24 de abril de 2015

Recruta do Exército forjou desaparecimento para escapar de acampamento.

São Pedro do Sul
Jovem que forjou desaparecimento não queria ir para o quartel
Jardel Lima Duarte contou que só se alistou pois era sua obrigação
Jovem que forjou desaparecimento não queria ir para o quartel Facebook/Reprodução
Foto: Facebook / Reprodução
Mariana Fontana
mariana.fontana@diariosm.com.br
O jovem Jardel Lima Duarte, de 19 anos, que desapareceu na última terça-feira e foi encontrado na noite de quinta, contou à reportagem que forjou o próprio desaparecimento.
Duarte tinha medo de ir para o período básico, o chamado "campo", do qual participaria nesta semana pelo 29º Batalhão de Infantaria Blindada (29º BIB) e resolveu fugir do quartel.
O jovem entrou para o Exército no dia 1º de março e permaneceu no internato básico inicial até o dia 20 do mesmo mês. Segundo ele, foi um período bastante difícil e ele não estava se adaptando:
— Se alguém fazia alguma coisa errada, todos do batalhão eram obrigados a pagar — conta.
O jovem contou que nunca quis entrar para o quartel, mas que se alistou pois era sua obrigação. Desde que começou, já pensava em uma forma de fugir, pois sabia que aquele tipo de serviço não era pra ele.
Duarte estava de serviço no período de sexta-feira para sábado. Ele foi liberado no sábado pela manhã e viajou até o município de São Pedro do Sul para ficar com a família. Na segunda-feira, ele e a irmã vieram a Santa Maria para comprar os itens básicos para levar para o "campo", como lanterna, cordas, potes de comida e objetos de higiene pessoal.
Na terça-feira, Duarte precisava se apresentar às 17h no 29º BIB. Mas, ao invés de pegar o ônibus de São Pedro do Sul para Santa Maria, ele seguiu a pé em direção a Dilermando de Aguiar e retornou a São Pedro do Sul por volta das 21h. Ele se escondeu em um pavilhão abandonado, que fica aos fundos de sua casa. No local, Duarte permaneceu até às 16h de quarta-feira.
— Eu fiz do meu casaco a minha cama e da toalha de banho o cobertor. E as pessoas me ligavam, mas eu não atendia o celular. Fiquei com medo de voltar pra casa e pro quartel, e pensei até em me matar. Eu nunca quis ir para o quartel — conta ele.
Duarte passou a noite de quarta para quinta-feira embaixo de uma árvore, próximo ao local onde já estava. No início da noite de quinta-feira, resolveu ir até o mercado, que ficava próximo ao terreno onde estava, para comprar alimentos. Na volta, foi surpreendido pela Brigada Militar da cidade. O jovem foi encaminhado para a delegacia, onde prestou esclarecimentos, e retornou para casa. No local, Duarte recebeu atendimento de uma psicóloga.
Na manhã desta sexta-feira, ele esteve no quartel e vai passar por exames e acompanhamento médico a partir de segunda-feira. Ele deve permanecer no quartel após o tratamento.
Segundo o jovem, o Exército só prevê punição caso o militar passe mais de oito dias afastado do quartel sem aviso prévio.
DIÁRIO DE SANTA MARIA/montedo.com

19 comentários:

Anônimo disse...

"Segundo o jovem, o Exército só prevê punição caso o militar passe mais de oito dias afastado do quartel sem aviso prévio." Qual é esse Exército que eu quero me alistar?

Anônimo disse...

Isso que hoje em dia ser EV é uma barbada...

Anônimo disse...

Já sabe mentir, agora é só se filiar ao PT.

Anônimo disse...

Fácil resolver isso, profissionalizar os soldados. Acabar com serviço militar obrigatório que só serve de mão de obra barata, principalmente para o EB, chega a ser desumano o tratamento dado aos recrutas e soldados, principalmente em relação à escala de serviço, que muitas vezes além de ser dois por um, ainda o cidadão tem que cumprir expediente após sair do serviço de escala.

Anônimo disse...

Claro que lá as vezes acontecem excessos, serviço até 1 x 1 e o oficial ainda autoriza a licença de cara feia. Essa situação para os 8 dias ausente já é para o caso do termo de deserção, mas o militar pode ser punido por bem menos. Eu mesmo fui punido na Marinha algumas vezes por chegar 10, 15 minutos atrasado. Mas Forças Armadas ainda é lugar para macho! O cara se esconder de uma tarefa rotineira no Exército já é para ele pedir logo baixa. Realmente não é a praia dele!

Anônimo disse...

MEU AMIGO ANÔNIMO, PROFISSIONALISMO! VOCE QUER MATAR A GALINHA DOS OVOS DE OURO?

Anônimo disse...

Se não fosse o ex-ministro da defesa Nelso Jobim, os recrutas e alunos das escolas de formação de sargentos do exército estariam recebendo menos da metade do salário mínimo até os dias de hoje, como ocorria nos anos 90 até o ano de 2007. Eta mão de obra barata e sem direitos trabalhistas! Nas FA tudo é realizado na obscuridade.

Anônimo disse...

O recruta está certo, porque os filhinhos de juízes, desembargadores, médicos, advogados, promotores da justiça militar, juiz auditor, empresários, generais etc., não são obrigados a servir ao Exército ou outra força como soldado recruta???

Fala sério, só filho de pobre lascado que entra voluntariamente ou obrigado mesmo, pois os pais não tem peso social algum.

Anônimo disse...

A verdade é que nem os militares de carreira acreditam na força...imagina um EV? Os que mais reclamam são os sargentos, to fazendo o CAS, pense numa choradeira desses praças!!!kkkkkk

Anônimo disse...

Punir este soldado por ESTAR OBRIGADO A SERVIR é fácil, quero ver punir Tenente de carreira que falsifica assinatura do OD em notas de empenho.
A notícia abaixo deu a entender que a justiça iria funcionar,porém este mesmo Tenente que foi "condenado" temporariamente, já está solicitando promoção a capitão por ter sido absolvido da condenação.
20 de fevereiro de 2012
Tenente do Exército é condenado por desvio de dinheiro público
Na sessão dessa quinta-feira (16), o Superior Tribunal Militar (STM) aumentou a pena do primeiro tenente do Exército R.L.R.B para dois anos, nove meses e dez dias de reclusão, por ter desviado cerca de R$ 78 mil, por intermédio do SIAFI, programa do governo federal que gerencia os recursos públicos.

Anônimo disse...

Ainda há gente inteligente na terra...Parabéns pelas colocações..

1) Anônimo Anônimo disse...
Fácil resolver isso, profissionalizar os soldados. Acabar com serviço militar obrigatório ....

2) Anônimo Anônimo disse...
Fácil resolver isso, profissionalizar os soldados. Acabar com serviço militar obrigatório que só serve de mão de obra barata...

Anônimo disse...

SÓ TEM UMA SOLUÇÃO PROFISSIONALIZA GERAL, CONCURSO PRA TODO MUNDO, INCLUSIVE SOLDADO. NÃO TENHO NADA CONTRA TEMPORÁRIOS, MAS HOJE EM DIA MUITOS DELES ESTÃO ENTRANDO NA JUSTIÇA PARA PERMANECER NA FORÇA SEM CONCURSO...

3º Sgt QE R/1 PERIVALDO - voltei disse...

- Já passou da hora do serviço militar ser obrigatório - e também de votação eleitoral política obrigatória.
Afinal, vivemos num país democrático e isso está sendo uma imposição.

Serviço militar, ainda como soldado, teria que entrar mediante concursos públicos, formar, preparar e pagar melhor ao soldado e ofercer a ele uma carreira decente, começando como soldado mesmo e acabar com concursos envolvendo civis para sargentos de carreira - somente aos soldados especializados dentro da Força, que prestaram concursos. Aí sim, seria justo.

Votação em políticos - eles, políticos teriam que conquistar o voto do cidadão e proibir de irem votar, as pessoas que recebem os auxílios esmolas do governo, ignorantes e sem instrução.

EIS O QUE ESTÁ ACONTECENDO NO PAÍS HOJE!!!! CONSEQUENCIA da Ignorância de boa parte do povo.

airton disse...

Profissionalismo, tem o lado bom e o lado ruim, creio que o nosso sistema ainda é o melhor, tendo em vista que exércitos adotaram o profissionalismo e estão voltando para o serviço militar obrigatório. Como experiência de vida, quando servia na fronteira oeste várias vezes estive visitando quartel do exército no Uruguai e lá o regime é o profissional, muitas vezes vi o guarda da hora no portão das armas, sendo um senhor de mais de quarenta anos com um fuzil em bandoleira, mal podendo ficar em pé, muitas vezes sentado em uma cadeira para poder suportar as duas horas de turno. Com todos os problemas vivenciados, o nosso sistema ainda é o melhor.

Ten Reis disse...

Assim como alguns colegas disseram acima, sou totalmente a favor do término do serviço militar obrigatório. Essa conversa de que "precisamos formas nossa reserva" é pura balela, pois se acontecer uma mobilização todos os convocados terão que ser treinados novamente pois as doutrinas mudam, ou seja estaremos gastando duas vezes para a mesma finalidade. E cá para nós, hoje as FAs não precisam de quantidade e sim de qualidade. Precisamos realmente de Forças Armadas profissionais em todos os postos e graduações e não do amadorismo que vivemos hoje.

Anônimo disse...

Na Argentina, se não me engano, profissionalizou em 1993, inclusive com segmento feminino em com e saúde. Reduziu gastos e melhorou operacionalidade. Chega de ser mais mão amiga do que braço forte. Tem ministérios que não fazem sua parte e no sufoco utilizam nossa mão de obra barata, principalmente em obras e calamidade.

Anônimo disse...

Aqui na ESAO é a mesma coisa, capitão dando o golpe e sendo punido. O golpe é válido, mas se descoberto tem que pagar. A diferença é que o SD EV está prestando o serviço militar obrigatório! Exército Brasileiro
Ass: Capitão moita

Anônimo disse...

Não faz parte do assunto, mas é importante, entrem so site do pros: www.pros.org.br e votem a favor ou contra a maioridade penal. fiz minha parte.

Anônimo disse...

Quem não nasceu para a vida militar, é melhor não ser obrigado a servir. Nem todos reúnem condições psicológicas e cívicas para servir à pátria, melhor ele sair agora do que numa guerra, por pura covardia, deixar morrer um companheiro.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics