19 de maio de 2015

Dilma ainda não definiu reajuste dos servidores civis e militares

Pedro do Coutto


Reportagem de Gabriela Valente e Danilo Pacielo, O Globo de ontem, dia 18, focaliza reunião que a presidente Dilma Rousseff manteve no domingo, durante quatro horas, com os ministros Joaquim Levy, Nelson Barbosa e Aloizio Mercadante (que pelo visto, resiste às pressões de Lula contra sua permanência na Casa Civil) para decidir sobre o corte de verbas a ser aplicado no orçamento de 2015. Joaquim Levy defende um corte de 80 bilhões, considerado um exagero pela área política, embora percentualmente represente pouco, de modo geral, uma vez que a lei de meios para este ano atinja o montante de 2,8 trilhões de reais.

Mas o problema não se dilui na pequena percentagem que apresenta. É preciso considerar muitos outros aspectos. Um deles, a quanto somam os repasses contidos nas doações para Educação e Saúde? Pois todos sabem as carências que estão fortemente atingindo os dois setores vitais, cujos serviços básicos encontram-se paralisados em consequência da falta de repasses de recursos necessários até para limpeza dos prédios e manutenção dos serviços.
Isso se contar o esgotamento dos recursos previstos no FIES para assegurar a matrícula de 750 mil alunos em universidades. Mas as dificuldades não terminam neste ponto. Prosseguem. Por exemplo: qual será o reajuste destinado aos civis e militares? Têm que ser incluídos na previsão. Não se pode projetar os cortes sem que, paralelamente, se projete o acréscimo das despesas. O aumento dos funcionários da União está exatamente neste caso. A própria lei orçamentária prevê o encargo, em seu item sexto do artigo quarto. Os leitores podem conferir. Basta consultar a lei 13.115.

NA CONSTITUIÇÃO
E tem mais um detalhe fundamental: o ítem 6 do artigo 4º afirma literalmente que a revisão geral da remuneração está determinada pelo inciso 10 do art. 37 da Constituição Federal. A obrigação do governo, portanto, é até constitucional. Por quê, afinal de contas, o Palácio do Planalto vem tentando esquivar-se de sua obrigação? Não há motivo. Sobretudo porque, no início do ano, determinou o reajuste de 6,4% (inflação oficial de 2014) para os 30 milhões de aposentados e pensionistas do INSS.
Agora, nos últimos doze meses, de maio do ano passado a maio de 2015, a taxa inflacionária situa-se em 8,2%. Qual será a data base em que entrará em vigor a reposição inflacionária do funcionalismo civil e militar? Afinal de contas o custo de vida sobe para todos.

ARRECADAÇÃO FISCAL
O negócio, portanto, não pode se resumir a quanto serão os cortes, como se empenha o ministro Joaquim Levy. É indispensável colocar-se em debate quanto será a arrecadação fiscal. Depois do combate à sonegação, a quanto montam as despesas com o pagamento de juros para rolar a dívida interna de 2,2 trilhões de reais, a que nível se elevam os pagamentos de despesas em atraso, qual o valor decorrente do aumento dos militares e civis, que representam o funcionalismo da União.
Por isso, portanto, é fundamental a presidente Dilma Rousseff estabelecer a percentagem do reajuste. Assim, como se constata, administrar não pode ser apenas cortar gastos, mas também saber avaliar as despesas às quais o próprio governo está obrigado a respeitar e cumprir o que a lei estabelece. Atenção, presidente Dilma Rousseff, não ouça apenas o ministro Joaquim Levy. Ouça outros também.
TRIBUNA DA INTERNET/montedo.com

16 comentários:

Anônimo disse...

KKKKKKK,...KKKKKKK..,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, Aiai, reajuste para militares. Que piada. Sem nenhuma chance. Podemos esquecer nos próximos anos.

Anônimo disse...

E desde quando se cumpre lei nesse país?

Anônimo disse...

Ainda bem que o Aécio não venceu, porque daí sim seriam 4 (ou 8) anos sem aumento nenhum.
STen Honório

Anônimo disse...

Vai falar que as FFAA já teve seu aumento, e com certeza vamos ficar como sempre, calados.

Anônimo disse...

Esse ST Honório é um brincante mesmo...

Anônimo disse...

Esqueçam! Se preparem para anos e anos sem reajuste!

Anônimo disse...

Então ela já cumpriu, pelo menos, a determinação da Justiça para o pagamento dos 28%??? Não?! E a justiça, o que fez? Ela está cag... para a constituição e para a justiça. Que os militares se ferrem sempre e mais!!! Esse é o lema do PT, até que um dia os comandantes parem de pensar como cordeiros. Ninguém quer aquelas babaquices de AI5, censuras e os tiraninhos fardados que se achavam e, sim, colocar as coisas nos eixos novamente e chutar o traseiro dessa gangue. Fizeram mer... quando mudaram a lei dos salários que está emperrado eternamente como MP.Deixar que o governo nesse momento de desespero financeiro determine alguma migalha como reposição salarial sem sofrer pressão de nenhuma liderança, de ninguém, é pedir para ter mais "sofrência" para a família militar que já está no desespero. Ela, Dilma, está tão acuada pela má administração que fez, que pode sair qualquer coisa, mas só coisa ruim.Eu pergunto: Alguém acha que os civis vão ficar quietos e não vão conseguir índice melhor que os militares? Ao pessoal do quartel, preparem-se.Vão começar a fazer muita formatura, reuniões, chamadas extras, jornadas mais longas, etc, etc. Tudo igual no pais de "Alice".

Anônimo disse...

O problema da falta de respeito e descasos constantes aos salários e aos militares não está com o político A ou B e sim na falta de liderança da tropa. Não adianta esbravejar para os homens e mulheres perfilados, obedientes e escravizados e colocar o rabo entre as pernas na hora de defendê-los diante de um governo corrupto e vingativo.

Ten Reis disse...

O pessoal definitivamente não sabe a diferença entre AUMENTO e REAJUSTE...com 32 anos de serviço, não me lembro qual foi o último AUMENTO de salário, e só recebemos REAJUSTE que não é AUMENTO. Essa historia de pagar REAJUSTE é só para enganar trouxas que nem nós, pois o reajuste vem sempre bem abaixo da inflação.

Anônimo disse...

O Gen Enzo, após 8 longos anos como Cmt Ex, deixou um grande legado para os graduados: podem usar distintivos dourados. Que coisa linda!!!

Anônimo disse...

Brincante mesmo é vc anônimo de 20 de maio de 2015 07:53, ou no mínimo teve amnésia, ou pior ainda, nem saiu das fraldas e fica repetindo o discurso de seus pais, pois não deve lembrar ou saber como foi o período compreendido entre o fim do governo militar e o início do governo petista.

Anônimo disse...

Lembram quando disseram que os "futuros" reajustes salariais dependeriam do caixa do governo? E agora, como fica? O caixa está negativo, estão raspando as moedinhas do cofrinho, tirando o dinheiro de uns para gastar com outros.Corre-se o risco de inventarem um desconto nos salários para contribuir com o caixa-furado deles.Só uma coisa é certa: haverá muito trabalho nas rodovias para o pessoal do EB. DNIT está falido,também, mas os "gênios" continuam com bons salários.

Anônimo disse...

a tropa tá sem comando... somos um bandão a deriva...

salve-se quem puder... se tudo der certo, meus filhos não farão parte dessa instituição feita de covardes...

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/05/ccj-do-senado-aprova-aumento-para-servidores-do-judiciario.html

Anônimo disse...

Boa noite companheiros, a situação tá caótica, sem perspectiva de melhora, infelizmente só há uma alternativa, renovar os empréstimo, pois aumento ou reajuste, não obteremos nada, acho que se conseguirmos derrubar a Medida Provisória do Mal seria o suficiente e ficaríamos satisfeitos, acho que o caminho é esse, um grande abraço a todos.

Anônimo disse...

boa noite a todos vamos começar mandando email para os deputados e senadores ...os sgts qes conseguiram porque o dep paulo pimenta que não tem nada haver com as FFAAs conseguiu aprovar a lei para a promoção dos mesmos...mas se osenado ode dar aumento de 78% para o judiciario..nós merecemos no minimo 40%,salario familia digno(porque esse salario familia é culpa dos nossos chefes),auxilia moradia....isso poderiam dar para nós...mas vamos mandar emails pros representantes nossos..

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics