14 de junho de 2015

Exército cria para sargentos e subtenentes cargo de Adjunto de Comando, novo elo com a tropa

Exército que reforçar ligação do comando com a tropa
Dia do Exército
O Exército brasileiro lançou-se em uma experiência inédita: criar o cargo de Adjunto do Comando, para distinguir o subtenente ou o 1º sargento que, por meio de sua destacada liderança, reconhecida competência e perfeita conduta pessoal, seja capaz de representar um elo a mais entre o comando de sua unidade e a tropa.
A Portaria Nº 103, assinada pelo chefe do Estado-Maior do Exército, general Sergio Westphalen Etchegoyen, a 22 de maio último, aprovou “a Diretriz de Implantação, em caráter experimental, do Projeto de Criação do Cargo de Adjunto de Comando”.
A novidade será materializada através de projeto piloto a ser implantado em cinco unidades: na 4ª Brigada de Infantaria Motorizada (Juiz de Fora – MG), na 10ª Brigada de Infantaria Motorizada(Recife – PE), na 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Boa Vista-RR), na 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (Dourados – MS) e na 6ª Brigada de Infantaria Blindada (Santa Maria – RS).
De acordo com a Diretriz de Implantação, a criação do cargo “terá alta prioridade para o Estado-Maior do Exército”.

Projeto piloto será implantado em unidades de Minas Gerais, Roraima, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul
tropa exercito brasileiro
O Adjunto de Comando terá como atribuições: (a) ser divulgador da Ética e dos Valores Militares, (b) ser fortalecedor dos padrões do Comportamento Militar, (d) ser um facilitador da comunicação entre o Comando e as praças, (e) ser divulgador da missão e da visão da Unidade e dos conceitos do Comando, e (e) assessorar o Comando em assuntos disciplinares, de instrução e do bem-estar, incluindo o da Família Militar.
Do Adjunto será exigida a capacidade de se comunicar com clareza e, principalmente, a aptidão para ouvir as reivindicações e considerações dos subordinados. Em contrapartida, o sargento ou subtenente escolhido para o cargo de Adjunto terá, nessa designação, uma oportunidade de valorizar sua folha de serviços .
Um comunicado da Agência Verde-Oliva divulgado nesta sexta-feira (12.06) pelo portal do Comando do Exército esclarece: o cargo de Adjunto de Comando “não representará uma mera distinção, e sim uma missão” no âmbito do amplo processo de transformação que a força terrestre brasileira vem experimentando.
ForteJor/montedo.com

84 comentários:

Anônimo disse...

Valeu EB, nas reuniões de estado maior o Adjunto do Comando vai falar sobre qual assunto ? Como anda a moral da tropa, como os Sgt estão infelizes com seus salários, que não tem vaga no colégio militar. Vamos falar sério Sargentos: por favor não se dêem o trabalho de sair de sua nova sala para falar assuntos que nem você é nem ninguém tem a solução. Pode continuar a ler a resenha e o site do montedo em sua sala.

Anônimo disse...

Adivinhem quem vai folgar na escala de serviço dos fins de semana!

Anônimo disse...

kkkkkk.....
valorizar o bolso do praça nada, né!!!
kkkk....
só me resta rir
mais uma intubação
menos um trabalho aos atribulados e soberbados semideuses !!!
kkkk...

Anônimo disse...

Nooossa!!! Os caras irão dar o sangue (não o deles) para alcançarem o status de "adjunto ao comando", já até imagino os candidatos, quem pensar que isso é valorização do mérito tá muito iludido. Apenas 01 UM 1º Sgt ou Sten pela saco terá a honra(?) de ser o ADJ ao CMDO em cada OM, o acesso ao cmt pelos praças vai ficar mais restrito e distante dificultando a comunicação e a solução de certos problemas, e este adj ao cmdo terá de ser alinhadinho e caladinho com todas as ideias e decisões do cmdo.

Christian Bernhardt disse...

Ótima iniciativa, similar ao que já ocorre no Exército Americano...

Como sonhei com isso nos meus tempos de ativa...

Anônimo disse...

Já estou até vendo como vai ser:
- Sub Fulano, você viu o Sgt Beltrano na OM?
- Vi sim, Cel. Falei com ele hoje depois da formatura, pois ele, não sei por quê, ainda estava no alojamento trocando de roupa...

SG FN MO disse...

No Corpo de Fuzileiros Navais, já existe este cargo, é chamado de SUB-OFICIAL MOR. Tem acesso direto ao Comandante da OM.

Anônimo disse...

Valorização dos graduados, como aconteceu com as sindicâncias agora talvez seja nos dado a honra de conduzir IPMs. E no mundo real a vida continua.

Anônimo disse...

Não há como não encarar essa proposta como uma forma de institucionalizar o cargo "puxa-saco do comandante". Como milico gosta dessas coisas... Tô prá ver!!!

S Ten Marcos Pinto disse...

Comentários negativos de praças reclamões e revoltadinhos com a vida iniciando em 3... 2... 1 ...

P.S. 99% das postagens desse tópico vai reclamar de salário também ...

Anônimo disse...

Agora que ferrou mesmo, querem colocar uma praça, geralmente será um puxa saco que ainda acredita no sistema, para tentar disciplinar, calar a voz da tropa. Eles acham que por ser praça esse militar terá maior poder de dissuasão perante os demais. Na minha opinião, que estou em final de carreira, com certeza não vai dar certo e digo pq, os militares mais jovens tem um nível de estudo bem maior que os velhos dinossauros e em consequência a grande maioria já tem uma opinião formada e conhecimento do que se passa dentro da força até pela facilidade de mecanismos de informação disponibilizados na mídia, sabem das falcatruas, das safadezas, dos favorecimentos e tbm do descaso que vem do Forte Apache. Então senhores aquela técnica antiga de tentar colocar o gado velho na testa com a intenção de calar a boca, doutrinar e disciplinar por um falso exemplo, dessa vez não vai colar. Os mais novos estudam para concurso, os mais velhos querem sair fora, sobra um parte de puxa sacos que assim o fazem pq estão se dando bem na força, com comissões, promoções e transferências VIPS, mas é um número pequeno e é dai que vão sair esses Adjunto Comando. Concluído, será mais um para fazer o leva e trás entre o Comando e a Tropa.

Anônimo disse...

Mais uma "rolha" para engabelar os praças. Distintivos dourados, brevês dourados, denominação para 'STen', sindicantes, adjunto do Comando, enfim, essas são as soluções q os nossos "visionários" chefes enxergam como prioritárias.
Das duas uma: ou o nosso pessoal (praças) é ingênuo demais para embalar nesse factoide, e, assim, dar-se por satisfeitos (falso reconhecimento); ou nossos chefes são "criativos" demais, criando subterfúgios q nada acrescentam de real. O primeiro subestima eqto q o segundo denota cegueira.
Maj QCO Leonardo

S Ten Douglas disse...

Até que enfim um General, teve a brilhante iniciativa de fazer o que em alguns países do mundo já existe há muito tempo. É sabido que no Exército o elo entre o Comando e a tropa é o praça, pois os Oficiais tem outras preocupações e muita das vezes os anseios da tropa ficam em último plano. Tenho a convicção que dará muito certo, só não pode acontecer com o "escolhido", é que o cargo, digo missão, lhe suba a cabeça, ele deve se lembrar de onde veio, ele é praça e como tal deve zelar e respeitar a classe.

Anônimo disse...

PORTARIA Nº 142, DE 13 DE MARÇO DE 2013
do Cmt Ex.
.......
IV - a transformação:

a) da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada em
4ª Brigada de Infantaria Leve (Montanha)
.................
Art. 5º Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação.

Art. 6º Revogar a Portaria do Comandante do Exército nº 554, de 24 de julho de 2012, que cria e ativa o Núcleo da Diretoria de Gestão Especial.

Anônimo disse...

Daqui a pouco, chove críticas, os Leões de alojamento não perdoam

Anônimo disse...

Tudo que foi citado já fazemos desde que saímos da Escola.

"Sargento: elo fundamental entre o Comando e a Tropa"

Creio que maior propósito é acabar com promoção de QAO. Pode até acabar, mais de nos de uma valorização financeira.

Anônimo disse...

Para que criar um cargo e ficar solicitando voluntários para serem adjunto de comando se nós já temos militares capacitados com o curso de Sergeant-Major? Para quem não sabe esse curso é realizado nos Estados Unidos e é voltado para os Sargentos exercerem a função de auxiliar de comando naquele Exército.
Não seria mais viável utilizarem os militares possuidores desse curso para serem Adjunto de Comando? Pois muitos dele estão empregados como encarregado de material, não que seja demérito ser encarregado de material, mas esses militares poderiam ser empregados em funções condizente como curso que eles fizeram.

deneir caldeira disse...

Do jeito que anda a coisas na caserna , principalmente a parte financeira da tropa e desestímulo , ninguém vai querer assumir essa função. É a chamada "boca podre".

Anônimo disse...

Que lindo.

Anônimo disse...

LIÇÕES NÃO APRENDIDAS.

Lembrete:

As diferenças entre o líder e o chefe

http://obutecodanet.ig.com.br/index.php/2015/06/12/as-diferencas-entre-o-lider-e-o-chefe/

Vamos observar !

Anônimo disse...

=> Convocação - Assista o vídeo. Repasse. Se ajude.

http://www.militaresbrasil.com/2015/06/12062015-convocacao-geral-30-junho.html

Anônimo disse...

Sindicância, participar da Guarda à Bandeira, CHQAO e agora Sargento Adjunto. Isso é chamado de "valorizar o praça". E depois sou obrigado a ouvir o General comandante da RM dizer que nós devemos confiar nos nossos chefes, já que eles estão buscando o melhor para a tropa.

Anônimo disse...

Ata baita incentivo,e o salário....

Anônimo disse...

Com certeza não vai faltar gente para criticar, dizendo que o mais importante é pagar mais, dizendo que vai ser missão de "puxa saco", peixada, carreirista, é óbvio que a parte financeira é importante, logicamente não será nenhum praça "revolucionário" será escalada ou escolhido para tal missão, mas não podemos deixar de ver a oportunidade de elevar nossos valores e lembrar do juramento que um dia fizemos perante nossa bandeira "...dedicar-me inteiramente ao serviço da Pátria, cuja Honra, Integridade, e Instituições, defenderei com o sacrifício da própria vida. ”, então só para concluir penso que dependerá muito mais da pessoa escalada e não do militar. Abraço a todos.

2º Sgt 2001

Anônimo disse...

Neste processo de transformação que passa o EB,oa chefes de seções já estão nas nuvens... pois não fazem mais nada... quem está nas OMs já observa o quanto o sargento realiza todo o trabalho por eles...
com este novo cargo nem o SCmt terá mais o que fazer.... Parabéns aos Oficiais. ...vcs realmente merecem todos os louros... conseguiram passar toda a carga de trabalho para os Sgt.... Ainda terá coitado achando que está sendo valorizado....
2°Sgt/2002

Anônimo disse...

Será um cargo remunerado ? O militar será designado para essa missão pelo comandante ou será escolhido por seus pares? Me parece mais uma rolha, queremos valorização começando pelo soldo, o resto é perfumaria, e por favor não me venham com o mantra surrado: Não está gostando, pede pra sair !

Anônimo disse...

Kkkkk, mais um engodo para iludir as praças!!!! até quando?

Anônimo disse...

O principal...Quanto mais vai receber no contra-cheque?
PQ parece ser um trabalho a mais para o praça e um trabalho a menos para o oficial.

Anônimo disse...

Eu acho que isso não acrescenta, absolutamente, nada na cadeia de comando.

Anônimo disse...

Traduzindo: agora os baba-ovos e os x9 da tropa terão a função regulamentada. Aqui de fora, só vejo o barco afundar. Lastimável.

Anônimo disse...

Se esse figura representativa fosse eleita pela coletividade que o representa, então teríamos algum proveito...

entretanto, a priore, será designado pelo Cmdo militar, logo terá um cabresto, será chapa branca e figurar mais como "capitão do mato" do que mediador dos conflitos e/ou líder do grupo...

de repente querem com isso trazer a figura do "general" das praças, onde o mais antigo ST fazia o papel que está em discussão.

Capitão do Mato, este será o apelido desse cargo.

lembrando que o capitão do mato, era aquele dentre os escravos escolhido para vigiar e denunciar qualquer indisciplina do mesmos.

Att,
um segundo sargento juruna, EsSA 2000

Anônimo disse...

Não foi falado nada a respeito do adicional a ser pago para o Adjunto de Comando. Na minha humilde opinião, deveria ser de pelo menos 100% do soldo, já que o S Ten ou Sgt investido de tão nobre função passará a ser alguém bem solitário. Essa de elo entre o comando e as praças deve ser entendida como o X-9 que dirá que "nossos chefes estão preocupados". Esta é a formalização do Capitão do Mato (um escravo que fustiga outros escravos em troca de figurar no Estado Maior "Especial"). Se querem me valorizar não precisam criar nenhuma função "pica das 16 galáxias", basta acatar as orientações que passo, fundamentadas nas normas e na experiência, desprovidas do achismo e da vaidade com que muitos comandos são conduzidos. O Comando confunde respeito com valorização na medida em que esta, no atual contexto, é entendida como mais deveres quando deveriam ser mais direitos, ou no mínimo a obediência aos direitos vigente. Não devemos mudar regulamentos, devemos mudar posturas.

Lauro Costa disse...

Resumindo, um S2 VIP. Pois já existia esse cargo criado aos trancos e barrancos por alguns subtenentes mais antigos que eram mais acessíveis pelos subordinados e levavam as "causas" ao Comandante da tropa os quais muitas vezes autorizavam estes subtenentes a falarem direto com o Sub Cmt ou Cmt, só foi oficializado.

Anônimo disse...

Mais uma palhaçada!!!

Raphael Alvarenga disse...

Demorou demais. Perdemos muito tempo de evolução na Instituição pela falta de diálogos mais objetivos e o alijamento de lideranças competentes entre os praças que teriam uma resposta muito melhor em benefício de todos. Espero que os Chefes atuais entendam o quanto facilita para todos um diálogo construtivo.

Anônimo disse...

os baba-ovo pira...kkkkk

Anônimo disse...

mais responsabilidade para os Praças.....................

Anônimo disse...

Pelo que li e entendi da portaria do EME será mais uma boquinha para os peixes e puxas sacos de plantão, veremos como será feita a "seleção" desses militares.
Pela natureza da missão deveriam selecionar militares com conhecimento técnico sobre a profissão mais que também possuem preparo intelectual para contribuir nesse processo de transformação, processo esse que ninguém sabe de fato o que é, a não ser pelos sites oficiais e power points de reuniões de Alto Comando, que não explicam nada, só fazem propaganda.
Em épocas de Exército bolivariano tudo que criam na Corte é de se desconfiar.

1º Sgt Inf

Anônimo disse...

A valorização das praças é sempre nesse sentido, mais missões, mais atribuições, mais cobranças e retorno zero. Essa grande distinção só vai gerar mais pressões e cobranças. Um subtenente que sabe que seu conceito é a única via para chegar a uma promoção, irá se expor no desempenho dessa função? Irá abraçar a situação de seus subordinados? Terá efetivamente voz ativa para mudar alguma decisão do comando? Não. Isso só existe para manter os demais quietos, por não quererem colocar o antigão em uma situação difícil. Os demais sargentos preferirão ficar calados para não jogar o companheiro mais antigo no caldeirão, pois todos sabem que essa fase é um corda bamba, da qual os oficiais sabem muito bem se aproveitar. Parabéns ao alto comando do exército, eles realmente são muito competentes no sentido de aniquilar as iniciativas dos praças, sabem muito bem amarrar e amordaçar seus subordinados. Cada vez que falam em valorizar, ou melhorar a carreira das praças, resulta em iniciativas deste calibre. Nisso, e somente nisso eles são muito bons, imbatíveis eu diria.

Anônimo disse...

Quanto vai ser a gratificação ?

Anônimo disse...

No 35º BI, Feira de Santana-BA, em 2005, o Cmt da OM já detrminava que a praça mais antiga de cada SU, participasse das reuniões com todos os oficiais, após as formaturas da Unidade.

Eu, participei de inumeras reuniões e era falado sobre todos os assuntos na nossa frente, inclusive ele mijava os oficiais na nossa frente´quando deixavam a desejar, o que me constrangia muito. Como era o ST mais antigo da OM, solicitei que nós fossemos dispensados pelos contarngimentos.

O Cmt não aceitou. Na reunião seguinte, ele perguntou para mim: ST alguma vez chamei a sua atenção ? Eu disse: não senhor. O que ele respondeu: Claro, não faz bobagens.

Para esse cargo, é preciso personalidade, pensar em todos, interceder pelo mais moderno, chamar a atenção ou alertar os mais modernos em particular quando necessário.

Agora carreirista egoista, cheio de medinho, que só pensa no seu pirão primeiro, ai não dá. não é preciso babar macho não. Tem que ter dignidade.

Vida que segue ...

Anônimo disse...

Famoso capitao do mato, missao para os puxa-saco que ainda acreditam nas balelas dos chefes. Vai escancarar todos os x9 ,baboes e medrosos defendendo mais esta pessima iniciativa.

Anônimo disse...

Agora o antigão vai babar mais ainda

Anônimo disse...

Acho uma ótima iniciativa. (PONTO)

Ao ler os comentários dos camaradas praças acima chego a algumas conclusões:

- Cerca de 80% criticaram sem ao menos ler a portaria.
- Grande maioria reclamando por ter mais missão (sindicância, porta estandarte ... pô grandes missões).
- O mimimi infelizmente é cultural.
- Vai ser X9 e cacueta igual ao S Ten no S2 (pensamento completamente errado, S2 não é para isso, é para LEA, coleta de dados, desenvolvimento da Segurança orgânica da OM)

Vamos a minha opinião para jogarem pedra:
- Boa iniciativa. Reclamamos tanto que os Oficiais não nos ouvem e esta é uma ótima oportunidade de melhorar isso. MAS espero que os Cmt saibam escolher bem o ST/Sgt com um bom perfil e com liderança perante a tropa, todo quartel tem bons e maus oficiais e sargentos.
- O Adjunto terá sim vantagens. Estão em estudos como PNR funcional, distintivo e pontuação pela função, pelo que li participará das representações com o Cmt e logo acho que deverá receber adicional de representação que nem o Cmt. Ah o Cmt de uma OM com a sua responsabilidade recebe + 10% e não 100% como um comentário acima.
- Acredito que já começaram a aproveitar os Sargent Mayor, o estácio de adjunto será na 4 Bda Cav lá tem Rgt com 2 Mayors.

O fato é que conheço muito sargento antigo que adora reclamar e fica coçando o saco todo o dia, reclama dos oficiais toda hora, mas na hora que sai o chefe de seção e fica respondendo fica apavorado com o tanto de missão que tem.
Por isso companheiros é muito MIMIMI

Anônimo disse...

Milicos, preparem a bengala, o fraldão descartável, etc ...

FATOR PREVIDENCIÁRIO... 85/95 anos ...

Governo quer idade mínima para todos os aposentados

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/06/1641886-governo-quer-idade-minima-para-todos-os-aposentados.shtml

Anônimo disse...

Caros colegas praças, não se iludam, as praças estão inquietas, a valorização do praça começa respeitando a sua capacidade profissional. Esta função criada de Adj do Cmdo, na prática já existe, todo Cmt de OM tem um Estado - Maior de pessoal a sua disposição isto regulamenta o que já existe. Sgt/Subtenente com graduação superior, mestrado e até doutorado são subempregados nas OM, sendo um simples digitado.

Anônimo disse...

O comeco do desespero pela tentativa de tentar manter um sistema decadente e desvalorizado de se manter poderia se chamar o ad boi de piranha

Anônimo disse...

Se os oficiais apenas repassam as ordens aos praças, escuta-se que falta a participação dos ST/SGT nas reuniões e decisões. Agora quando procuram dar um primeiro passo neste sentido, pronto, os ST/SGT serão os x9 e demais adjetivos "bacanas". É o grupo derrubando o semelhante. Olha, a instituição militar é hierarquizada, conseguem lembrar? Lá fora num tribunal, por exemplo, o juiz diretor do fórum determina e não chama o assistente administrativo para pedir um parecer do que deve ser feito. Um banco tem gerentes, diretores, superintendentes, que tomam as decisões e aos demais funcionários que estejam abaixo na hierarquia cumprem as determinações (metas), que vale lembrar é de arrebentar... Inclusive, já há uma figura representativa nos conselhos de direção que sai justamente do meio dos empregados, para um mandato representativo. Agora ficar de choro pelos corredores é uma falta de compostura do militar, que cai entre nós: é de dar vergonha. Olhem a quem cabe dar aumento salarial ao efetivo. Não sai do bolso do comandante, vocês que tanto reclamam dariam a cara para o Ministro da Defesa exigindo maior vencimento aos militares? Não cabe ao comando fazer exigências ao seu superior, deve falar quando perguntado e sobre o que for perguntado. Agora, se eu acredito que falta melhores condições e valorização aos militares, respondo com um sonoro SIM!!! Aos praças que serão chamados para junto do comando, sejam bem vindos, pois a diferença está apenas na posição que cada um de nós ocupa, fora isso fazemos parte do mesmo Exército.

marcos disse...

Na MB possui o projeto piloto de Suboficial Mor no qual faço parte. E posso afirmar que esta dando certo. Muitas questões são solucionadas com a intervenção do SOMOR.

Anônimo disse...

Quando a distinção entre Oficiais e Praças for somente o Soldo, aí acreditarei em valorização! Ex: paridades nas promoções, escala SV, missões exterior, PNR, hospitais, auxílios: Nat, fardamento, transferências...etc

Anônimo disse...

E como já dizia um general aqui no quartel; Já existe uma equipe fazendo estudos para melhoria de salário, PNR e muito mais... Mas essa equipe já estudou mais de 25 anos e nada! Lamentável...

Anônimo disse...

Mais uma do pacote de inutilidades, vide ponto vermelho no relógio, cartão operacional, dia do uniforme...quero ver um of qema encima de seu altar ouvir e acatar a opinião de um aux de Cmdo...não me façam rir.

Anônimo disse...

Nos meus mais de 20 anos em TROPA, digo o mesmo que a maioria já comentou.
Essa função vai ser só mais um encargo, aumentará a responsabilidade do subtenente e não dará retorno prático quase nenhum.
O subtenente vai ficar na corda bamba, vai agir como chapa branca e capitão do mato, para não prejudicar sua promoção.
Eu , como tropeiro digo, a grande maioria dos comandantes vai dar a mínima para a assessoria do Sgt adj, assim como nao da a mínima para seu subcomandante e oficiais do Estado maior.
A instituição militar NAO e democrática. As decisões do comandante são monocráticas.
As reivindicações que contrariarem a mentalidade do comandante simplesmente serão ignoradas.
As FFAA tem que sofrer uma reestruturação urgente, nos moldes do EUA, após o Vietnã. A criação e valorização dos praças com uma carreira de oficiais não comissionados como nos EUA. Com salários equivalentes aos de tecnólogos.
Um segundo Sgt ganhando como um 2 tenente, 1 Sgt como 1 tenente e subtenente como capitão.
O retorno da gratificação por tempo de serviço seria essencial para equilibrar os salários entre oficiais e praças.

Mat Bel 2001 disse...

Infelizmente a maioria dos comentários são de pessoas frustradas profissionalmente e outras ignorantes mesmo. O que não reflete a opinião geral dos sargentos. Aqui só tem tanta crítica negativa pois os comentários são anônimos.
Acho que a iniciativa "experimental" do Cmdo do EB é positiva pois tenta aproximar a visão do praça à visão do Cmt. Por muitas vezes se um Cmt possui um EM fraco e uma tropa boa, o conjunto acaba fracassando. Por isso acredito que o projeto vai dar oportunidade par os praças assessorarem o Cmt corretamente quando o EM não for capaz.
Nós praças devemos lembrar que deve ser cada um no seu quadrado. O PO do Sgt é de execução e o do Of é de direção. Então não adianta os reclamadores de plantão bancarem o porteiro com sindrome de sindico. O praça tem que cumprir sua missao bem feita na sua esfera de atribuições e o Of tem que fazer o papel dele de coordenar as ações corretamente. Quando couber ao praça, deverá intervir junto ao comando. Está aí a oportunidade!
Para quem não entendeu, segue então uma analogia: todo Sgt que comanda uma fração gostaria de contar sempre com Cb e Sd proativos, motivados e leais. Ao mesmo tempo não quer contar com Cb e Sd fracos e sem vontade de melhorar. Para isso o Sgt tenda resgatar esses militarea de baixo rendimento da sua fração utilizando as ferramentas mais variadas e criativas possíveis. AGORA IMAGINE TUDO ISSO COM A VISÃO DO CMT.

Anônimo disse...

Em uma unidade em que servi um comandante tentou implantar algo semelhante por conta própria. Instituiu uma formatura semanal para o subtenente mais antigo, e colocava o mesmo na linha de decisões de punições dos praças. O que acontecia na prática era que o tal comandante reunia-se na véspera de cada formatura com o subtenente e ditava os temas que ele deveria falar na formatura, quase todos no sentido de apertar os subtenentes e sargentos fazendo ameaças e avisos sobre possíveis punições. Colocava o subtenente em situação extremamente difícil perante seus pares e subordinados. Quando algum sargento estava respondendo a FATD, o mesmo ia até o comandante acompanhando do seu comandante de companhia mais o subtenente mais antigo da unidade, sendo que o comandante deixava claro que deveria punir, mas queria sempre a palavra do subtenente para deixar claro que ele havia decidido a punição do sargento, e caso o subtenente argumentasse contra a punição, era rebatido, e posteriormente citado em reuniões com os oficiais da unidade como querendo ser líder negativo dos sargentos e proteger os mesmos. Tanto que o subtenente tão valorizado com formaturas e demais honrarias como almoçar com o comandante obrigatoriamente toda a semana etc etc etc, recebeu deste mesmo comandante péssima conceituação que lhe impediu de ser promovido a QAO, indo para a reserva como subtenente. Então o que presenciei foi esse tipo de valorização das praças. Em outras palavras ou você faz o trabalho sujo por mim, ou eu sujo de vez o que você chama de carreira.

Daniel-MB disse...

Só fui eu ou mais alguém leu sobre o tal adjunto levar as querências e sofrências da "família militar" ao comando. isso está aí pois quando tem essas audiências em que Aquela Sra Kelma Costa sai puxando a orelha de meio mundo o MD, comandantes e cordinhas ficam todos com cara de paisagem. pois na realidade eles só veem o militar e já se preparam para poder dizer nas próximas reuniões que "existe um militar nessa função para colher dados sobre a situação da família militar. Não se iludam isso é só mais uma maneira de tentar passar a impressão que existe alguém preocupado com o militar sua família , o que não passa de teatro,quer mostrar que preocupa PAGUEM O AUXÍLIO MORADIA.

Anônimo disse...

A Port nº 130-EME, DE 16 JUN 2014 traz muito mais do que apenas a criação do Sgt Adjunto de Cmdo. A esses desmotivados e leões de alojamento, preparem-se. Se a Port citada for aprovada, os não vocacionados terminarão a carreira como 2º ou 1º Sgt. Toda mudança gera inquietação. Na minha opinião existe a intenção de modernizar e, neste sentido, a modernização está voltada principalmente no aspecto qualitativo, portanto, os laranja podres sofrerão.

Anônimo disse...

Neste cargo de levar as sofrências da tropa para o comando, pergunto:
O Comando não sabe, ainda, das sofrências da tropa?
O Comando quer um praça "dedicado", para segurar o ímpeto e desilusão da tropa?
O Comando vai oferecer vantagens para este praça "diferenciado", baseada na subjetividade do chefe?

Falta eficiência, falta gestão, falta administração, 50 sistemas diferentes para fazer a mesma coisa, nenhum fala, o maior exemplo é que se vc precisar do CPF de algum militar, tem que ligar para ele para pegar o número. Isso é falta de gestão.
São estes mesmos gestores que estimulam a nossa submissão e a babação praçal para conseguir uma migalha a mais.

marcosarapico disse...

Função muito importante, se fosse usada com critérios pelos superiores. Eles colocarão o militar na função de acordo com o que querem ouvir. Se querem ouvir orientações, críticas, fatos negativos do comando, colocarão militares que não sejam carreirista e não estejam preocupados em queimar o "filme", caso queiram ouvir somente elogios, babação, praça entregando praça (que será a maioria das situações), colocarão os carreiristas de plantão, que já devem estar fazendo fila nas portas dos PC, prontos para assumir o cargo.
É triste ler o comentário de um S Ten que vem aqui falar mal da classe, como "revoltadinhos com a vida e reclamões", tipo de comentário que poderia ficar guardado. Este é a praça típica para assumir a função: satisfeito, crítico dos seus pares....
Este é um dos poucos canais que temos para expor nossas opiniões, e desde que eu entrei para o Exército há mais de 30 anos, nunca ouvi falar em unanimidade, mas o percentual de insatisfeito ou os "revoltadinhos com a vida" sempre foi bem superior.
As vezes, mas só as vezes, cerca de 90% das vezes, tenho vergonha da classe a que pertenço. Aos que estão bem, satisfeitos, organizados em sua vida pessoal e financeira, basta respeitar a opinião daqueles que não tem a mesma condição e permanecem "revoltadinhos com a vida".

Anônimo disse...

Eu vou ratificar o comentário do colega do 14 de junho de 2015 09:38 ---

" Já estou até vendo como vai ser:
- Sub Fulano, você viu o Sgt Beltrano na OM?
- Vi sim, Cel. Falei com ele hoje depois da formatura, pois ele, não sei por quê, ainda estava no alojamento trocando de roupa... " kkkkkkkkkkkkk

Lopes disse...


Bom dia, estou na reserva remunerada, 2º Ten QAO.
Como comentário gostaria apenas de sugerir, quanto a este tópico de "Sgt Elo" -"adjunto" e outra denominações, no meu entenderão são tudo um grande jogo de "empurra com a barriga". Comandantes (se é que algum deles tem "saco para ler") façam o seguinte:
1. Dêem-nos um salário melhor, mais digno.
2. Proporcionem aos praças acessibilidade melhor à cursos e estágios.
3. Construam mais PNRs.
4. Batalhem por uma LRM Padrão, que não suga ao longo dos anos nossos soldos.
5. Importem-se mais com Reserva Remunerada. (nós da RR parece que somos inimigos).
Se fizerem isso e mais alguma coisa ai sim terá valido apena.

Anônimo disse...

Achei muito bom o texto e compartilho com todos.

SAWABONA

Há uma "tribo" africana que tem um costume muito bonito.
Quando alguém faz algo prejudicial e errado, eles levam a pessoa para o centro da aldeia, e toda a tribo vem e o rodeia. Durante dois dias, eles vão dizer ao homem todas as coisas boas que ele já fez.
A tribo acredita que cada ser humano vem ao mundo como um ser bom. Cada um de nós desejando segurança, amor, paz, felicidade. Mas às vezes, na busca dessas coisas, as pessoas cometem erros.
A comunidade enxerga aqueles erros como um grito de socorro.
Eles se unem então para erguê-lo, para reconectá-lo com sua verdadeira natureza, para lembrá-lo quem ele realmente é, até que ele se lembre totalmente da verdade da qual ele tinha se desconectado temporariamente: "Eu sou bom".
Sawabona Shikoba!
SAWABONA, é um cumprimento usado na África do Sul e quer dizer:
"Eu te respeito, eu te valorizo. Você é importante pra mim"
Em resposta as pessoas dizem SHIKOBA,que é:
"Então, eu existo pra você"

Boa semana de trabalho a todos.

Vida que segue ... breve vida, vida breve.

Anônimo disse...

Calma, pessoal! X-9, dedo duro pode ser até aquele "amigão" do peito e você nem desconfia. Agora, com esse novo cargo, o subão vai poder levar a choradeira geral direta para o comandante, coisa que outros oficiais tinham medo de fazer. Se vão ser exemplos de conduta. medrosos ou puxa-sacos, só o tempo dirá. Vamos torcer pelo melhor.

Anderson CARDOSO DE MAGALHAES disse...

Sou ex-militar, e sabendo dessas notícias, percebo que NADA MUDOU no Exército Brasileiro. Infelizmente, nada mudará, enquanto os dirigentes deste país continuarem a ser pessoas que foram perseguidas na Ditadura Militar.
Graças a Deus passei num concurso público e recebo 4 vezes mais do que recebia quando era 3º Sgt.
ANDERSON - EX-SGT EsSA 2005

Abraços!

Anônimo disse...

=> Compartilhe os assuntos da caserna, senão não tem sentido. faço isso a mais de 15 anos.

http://sociedademilitar.com.br/wp/2015/06/militares-reajuste-de-20-em-uma-so-parcela-creditada-em-janeiro-de-2016-e-essa-a-luta.html

Anônimo disse...

Montedo qual é o seu problema com as críticas inofensivas? apenas disse que sua notícia estava atrasada e você não quis publicar meu comentário!!!

Anônimo disse...

Vamos ser felizes pessoal ???
Cada um tem o que merece na vida, nós merecemos a carreira que abraçamos.

Vamos ser felizes !!!

Anônimo disse...

O Anderson entrou para o EB em 2005 já sabendo do salário e das condições, parabéns pela aprovação , mas eu pergunto: Ficou dez anos escamando, jogando os companheiros em furadas ou se sacrificou durante o período ? Será mais um cuspindo no prato onde comeu ?

Anônimo disse...

Será um fofoqueiro autorizado

Anônimo disse...

Acho muito boa a ideia de sgt adj de Cmd, isso irá modernizar a tropa e as responsabilidades...
Sou de apoio a esta nova reforma como muitas que muitos militares dizem.

Sergio Tarouco Silveira Filho disse...

Nome artístico do novo cargo: Bajulão da OM. Quem é o Bajulão da OM? É o Sub Fulano de Tal ou Sgt Beltrano de Tal.

Anônimo disse...

Quando na ativa, lembro-me certa vez um coronel recem chegado para comandar uma OM fez uma reunião no salão do cinema com todo efetivo de Sub's e Sgts. E na ocasião deitou elogios à sub raça, coisa que praça começa a desconfiar que algo estranho ronda no ar. Fez elogios sem rodeios, dizendo contar com esforço de todos para o sucesso de seu comando, e que Sub para ele era considerado um "oficial de fato", dado sua experiencia e vivencia na caserna(...). Não demorou uma semana os Sub's estavam tirando serviço de oficial de dia, enquanto os tenentes praticamente deixaram de concorrerem à escala de OD.

Anônimo disse...

Poucos comentários bem fundamentados, os demais foram feitos por incompetentes, frustrados, leões de alojamento e outros que temem perder sua posição como puxa saco.

Paulo disse...

E a tal da antiguidade?

Anônimo disse...

As críticas que os chamados "leões de alojamento", que alguns gostam de classificar, fazem à carreira e ao próprio sistema são mais do que plausíveis, tenho certeza de que quando os ditos "leões" entraram para o EB foi sim por vocação, mas não existe vocação que resista a fatos -que depois de velhos na carreira percebemos. Por exemplo: A carreira dos graduados é uma bagunça, toda hora sai uma portaria mudando critérios, por que não é regulamentada por uma lei, como a dos oficiais? Outra coisa, os nosso chefes nesses 300 anos de EB, não sabem os anseios dos graduados, que são a imensa maioria da força? Ou isso é descaso ou incompetência ou simplesmente, na visão dos chefes -profissionais são somente oficiais- e de AMAN, porque todos sabem que oficiais que não são de academia também sofrem discriminação pelo sistema. Em fim, os que reclamam tem razão, com certeza, e se o comando quisesse realmente mudar e melhorar alguma coisa, poderia tratar essas reclamações como sugestões. Mas acho que eles estão mais preocupados com o cargo de confiaça em algum conselho de estatal quando forem para a reserva.

Anônimo disse...

A tropa quer reajuste. Ta cheio de categorias insignificantes ganhando mais que os militares. Vejam o reajuste da PM RN.

Anônimo disse...

E desde quando os oficiais estão preocupados com algo que não seja o seu próprio umbigo? Basta ver que cada vez que alguém levanta um problema é logo taxado de leão de alojamento. Não vale a pena nem mesmo dialogar com oficiais, o caminho já foi mostrado pelos QEs, a única via de resolver é a via política, aí os oficiais querendo ou não, gostando ou não são obrigados a engolir e cumprir. Os comandantes de hoje só entendem o "cumpra-se". Fim de papo.

Anônimo disse...

Gente vamos ser felizes!? Quem acredita que se serviçal da nobreza, aqueles que ainda tem gás estudem e corram atrás da felicidade e os que estão jogados na lona esperem que a libertação, digo reserva sempre chega. É impossível parar o tempo. Cansei de debater melhorias pq o público é heterogêneo e tem muita gente despreparada que se acham donos da verdade e não aceitam posicionamentos contrários ao imaculado sistema chamando de Leão de alojamento, reacionário, revolucionário e etc. Normalmente já mamaram, estão mamando ou na fila pra mamar. Tem TB os que defendem, mas só levam fumo e devem ter alguma alienação mental. Acorda Brasil!!!!!

Fabrício, turma de 1999 disse...

Infelizmente a carreira de praça é mesmo desmotivante.
Como o Anderson, existem dezenas de milhares de lobinhos estudando para vazar na primeira oportunidade. Não há perspectivas na carreira.
A evasão já chamou atenção do comando, que cria engodos para tentar "enobrecer" a cominhada, mas que geralmente tem efeito contrário, vide o CHAQAO, puxa saco de luxo, fazer sindicância, carregar bandeira, etc.
Desta forma, a saída para quem leva jeito pro papiro e estudar, pois quase qualquer cargo paga mais que a carreira das armas para o praça.
Infelizmente sou mais um, e tive que vazar também.
É apenas uma opinião, e respeito os posicionamentos contrários que li aqui no post.

Anônimo disse...

Minha sugestão para debate e reflexão: propor a elaboração de um projeto de Lei que cria a carreira de praças do Exército brasileiro. Teríamos assim duas carreiras reguladas por lei: a carreira de oficiais e a carreira de praças.

Quem possui contato com parlamentares peço que estude a viabilidade e, sendo afirmativa, nós de cá faríamos o nosso "movimento" pela aprovação, mandando solicitações aos congressistas, promovendo eventos com os nossos familiares para "pressionar", etc.

Lembrando que é uma pequena sugestão.

Porque se depender da "força" interna, não iremos a lugar nenhum.

Abraço.

Anônimo disse...

Companheiros realmente nós militares desde a malfadada MP DO MAL em 2001 ,estamos vivendo uma SITUAÇÃO DE EXTREMA PENÚRIA , entretanto não devemos só culpar nossos Chefes Militares , a responsabilidade maior é DOS POLÍTICOS CORRUPTOS E INCOMPETENTES. Passei 31 anos no EB dos quais 28 Amazõnia, nunca servi em Brasília, sai Oficial QAO por merecimento com 22 anos de serviço mas também perdi o Posto Acima de Capitão, por culpa do despreparado do FHC , mas nem por isso me revoltei contra a Força , tenho a fé que um dia a justiça será feita , por isso incito os companheiros a superar as dificuldades dedicando-se inteiramente ao Serviço da Pátria , como juramos perante a BANDEIRA. VAMOS LEVANTAR A MORAL SOLDADOS DE CAXIAS.

Anônimo disse...

Já deve ter nego brigando para assumir essa m.... de função!!!Bando de trouxas!!!

Anônimo disse...

uma boa oportunidade para nós sgt
eu sou voluntario

gggggggg

Laycan disse...

O Exercito é uma Instituição boa e séria... O problema são algumas pessoas que pensam que são donas dela; quando eu era soldado na Aeronáutica - saudades, ia cumprir a minha missão sem precisar de nimguem ficar estalando o chicote( pois no esquadrão de material aeronautico da Base Aerea do Galeão tinha um cronograma: diario semanas e mensal) depois que eu fiz a EsSA tenho que ficar tomando conta de soldado fazendo faxina... Um subemprego total.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics