10 de agosto de 2017

Armas em Funeral! Morre o historiador e subtenente do Exército Osorio Santana Figueiredo

Osorio Santana Figueiredo ocupava a cadeira nº 25
da Academia Sulriograndense de Letras
São Gabriel (RS) – O ST Osorio Santana Figueiredo faleceu no dia 06 de Agosto de 2017, aos 91 anos.
Antes de partir, pediu para seu filho Beraldo Lopes Figueiredo ser porta-voz neste agradecimento:
“Sou grato a todos os gabrielenses, grato ao Exército Brasileiro no qual me acolheu e servi fazendo dele uma missão.
Grato a Santa Casa de caridade, a provedoria, aos médicos, as enfermeiras.
Grato a minha família, esposa, filhos e parentes, grato a minha amada cidade.
Grato aos meus amigos pessoais, amigos distantes, amigos presentes, grato ao carinho e solidariedade nas horas difíceis.
Nada tenho a reclamar, pois Deus foi generoso comigo, me deu uma terra no qual amei e nela construí tudo que sou. Deixo como herança a todos os gabrielenses minhas obras, estarei presente nos livros que escrevi, nas árvores que plantei, nos filhos que criei, nos netos e bisnetos.
Adeus São Gabriel, que os que nascerem nesta terra, lutem por ela, não basta idealizar, tem que fazer”.
O Prefeito Municipal de São Gabriel decretou, na manhã de domingo, 6 de agosto, luto oficial de três dias. O Subtenente Osorio foi sepultado no Cemitério da Irmandade da Santa Casa de Caridade, no final da tarde do mesmo dia. O caixão foi carregado por militares do 9º RCB – “Regimento João Propício”, Unidade na qual serviu.
Imagem: EB
O Subtenente, historiador e biógrafo é um dos nomes mais importantes da cultura de São Gabriel. Escreveu várias obras, dentre as quais destaca-se: Marechal João Baptista Mascarenhas de Moraes; História de São Gabriel; As Revoluções da República; Sesquicentenário da Caserna de Bravos; Plácido de Castro, o Colosso do Acre; Caxias, o Predestinado da Pátria; General Osorio - O Perfil do Homem; e Marechal João Propício Menna Barreto – Barão de São Gabriel. Foi coautor do livro do 9º RCB – Regimento João Propício, juntamente com o Coronel Evandro Itamar Lupchinski, antigo comandante do regimento e o Coronel Luiz Ernani Caminha Giorgis.
Possuidor de impressionante cultura e invulgar memória, pertenceu às seguintes instituições: Sócio fundador do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul; Sócio Fundador da Associação Cultural Alcides Maya (ACAM), São Gabriel; Membro da Academia Sul Brasileira de Letras, ocupando a cadeira número 25; Acadêmico Emérito da Academia de História Militar Terrestre do Brasil/RS, ocupando a cadeira número 13, da qual é Patrono o General João Borges Fortes. Distinções civis e militares: Diploma de Colaborador Emérito do Exército; Diploma do Mérito João Propício; Medalha do Pacificador; Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes; Medalha da Ordem do Mérito Militar, Grau Cavaleiro; Comenda Dante Laytano, Comissão Gaúcha de Folclore; Medalha da Ordem Militar, Grau Oficial; Medalha Comemorativa do Bicentenário do Duque de Caxias.
Além disso, foi cofundador da Associação dos Militares da Reserva Remunerada, Reformados e Pensionistas das Forças Armadas em São Gabriel (ASMIR) e responsável, por muitos anos, do Museu João Pedro Nunes e do Museu Gaúcho da FEB.
O Comando do Regimento e seus integrantes registram o reconhecimento a este ilustre militar e cidadão da Terra dos Marechais e apresentam as mais sinceras condolências!
Que Deus conforte os familiares e amigos!

Obras do Historiador


Maneco Pereira


Carreteadas Heróicas


Uma Santa Casa
feita de Amor


Mal. Mascarenhas de Moraes


O Combate da Estância da Caieira


Cooperativa Rural Gabrielense Ltda.


Terra de Marechais
Fonte: Página do Gaúcho

6 comentários:

Anônimo disse...

Meus pêsames aos familiares e amigos desse grande militar. Deus o receba em seus braços. Missão muito bem cumprida. Inté !

Anônimo disse...

os gabrielenses perdem um grande historiador, quando cheguei em sao gabriel a cidade dos marechais recebi um livro do seu osorio Caserna de Bravos e durante o periodo que la residi aprendi muito sobre a historia do Brasil e rio grande do sul com a historias do seu osorio, o Brasil perde, sao gabriel perde o rio grande do sul perde porque hoje só existem pseudos historiadores que deturpam a história a bel prazer e o fazem sendo endeusados pela midia corrupta.

roberto da silva barros - s ten 88 disse...

Grande personalidade, abnegado, estudioso, apaixonado por sua terra natal, levou a história do estado e principalmente de São Gabriel - RS, a todos os cantos deste rincão.

Anônimo disse...

Em primeiro lugar, meus pêsames aos familiares, amigos e a todos que com ele conviveram (ou não) e o admiravam.
Em segundo lugar, é lamentável que muitos dos nossos ilustres só sejam lembrados quando passam para o outro plano.

Anônimo disse...

Este entendia que a vida não era apenas limitada aos muros dos quartéis. Ele soube viver e deixar seu legado. Agora, a vida dele vai continuar fluindo através das suas obras. É imortal!

Ney Arataú de Andrade Silveira disse...

Sabemos popularmente que um homem que planta uma arvore, escreve um livro e tem filhos não passa em vão nesta vivencia terrena. Osório! Você fez muito mais que isso! Abraços a família enlutada!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics