21 de maio de 2015

Tropas brasileiras vão deixar o Haiti até o fim de 2016

Atualmente, há 1.343 militares brasileiros em ação no Haiti – número já chegou a 30.000 no início da missão humanitária
Jaques Wagner, ex-ministro de Lula, governador da Bahia (PT-BA)
Jaques Wagner, ministro da Defesa(Ana Nascimento/Abr/VEJA)
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, afirmou nesta quinta-feira que as tropas brasileiras que integram a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) deixarão o país até o fim de 2016.
Em uma audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado, o ministro disse que o Brasil já diminuiu seu efetivo no Haiti e continuará reduzindo gradualmente até o último soldado abandonar o país caribenho no fim do próximo ano. "Trata-se de uma missão humanitária que já tem data prevista para terminar. Neste ano, já tivemos uma redução, e para o próximo está prevista a retirada total das tropas, não só as do Brasil, mas também as da ONU", afirmou Wagner.
Segundo o ministro, atualmente há 1.343 militares brasileiros no Haiti, número pequeno em relação aos 30.000 que foram ao país durante o início da missão humanitária. No final de 2015, apenas 850 homens permanecerão no Haiti.
"Vários oficiais de outros países da América do Sul foram comunicados neste ano sobre o retorno. O fim da missão está marcado para o final de 2016", disse o ministro.
O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, que acompanhou o ministro na audiência, disse que a maior parte dos países que integram a missão da ONU irá retirar as tropas do Haiti ainda neste ano.
O Conselho de Segurança da ONU estendeu no ano passado a permanência da Minustah até 15 de outubro de 2015, quando revisará novamente a decisão. Em sua última reunião, o órgão afirmou que a situação da segurança no país é "estável".
Por isso, recomendou a sequência da missão sem mudanças na quantidade de homens do componente policial (UNPol), integrado atualmente por 2.601 agentes de cerca de 50 países.
A ONU defende que a missão permaneça no Haiti até a consolidação dos resultados das eleições previstas para fevereiro de 2016, após a posse do novo presidente e parlamento do país.
(Com Agência EFE)
Veja/montedo.com

10 comentários:

MILICOVELHO disse...

O Q VCS OBSERVAM NA FOTO? TUDO NORMAL OU NÃO?

Anônimo disse...

Vai acabar o bico!!!

Anônimo disse...

30.000? Impossível. Alguém passou esta informação de maneira equivocada.

Anônimo disse...

Para um país que pleiteia um assento permanente no conselho de segurança da ONU o Brasil está indo no caminho certo !

Anônimo disse...

Sim amigo , 30.000,00.

Anônimo disse...

Tem que acabar tbém com MATA MOSQUITO DA DENGUE, GLO nas favelas do RJ, construção de estradas, transposição do São Francisco, etc e etc
NÃO É MESMO ???

Anônimo disse...

O Brasil que está precisando de ajuda Humanitária... Ribeirinhos, flagelados da seca e das favelas e comunidades carentes! Vamos apoiar o Brasil!

Anônimo disse...

O Brasil precisa de pessoas honestas. não temos falta de dinheiro, temos é excesso de desvios.
Carater é um bem que não se compra.
Uma pergunta aos comentadores: vc seguiria/acredita no seu chefe/cmt?
Pense antes de responder.

Anônimo disse...

O Lula colocou as FFAA nessa enrascada, se achando primeiro mundo, e não galgamos nada no cenário internacional pois o governo atual não pagou as cotas desses "clubes" de riquinhos. Vai sobrar só combate a dengue e tapa-buracos nas BR.

Anônimo disse...

A maioria comentando sem conhecimento de causa.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics