Você não ouviu a gravação ou seu audio está com defeito.

Anônimo disse...

Gente do contra, tipo petista, que quando podem ajudar e ter iniciativa, não tem. No dia a dia em qualquer OM do Brasil é assim. Parece que sairam de uma linha de montagem (quase todo iguais) normalmente voltados para o mal, inveja, egoismo, sem pensamneto de coletividade e do bem comum.

Os inimigos vestem verde oliva e está ai ao seu lado, não é mesmo !

Parabéns Exmo Sr General.

Anônimo disse...

Se o General tivesse autorizado a entrada do Juiz e acontecesse um incidente com esse civil, a esse altura estariam criticando o General. O General simplesmente preservou a segurança do Juiz.
Parabéns General !

Anônimo disse...

AO Subten PMERJ Guedes se vocês fizessem o serviço direito não precisaríamos subir morro no seu Estado para arrumar a sua casa. perdeu uma grande oportunidade de ficar quieto, ainda mais estando o Rio de Janeiro do jeito que esta.

Anônimo disse...

Esse sub ten Guedes é mesmo sub ten PM? Demonstrou total desconhecimento da lei..a PM já é por si só indiretamente subordinada ao EB, em caso de intervenção militar pode inclusive ser agrupada no quartéis do EB. Outra, o juiz ia mandar prender o Gen. E quem ia prender, vc?? Me poupe só rindo..o trabalho da PM? Aqui no rio se não fosse as forças armadas a PM não subia no complexo do alemão..a força nacional formada por PM valentes, aqui no rio não a 200 MTS de uma favela..e olha que não sou do exército sou da marinha..a mesma que conserta os caveirões lá no cresumar.. parece até despeito de praça..ah sou praça também..eu quero se um dia FFAA voltarem ao poder se vai ser essa valentia toda!

Anônimo disse...

Exatamente Guedes.
Postura completamente equivocada do General.
Demonstra total desconhecimento do ordenamento jurídico nacional e dos poderes constitucionais.
Lamentável um garantidor da lei e da ordem ser tão desinformado sobre as leis e prerrogativas.
Deve responder criminalmente e civilmente pela conduta.
Acredito piamente que os outros Generais e oficiais não farão crítica aberta a essa postura.

Anônimo disse...

As polícias militares e bombeiros militares são forças auxiliares das Forças Armadas, conforme prevê a Constituição. Inclusive são subordinadas hierárquica mente.

2º Sgt 2001 disse...

Quem conhece o Gen e já teve a oportunidade de trabalhar com ele, sabe da sua capacidade, conhecimento e de como ele trabalha, com responsabilidade, confiante e sempre ouvindo sua tropa, corajoso, adjetivo que está faltando e muito nas instituições militares, TODAS. O "DEUS" Juiz, como foi informado, terá outra oportunidade para inspecionar o presídio, mas no que parece, queria realmente aparecer, pois essa atividade movimentou bastante a imprensa, ele poderia ter realizado um contato antes e verificar até por questão de segurança se seria o caso de aproveitar a oportunidade, mas não o fez e chegou ao local querendo impor sua autoridade numa missão militar, isso não pode acontecer, vai um de nós militares ao menos opinar a algum magistrado sobre a profissão dele, jamais irão autorizar, SOMOS MILITARES, NÓS É QUE SABEMOS DA NOSSA PROFISSÃO E NOSSAS RESPONSABILIDADES, NÃO É UM OU OUTRO PROFISSIONAL QUE VAI INTERFERIR NAS NOSSAS ATIVIDADES.

PS: Ao ST PM Guedes da PMRJ, Sub com todo respeito, a nossa Gloriosa Polícia Militar, a quem prezo e respeito demais, é uma Força Auxiliar das Forças Armadas (FA), que em determinados momentos passa a subordinação sim das FA, não crie essa distância ou rixa, SOMOS TODOS MILITARES E EM ALGUM MOMENTO OMBREAREMOS TODOS JUNTOS, se não formos unidos nunca chegaremos a lugar nenhum, grande abraço.

Anônimo disse...

Pois é meu Sub. Infelizmente o sr faz parte da polícia do rio de janeiro que infelizmente está com a moral abaixo do cu do cachorro. O sr poderia ter ficado calado. . .

Anônimo disse...

Nao elogio essa atitude do general. Pois essa arrogancia toda eh distribuida diariamente no interior dos quarteis de forma arbitraria. Nao entendo por que muitos milicos estao vibrando e apoiando a atitude desse general. Ou sera que ninguem aqui nunca fou alvo de uma injustica perpetrada por autoridades como esse general que se acham "semideuses", como lhes ensinam nas escolas?

Senhores, a pior doenca eh o corporativismo. Nao devemos defender todas as atitudes simplesmente porque foram de colegas de profissao.

Pergunto: cade essa assertividade toda desse e de outros generais na defesa da nossa profissao frente ao governo e aos politicos?

P.S.: desculpem a falta de acentos e sinais graficos.

Anônimo disse...

Abuso de poder do general ,o q tem demais um juiz de direito entrar para inspeção ..tem q denunciar esse general q se considera um semi Deus...o juiz teria q denunciar e pedir prisão...

Anônimo disse...

Ao "colega" que se referiu aos seus colegas como "trastes recalcados": justamente por milicos como o senhor que nao existe uniao nas FA. Respeite as opinioes alheias. Se o senhor concorda com a atitude do general isso nao significa que todos devem concordar tambem.

Lembre-se que o senhor, numa atividade fim da Forca, tambem dependera dos "trastes recalcados" para retornar para o seu lar, para a sua familia, para a sua vida.



Anônimo disse...

Em que pese o clima de Fla-Flu dos comentários acima, como se a estrutura dos Poderes, a autoridade, fosse uma competição de quem pode mais, vejo com apreensão o episódio. Se essa moda pega, daqui a pouco vai ter comandante de Unidade achando que pode descumprir determinação judicial e que vai ficar por isso mesmo.

Anônimo disse...

Sub ten Guedes, e quem iria prender general usando a força? Quem garante o "poder" do juiz são as armas pesadas das FA e não a PM.

Anônimo disse...

É subão, como policial o senhor desconhece a constituição em dizer que não seria subordinado as FFAA.
Pelo seu conhecimento se vê porque a PMRJ tá neste nível lastimável.

Anônimo disse...

Subão... Vá lê mais a constituição para de comentar o que desconhece.
PM é força auxiliar e reserva das FFAA, ou a constituição tbm desconhece as leis?!?!

ST disse...

Esse General me representa!!

Anônimo disse...

Lembrando que a Policia Militar do Rio de Janeiro é apenas força auxiliar, em âmbito Federal permanece a hierarquia, então companheiro em uma diligência ou em alguma manobra em que seja solicitado o EB, vc acatará as ordens dos superiores militares, a julgo de não cumprimento, prisão.

Anônimo disse...

Se você conhecesse algo da constituição saberia que as polícias militares são forças auxiliares, e no mais o general estava ali sob decreto presidencial
Pseudo subtenente guedes

Nilson disse...

Acho importante os agentes públicos, tanto civil quanto militar, entender um pouco da lei. O fato de estar o EB numa situação extraordinária como é a GLO numa Penitenciária, não lhe dá o direito de impedir a entrada do responsável legal pela a Execução Penal daquele Estabelecimento Prisional, mas cada um responde por seus atos e com certeza o general irá responder.

Anônimo disse...

Fez correto Sr General!!

Anônimo disse...

Esse Guedes e o anônimo que corrobora com as asneiras que ele escreve são dois burros e ignorantes não sabem interpretar nada de leis. Aliás vai procurar sua turma seu ridículo, aqui o público são os militares das FFAA e não dá meganha.

Anônimo disse...

Parabéns General Leal, conhecimento, postura e atitude de um grande Líder!!! Parabéns!!!

Anônimo disse...

Caro companheiro Subtenente!

Às favas com o seu comentário, que denota total desconhecimento de causa.

Isto aki é o EB, entendeu? Azar do juiz ter encontrado um Gen arrojado e destemido.

Não desrespeitou a autoridade do magistrado, apenas foi firme em suas convicções, teve Fé na Missão, ok?

Sub Ten R/1 - Turma Montese.


Anônimo disse...

Quem ganha com esté imbróglio são os vagabundos do presídio.Acredito que os ânimos se acalmaram e tanto o juiz quanto o general estão agora tomando um Dimple num confortável salão nobre e contando "causos"às gargalhadas!

Anônimo disse...

Anônimo 13 julho 13:36 , vc quem precisa estudar , parece que a capina e a faxina está fazendo mal a vc . O termo "força auxiliar " é só para caso de alguma guerra ou mobilização , na qual expressamente as policiais militares se submeterão as FFAA , fora isso , a hierarquia entre as forças são somente para sinais de respeito .
sei que vcs tem pouca instrução jurídica , no caso eu sou bacharel em direito , assim como a maioria dos polícias militares , mas isso não impede que vcs estudem um pouquinho pra não passarem vergonha numa abordagem da PM . E outra , mais uma prova que não há uma subordinação efetiva entre PMs e FFA é o fato de os polícia militares terem salários bem.maiores que os das FFAA.

Anônimo disse...

Quem manda nessa aqui sou Eu!!!Bom, muito Bom General!!!

Anônimo disse...

Ou, um manda ou não manda ninguém. Dois terem autoridade e querer mandar na mesma ação, não dá. Existe uma maneira fácil de resolver, no meu entender, e chama-se diálogo. Chama sua excelência, o juiz, explica os riscos e a situação de quem manda e, talvez resolvesse de forma educada. Queria ver essa coragem toda lá em Brasília defendendo respeito para com os militares. Será que essa discussão toda é porque o juiz é muito novinho?

Anônimo disse...

E eu não sei como vcs milicos apoiam essa atitude bestial de um general . É por isso que ele faz o que quer com vcs dentro dos quartéis !

Anônimo disse...

25 sim, 40 não.
Viva Temer, meu padrinhooo !

Anônimo disse...

Anônimo das 13:31
Quem iria prender o general ? Claro que é a polícia militar . Ou vc ja esquece do coronel do regimento sampaio ? Sinda mais obedecendo ordem de uma autoridade judiciária , que é o juiz . A moral do general termina do quartel pra fora , na caserna um general é um rei , mas fora dela , é menos que um guarda municipal . E outra , a PM é subordinada ao governador do estado , somente em casos excepcionais ela passa ao comando do exército , por isso o termo "força auxiliar .
Espero tê-los ajudado .
subten Guedes

Unknown disse...

Ser força auxiliar e reserva não significa ser subordinada. Em caso de guerra declarada o exército tem o comando poís é a instituição treinada para tal situação e as polícias e corpos de bombeiros auxiliarão, estas são subordinadas apenas aos governadores de estado, mas como os milicos "precisam" se engrandecer, apenas por vaidade, preferem se referir sempre as forças auxiliares com menosprezo.

Nilson Rodrigues disse...

O General agiu corretamente e sob resguardo da legislação. Em ações de GLO, a Jurisdição passa à Justiça Militar da União. Portanto, este Juiz Estadual não tinha autoridade para ingressar no presídio, salvo sob autorização do comandante da operação GLO, que lhe negou.

Unknown disse...

O milico mandando o PM ler a constituição, brincadeira! A função de um PM é garantir o que está na constituição e não ficar montando barraca no meio do mato. Cada macaco no seu galho.

Unknown disse...

A raiz de todos os problemas do País é política meu jovem, falando desse jeito vc parece ter aceitado muito bem os discursos falaciosos daqueles jornaizinhos de esquerda, que tentam botar a culpa de tudo na PM e nas forças armadas.

Unknown disse...

Quando o EB auxilia nas campanhas de vacinação da dengue ele fica subordinado ao ministério da saúde? Só uma dúvida.

Anônimo disse...

Esse General tinha que ser preso. Descumprimento de ordem judicial, algo muito sério. Garanto que se um soldado ponderasse assim com ele iria preso na hora. Juiz é investido de Jurisdição, Juiz é um órgão do Poder Judiciário, General só manda no quartel, ponto final.

Unknown disse...

Gostei da atitude do GEN. Juiz acha que é Deus!

Anônimo disse...

Os dois estão errados.

LUIZEDZ disse...

Nosso país esta uma baderna só, um manda e o outro desmanda, tem que ter alguém para colocar o trem nos trilhos e este alguém certamente é FFAA.

Ludmilla Braga disse...

Parabéns ao General!

Anônimo disse...

Lembrando que a Policia Militar do Rio de Janeiro é apenas força auxiliar, em âmbito Federal permanece a hierarquia, então companheiro em uma diligência ou em alguma manobra em que seja solicitado o EB, vc acatará as ordens dos superiores militares, a julgo de não cumprimento, prisão.

Anônimo disse...

...desgaste desnecessário.O juiz quer entrar ...deixa o juiz entrar...juiz quer ver se os bandidos estão sendo bem tratados ...deixa o juiz ver...o Juiz quer entrar com a escolta dele...retire os militares e deixem que os presos soltos e prontos para o diálogo com o excelentíssimo magistrado...simples assim.rsrsrs

Anônimo disse...

Em um mês o General estará respondendo por abuso de autoridade,constrangimento ilegal e obstrução da justiça. A Presidente Carmen Lúcia fará um acordo de cavalheiros e o General irá pedir desculpas publicamente.
Cá entre nós, o General achou que estava lidando com seus súditos
Cap PMSC 2o RPM

Anônimo disse...

Lembrando que a subordinação é regulamentar e não funcional. Um general não tem autoridade para dar nenhuma ordem funcional em a guarnição de viatura durante o patrulhamento, a não ser que esteja no comando da mesma.
Cap PMSC

Anônimo disse...

Kkkkkkkkk de onde você tira essas coisas? Jogou no lixo o Juízo Natural?é um tribunal de exceção ambulante???

Anônimo disse...

Falou tudo. Depois reclamam que não tem plano de carreira. Mulheres de malandro

Anônimo disse...

Olha a noite do barril hein

Anônimo disse...

Mas Pq o eh sobe e não resolve nada? Não era pra resolver pelos menos um pouquinho com essas patrulhas do mulambistão?

Anônimo disse...

Sabe o que me deixa indignado é ver um juiz que deveria está no seu gabinete assinando as sentenças feitas por seus serventuários, ou seja, trabalhando pra diminuir o tempo absurdo que demora os processos, vai pro presídio que está sendo feita um varredura em favor da sociedade por uma autoridade militar, um general com uma certa idade e, certamente, com relevantes serviços prestados a nossa sociedade, para ficar perturbando o andamento do serviço, tentando mostrar que é mais autoridade. Meu caro juiz, faço-nos um favor, vai trabalhar meu caro. Tente aprender a ser mais respeitoso!
General, ao senhor, minha respeitável continência!!! Sinto-me orgulhoso pela tua conduta!

EXPLORANDO O DIREITO PENAL disse...

Realmente, podemos abordar a questão de duas maneiras:
1. Moralmente falando, o Estado deixa muito a desejar. Cada vez que o Estado pede a União uma operação GLO significa dizer que há uma "intervenção fria". Ou seja: na operação GLO o Estado demonstra toda sua ineficiência e falta de autonomia e vai pedir ajuda da União;
2. Legalmente falando, a operação GLO é prevista em Decreto. Decreto é um instrumento QUE NEM LEI É, é um ato do Presidente da República. Já a autoridade do Poder Judiciário vem diretamente da Constituição Federal, quando diz, com outras palavras, que todo e qualquer aspecto de legalidade será SEMPRE apreciado pelo Poder Judiciário, na figura dos Juízes. É a tal da "inafastabilidade do Poder Judiciário".
Então concluindo, podemos afirmar que FALTOU COMUNICAÇÃO. O General estava ali como Comandante de área, investido por uma ordem do Presidente da República (na forma de um Decreto); já o Juiz estava na função de, digamos, Fiscal da Lei de Execução Penal, até mesmo para apreciar determinadas questões jurídicas que poderiam surgir em Operações como essa. De tal sorte, que ele deveria sim acompanhar a Operação. Os atos do General, podem enquadrar-se em tipos da Lei de Abuso de Autoridade e na Lei de Improbidade.
QUER DIZER, O QUE ESTÁ FALTANDO NO BRASIL É O DIÁLOGO, A ORGANIZAÇÃO, POR ISSO QUE O CRIME ORGANIZADO ESTÁ DO JEITO QUE ESTÁ....FALTA COOPERAÇÃO, INTEGRAÇÃO, IRMANDADE, O TAL DO ESPÍRITO DE CORPO QUE A GENTE APREENDE NA CASERNA...E QUE MUITOS ENTENDEM COMO "ESPÍRITO DE PORCO!"

Anônimo disse...

Tchê, esse papo está ficando bom.
A interpretação de Leis e fatos.
Cada um no seu quadrado.
Já trabalhei com a PM RJ em inúmeras operações, considerando o profissional excelente, e é claro que até no nosso EB tem gente ruim.
Considero que esse fato foi um mau entendido por parte do magistrado, que logo se desculpou e saiu do local.
Nas operações de GLO, assinadas pelo decreto presidencial com local, data e hora. Sim é um estado de sítio temporário. Por isso foi revogada as pressas em BSB.
Desejo sucesso a todos os senhores que lêem este querido BLog. Hipo!

Anônimo disse...

Errado!!!

Anônimo disse...

Parabéns ao General. Fez o q era previsto.

Anônimo disse...

Isso é prova do Chqao.
Sim, as ordens emitidas pela secretaria de saúde, são cumpridas. Com local, data e hora. Simples assim.

Anônimo disse...

Pois veremos qual será a atitude de Carmen Lúcia neste episódio.

Kkkkkkk....

Nesta república de bananas, eles só estão de asinha de fora porque estamos assistindo de camarote.

Quero ver o ela fará. NADA!

Anônimo disse...

Bobinho você heim.
Sabe de nada inocente

Anônimo disse...

Também vou dar meu pitaco: a pm que estava ali de escolta não está subordinado ao general, mas tb não mandava nada naquela operação, zero a zero nisso. O juiz tava querendo aparecer, pq quando podia, não fez nada pelo presídio ali, tanto que estava havendo a glo, a comando do general. O general não é subordinado ao juiz e nem o juiz a ele. Zero a zero de novo.

Rodolfo Pires disse...

O judiciário não faz o trabalho direito, a polícia não faz trabalho direito, o Estado do Acre não o faz também e quando o Exército que nem quer esse tipo de missão começa a trabalhar, me aparece um Juiz querendo e vem com conversa fiada pois foi ferido no ego.

Muri Samuel disse...

Melhor resposta para toda essa baboseira, quem manda, quem obedece, cada um com as suas responsabilidades

Diogo Ranginha disse...

Quem conhece o Direito Militar sabe que o general agiu corretamente. Infelizmente os cursos de direito não possuem na grade básica o direito militar. Aí ocorre isso aí ... Toda a área está sob a jurisdição militar com base no decreto presidencial. A jurisdição da justiça estadual está afastada até o término da operação militar. O general agiu corretamente, já o juiz de direito foi incapaz de entender a situação por falta de conhecimento específico da área militar.

Unknown disse...

A lição será aprendida!

Anônimo disse...

Ele é juiz de execução,não de condenação meu filho...vá estudar. Comandar faxina não é relevante pra ninguém

Anônimo disse...

Seu português é pífio igual ao seu comentário.

Anônimo disse...

Houve diálogo sim, e a área estava sob controle militar, portanto, regido pelo direito militar. Ou seja, cppm.

Anônimo disse...

ST Guedes da PMRJ, a mais corrupta do mundo relatado em filmes, documentários e reportagens.Se ficasse calado seria melhor!

Anônimo disse...

Não existe isso. Seria o mesmo que dizer quem no ES, no início do ano, juízes fora do STM e dos TJMs não tenham autoridade. Não se trata de Direito Penal Militar. Seria no máximo Processual Militar.

Anônimo disse...

Parabéns General! Juiz... O juizão vamos inspecionar mais vezes os presídios po, mas sem operação tá, com operação é mole!

Anônimo disse...

General arrebentou! Parabéns General!

Anônimo disse...

Parabéns general!

Se o juiz ficou insatisfeito, ele que recorra ao judiciário, que, provavelmente, via ficar do seu lado.

Selva!!!!

Anônimo disse...

Srs., façam-me o favor, ignorem esse arremedo de militar, auxiliar de Força Auxiliar, que responde pela alcunha de "Guedes". Mais um bocó, sem moral alguma, cuja honra se reveste de não ter honra alguma. Nada conhece de autoridades reconhecidas pelo Estado, pois sua corporação, ainda mais a do RJ, é maculada até o último cadarço do coturno do Sd recruta.
Juntem-se a ele esses manés que se apresentam como Cap PM, entre outros. Respeito aqui, forças auxiliares, é devido a quem veste uma farda de verdade, não para quem brinca com isso.
É cada palhaço que me aparece, vou lhe dizer. Sou doido para enquadrar uma "otoridade" dessas, pena que, qdo nos esbarramos, colocam o rabo entre as pernas.
Maj LEONARDO

Anônimo disse...

St Guedes.? "Vc não vai entrar fica aí". ( Fica quietinho)

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus conheço a pmrj como nada.st Guedes estar em cartaz no cinema tropa de elite 1 e 2. Vc como PM tem gratuidade e vai lá na pipoqueira e diz que é PM . Tenho certeza que eles vão te dar 2 sacos( com medo).

Anônimo disse...

Direito Militar..........kkkk............o EB não cumpre os direitos militares, desobedecem leis direto, principalmente pra prejudicar praças.

Unknown disse...

Anônimo vai estudar um pouco mais. O Exercito Brasileiro foi convocado pelo Poder Executivo local para a Garantia da Lei e da Ordem, Art. 142 da CF, Lei Completar 97 e Decreto 3897. Logo quem mandava neste momento era o General já que o poder local (incluso o Juiz) não conseguiram solucionar o problema de segurança dentro do presídio.

Anônimo disse...

Faltou argumentos, sobrou insultos.
"Sou doido para enquadrar uma "otoridade" dessas...." Esse dia jamais chegará!
O Tempo passará e sua existência se apagará junto com o seu ego.

Anônimo disse...

Kkkkkkkkk só rindo de vc Leozinho.

Anônimo disse...

Eu não iria comentar, mas infelizmente tenho que faze-lo. O Gen com certeza me representa. Sub Ten Guedes, na minha opiniao, o que esta faltando na PMERJ é justamente comando, hierarquia e disciplina. Já presenciei vários soldados da pm desrespeitando superiores hierárquicos e isso não pode acontecer! Aonde acontece isso, qualquer instituição perde a moral.Basta ver as pesqusas de confiabilidade da população.Então o que a PM precisa é de um comandante que presa mais a hierarquia e disciplina.
Com certeza este Gen me reptresenta. E se vc acha que militar das FFAA só toma conra de barraca e faxina vc esta muito enganado. Servi em várias regiões do Brasil, tenho varios cursos operacionais, ja participei em várias operações reais, inclusive no exterior. Vc tem uma visão muito superficial do Exército de Caxias. Deveria fazer uma visita na fronteira ou em um quartel operacional. Conheço muito PM que nunca foi para as ruas e trabaçha em secção. Não podemos generalizar!

Anônimo disse...

Achei uma boa análise desse episódio, feita pelo Juiz Federal Durval Neto do TRF/1:

"Com todo respeito ao colega Juiz estadual, o episódio foi inoportuno e provocou um desnecessário embate entre o Judiciário e o Exército Brasileiro, duas instituições que devem merecer o nosso respeito. O Juiz de execução penal tem, de fato, competência para inspecionar estabelecimento prisional. Mas essa inspeção não decorre de função jurisdicional típica, e, sim, de exercício de função administrativa correicional, como, inclusive, já se posicionou o CNJ. Não vou aqui entrar no mérito sobre se é adequado ou não o emprego das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem (GLO) em presídios. O tema é complexo. Mas o fato é que o governador solicitou e o presidente decretou. No momento em que a segurança do presídio está sob emprego das Forças Armadas numa operação de GLO, cessa temporariamente a administração estadual, passando à área federal, adquirindo natureza jurídica de atividade militar. O STF já tem precedentes que não apenas declaram constitucional o emprego das Forças Armadas para GLO, como reconhecem até mesmo a competência da Justiça Militar da União para julgar eventuais crimes ocorridos sob tal emprego, independente de intervenção federal. A entrada no presídio poderia representar risco à segurança do próprio Juiz, o que estava sob a responsabilidade do General. Seja como for, certamente houvesse menos vaidade institucional e mais espírito de corpo (ao invés de corporativismo), unindo forças para garantir o êxito de uma operação tão delicada, o incidente não teria acontecido nem tomado a proporção que tomou."

Anônimo disse...

Caro Major Leonardo. Estou à disposição do Sr. para qualquer esclarecimento. Basta ligar segunda-feira na 2a RPM da PM-SC e procurar pelo Cap Clayton. Sei que a condição salarial de um maj do eb não é das melhores, do contrário, poderíamos resolver essa sua dúvida pessoalmente aqui mesmo em SC. O Sr. iria adora conhecer o estado.
Grato, Cap PM SC Clayton,Mat. 14.523.289.07
Se quiser sair do anonimato, demonstraria grande nobreza de espírito...

Anônimo disse...

Ta achando...faltou...não sabe...Vamos parar com isso. O General mostrou um preparo profissional dificilmente visto em qualquer outro militar, inclusive de outras organizações e poderes. Parabéns pela maneira correta, altiva, mostrando conhecimento profundo frente a um magistrado e acima de tudo, foi chamado para cumprir a missão, e cumpriu. Se todos os Generais fossem assim...
Não confundir com prepotência sua atitude, pois nela nada se pode dizer prepotente, nem autoritária, mas sim, profissional.

2º Sgt QE

João Luiz disse...

Se esse juíz tivesse fiscalizado o presidio antes e a policia tivesse feito seu serviço como deveria ser, não precisaria o Exercito ter sido designado para essa missão, e o General está certíssimo, caso contrario porque será que o juizeco não deu voz de prisão ao general por desobediência??? Quanto ao tal Subtenente da PMRJ, não tem a menor moral para falar nada pois faz parte da policia mais corrupta e incompetente do Brasil. Aliás Montedó, observando os comentários percebe-se uma presença maciça de petistas infiltrados...e pior, todos anônimos, kkkkkkk

Anônimo disse...

Cap CLAYTON, PM/SC, estou me lixando para o q vc pensa ou deixa de pensar. Não meço forças com forças auxiliares que brincam de serem militares.
Com relação à remuneração "não das melhores" que citou, de fato, como tenente-coronel do Exército, Força Armada de um Estado, graduado, mestre e doutorando - Cappes, antes q vocifere bravatas -, deveria receber bem mais. Ocorre que os 17,3k q recebo tem me atendido, não posso reclamar. Mas isso, acredite, intermediário, em nada me impede de conhecer Espanha, Portugal, em uma ocasião, Grécia e Itália em outra. Sem contar os 2 anos nos EUA q o Exército me proporcionou, sonho q a PM de vcs jamais lhes tornaria possível.
Um abraço ao povo de Floripa, em particular ao Balneário, onde estive ano passado com a patroa por 12 dias. Povo hospitaleiro e muito bonito. Culto tb, embora o intermediário pareça não sê-lo. Talvez seja da periferia de Florianópolis, explique-se, então.
Por fim, sua "identificação" para mim é irrelevante e pequena demais. Não me diz nada, tampouco me impressiona, se era o seu desejo. Continuo com a minha opinião de que, quando me esbarro com auxiliares como vc, a "otoridade" se diminui q chega a ser risível. Uma pena. Adoraria um embate com uma celebridade assim, como vcs se imaginam.
Sem mais e sucesso na promissora profissão.
P.S.: talvez compre um apartamento em Camboriú. Tenho como meta 3 imóveis na praia. Dois no NE e um em V Velha. Acho q deverei abrir a exceção e comprar um no lindo estado de SC.
Maj LEONARDO

Anônimo disse...

General é general. Outra coisa: o audio mostra que o Gen foi muito educado. Então por quê o juiz não o prendeu se ele se julgava tão autoridade pra estar ali e acompanhar a missão. Simples, o General era de fato a autoridade competente naquele momento. Inclusive o General disse que assim que estivesse cumprida a missão, o comando seria devolvido ao "falido e incompetente" Estado que solicitou a intervenção militar. Outra, alguém comentou que "se o juiz fizesse bem seu trabalho o exercito não precisaria estar ali, sendo desviado de sua missão...." Ponto.

Cabral macho. disse...

Kakaaaaaaakikkkkkkkk,Parabéns General!se o dr.juíz estava disposto a resolver a questão, não precisava o General está na frente de presídio.Isto mostra que a nossa justiça é falha,digamos é igual a política.Desclpe a sinceridade.

Cabral macho. disse...

Kikikkkkkkkkkk, parabéns General pela atitude,digno de um representante da lei e ordem deste país.Se o dr.juíz não gostou,problema dele!se não sentiu satisfeito, então da próxima vez resolva os problemas dos presídios e da justiça deste país sem precisar do nosso General.Por que já sabem que um General quando vai pra resolver um problema ele resolve.Quem mim será que no nosso país as pendências judiciais Foster resolvidas assim.Parabens General,e da próxima dr. Juíz,pense bem como se apresentar a um General das forças armadas.Não mim leve a mal dr.,grato a compreensão.

Andre Santos disse...

Parabéns General. Se todos os generais tivessem essa atitude, os militares seriam mais respeitados e prestigiados.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics