29 de julho de 2012

Seca obriga Exército a procurar água em fontes mais distantes

Seca obriga Exército a procurar água em fontes mais distantes

FÁBIO GUIBU DE RECIFE
DANIEL CARVALHO DE SÃO PAULO

A redução do nível dos reservatórios de água provocada pela estiagem que atinge o Nordeste desde o início do ano forçou o Exército a alterar o trajeto dos carros-pipa em busca de novas fontes.
O colapso dos mananciais forçou os militares a criar novas rotas em cerca de 200 dos 680 municípios afetados. Neles, segundo o Comando Militar do Nordeste, a distância percorrida pelos carros-pipa aumentou cerca de 50 km.
A perspectiva de a seca persistir até o final do ano preocupa o Exército, que controla 3.719 carros-pipa, responsáveis pelo fornecimento de água a 3 milhões de pessoas no Nordeste e norte de Minas.
A seca levou a União a reconhecer o estado de emergência em 1.220 municípios. Lavouras e rebanhos se perderam, e a redução do nível das barragens levou dezenas de cidades a racionar água.
Em Pernambuco, onde 117 dos 185 municípios estão em estado de emergência, 22 de 100 reservatórios monitorados já estão desativados, e 36 estão com menos de 50% da capacidade de armazenagem.
No Ceará, com 178 dos 184 municípios em situação de emergência, o abastecimento nas sedes de dois municípios e dois distritos entrou em colapso. O Estado estima que até o fim do ano outros 13 centros urbanos ficarão sem água.
No campo, 93 municípios já são atendidos pelo Exército. O governo estadual deve passar a atender, até o próximo mês, mais 77. Pequenos mananciais secaram ou não têm mais condições de uso.
Em Alagoas, 22 dos maiores reservatórios do Estado estão, em média, com 30% de suas reservas. Na zona rural, barragens menores não têm mais serventia. A pouca água que restou tornou-se salobra, imprópria para consumo. O Estado diz que vai captar água do rio São Francisco.
Ainda em agosto, dez bombas movidas a diesel devem ser adquiridas pelo Estado para a captação. Em Alagoas, 186 caminhões-pipa abastecem 936 comunidades.
O Exército informou que o Ministério da Integração Nacional já investiu R$ 184,5 milhões na Operação Carro-Pipa. Ainda segundo o Exército, a troca de mananciais para abastecer carros-pipa ocorreu em outras secas, mas que neste ano a situação é pior.
Em Caridade (CE), o motorista de carro-pipa Izidório Mesquita Júnior faz até cinco viagens por dia. Ele acompanha a distribuição de água há mais de dez anos, mas que esta é "a pior seca" que já viu.
Folha/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics