31 de maio de 2009

SARGENTOS PARAQUEDISTAS CAEM EM MANAUS

Dois sargentos do Exército, identificados como Julio César e Adriano, chocaram-se no ar durante um treinamento para um show de paraquedismo que comemoraria a escolha de Manaus como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014.
O choque aconteceu próximo ao chão e os militares caíram sobre solo arenoso, no estádio Vivaldão. Ambos foram encaminhados ao Hospital Militar de Manaus, mas passam bem.
O Coronel Gama, responsável pelo evento, explicou o ocorrido:
- Por conta da arquibancada e do que tem no entorno do Vivaldão, determinamos que os paraquedistas entrassem no estádio pelo mesmo local. Por coincidência, eles atingiram a mesma altura. O vento lateral jogou o da direita para a esquerda, e eles acabaram se chocando. Os dois passam bem e não tiveram nenhuma fratura.
O militar também informou que a experiência dos sargentos contribuiu para evitar um acidente mais grave.
Leia mais aqui.
PORTAL AMAZÔNIA

SOLDADO DO EXÉRCITO MORRE NA BR 101

O Soldado do Exército Jamerson Agostinho da Silva, 20 anos, no quilômetro 54,6 da BR 101, em Paulista, na Grande Recife, ao colidir frontalmente a moto que pilotava com um caminhão.
Segundo a PRF, o soldado foi socorrido imediatamente pelo motorista, mas morreu no local.
PE 360 Graus

CIVIS COMANDAM PRAÇAS NA AERONÁUTICA

Servidores civis estão substituindo oficiais em postos de comando na Aeronáutica.
"A situação é constrangedora", relata um militar.
"A partir de agora, passei a receber ordens de uma servidora civil da FAB em lugar de um oficial, como sempre ocorreu", conta outro que atua no mesmo setor. "Através dela, tenho recebido ordens que mudam meu ritmo e ordem de trabalho", completa.
Os dois buscaram informações até para terem, nas palavras deles, meios de questionar pressão e ordens.
"Não tenho achado na legislação algo que dê respaldo para esse fato, nenhum oficial até agora me mostrou lei que autorize isso", acrescenta um terceiro militar.
"Até mesmo civis contratados em empresas prestadoras de serviço já foram indicados para serem meus chefes", reclama outro. "Estou em situação inconcebível, já que isso foge totalmente à hierarquia a que estou submetido, e passo a ser cobrado de uma servidora civil em vez de um oficial que é constitucionalmente meu superior", acrescenta.
Leia mais aqui.
FORÇA MILITAR

30 de maio de 2009

TARSO: LAMBE-BOTAS OU BORRA-BOTAS?


Deputado provoca Tarso com cartaz
Uma foto do ministro da Justiça, Tarso Genro, enfeita o gabinete do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) em Brasília. Não se trata de homenagem. Sobre a imagem do petista marchando ao lado de militares está escrita a frase: “Lambe-botas ou borra-botas”.O cartaz está lá desde o ano passado. Bolsonaro, um defensor da ditadura militar (1964-1985), classifica Tarso de traidor por ter pedido a punição do coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de ter sido torturador. O deputado afirma que o ministro, na juventude, contou com ajuda da família de Ustra após uma fuga para o Uruguai.
Leia mais aqui.
ZERO HORA

EXÉRCITO REFORÇA EQUIPE DE RESGATE ÀS VÍTIMAS DE ALGODÕES

Trinta homens e três viatura do Exército, reforçaram as equipes de resgate que atuam em Cocal (PI), cidade atingida pelo rompimento da barragem de ALgodôes.A
função dos militares é apoiar e integrar o sistema de comando de operação.
Leia mais aqui.
TV CANAL 13

EXÉRCITO DEVE ASSUMIR PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO AEROPORTO DE VITÓRIA

A Infraero poderá firmar um convênio com o Exército brasileiro para que as Forças Armadas atuem na elaboração do projeto executivo de pátio e pista do aeroporto de Vitória.
A medida, segundo informou nesta sexta-feira (29) o senador Renato Casagrande, poderia antecipar em alguns meses o cronograma final de entrega das obras de ampliação e modernização do aeroporto.
Este novo cronograma de obras prevê que os trabalhos de conclusão das obras de pátio, pista e terminal de passageiros somente serão concluídos em 2012. "
A Infraero está buscando um convênio com o Exército brasileiro para que eles façam o projeto executivo de pátio e da pista. Isso daria a Infraero um tempo maior, porque eles não teriam que licitar o projeto de pátio e de pista. Ganharão de três a quatro meses de tempo, se eles conseguirem fazer esse convênio. De fato conseguem naturalmente, se não houver nenhum impedimento judicial", disse.
Leia mais aqui.
GAZETA ONLINE

SOLDADO É PRESO EM IMPERATRIZ, ACUSADO DE ASSALTO

Imperatriz-MA

O soldado do Exército Luís Maracaípe Sousa Filho, 24 anos, do 50º Batalhão de Infantaria de Selva de Imperatriz (MA), foi preso na noite de quarta-feira, 27, por uma guarnição da Polícia Militar, acusado de assalto a mão armada, juntamente com um adolescente de 17 anos, que também foi apreendido.
Com os dois foram encontrados um revólver calibre 38, municiado, e duas bolsas femininas, supostamente produto do assalto à duas mulheres, pouco antes.
O militar foi autuado em flagrante e recolhido preso ao 50º BIS. O menor foi encaminhado à Funac.

Leia mais aqui.

JORNAL PEQUENO

EUA TERÁ COMANDO CONTRA CIBERCRIMES

WASHINGTON - O presidente americano, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira a criação de um novo comando militar para proteger o ciberespaço, melhorando a preparação das Forças Armadas dos Estados Unidos para ações defensivas e ofensivas de guerra por computador. Em discurso na Casa Branca, Obama também antecipou a nomeação de um czar para a segurança cibernética, cuja identidade deve ser revelada na próxima semana, e afirmou que a proteção da informática deve ser uma “prioridade nacional”.
– Agora, nossa infraestrutura digital, as redes e os computadores aos quais nós recorremos cotidianamente serão tratados como devem ser, ou seja, como um elemento essencial da estratégia nacional – sublinhou. – A defesa desta infraestrutura será prioridade de segurança. Vamos dissuadir, impedir, detectar e parar os ataques.
Leia mais aqui.
JB ONLINE

SERVIÇO MILITAR É QUESTIONADO EM 41 AÇÕES NO SUPREMO

O STF (Supremo Tribunal Federal) tem hoje 41 ações com questionamentos sobre o serviço militar —34 agravos de instrumento e sete recursos extraordinários. Entre ele, há temas concomitantes, como a obrigatoriedade do serviço e o sistema de remuneração e benefícios dos militares.
Em relação aos processos que tratam sobre o sistema de remuneração e benefícios dos militares, o STF julgou em abril do ano passado a constitucionalidade do pagamento de valor inferior ao salário-mínimo para os jovens que prestam serviço militar obrigatório (Súmula 6). A decisão foi estendida a outros 11 recursos que tratam do mesmo tema e servirá de precedente para julgamento desses nove processos sobre o sistema de remuneração e benefícios dos militares.
Outro tema recorrente é o que alega a responsabilidade da administração nas consequências do serviço militar obrigatório. Na maioria dos casos, são pedidos de anistia política de pessoas que foram obrigadas a prestar serviço durante a ditadura militar. As alegações são de que foram prejudicadas pelo Estado e, assim, devem ser indenizadas com a anistia.
leia mais aqui.
Última Instância

MÚSICOS DO EXÉRCITO ENCANTAM CRIANÇAS EM UBERLÂNDIA

A banda do 36º Batalhão de Infantaria Motorizado participou da 1ª Jornada de Contação de Estória e Outras Linguagens Artísticas - Contar... Cantar... Brincar..., que contou com centenas de crianças da 4ª série de escolas públicas e privadas de Uberlândia (MG).
Além de diversos contadores de estória, os estudantes ouviram a banda de música do 36° Batalhão de Infantaria Motorizado e cantaram as músicas. Maria Eduarda Dantas da Escola Municipal Afrânio Rodrigues da cunha, disse que a banda animou os alunos. “Cantei com a banda e conheci os instrumentos”.
Douglas Alves Moreira, do Centro Educacional Cuca Legal também participou das atividades com a banda. “Estou desenhando, mas o que mais gostei até agora foi do sargento Manoel da banda de música. Ele é divertido.”
Segundo o sargento Manoel Francisco Barros da Silva, que brincou com os alunos, o que faz é um jogo interativo. “Queremos transmitir as crianças o que a nação representa. A Prefeitura foi feliz em trazer para o Parque esse projeto de valorização humana, utilizando o exército”, disse.
Leia a notícia completa aqui.

CORREIO DE UBERLÂNDIA

29 de maio de 2009

SOLDADO PLANEJOU TENTATIVA DE ASSALTO AO DISTRITO NAVAL

A invasão de três homens ao 1º Distrito Naval, na madrugada de quarta-feira, foi planejada e contou com a participação de um soldado da própria Marinha. Identificado pelos comparsas apenas como Vítor, ele queria roubar quatro fuzis calibre 762 na troca da guarda e vendê-los a R$ 40 mil para traficantes da Vila Cruzeiro. No depoimento prestado dentro do 1º Distrito Naval, os presos Sidclei Silva Oliveira, Luiz Fernando Marins de Freitas e Anderson Ataide de Jesus revelaram que o roubo foi determinado por Lúcio Mauro Carneiro dos Passos, o Biscoito, traficante do Morro da Mangueira, que está escondido na favela da Penha.

Leia a notícia completa aqui.

BLOG CASOS DE POLÍCIA

BRASIL TEM O MELHOR COMBATENTE DE SELVA DO MUNDO, DIZ COMANDANTE MILITAR DA AMAZÔNIA

Em entrevista ao repórter Eduardo Simões, da Agência Reuters, o general Luis Carlos Gomes de Mattos disse apostar no preparo das tropas e no conhecimento do terreno para manter a soberania brasileira na área, uma vez que o efetivo de 26 mil homens é insuficiente para um patrulhamento mais efetivo.
O general cita o caso americano, que não consegue controlar uma divisa de pouco mais de 2.000 quilômetros com o México, em comparação com a situação brasileira, que só nos seis estados da Amazônia tem 11.500 quilômetros de fronteira.
Além do pouco efetivo, existem “carências de toda ordem”, como a falta de moradias para os familiares que acompanham os militares.
Mesmo assim, o militar afirma que as FARC(Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) não atuam em território brasileiro.
A situação só não é mais grave por que a Amazônia é “prioridade um” na estratégia de defesa do País. "Tudo vem primeiro para a Amazônia. Nós temos materiais de emprego militar aqui que não existem em outros locais", afirma.
O plano Amazônia Protegida, do Ministério da Defesa, prevê a transferência de três brigadas para a região, acrescentando de 12 a 15 mil homens ao efetivo atual.
Enquanto esse reforço não vem, Gomes de Mattos aposta no preparo para combate na selva realizado pelo Exército, que é referência mundial. “Temos o melhor combatente de selva do mundo", diz o Comandante Militar da Amazônia.
Leia mais aqui.

As informações são de O GLOBO

CURSO DE GUERRA NA SELVA (VÍDEO)

Confira esta reportagem sobre o Curso de Operações na Selva, realizado no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), em Manaus.


Curso De Guerra Na Selva "CIGS" (War in the Jungle) - The funniest videos clips are here

28 de maio de 2009

HOMENS DISFARÇADOS DE FUZILEIROS INVADEM DISTRITO NAVAL NO RIO DE JANEIRO


PEDRO DANTAS - Agencia Estado
RIO DE JANEIRO - Três homens armados vestindo uniformes de fuzileiros navais invadiram hoje o 1º Distrito Naval do Rio de Janeiro, na Praça Mauá, na zona portuária da cidade.

De acordo com a Marinha, eles entraram no complexo militar em um carro roubado. Os sentinelas desconfiaram do motorista e acionaram o Sistema de Segurança. Após uma vistoria, os militares prenderam os invasores, que não reagiram, e no fim da tarde foram presos na 5ª Delegacia de Polícia, no Centro.

Segundo a Polícia Militar, dois deles estavam armados com pistolas.A polícia desconfia que os criminosos pretendiam roubar armas do complexo militar, embora o Paiol de Armas da Marinha no Rio de Janeiro esteja localizado na Ilha do Governador, na zona norte.

Investigadores não descartam a hipótese de que os invasores tivessem cúmplices dentro da instalação militar, pois não levavam armamento pesado para abrir caminho a tiros.

Leia mais aqui

RESULTADO DO CONCURSO DA EsSA (ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS)

A Escola de Sargentos das Armas (EsSA), do Exército Brasileiro, divulgou o resultado do concurso de admissão para o Curso de Formação de Sargentos.
São mil e duzentas vagas, distribuidas entre as àreas Combatente/Logística (1175), Aviação do Exército (25) e Músicos (50).
Confira a relação completa aqui, na página 17 da sessão 3 do DOU nº 100, de hoje (28).

ONDA DE SUICÍDIOS SUSPENDE ATIVIDADES EM BASE AMERICANA

Uma base do Exército dos Estados Unidos interrompeu nesta quarta-feira suas atividades normais ao detectar uma onda de suicídios no local. Ao menos 11 soldados se mataram em Fort Campbel neste ano, mais que em qualquer outro quartel dos EUA.
"As atividades serão interrompidas durante três dias a partir de hoje", disse Kelly Tyler, porta-voz do Forte Campbell, localizado na fronteira entre os Estados de Kentucky e Tennessee. "A intenção é mostrar a eles que estamos preocupados com seus problemas, desde o oficial de menor patente até os generais, e que há ajuda disponível."
Em uma série de pronunciamentos nesta semana, o general Stephen Townsend vai falar aos 25 mil soldados da divisão. Ele disse nesta quarta-feira a mais de 4.000 soldados que os suicídios têm de acabar.
Depois que o Exército estabeleceu uma ampla campanha de prevenção em março, houve seis semanas em que não foram registrados suicídios na base. "Mas na semana passada, tivemos dois. Dois em uma semana", disse o general Townsend. "Este não é um lugar onde Fort Campbell e a 101ª Divisão Aerotransportada querem estar [...] não queremos liderar o Exército com essa estatística."
Os comandantes suspenderam as atividades de rotina por três dias para tentar localizar e ajudar os soldados com risco de se matarem em conseqüência do stress da guerra.
Dirigentes do Exército estão desenvolvendo novas orientações para os comandantes para ajudar instalações como Fort Campbell a lidar com crescentes taxas de suicídio. Em todo o Exército, de janeiro a março, houve 56 relatos de suicídio --22 confirmados e 34 ainda sob investigação.
Frequentes envios para batalhas de membros da divisão desde 2001 tem contribuído para o estresse de soldados em Fort Campbell, disse o coronel Ken Brown, chefe dos capelães da base.
As três brigadas aerotransportadas de combate passaram pelo menos três turnos no Iraque. A 3 ª Brigada também serviu sete meses no Afeganistão, no início da guerra, e a 4 ª Brigada acaba de regressar de um período de 15 meses no Afeganistão.
"Estamos em guerra nessa base há sete anos," disse Brown. Acho que há um efeito cumulativo em toda a força", disse o coronel Brown.
O Exército afirmou que os suicídios de soldados atingiram a taxa mais elevada em 2008. Os oficiais disseram que as mortes chegaram a uma taxa de 20,2 por 100 mil soldados, o que é superior à taxa dos civis, quando os dados são ajustados para refletir a idade dos soldados e a predominância de homens.
Segundo números oficiais, o Exército registrou pelo menos 133 suicídios em 2008, um número sem precedentes nas Forças Armadas americanas. No ano anterior, foram 115 mortes deste tipo.
Oficiais dizem que muitos soldados têm medo de procurar ajuda para a saúde mental por pensar que isso pode prejudicar suas carreiras ou fazer com que pareçam fracos diante dos colegas. Por isso, Townsend estimulou os soldados a intervirem.
"Você não hesitaria em procurar atendimento médico para uma ferida ou lesão física", disse Townsend. "Não hesite em procurar atendimento médico para uma lesão psicológica".
"É um estigma para eles. O Exército é uma instituição de força e honra, mas os soldados precisam entender que pedir ajuda também é uma demonstração de força e honra", afirmou.

Leia mais:

FOLHA ONLINE

27 de maio de 2009

AUTÓPSIAS DE SOLDADOS MORTOS EM COMBATE SÃO USADAS PARA APRIMORAR TÉCNICAS

Da Folha Online
Além de ser um símbolo por morrer por sua pátria, o corpo de um soldado norte-americano morto em combate agora ajuda a salvar a vida de seus companheiros. Uma reportagem do jornal "The New York Times" mostra que o Exército dos EUA desenvolve, nos últimos anos, um sistema de investigação por autópsias e scanners virtuais. Com auxílio da tomografia computadorizada, o sistema permite conhecer melhor as feridas sofridas em campo de batalha, a fim de preveni-las em outros combatentes --ou, simplesmente, conhecer com mais detalhes as causas da morte de soldados. Desde 2004, uma hora após os caixões chegarem à base da Força Aérea em Dover (no Estado americano de Delaware) vindos do Afeganistão ou do Iraque, os corpos passam por um processo que não havia sido feito com os mortos americanos em outras guerras. Até o momento, cerca de 3.000 corpos já foram analisados, número superior a quaisquer outras instituições do mundo, segundo o "NYT". Isso permite a criação de registros minuciosos e detalhados sobre ferimentos causados por armas de fogo, explosões, estilhaços e queimaduras. Essas informações já revelaram, por exemplo, deficiências no equipamento de proteção pessoal dos soldados e na blindagem dos veículos, permitindo que melhorias fossem feitas nos capacetes e equipamentos médicos usados nos campos de batalha. Os examinadores também tentam remover o máximo possível de fragmentos de metal, pois as peças podem conter informações sobre as armas inimigas. A ideia de realizar as "autópsias virtuais" surgiu na Suíça há dez anos. Atualmente, médicos norte-americanos querem usar o método em casos de assassinatos, assim como em casos de morte de pessoas ligadas a grupos religiosos que proíbem a realização da autópsia tradicional.
OLHAR DIRETO

ESTUDO NA ALEMANHA DIZ QUE SOLUÇÃO PARA MAIORIA DOS CONFLITOS NÃO É MILITAR

Em Berlim, foi apresentado um estudo indicando que os conflitos atuais não podem ser resolvidos através da atuação militar.
O relatório indica que situações como a do Congo e do Sudão são mal interpretadas, pois são encaradas como conflitos essencialmente militares.
Também é semelhante o quadro no Paquistão e Afeganistão.
O professor Jochen Hippler, do Instituto de Desenvolvimento e Paz diz que "A fraqueza ou a ausência total de instituições estatais e o afundamento dos mecanismos de regulação social deixam um vazio que o talibã e outros rebeldes aproveitam", e que o envio de mais tropas ao Afeganistão "para defender o Estado não acabará com a guerra".
"Esse Estado quase não está presente nas zonas rurais, tem pouco a oferecer aos cidadãos e é rejeitado, porque a população o considera repressivo, inoperante ou corrupto", diz.
Segundo os especialistas, o objetivo deve ser criar instituições estatais fortes, efetivas e próximas aos cidadãos.
Já o conflito entre palestinos e israelenses requer um maior compromisso europeu para encontrar soluções para a Faixa de Gaza.
Isso passsa por um sinal claro do mundo ocidental de que um governo palestino de união terá reconhecimento, desde que deixe de preconizar a violência contra Israel.
Por outro lado, as relações do continente europeu com Israel só devem ser estreitadas se o país acabar com os assentamentos e com o muro da Cisjordânia.
Face as suspeitas de crimes cometidos nos conflitos em GAza, o relatório classifica como "inadmissível" a remessa de armas da Alemanha para Israel, enquanto não for autorizada "uma investigação independente"

26 de maio de 2009

HABEAS CORPUS AO SUBTENENTE: JUÍZES REAGEM ÀS DECLARAÇÕES DE MININISTRO DO STM

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Rio Grande do Sul, Gabriel Wedy, definiu como “profundamente infeliz” e “em desacordo com a ordem constitucional democrática” as declarações do presidente do Superior Tribunal Militar (STM), ministro Carlos Alberto Marques Soares.
Na sexta-feira, em entrevista a Zero Hora, o ministro criticou a Justiça Comum por conceder habeas corpus ao subtenente do Exército Jadir de Ornelas de Araújo, preso num quartel da Capital, o que classificou como uma das atitudes mais “danosas à hierarquia e à disciplina militares”.
Na sentença, de 18 fev, o juiz substituto Ricardo Humberto Silva Borne escreveu:“... a prisão domiciliar consiste em restrição à liberdade de locomoção do militar e, como tal, só poderia ser aplicada caso houver a transgressão disciplinar”.
Ele não quis se manifestar sobre as críticas do presidente do STM. Ontem, porém, Wedy saiu em defesa do magistrado e da instituição.
– A declaração do ministro nos causa espécie. O colega (Borne) reconheceu uma arbitrariedade nessa punição de três dias e aplicou a Constituição, que está acima de qualquer abuso. Se há um abuso dentro da caserna, o Poder Judiciário federal, se provocado, pode intervir. Um militar é um cidadão brasileiro. Aplicar pena sem lei, através de um decreto, vai contra qualquer regime democrático – complementou o presidente do órgão de classe dos juízes federais gaúchos.

ZERO HORA.COM

MÉDICOS MILITARES VÃO AUXILIAR DESABRIGADOS NO MARANHÃO


SÃO LUÍS - Cerca de 20 médicos do Exército, Marinha e Aeronáutica deslocaram-se para a região das enchentes no Maranhão. Eles chegaram durante o fim de semana na capital e vão auxiliar no combate a doenças nas regiões alagadas.

- O momento agora, embora as águas comecem a baixar, é perigoso por causa das doenças relacionadas às enchentes. É fundamental o acompanhamento médico intensivo - disse o representante do governo maranhense no Distrito Federal.

Os rios Mearim e Itapecuru, os mais atingidos pelas enchentes, começam lentamente a voltar aos níveis normais, o que faz com que as ruas comecem a desalagar. Neste momento, surgem as doenças oportunistas, sobretudo as ligadas às enchentes, como Leptospirose e Dengue.

A assistência médica está sendo feita nos municípios. Apenas os casos considerados gravíssimos serão encaminhados para os hospitais de São Luís.

PORTAL AMAZONIA.COM

MICROCÂMERA VAI EQUIPAR ROBÔS MILITARES

O Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos, registrou patente de uma câmera digital do tamanho de um microchip que futuramente será integrada em robôs militares de viligância.
Segundo o site "NewScientist", com a tecnologia será possível criar robôs espiões voadores do tamanho de insetos e abastecidos com pouquíssima energia, uma vez que, por não se basear em microchips separados e circuitos complexos, como acontece em outras microcâmeras atuais, existe um menor consumo.
A invenção, patrocinada pela Nasa e pelo Pentágono, pode ser controlada via sinais de rádio transmitidos em uma freqüência segura em até um quilômetro de distância.
A patente na íntegra, em inglês, pode ser lida no atalho http://tinyurl.com/ojwmdq

TERRA

25 de maio de 2009

PENTÁGONO ADMITE REVER POLÍTICA PARA GAYS NO EXÉRCITO AMERICANO

O Chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, o almirante Mike Mullen, afirmou neste domingo que o Pentágono aceitará a lei se o Congresso anular a proibição de que os homossexuais que servem nas Forças Armadas mantenham sua condição em particular.
O presidente Barack Obama disse durante a campanha eleitoral que os militares poderiam expressar abertamente seu homossexualismo e reverteria a lei que, promulgada durante o Governo Bill Clinton (1992-2000), estabelece que os homossexuais podem servir nas Forças Armadas enquanto não se mostrarem.
Após prolongadas negociações entre o Governo do presidente Bill Clinton e o Congresso, em 1993 foi aprovada a lei pela qual o Exército não pergunta sobre a orientação sexual de seu pessoal e os militares também não o anunciam.
"Se a lei mudar, vamos cumprir, não há absolutamente nenhuma dúvida a respeito", disse Mullen em entrevista à rede ABC.
Mullen disse que quer evitar um "debate polarizado" sobre os homossexuais no Exército e disse que, no caso de o Congresso derrogar a lei, teria que dar o tempo necessário ao Exército para preparar um plano para aplicar a norma.
O Governo de Obama está se movimentando neste sentido e, segundo The Washington Post, a secretária de Estado, Hillary Clinton, anunciará em breve um plano para que os casais dos diplomatas homossexuais recebam os mesmos benefícios das esposas e maridos dos diplomatas heterossexuais.

Terra

MILITARES DO 47 BI REALIZAM CAMPANHA DO AGASALHO EM COXIM


Militares do 47º Batalhão de Infantaria, saíram às ruas de Coxim (MS), juntamente com funcionários da Empresa de Saneamento do MS (Sanesul), arrecadando roupas para a campanha do agasalho.
Esta é a nona participação do Batalhão na campanha, que é coordenada pela Sanesul. Nesta edição, foram arrecadadas mais de dez mil peças, entre roupas, calçados e cobertores.

A FORÇA DOS MILITARES NA AMAZÔNIA (Uma visão isenta)


"Senhor, tu que ordenastes ao guerreiro de Selva, sobrepujai todos os vossos oponentes, dai-nos hoje da floresta, a sobriedade para resistir, a paciência para emboscar, a perseverança para sobreviver, a astúcia para dissimular, a fé para resistir e vencer, e daí-nostambém senhor, a esperança e a certeza do retorno, mas , se, defendendo essa brasileira Amazônia, tivermos que perecer, oh Deus, que façamos com dignidade e mereçamos a vitória, Selva!!!"

DRAUZIO VARELLA

Militares na Cabeça do Cachorro. Perfilados, os soldados aguardaram em posição e sentido, sob o sol do meio-dia. Eram homens de estatura mediana, pele bronzeada, olhos amendoados, maçãs do rosto salientes e cabelo espetado. O observador desavisado que lhes analisasse os traços julgaria estar na Ásia.No microfone, a palavra de ordem do capitão:

'Soldado Souza, etnia tucano'.

Um rapaz da primeira fila deu um passo adiante, resoluto, com o fuzil no ombro, e iniciou a oração do guerreiro da selva, no idioma natal. No fim, o grito de guerra dos pelotões da fronteira:"SELVA !!!"

O segundo a repetir o texto foi um soldado da etnia desana, seguido de um baniua, um curipaco, um cubeu, um ianomâmi, um tariano e um hupda.Todos repetiram o ritual do passo à frente e da oração nas línguas de seus povos; em comum, apenas o grito final:"SELVA !!!"

Depois, o pelotão inteiro cantou o hino nacional em português, a plenos pulmões.Ouvir aquela diversidade de indígenas, característica das 22 etnias que habitam o extremo noroeste da Amazônia brasileira há 2.000 anos, cantando nosso hino no meio da floresta, trouxe à flor da pele sentimentos de brasilidade que eu julgava esquecidos.

Para chegar à Cabeça do Cachorro é preciso ir a Manaus, viajar 1.146 quilômetros Rio Negro acima, até avistar São Gabriel da Cachoeira, a maior cidade indígena do país.De lá, até as fronteiras com a Colômbia e a Venezuela, pelos rios Uaupés, Tiquié, Içana, Cauaburi e uma infinidade de rios menores, só Deus sabe. A duração da viagem depende das chuvas, das corredeiras e da época do ano, porque na bacia do Rio Negro o níveldas águas pode subir mais de dez metros entre a vazante e o pico da cheia.

É um Brasil perdido no meio das florestas mais preservadas da Amazônia. Não fosse a presença militar, seria uma região entregue à própria sorte. Ou, pior, à sorte alheia.O comando dos Pelotões de Fronteira está sediado em São Gabriel. De lá partem as provisões e o apoio logístico para as unidades construídas à beira dos principais rios fronteiriços:Pari-Cachoeira, Iauaretê, Querari, Tunuí-Cachoeira, São Joaquim, Maturacá e Cucuí.Anteriormente formado por militares de outros Estados, os pelotões hoje recrutam soldados nas comunidades das redondezas. Essa opção foi feita por razões profissionais:

'O soldado do Sul pode ser mais preparado intelectualmente, mas na selva ninguém se iguala ao indígena'.

Na entrada dos quartéis, uma placa dá idéia do esforço para construí-los naquele ermo:

'Da primeira tábua ao último prego, todo material empregado nessas instalações foi transportado nas asas da FAB'.

Os pelotões atraíram as populações indígenas de cada rio à beira do qual foram instalados: por causa da escola para as crianças e porque em suas imediações circula o bem mais raro da região-salário.Para os militares e suas famílias, os indígenas conseguem vender algum artesanato, trocar farinha e frutas por gêneros de primeira necessidade, produtos de higiene e peças de vestuário. No quartel existe possibilidade de acesso à assistência médica, ao dentista, à internet e aos aviões da FAB, em caso de acidente ou doença grave.

Cada pelotão é chefiado por um tenente com menos de 30 anos, obrigado a exercer o papel de comandante militar, prefeito, juiz de paz, delegado, gestor de assistência médico-odontológica, administradordo programa de inclusão digital e o que mais for necessário assumir nas comunidades das imediações, esquecidas pelas autoridades federais, estaduais e municipais.

Tais serviços, de responsabilidade de ministérios e secretarias locais, são prestados pelas Forças Armadas sem qualquer dotação orçamentária suplementar.Os quartéis são de um despojamento espartano. As dificuldades de abastecimento, os atrasos dos vôos causados por adversidades climáticas e avarias técnicas e o orçamento minguado das ForçasArmadas tornam o dia-a-dia dos que vivem em pleno isolamento um ato de resistência permanente.

Esses militares anônimos, mal pagos, são os únicos responsáveis pela defesa dos limites de uma região conturbada pela proximidade das Farc e pelas rotas do narcotráfico. Não estivessem lá, quem estaria?

Espaco Livre

PATRONO DA INFANTARIA TERÁ NOME INSCRITO NO LIVRO DOS HERÓIS DA PÁTRIA

A data de ontem, 24 de maio, dia da Infantaria brasileira, marcou o início das atividades programadas pelo Exército para comemorar o bicentenário do nascimento do Brigadeiro Antonio de Sampaio, patrono da arma de Infantaria, nascido em 1810.
Há um mês o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei n.º 11.932, aprovada no Congresso, determinando que o nome do patrono da Infantaria seja inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília.
É provável que a cerimônia oficial de inscrição ocorra em janeiro. De acordo com o coordenador nacional das comemorações do bicentenário, general da reserva Júlio Oliveira Verde, a decisão de levar o nome de Sampaio para o Livro dos Heróis é "uma homenagem justíssima para quem tombou em defesa da Pátria".
Estudioso da vida do homenageado, o general Oliveira lembra que ele teve atuação destacada nas campanhas de manutenção da integridade territorial brasileira na fase do Império - da Cabanagem, no Pará, à Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul. A consagração militar ocorreu na Guerra do Paraguai (de 1864 a 1870): sua atuação na Batalha de Tuiuti foi considerada decisiva para a vitória dos aliados (Brasil, Argentina e Uruguai).
"Ele veio de uma família simples e, sem fazer nenhum curso especial, galgou todos os passos da hierarquia, de soldado a brigadeiro, cargo que hoje corresponde ao de general de brigada", diz o general. "Suas promoções ocorreram por atos de bravura e coragem em combates."
Ferido na Batalha de Tuiuti, Sampaio morreu no dia 6 de julho de 1866.

Estadao

24 de maio de 2009

UNIDADE DO EXÉRCITO É SUSPEITA DE “ESCONDER” ALIMENTOS VENCIDOS

PORTO VELHO (RO)- O site www.rondoniaovivo.com mostrou imagens datadas de quarta-feira (20), denunciando o transporte de alimentos vencidos, por viaturas militares, supostamente carregadas com 3.000 kg de leite em pó e 4.000 kg de arroz, além de outros gêneros alimentícios, que foram retirados do depósito da 17ª Base Logística e levados num “passeio” até o 5° Batalhão de Engenharia e Construção, visando ocultar o material dos oficiais da 12ª Região Militar, de Manaus, que naquele dia inspecionariam a Base.
O Comandante da Base Logística, Major Neto, desmentiu a informação a respeito do “estrago” da alimentação enviada ao 5° BEC. Segundo ele, o que houve foi uma simulação de transporte de carga, para aferição de tempo de deslocamento entre quartéis, como parte de um cronograma de preparação do Exército para participar de uma operação do IBAMA.
Em relação a inspeção que seria realizada no quartel no mesmo dia, tratou-se de “uma incrível coincidência”, segundo o oficial, não havendo qualquer relação entre a saída dos caminhões com a chegada dos inspetores. Por sua vez, a denúncia feita ao jornal, foi creditada a pessoas interessadas em criar intrigas e desestabilizar o comando da guarnição.
Por outro lado, o Chefe do Estado Maior da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, Coronel Moraes, afirmou categoricamente que de fato o que ocorreu foi uma simulação de transporte de alimentos em razão de exercícios preparatórios para a operação na Floresta Nacional do Bom Futuro.
“Todo aquele suprimento está contabilizado. A auditoria não terminou e o estoque já está de volta a Balog,” disse o Cel. Moraes, garantindo que a comida não está vencida e está inserida na cadeia de suprimentos do Comando.
Em relação a Inspeção, o Coronel disse que todas as unidades do Exército contam com essa auditoria anual, que faz parte do sistema de controle interno das Forças Armadas.
Assista ao vídeo:

video

As informações e imagens são do site: www.rondoniaovivo.com

OPERAÇÃO FEIJÃO

A 17ª Base Logística já havia sido alvo de denúncias em janeiro de 2008, quando o mesmo site mostrou a “doação” de 4.800 kg de feijão, com validade vencida, para alimentação de porcos em um sítio próximo à cidade.
Após a divulgação da matéria, o comando da 17ª Brigada de Infantaria de Selva desencadeou uma operação militar para recolher o material, envolvendo duas viaturas e vinte homens da Polícia do Exército.
Na época, foi instaurado um procedimento investigatório, que constatou que o feijão tinha sido reprovado no exame bromatológico.
Assista aos dois episódios da ‘Operação Feijão”:



As informações e imagens são do site: www.rondoniaovivo.com

MILITARES MASSACRADOS POR TRAFICANTES

A busca por um atalho pelas ruas de Vila Isabel por pouco não custou a vida de três jovens militares do Exército. Era início da madrugada de 16 de julho quando o trio — lotado no 57º Batalhão de Infantaria, na Vila Militar — voltava de uma boate no Centro. Próximo ao Morro da Mangueira, eles viram uma movimentação estranha e resolveram seguir pelo Boulevard 28 de Setembro. No fim da avenida, cometeram um erro: seguiram pela Rua Luís Barbosa, acesso ao Morro dos Macacos, e lá foram abordados por dois homens armados. A farda guardada no veículo foi a senha para o início de uma sessão de tortura que durou toda a madrugada.

O caso — ocorrido um mês depois de 11 militares do Exército sequestrarem três jovens da Providência e os entregarem a bandidos rivais do Complexo de São Carlos, onde foram mortos — curiosamente foi abafado na época. Mas a 20ª DP (Vila Isabel) o registrou, no número 3.978/2008, iniciando investigação que terminou esta semana com um resultado efetivo: os cinco acusados de liderar o massacre tiveram a prisão decretada pelo juiz Rodrigo José Meano Filho, da 14ª Vara Criminal, a pedido do Ministério Público.O principal deles é o chefe do tráfico na favela, Leandro Nunes Botelho, o Scooby, que andava numa Mercedes conversível de R$ 204 mil, apreendida esta semana. Segundo relatos das vítimas (dois deles são tenentes), o bandido “chegou numa motocicleta de grande porte, portando um fuzil FAL 7,62 cromado”. Deu ordens para que continuassem a tortura, roubassem todos os pertences deles, mas que “não os matassem, pois iria dar merda para o morro”.

Leia a notícia completa:

terra.com

MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR QUER CONDENAÇÃO DE TENENTE DA AMAN

Promotores do Ministério Público Militar (MPM) pedem a condenação de um tenente da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) que durante um treinamento utilizou um explosivo de verdade que explodiu e arrancou a mão de um cadete além de ferir outros 15 jovens estudantes.

O problema aconteceu porque o oficial instrutor não orientou os alunos de que o explosivo que seria manuseado pelos alunos era verdadeiro.

O artefato era uma granada de luz e som. A granada teve o pino de segurança retirado.

Na primeira vez, o aluno manteve o artefato na mão e o pino foi recolocado por um instrutor.

Logo em seguida, outro oficial-aluno, também manipulando a granada, retirou novamente o pino de segurança, não conseguindo recolocá-lo. Ao perceber que a granada entrara em processo de deflagração, um instrutor interveio, golpeando a mão do cadete que a manipulava com objetivo de que ele soltasse o artefato.

A granada detonou, causando a amputação da mão direita de um cadete-aluno e de um instrutor. O cadete que teve a mão amputada recuperou-se, mas o instrutor faleceu por causa dos ferimentos.

As informações são do EXTRA ON LINE

www.extra.globo.com

23 de maio de 2009

JUSTIÇA CIVIL LIVRA SUBTENENTE DA PRISÃO

A liberação, pela Justiça Federal, de um subtenente do Exército preso num quartel da Capital gerou um mal-estar envolvendo a mais alta corte militar do país.

Ontem, em entrevista concedida a Zero Hora, o presidente do Superior Tribunal Militar (STM), ministro Carlos Alberto Marques Soares, criticou a Justiça Comum.

– É uma das atitudes mais danosas que a Justiça Comum pode fazer à hierarquia e à disciplina militares – falou o ministro, evitando comentar o caso específico envolvendo o militar gaúcho.

Refratário às normatizações civis, o rígido ambiente militar tem códigos e normas próprias. Os que cometem crimes militares são submetidos ao Código Penal Militar. Os transgressores – militares que cometem infrações que não são sujeitas ao Código – são subjugados ao Regulamento Disciplinar do Exército, que prevê sanções duras como prisão administrativa.

Foi justamente o que aconteceu com o subtenente Jadir de Ornelas de Araújo, nascido há 45 anos em Bagé, região da Campanha.A indisposição de Araújo com seus superiores no 3º Batalhão de Comunicações se iniciou em agosto passado. Para engordar a renda, a mulher de Araújo vende lanches para soldados. Quando os pagamentos, sempre aos finais de cada mês, atrasaram, a mulher enviou cartas nominais e lacradas lembrando da dívida e exigindo o pagamento. Ao tomar conhecimento das correspondências, oficiais do 3º Batalhão entenderam que Araújo estaria constrangendo soldados – hierarquicamente inferiores na organização do Exército.

Ao término de uma sindicância, Araújo foi penalizado com três dias de prisão.Exército não comentou a suspensão da puniçãoAcionado pelo militar, o advogado Vilmar Quizzeppi da Silva recorreu à Justiça Federal obtendo habeas corpus. Na sentença, o juiz substituto Ricardo Humberto Silva Borne escreveu em 18 de fevereiro de 2009:

“... a prisão domiciliar consiste em restrição à liberdade de locomoção do militar e, como tal, só poderia ser aplicada caso a transgressão disciplinar que lhe deu causa estivesse prevista em lei”.

Araújo escapou da prisão, mas, de acordo com seu advogado, sente-se punido. Transferido do 3º Batalhão, assume na próxima segunda-feira novas funções no 2º Regimento de Cavalaria Motorizada, em São Borja, na fronteira com a Argentina, distante 581 quilômetros de Porto Alegre.

Procurado por Zero Hora, o magistrado não quis se manifestar.A decisão de Borne não é a primeira do gênero. Desde a Constituição de 1988 casos isolados são registrados no país, o que inquietam as Forças Armadas e provocam críticas públicas de ministros do STM. Para Quizzeppi, porém, é uma ilegalidade praticada na intimidade da caserna.

– É um prisão ilegal porque não é revestida das formalidades previstas pela Constituição. Daqui a pouco o Exército decreta que você não pode beber dois copos de cerveja num baile e se o militar não cumprir pode ser preso – complementa.

Oficialmente, representantes do Exército assumem um discurso cauteloso.

– O Exército cumpriu decisão judicial e recorreu. É como sempre fazemos. Não há indisciplina porque o comandante mantém a tropa bem informada e esclarecida – diz o coronel Sylvio Cardoso, oficial de Comunicação Social do Comando Militar do Sul.

Por: Carlos Etchichury carlos.etchichury@zerohora.com.br

Do site Zero Hora.com

www.zerohora.com

22 de maio de 2009

BANDEIRA DO VASCO HASTEADA EM QUARTEL AFASTA COMANDANTE


Uma provocação à torcida do Vitória, eliminado da Copa do Brasil pelo Vasco, teve sérias conseqüências. A bandeira do cruzmaltina foi hasteada no Quartel da 17ª Companhia Independente da Polícia Militar (PMBA) num dos mastros onde normalmente são hasteadas as bandeiras da Bahia (não confundir com 'do' Bahia) e do Brasil. O quartel fica no Bonfim e uma sindicância foi instaurada para apurar o fato. Quem pagou o pato foi o major Francisco César Cunha Bonfim, comandante do quartel afastado do posto. O fato ganhou repercussão nacional e gerou nota oficial da PM afirmando "repudiar o episódio", e abominando "o desrespeito ao local sagrado de hasteamento do Pavilhão Nacional, sob quaisquer pretextos". Caso a sindicância consiga identificar o gaiato, autor da brincadeira considerada pela PM como "infração disciplinar gravíssima", por ofensa a um símbolo nacional, ele pode ser exonerado da função e detido.

James Martins

Do site: BN Esportes

www.bahianoticias.com.br/esporte

PIAUÍ: CARRO DO PADRE E VIATURA DO EXÉRCITO FICAM ATOLADOS



Em Barras, 119 quilômetros ao norte de Teresina, os problemas continuam mesmo depois da queda do nível dos rios Longá e Marataoan. Na madrugada desta sexta-feira (22), dois carros que ajudavam as vítimas das enchentes ficaram atolados na região do povoado Cachoeira. Um era do padre da cidade, e o outro do Exército.
O veículo do padre Orcélio Cardoso só foi retirado por volta de 2h da madrugada de hoje depois que um trator foi levado pela Prefeitura. No entanto, o carro do Exército continua no local. Eles trabalhavam na distribuição de alimentos aos desabrigados.
A Defesa Civil de Barras informou que a situação mais crítica continua sendo na zona rural, em especial nos povoados Barreiros e Baixa da Liberdade, onde 90% das casas desabaram. Nos povoados Picada, Três Caminhos, e Riacho Verde, o acesso tem que ser feito de lancha. Ficaram desabrigadas 3.048 famílias em todo o município.

O capitão Mayk Nelsolyne Costa dos Santos disse que o Exército atua na região há 17 dias, e que o período crítico já passou. O momento agora é de assistência aos desabrigados.

Yala Sena /Fábio Lima

Do site: Cidade Verde.com

www.cidadeverde.com

BATALHÃO LAGUNA PROMOVE NOITE CULTURAL EM CUIABÁ

Em comemoração ao dia do nascimento do Patrono da Arma de Infantaria, Brigadeiro Antônio de Sampaio e dentro do espírito de unir cada vez mais civis e militares, o 44º Batalhão de Infantaria Motorizado – Batalhão Laguna realizou na noite do dia 20 de maio, a 2ª Noite Cultural.
O evento contou com a participação da Banda de Música do Exército, do Quinteto de Cordas da Universidade Federal de Mato Grosso. Estiveram paticipando ainda o professor Moisés Martins e Grupo Sarau Cuiabano, a Banda de Música do Corpo de Bombeiros Militar do Mato Grosso, o Grupo de Siriri “Flor do Campo” e a participação especial do Professor Fabrício, Maestro da Orquestra Sinfônica da UFMT.
Além do General de Brigada José Julio Dias Barreto , comandante da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, esteve presente Nilza Queiroz Freire, Presidente da Academia Mato-grossense de Letras e Moisés Mendes Martins Junior, Secretário Adjunto de Cultura de Cuiabá.
Silvana Ribas
Do site GAZETA DIGITAL
www.gazetadigital.com.br

MILITARES PLANEJAM JOGOS MUNDIAIS DE 2011

O Brasil sedia em 2011, a 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares – Jogos da Paz. As competições serão realizadas nas mesmas instalações utilizadas nos Jogos Panamericanos de 2007, na cidade do Rio de Janeiro. A quarta edição do evento, na Índia, em outubro deste ano, reunirá 4.581 militares de 89 países, que disputarão 14 modalidades esportivas.Para coordenar o evento, o Ministério da Defesa criou o Comitê de Planejamento Operacionaldos 5ºs Jogos Mundiais Militares Rio 2011, com a finalidade de elaborar e implementar as ações necessárias ao planejamento, à coordenação e à execução do evento. Compete também ao comitê, a gestão dos recursos destinados aos Jogos.

Do site PANROTAS
www.panrotas.com.br

21 de maio de 2009

ROUBO DOS FUZIS: DEPOIMENTOS INDICAM PARTICIPAÇÃO DE MILITAR

A Polícia Civil de São José dos Campos (SP) ouviu ontem os cinco principais acusados do roubo de sete fuzis calibre 762 do 6º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), em Caçapava, no dia 8 de março. No depoimento foi confirmada a participação do cabo Leonardo Floriano dos Santos, que foi delatado por um dos participantes presos na semana passada. Os depoimentos foram individuais e depois foi feita uma acareação entre eles.
"Esse procedimento foi fundamental para deixar claro que todos têm participação no crime", declarou o coronel do Exército Milton Bertolli.
O cabo está em prisão administrativa no Exército desde o último domingo, depois da prisão de José Augusto Lourenço, o Sapão, também no fim de semana. Segundo o advogado de defesa do militar, Eduardo Neves, ele teria confessado seu envolvimento mediante pressão psicológica e assinado o recebimento de R$ 30 mil para ser o informante da quadrilha que rendeu os sentinelas. Na ação, cinco homens armados invadiram o quartel pelos fundos e um dos soldados foi agredido com coronhadas.
"Se for confirmada a pressão psicológica vou pedir a revogação da prisão preventiva, visto que o cabo Floriano tem bons antecedentes e não tinha alterações na corporação", disse Neves.
O delegado-assistente do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-1), Edilzo Correia de Lima, disse não ter dúvidas do envolvimento do militar. Segundo ele, outros três envolvidos estão foragidos. Um deles, segundo a polícia, é Willian Istorto, conhecido como Beterraba, cunhado do cabo Floriano.

Do Estadão
www.estadao.com.br

ROUBO DOS FUZIS EM CAÇAPAVA: DOIS SUSPEITOS CONTINUAM FORAGIDOS

Há 72 dias os fuzis foram roubados em Caçapava
Hoje (20) completam 72 dias que sete fuzis foram roubados do Batalhão do Exército de Caçapava. O crime aconteceu à meia-noite do dia 9 de março, quando cinco homens invadiram o batalhão, renderam os soldados e levaram as armas. Desde então, o Exército não tem poupado esforços para encontrá-las.
Operação Ypiranga
Cerca de 700 homens do Exército foram deslocados para a região com o intuito de procurar os fuzis. Eles atuaram em São José dos Campos, Jacareí e Caçapava. Além de procurar os fuzis, os soldados também combateram o tráfico de drogas e realizaram ações comunitárias. Essa foi a maior operação do Exército já realizada na região. Os homens deixaram a região um mês após o roubo, sem que nenhuma arma fosse encontrada.
O primeiro fuzil encontrado por meio de escutas telefônicas, a Polícia Civil encontrou a primeira arma em uma casa no bairro Jardim da Granja, região leste de São José dos Campos. O fuzil e também munições estavam escondidos numa churrasqueira. Na ocasião, uma mulher foi presa. A arma foi encontrada um dia depois do Exército ter deixado a cidade.
Prisão de suspeito
Quase um mês depois, em 7 de maio, a polícia e o Exército prenderam durante uma operação na Rodovia dos Tamoios, o principal suspeito de participação no roubo: Erasmo Dal Col Junior, o Matrix. No dia seguinte, quatro dos sete fuzis foram encontrados em um sítio, em Jambeiro. As armas estavam dentro de um tonel de plástico, enterradas no curral.
A sexta arma
O último fuzil encontrado estava em Caraguatatuba e foi localizado no último dia 13. A arma estava em um terreno, no bairro Perequê-Mirim.
Cabo do exército é preso
Um cabo do Exército foi preso no último domingo(17) por suspeita de participação no roubo dos fuzis. O militar está à disposição da Justiça Militar. Até agora, cinco pessoas foram presas por envolvimento no crime.
O último fuzil
Agora, a polícia e o Exército estão à procura do último fuzil. De acordo com Major Dias, responsável pelas investigações, a prisão do cabo do Exército “aumenta a probabilidade de encontrar a última arma”. Segundo ele, dois suspeitos continuam foragidos. A polícia ouviu hoje (20), em São José dos Campos, as cinco pessoas acusadas de participação no roubo de fuzis do exército. Os depoimentos começaram de manhã, na Delegacia de Investigações Gerais de São José dos Campos. Segundo os policiais, o delegado está ouvindo em uma sala cinco acusados de participar do roubo. Entre eles, o cabo do exército que foi preso nesse fim de semana. Ele que teria passado à quadrilha as informações necessárias para a invasão do batalhão. Havia a expectativa de que os sentinelas que estavam de plantão no Exército no dia do roubo fossem até a delegacia, para tentar fazer o reconhecimento dos acusados. Mas segundo a polícia, isso não aconteceu.

20 de maio de 2009

ACIDENTE COM VIATURA DO EXÉRCITO MATA UM E FERE SEIS NO MS

Um acidente envolvendo uma viatura do Exército Brasileiro e um veículo civil deixou uma pessoa morta e pelo menos seis militares feridos na noite dessa terça-feira (19) em Amambai, fronteira do MS com o Paraguai.

O acidente aconteceu por volta das 19h na rodovia MS-156, a cerca de 15 quilômetros da cidade. Edson Flores de Souza, 55 anos, conduzia um quando colidiu com um comboio militar que se deslocava no sentido contrário.

O Monza atingiu uma primeiramente uma cisterna de água tracionada por um caminhão e acabou sendo colhido lateralmente por outra viatura do comboio.O motorista morreu na hora.Os seis militares que estavam na caminhonete do Exército também acabaram feridos, e um deles fraturou a perna, outro, o braço.

Todos foram socorridos em Amambai, mas ninguém corre risco de vida.

as informações são do site Fátima News

www.fatimanews.com.br

SARGENTO DO EXÉRCITO NEGA ESMOLA E É ALVEJADO DENTRO DE CASA

Cláudia Galvão
(foto:Estevão dos Anjos)
Uma tentativa de homicídio ainda sem explicação foi registrada na manhã desta quarta-feira, dia 20, no Conjunto Rosanne Collor, bairro do Clima Bom. Um homem - cuja identidade é desconhecida - teria chegado a uma residência localizada no bairro pedindo ajuda para socorrer sua esposa, que estaria doente.
Bastante nervoso, o pedinte foi atendido pelo sargento do Exército José de Barros Veloso, que afirmou não poder ajudá-lo. Indignado, o pedinte teria efetuado dois disparos contra o militar, que foi atingido por um tiro na nuca. O segundo disparo atingiu a parede da residência do militar, onde mora parte da sua família.
Segundo a filha do sargento José de Barros Veloso, a família estava tomando o café-da-manhã quando percebeu que havia alguém chamando à porta. Ainda de acordo com a filha da vítima, não houve qualquer discussão. A jovem informou, ainda, que seu pai foi transferido para o estado do Tocantins, onde se aposentou, e estava em Maceió para visitar a família.
A vítima foi socorrida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi encaminhada para o Hospital Geral do Estado, acompanhado de um dos filhos. Não há informações oficiais sobre o estado de saúde do militar. O acusado da tentativa de homicídio fugiu do local a pé.


EXÉRCITO PRENDE CABO SUSPEITO DO ROUBO DE FUZIS EM CAÇAPAVA

O Exército confirmou a prisão de um cabo das Forças Armadas por suspeita de participação no roubo dos fuzis do batalhão de Caçapava, a 116 km de São Paulo.

O militar está preso no 6º Batalhão de Infantaria Leve da cidade desde domingo (17) e fica à disposição da Justiça Militar. O Exército deve se manifestar oficialmente ainda nesta terça-feira (19). Na quarta-feira (13) mais um dos fuzis roubados foi encontrado pela Polícia Civil em Caraguatatuba. Até esta terça-feira, cinco pessoas foram presas e seis dos sete fuzis roubados foram recuperados.

Do portal G1

18 de maio de 2009

A FARRA DOS CARTÕES


O pouco-caso com o dinheiro público não é exclusividade do Congresso Nacional. Apesar da imagem de austeridade da vida na caserna, também são incontáveis os exemplos de abusos e regalias nas Forças Armadas.

Só no ano passado os saques e compras com cartões corporativos no âmbito do Ministério da Defesa e das Três Armas somaram mais de R$ 2,2 milhões - um aumento de 300% em relação a 2007. Muitas dessas despesas, que pela legislação devem ser feitas apenas em missão oficial e em caráter de urgência, podem até resistir a uma auditoria, mas dificilmente seriam aprovadas pelos contribuintes.
Entre julho e novembro de 2008, o major Carlos Alberto Aoki Lote, do Estado- Maior do Exército (EME), por exemplo, gastou R$ 39,2 mil em diárias de hotéis, contratações de serviços de operadores de turismo, locação de veículos e refeições em churrascarias. No dia 16 de agosto, um sábado, Aoki gastou R$ 1,9 mil na pousada Penhasco, paradisíaca estalagem localizada na Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso.
O sargento Maurício Ribeiro, auxiliar de gabinete do EME,não foi mais modesto que seu colega de farda. Entre junho e outubro, torrou um total de R$ 43,3 mil no cartão corporativo. Um dos registros das despesas de Ribeiro revela que o sargento é frequentador da orla carioca. No dia 17 de junho, uma terça-feira, consumiu R$ 271 na Pizzaria e Restaurante Pigalle, localizado na avenida Atlântica, em Copacabana.

Os dados da Controladoria-Geral da União não dão margem a dúvidas. Os momentos de lazer à custa do Erário público não são exceção, mas regra. Embora os militares aleguem que os gastos foram feitos por ocasião de reuniões, seminários ou recepções a autoridades estrangeiras, a opção por restaurantes e hotéis caros é frequente. José Henrique de Cássio Ruffo, da base de aviação de Taubaté, gastou R$ 5 mil no hotel-fazenda Mazzaropi, que foi eleito o melhor do Brasil pelo Guia Quatro Rodas em 2006. Também gastou R$ 236 na choperia Baden Baden, em Campos do Jordão, e R$ 258 no restaurante Rancho da Traíra, localizado na Vila Mariana, em São Paulo.

17 de maio de 2009

JOBIM: PAPEL DAS FORÇAS ARMADAS DEVE SER DISCUTIDO NO CONGRESSO

O Ministro Nelson Jobim, da Defesa, afirmou hoje que o papel das Forças Armadas será apresentado brevemente ao Congresso Nacional através de projeto de lei.Ao abrir um encontro de fuzileiros navais das Américas, o ministro afirmou que "As Forças Armadas têm a função de garantir a lei e ordem e quero abrir a discussão sobre um estatuto para as Forças quando dessas operações (internas)".Segundo Jobim, "estamos trabalhando para adaptar as Forças à realidade. As dificuldades atuais e o respeito às Forças Armadas levam a sociedade a requerer atividades subsidiárias"."A sociedade discute muito a participação das Forças Armadas em questões internas, mas não debate as regras jurídicas e o estatuto das Forças. Esse é um dilema: deseja-se o fim, mas não quer se debater o meio", acrescentou.O Ministro entende que o papel das Forças Armadas na segurança urbana deve ser secundário e vinculado ao trabalho da polícia.Nelson Jobim considera que as Forças Armadas devem ter um papel secundário na solução de conflitos urbanos, e a atuação deve estar sempre vinculada à ação das polícias locais.

DJALMIR, DE CABO NO NORDESTE BRASILEIRO A ARTILHEIRO NA LIGA DE HONRA

Conciliava a tropa com a carreira futebolística no Sergipe, no Nordeste brasileiro, onde se tornou profissional ainda com 17 anos, depois de aí teer feito sua formação.
"Ser militar influencia a nossa vida. Viver num quartel onde se tem de respeitar o superior e ser responsável. Sou a pessoa que sou devido ao quartel."

4 de maio de 2009

Anistia a militares - Entenda

A anistia de militares das Forças Armadas está prevista no art. 8o do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT, regulamentado pela Medida Provisória no 2.153, de 31 de maio de 2001. Esta Medida Provisória – MP, depois de três reedições, foi revogada pela MP no 65, de 28 de agosto de 2002, convertida na Lei no 10.559, de 13 de novembro de 2002 (Lei de Anistia). Essa Lei, no seu Art. 1o, instituiu o Regime do Anistiado Político, com os seguintes direitos entre outros:
-declaração de anistiado político;
-reparação econômica de caráter indenizatório, em prestação única ou em prestação mensal, permanente e continuada, asseguradas a readmissão e promoção na inatividade, nas condições estabelecidas no caput e nos §§ 1o e 5o do art. 8o do ADCT.
A reparação econômica em prestação única não é acumulável com a reparação econômica em prestação mensal, permanente e continuada (§ 1o do art. 3o da Lei 10.559, de 2002). No caso de falecimento do anistiado político militar, o direito à reparação econômica mensal, permanente e continuada, será transferido aos seus dependentes, de acordo com art. 13 da Lei no 10.559/2002 e parágrafos 2o e 3o da Lei no 6.880, de 9 de dezembro de 1980, Estatuto dos Militares, devidamente habilitados nas respectivas Forças. De acordo com o art. 2o da lei citada, serão declarados anistiados políticos aqueles que, no período de 18 de setembro de 1946 até 5 de outubro de 1998, por motivação exclusivamente política, se enquadrarem em uma das situações previstas nos incisos I a XVII, desse artigo. Conforme a Portaria Normativa no 657/MD, de 25 de junho de 2004, caberá aos Comandos de Força, após informação do Ministério da Defesa, a execução das providências concernentes às reintegrações, pagamento das reparações econômicas, identificação e cadastramento para utilização dos benefícios indiretos disponibilizados pelas Forças Armadas aos seus integrantes.

fonte: http://www.defesa.gov.br/

3 de maio de 2009

EXÉRCITO COORDENARÁ BUSCAS A MORTOS NO ARAGUAIA

De Alex Rodrigues, da Agência Brasil:
Por determinação do Ministério da Defesa, um grupo de trabalho coordenado pelo Exército irá realizar novas buscas aos corpos de desaparecidos da Guerrilha do Araguaia. O objetivo é localizar, recolher e identificar os corpos de guerrilheiros, militares e de eventuais agricultores mortos durante os combates entre opositores do regime militar organizados pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e tropas do Exército, no início da década de 70.
A criação do grupo de trabalho consta da Portaria nº 567, publicada na edição do Diário Oficial da União da última quinta-feira (30). Para justificar a iniciativa, o ministério, no texto do documento, aponta “a limitação dos resultados alcançados nas expedições já realizadas” e reconhece a necessidade de novos trabalhos de campo, com os meios logísticos e necessários.
Composto por representantes do Exército, dos governos do Pará e do Distrito Federal, além de outros órgãos e entidades a serem indicados pelo Comando do Exército, o grupo terá sua atuação acompanhada por observadores independentes também convidados pela força. Inicialmente, os trabalhos deverão durar um ano, mas o prazo pode ser ampliado.
O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, tem dez dias para indicar ao ministério o nome dos integrantes do grupo, bem como um plano de trabalho com procedimentos e metas a serem adotadas. Além de apresentar relatórios trimestrais, ao fim de um ano o grupo deverá elaborar um relatório final sobre os resultados das buscas.
A obrigação da União de localizar e resgatar os corpos ainda não encontrados foi estabelecida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em setembro de 2007. Ao julgar um recurso da União contra semelhante decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) – cuja sentença havia sido proferida em 2003 –, o STJ determinou que a União não só deveria, em 120 dias, informar o local onde estão os restos mortais dos guerrilheiros, como também enterrá-los em locais indicados pelos familiares. Além disso, a União teria que intimar a depor todos os militares que participaram do episódio e tornar públicas as informações sobre a guerrilha que continuam sob sigilo.
Até hoje não se sabe o número exato dos que morreram durante os conflitos, ocorridos em localidades próximas ao Rio Araguaia, na divisa entre os atuais estados do Pará, Maranhão e Tocantins (então, ainda parte do estado de Goiás). Pelo menos 58 militantes do PCdoB desapareceram e seus corpos nunca foram localizados. Além disso, um número ainda incerto de camponeses que viviam na região foi recrutado para lutar ao lado dos guerrilheiros, enquanto outros tantos foram detidos e torturados por militares em busca de informações.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics