31 de maio de 2012

Tropas de elite das Forças Armadas atuarão em contraterrorismo na Rio+20

Brigada de Operações Especiais do Exército e Para-Sar, da Aeronáutica, homens mais preparados de suas Forças, são especialistas em guerra irregular


Raphael Gomide


Foto: Reprodução da internet - Forças Especiais do Exército 
em exercício.  Eles atuarão no contraterrorismo na Rio+20
As tropas de elite do Exército e Aeronáutica e o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais, da PM) vão atuar durante a Rio+20 (Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável), com foco no contraterrorismo.
Entre as 15 mil pessoas – 8 mil militares e 7 mil policiais militares, civis, federais e rodoviários federais – estarão os homens mais bem preparados entre as fileiras das Forças Armadas, prontos para ser empregados em eventuais situações de crise durante a conferência.
A Brigada de Operações Especiais do Exército, sediada em Goiânia (GO), enviará ao Rio um contingente – não informado – de militares. Trata-se da tropa mais adestrada do Exército Brasileiro, especializada em planejamento e execução de operações de guerra irregular e contraterrorismo. Entre esses homens, estão atiradores de precisão (snipers, ou “caçadores”) que ficarão em pontos dominantes na cidade.
Desde o início da Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti), um destacamento de Forças Especiais integra o Batalhão Brasileiro no Haiti.
Foto: Reprodução da internet
Forças Especiais terão snipers à disposição na Rio+20
O Para-Sar (Esquadrao Aéreo-Terrestre de Salvamento) é a tropa mais especializada da Aeronáutica, peritos em Operações Especiais, com 48 anos de história.
Segundo a Força, estão prontos para combater e fazer missões de resgate e ataque em qualquer tipo de terreno e situação. Os militares tem, entre suas habilidade, o paraquedismo, montanhismo, mergulho e guerra na selva, sendo capazes, ainda de manusear armamentos e explosivos diferentes.
Além dos Forças Especiais do Exército e da Aeronáutica, os fuzileiros navais da Marinha – tropa de infantaria correspondente aos paraquedistas, na Força terrestre – atuará na segurança permanente da cidade, policiando vias de acesso expressas, como as linhas Vermelha e Amarela, Avenida Brasil e Aterro do Flamengo.
Toda a segurança do evento da ONU (Organização das Nações Unidas), que reunirá mais de 100 chefes de Estado e de governo, ficará sob a coordenação do comandante militar do Leste, general Adriano Pereira Júnior, do Exército.
último segundo/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics