28 de maio de 2011

REAJUSTE DOS MILITARES: DILMA REPETE LULA E VAI ESCALONAR AUMENTOS ENTRE 2012 E 2014

Reajuste para Forças Armadas será escalonado entre 2012 e 2014

MARCO AURÉLIO REIS
O governo Dilma Rousseff discute internamente reajuste para praças e oficiais das Forças Armadas. Os estudos relativos ao aumento estão sendo preparados para o anúncio vir logo depois do descontigenciamento do Orçamento, agora apertado pelo galope da inflação deste início de ano. “Dilma ouviu do Lula o conselho que o melhor é apresentar um reajuste escalonado para período entre 2012 e 2014. E ela já sinalizou que vai segui-lo”, revela um oficial .
Com a estratégia do aumento em parcelas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tirou da agenda política os protestos de mulheres de militares que, com panelaços e apitaços, conseguiram chamar a atenção da sociedade para os valores dos soldos dos quartéis, bem abaixo dos salários pagos, por exemplo, aos policiais federais.
“Na fronteira, militares das Forças Armadas e policiais federais atuam em parceria. Correm os mesmos riscos e cumprem funções semelhantes”, completa o oficial, destacando esse ser um dos argumentos mais aceitos contra o abismo salarial entre as duas categorias.
Esse mesmo oficial lembra que para este ano está na fila o pagamento da dívida de 28,86%, devida a praças e oficiais até major. “Depende apenas do fim do aperto orçamentário”, conta.

DIREITO RECONHECIDO
A diferença da vantagem de até 28,86% se arrasta desde o governo Itamar Franco. Ela está garantida por decisão do Supremo Tribunal Federal e pela Súmula 47 da Advocacia Geral da União. O indicativo é incorporar percentuais devidos aos soldos, mas o aperto no orçamento atrapalhou os planos.

LIÇÃO DE LULA
A ideia do reajuste escalonado surgiu em 2007 no governo Lula. Iniciado em janeiro 2008, o pagamento foi concluído no ano passado. O maior vencimento ( almirante-de-esquadra) foi a R$ 8.330.

136% MENOR
Os R$ 8.330 de soldo pagos aos almirantes-de-esquadra e seus pares no Exército e Aeronáutica são 136% inferiores aos R$ 19.699,82 que recebem merecidamente delegados e peritos no topo da carreira na Polícia Federal.

VOZ ÀS MULHERES
A diferença salarial faz Ivone Luzardo, líder do movimento das mulheres de militares, dizer que o reajuste em estudo não pode ser minguado. “Não aceitaremos novo cala-boca. Hoje os soldos de nossos maridos são inferiores, inclusive, aos dos PMs de Brasília”, protesta.

CORDA NO PESCOÇO 
Ivone antecipou à Coluna que o movimento das mulheres já se organiza para voltar a pedir nas ruas um aumento adequado: “Espero só que não demore. Estamos todos com a corda no pescoço”.
O DIA ON LINE

5 comentários:

Jose disse...

Para que reajuste de militares, se os políticoas que nos representam tão bem, já foram regiamente reajustados?Só ironizando mesmo!!!

Anônimo disse...

Eu só acredito quando aparecer na conta!!! situação deplorável a dos cadetes da AMAN.

Anônimo disse...

É vergonhoso saber que depois de 8 anos de formação para se tornar Oficial de Marinha, você tem q ficar implorando uma migalha de soldo e que os Oficiais Generais que deviriam fazer algo pela instituição nada fazem, pois, já possui 30% incorporado ao seu soldo pelo ad temp serv e ainda se esbaldas das oportunidades "miseráveis"que recebem pelo cargo para viverem de Rainha Elizabeth nas FFAA. Muito Obrigado! CM, CE e CA. vocês nào lutam por aqueles que um dia foram.

Abdiel disse...

O Orgulho de pertencer as forças armada, esta se transformando em vergonha. Algo precisa ser feito urgente, não podemos somente esperar acontecer, temos que nus anteciparmos aos fatos, para que realmente a justiça seja feita. A nossa união e funtamental para os nossos objetivos sairem do papel para nossa conta corrente.
Ass. Revoltado

Sgt Pereira disse...

Vamos nos organizar para o sete de setembro. Uma manifestação, panelaço, sei lá... mas temos que demonstrar a situação. O sete de setembro é a melhor data. Depois disso outra saída vai ser fazer o governo passar vergonha com manifestações na copa e nas olimpíadas. Vamos nos mexer!

Arquivo do blog

Real Time Web Analytics