13 de maio de 2015

AM: PF prende oito militares da Marinha suspeitos de participar de fraude em documentos para navegação

Quadrilha que emitia e vendia documentos de barcos na Marinha agia desde 2001, em Manaus
No total, 19 pessoas foram presas, sendo oito militares. 
Golpe era praticado há 14 anos por despachantes, militares, empresários e donos de barcos
Operação teve início na manhã desta terça-feira
Operação “Inocentes” ocorreu no Amazonas, Pará e Rio de Janeiro(Reprodução/TV A CRÍTICA)
VINICIUS LEAL E JOANA QUEIROZ
Dezenove pessoas, sendo oito militares, foram presas pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (12), em Manaus, Itacoatiara e Rio de Janeiro, durante uma operação para desmantelar uma quadrilha que falsificava e vendia Cadernetas de Inscrição e Registro (CIR) dentro da Marinha do Brasil. O CIR é o documento de habilitação, identificação e registro de embarcações.
Foram 17 presos em Manaus, um na cidade do Rio de Janeiro e um em Itacoatiara. Segundo o superintendente da PF, Marcelo Resende, o esquema funcionava dentro da Marinha desde 2001, e mais de 80 CIRs teriam sido emitidas e vendidas irregularmente, nesses 14 anos, pelos integrantes da quadrilha, formada por despachantes, militares, empresários e donos de barcos.
Na operação, chamada “Inocentes”, agentes da PF cumpriram em três estados (Amazonas, Pará e Rio de Janeiro) 24 mandados de prisão preventiva, sete mandados de busca e apreensão e 12 conduções coercitivas. No RJ, o mandado foi cumprido, já no Pará o suspeito do crime não foi encontrado. Os crimes cometidos são tráfico de influência, corrupção e falsificação de documentos.
O superintendente da PF, Resende, não soube informar o valor cobrado pelo bando para emissão e venda de falsos CIR e nem qual o prejuízo para os cofres públicos, porém, a PF já conseguiu sequestrar R$ 2,4 milhões de bens e valores dos suspeitos. Segundo Resende, desde 2001, mais de 60 inquéritos foram abertos para investigar as suspeitas de crime e outras pessoas foram indiciadas.
As investigações iniciaram há sete meses a partir de denúncias e documentos elaborados pela Marinha do Brasil, os quais encaminhavam diversas CIR falsificadas, apreendidas durante fiscalizações de rotina realizadas nos rios da Amazônia. Até agora, oito embarcações, a maioria de motores de recreio, tiveram a documentação retida e estão proibidas de navegar.
Os presos prestarão depoimento na sede da Superintedência da PF e, depois, os civis serão levado para cadeias públicas e oito militares para a sede da Marinha do Brasil. Segundo a assessoria de imprensa da PF, o nome da operação faz alusão à rua dos Inocentes, endereço onde boa parte dos escritórios dos despachantes se localizava, bem próximo à Capitania dos Portos em Manaus.
a crítica/montedo.com

6 comentários:

Anônimo disse...

Meu Deus onde vamos parar? nem as FFAA esta isenta da corrupção que se institucionalizou no Brasil, ou seja, se gritar pegar ladrão não fica uma Instituição sem ser manchada com o manto da corrupção.

Anônimo disse...

Sinistro: General ministro da Defesa da Coreia do Norte, Hyon Yong-Chol, foi executado com tiro de artilharia por insubordinação e por ter dormido durante um desfile.

https://br.noticias.yahoo.com/coreia-norte-executa-ministro-defesa-005528985.html

Anônimo disse...

E eu que fui punido algumas vezes na Marinha por ter chegado 5, 10 minutos atrasado no navio.

Anônimo disse...

Coitado do comentarista que postou às 11:01:

Só agora ficou sabendo que tem corrupção nas Forças Armadas!!!
Só pode estar brincando!!!!

Anônimo disse...

Ser ladrão, corrupto ou comparsa de delitos não está na instituição A ou B, e sim na índole, no caráter do indivíduo.Também não se justificaria se dissessem que estão em dificuldades financeiras. Uma coisa é certa, se não houvesse fiscalização das embarcações não teriam descoberto os documentos falsos.

Anônimo disse...

A única diferença da corrupção nas Forças Armadas em relação à dos órgãos públicos convencionais e dos políticos é que nas FA a corrupção é escondida quando é conveniente para manter a boa imagem da Força quando os ladrões são de alta patente.
Quando o ladrão ou corrupto é da raia miúda eles sentam a porrada!
Procurem saber, por exemplo, como está o andamento do processo sobre a corrupção no IME (divulgado em 2010), que envolve alguns Generais, ou ao menos deveria ter envolvido.
A hierarquia também é aplicada nas desvios e fraudes que ocorrem nas FA. As mazelas só não são tão expostas como ocorrem com os políticos porque a DISCIPLINA das FA impede ou reduz o vazamento de informações para a mídia e, também, porque não há disputas políticas interna (partidos) como ocorrem nos órgãos civis.
Nas FA se vc fizer uma denúncia sobre corrupção no seu quartel vc será o investigado e perseguido, não o suposto fraudador e ladrão. Nisso os serviços de inteligência são craques !!!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics