5 de outubro de 2010

TENENTE CORONEL DO EXÉRCITO É ACUSADO DE PROMOVER ORGIAS COM SOLDADOS E TIRA FOTOS VESTIDO DE MULHER!


Orgias e assédio sexual dentro do exército brasileiro. No centro da polêmica está um coronel do exército, comandante do hospital do exército em Marabá, no Pará. Segundo as denúncias, a praia do Lençol, em Marabá, no Pará é um dos lugares em que o tenente coronel Alberto Almeida promovia encontros sexuais com recrutas. Em troca, os soldados garantiriam a seqüência na carreira. O tenente coronel também foi acusado de promover festas que eram usadas para seduzir os soldados novatos.
R7
Comento:
O assunto não é novo.
Em 21 de maio deste ano publiquei este post aqui no blog:

ASSÉDIO SEXUAL E MORAL EM MARABÁ?

Corre como rastilho de pólvora pela web a matéria publicada pelo jornal O Liberal, de Belém do Pará, sobre a denúncia da ex-3º Sargento Rubenice de Nazaré Dias Martins, do Hospiltal Miliar de Marabá.
Ela afirma que foi perseguida, injustiçada e demitida do Exército após denunciar assédio sexual cometido por militares do hospital.
A matéria cita, nominalmente, vários militares e descreve situações que, se confirmadas, são realmente degradantes.
O Comando da 23ª Brigada de Infantaria de Selva de Marabá limitou-se a divulgar nota afirmando que "não foi notificado ou informado acerca do assunto por qualquer órgão ou instituição a quem caiba apurar ou atestar a veracidade dos fatos narrados pela ex-militar", deixando a apuração para as unidades subordinadas. Leia a notícia aqui
A notícia é do dia 3/5 e leitores do Blog repassaram a matéria, pedindo sua publicação. Porém, o editor tratará o assunto com a prudência devida, pois, muitas vezes, denúncias como essa  servem para mascarar motivações duvidosas.
 Pergunto:
- Como a instituição Exército Brasileiro deixou a situação chegar nesse ponto?
- O que justifica a falta de disposição em apurar a fundo as denúncias, o que resultou no arquivamento do processo?
- Com se explica um corporativismo vergonhoso como esse?
Lamentável!

5 comentários:

Anônimo disse...

eu sou Paraense e me envergonho que uma pessoa com tão alta patente como esse tenente Alberto Almeida que usava de seu poder e autoridade pra abusar e forçar seus soldaddos a fazerem sexo com ele! isso é um absurdo! esse tenente tem que ser punido com a cadeia! prisão perpetua nesse tenente canalha! Marcos Punch.

Anônimo disse...

isso prova perseguiçoes sofridas pelos oficiais do exercito contra praças e ninguem fas nada porque o exercito e de oficiais mas quem leva o exercito somos nos sd cb sgt nossos politicos deverian olhar para essas injustiças que por mas tempo que passa parece que ainda estamos no tempo da escravidao

Anônimo disse...

Inicialmente, vinha acompanhando o caso, pelos noticiários, inclusive nesse espaço do Blog, com certa cautela, haja vista, ser militar da reserva e conhecer as nuances da vida na caserna. Chegeui a pensar, inclusive, que as acusações de outrora, fossem espécie de revanchismo, daqueles que prestam depoimentos, e, dão sua versão unilateralmente ao caso, impossibilitando um juizo mais apurado.
Entretanto, com essa matéria veiculada pela tv, ora no blog, passo acreditar que os fatos são de natureza gravíssima, com quebra de Hierarquia, disciplina e o decoro da classe.
Desse modo, a imagem da instituição não pode sofrer "arranhões" por atos descabidos de seus integrantes. Assim, como militar do EB, onde passei por mais de 30 anos, nas fileiras do serviço ativo, sinto-me preocupado com a forma, banalizada, que as autoridades competentes para o caso, não tomaram uma providência terminativa, permitindo, que o caso continue dando IBOPE a quem não interessa e denegrindo a imagem da instituição, ainda, de maior credibilidade desse País, ou seja, as Forças Armadas.
Saliente-se, entretanto, que não quero aqui nesse espaço fazer juizo da opção sexual de ninguém, porém, o caso se reveste de cuidado especial, haja vista, a quebra da hieraquia, a disciplina e o decoro da classe. Que tempos bons que já passaram, meus amigos. Vítor Soares Ferreira - 2º Ten QAO - Hoje no exercício da advocacia - Natal, RN.

Anônimo disse...

Uns comentam sem nem saber do que se trata de verdade, outro, que se diz militar da reserva, fala até com propriedade, mas nao viveu ofato, vale-se apenas de noticiários tendenciosos da televisao, que monta um cenário que nos dá a entender que a chorosa Sgt Rubenice é uma grande vítima. O fato é que, para mim que conviveu com a maioria dos envolvidos, pode afirmar que o Ten Cel apesar de seu lado homossexual, nao perseguia ninguém, quase todos os soldados que participavam das festas, voluntariamente, díga-se de passagem, almejavam aguma vantagem ou favorecimento, como isso nao ocorreu em alguns casos, tentaram ou tentam se passar por vítimas. Quanto a Sgt Temporário Rubenice, nao era flor que se cheirasse. Transgrediu o regulamento, quebrou todas as cadeias de comando para denunciar o Ten Cel com denúncias vazias e se ferrou, terminou o tempo de seu contrato anual com o Exército e foi licenciada, não foi renovado o referido contrato, que seria por mais um ano. O mesmo acontece com centenas de militares temporários em todas Unidades Militares de todo o brasil, ao témino do contrato anual, o Exército só renova se houver interesse da força. Nao houve perseguiçao alguma. Existe sim, uma senhora ( a Ex Sgt Temp), querendo os seus 5 min de fama na mídia, alegando ser a Hobin Wood, versão feminina. Ressalto que conheço quase todos os envolvidos, porém, nao sou amigo íntimo de nenhum. Me manifestei apenas pq cansei do ouvir bobagem. S Ten

Anônimo disse...

Eu servi o exercito no 52 BIS em maraba em 1996 e nesse periodo aprendi muitas coisas boa pois ainda existe oficias de moral e respeito que tratam serio o negocio pena que tem uma pequena minoria que mancha o nome dessa grandiosa corporaçao que dedicam suas vida em defesa da patria .

Arquivo do blog