13 de julho de 2017

Tenente morre após ser apunhalado por um cabo dentro de quartel do Exército

Publicação original: 12/7 (17:49)
Reprodução: Facebook
Jardim (MS) - Demetrio Gomes de Jesus, primeiro tenente da 4ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada, morreu na manhã desta quarta-feira (12), após ser apunhalado por um cabo dentro da unidade militar. O oficial chegou a ser transferido para o hospital local, mas faleceu antes de ser evacuado para a capital, Campo Grande. O Exército não divulgou a motivação, mas as primeiras informações indicam que trata-se de um crime passional.
O tenente era da turma de 2014 da Aman, Arma de Engenharia.




Confira a nota do Comando da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada
Informamos que nesta data, 11 de julho de 2017, por volta das 10:30h, na 4ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada, em Jardim/MS, o 1º Tenente Demetrio Gomes de Jesus foi ferido com arma branca por outro militar. De imediato, o Ten Demetrio foi evacuado para o hospital municipal de Jardim/MS, onde se encontrava em estado grave e estável, aguardando evacuação aerotransportada para Campo Grande/MS. Infelizmente, o militar não resistiu aos ferimentos e faleceu. A Organização Militar (OM) está prestando todo o apoio às famílias dos militares envolvidos e tomando todos os procedimentos cabíveis quanto a apuração dos fatos. Demais esclarecimentos serão prestados oportunamente pela seção de comunicação social da OM.

Nota do editor:
A data da nota está equivocada. O crime ocorreu na manhã desta quarta-feira, 12)

16 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Covardia desse cabo, que seja sancionado ao rigor da lei militar!

À família do tenente, meus pêsames.

2°sgt 2003

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/bahia/videos/v/padrasto-de-soldado-morto-em-acidente-agradece-exercito/6002023/

Anônimo disse...

È 4ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada ou 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada????

Unknown disse...

Que Deus conforte a família do tenente. Ele agora está no comando de Deus, cavalaria pátria Brasil.

Anônimo disse...

4ª Cia Eng (Jardim-MS) subordinada a 4ª Bda C Mec (Dourados-MS)

Anônimo disse...

Ainda eh cedo para comentarios. Vamos aguardar mais informacoes para sabermos o que realmente aconteceu.

Anônimo disse...

Com base nas informações acima, controlem-se nos comentários juízes de plantão!!!

Anônimo disse...

Estava eu no trecho e aconteceu de ter um soldado que não ia em casa a cerca de 2 meses, o pobre soldado trabalhando direto numa rotina estafante, quem é de Engenharia de Construção sabe bem o que é isso. Num belo dia, chegou o arejamento do pessoal e do nada o Ten Subcomandante do Destacamento resolveu garfar o arejamento daquele soldado que já estava paisano, malas prontas, e já embarcado no ônibus... resultado: o soldado queria matar o Tenente, foi necessário uns tantos pra segurar o militar, o Tenente se escondeu na sala dele, e o Cap Cmt do Destacamento mandou liberar o soldado... Moral da História: toda ação tem uma reação, só não sabemos qual vai ser...

O patriota disse...

http://www.camara.leg.br/internet/comissao/index/mista/orca/ldo/LDO2018/proposta/AnexoIV_8.pdf

Sobrevivente disse...

As pessoas estão no limite.Casa qual tem seus problemas e nem sempre são respeitadas.Sei bem o que é isso,quase perdi a razão devido a uma perseguição pessoal de um oficial ....

Anônimo disse...

Toda ação tem uma reação. Isto é básico na vida. Não sei o que aconteceu mas muito triste. Sentimentos a família.

Rogério da Silva Gomes - 1ª Sgt disse...

Todas as pessoas tem um limite. Nada acontece por acaso.

Lauro EB disse...

concordo com o comentário do 12:44, depois da apuração será o tempo de se manifestar ou se calar. Eclesiastes Capítulo 3 ensina isso.

Leonardo Camanho disse...

Ratificando os comentários sensatos.
É necessária a apuração minuciosa dos fatos, e com respeito ao contraditório e ampla defesa.
Crimes assim não acontecem por acaso.
Obs: não estou defendendo a impunidade do Cabo, mas que seja respeitado o devido processo legal; pois se dependesse da opinião de muitos aqui, já estaria com sua pena definida antes mesmo de a ação penal ser iniciada.

Unknown disse...

Claro! Leonardo, nada justifica esse ato tão cruel. Ninguém tem o direito de tirar a vida de alguém! Esse crime é injustificável e imperdoável!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics