30 de setembro de 2012

Rajadas de vento dificultam pouso e paraquedistas do Exército sofrem acidentes em Manaus

Militares se ferem durante pouso de paraquedas em Manaus
Um dos paraquedistas fraturou o braço e foi levado ao Hospital Militar.
Rajadas de vento foram a causa do acidente, segundo coronel Pacheco.
Um dos militares ficou com o braço ferido e foi encaminhado a uma unidade do Samu (Foto: Reprodução/TV Amazonas)
Um dos militares ficou com o braço ferido e foi encaminhado a uma unidade do Samu (Foto: Reprodução/TV Amazonas)
Girlene Medeiros
Três militares sofreram acidente durante a comemoração do Dia dos Paraquedistas Militares realizado na manhã deste sábado (29), no 1º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), Zona Oeste de Manaus. Um dos paraquedistas fraturou o ombro e os demais militares caíram fora da pista de pouso programada.
Segundo o coordenador do encontro dos paraquedistas, coronel Fernando Pacheco, rajadas de ventos foram a causa do acidente. "A zona de lançamento dos paraquedas é o campo de futebol do 1º Bis. Em virtude de uma rajada de vento fora das nossas perspectivas que alguns paraquedistas tiveram o pouso modificados, mas todos os saltadores estão em segurança. Apenas um deles teve uma distensão na coxa, mas já está bem. Não podemos prever as rajadas ocasionais", assegurou.
De acordo com o coronel, o paraquedista que machucou o ombro foi levado para o Hospital Militar de Área de Manaus, na Zona Sul da capital, e passa bem. "O primeiro paraquedista caiu fora da área de pouso, perto da Receita Federal, que é uma área com algumas edificações. Os outros dois pousaram na pista de tentáculo militar junto ao batalhão", afirmou.

Dia do paraquedista militar
Apesar do susto, cerca de 300 militares participaram da sétima edição do encontro. Desses, 15 paraquedistas realizaram o salto que é feito a 2.700 metros de altura. Durante os 15 segundos de queda livre, a velocidade pode ultrapassar 180 km/h.
A festa é realizada no dia 29 de setembro, data comemorativa ao padroeiro dos paraquedistas, São Miguel Arcanjo. No encontro, houve demonstrações de salto livre com a presença do paraquedista mais antigo de Manaus, o general Guilherme Theophilo, comandante da 12ª Região Militar.
G1 AM/montedo.com

Um comentário:

Mujahdin Cucaracha disse...

Certamente, onde o jornalista entendeu "tentáculo militar", o coronel deve ter falado "pentatlo militar"!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics