14 de abril de 2015

Sargento da marinha do Chile morre baleado durante manifestação no Haiti.



Rodrigo Andrés Sanhueza Soto
(Ministério da Defesa/Chile)
Santiago do Chile, 13 abr (EFE).- Um sargento da marinha do Chile que fazia parte da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreu baleado nesta segunda-feira durante uma manifestação no país caribenho, informou o Ministério da Defesa chileno. Segundo um comunicado oficial, o incidente ocorreu hoje quando Rodrigo Andrés Sanhueza Soto se deslocava em um veículo no setor de Ouanaminthe, junto a outros militares, que, após enfrentar uma manifestação, "receberam disparos de armas de fogo, com um projétil atingindo o sargento". A nota acrescentou que Soto, que estava prestando serviços como parte do Batalhão Chile na Minustah, foi levado às instalações do batalhão uruguaio onde recebeu os primeiros socorros, mas morreu logo em seguida. Para o esclarecimento dos fatos, o Ministério da Defesa do Chile solicitou uma investigação administrativa e designou um oficial, general do Estado-Maior Conjunto, que viajará para o Haiti na terça-feira. Soto era casado e pai de dois 2 filhos, de dez e três anos de idade, segundo o comunicado. R7/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Todos os Capacetes Azuis lamentam a sua morte prematura e trágica, mas a luta pela segurança e estabilização do Haiti não para e não se abala... apenas se fortalece.

Anônimo disse...

Meus pêsames ao familiares e amigos, morreu um jovem por uma causa inútil, que não é dele, que não existe forma de solucionar. Mais de dez anos o Brasil está no Haiti, gastos milionários, dívidas também e, até o momento, sem solução. E os brasileiros convivendo com armamentos de guerra do crime organizado. Como diz o velho ditado, farinha pouca, meu pirão primeiro, puro interesse pessoal, mascarado de valores humanitários.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics