23 de maio de 2015

Tá feia a coisa! Cadete da AMAN é licenciado por não pagar corrida de táxi


Atualização 23h30min
Um cadete da AMAN não pagou a corrida de táxi do Aeroporto do Galeão até Resende. Ao chegar ao destino, ele pediu para o motorista esperar na portaria do edifício, subiu para o apartamento e não voltou mais. Após um chá de banco de 50 minutos, o taxista desistiu e comunicou o fato ao comando da Academia.
O fato ocorreu em fevereiro. Esta semana, o militar, que é angolano, foi licenciado a bem da disciplina.

17 comentários:

Anônimo disse...

Corretíssima a aplicação da punição!
O fato gerador, não foi simplesmente o não pagamento do táxi, mas sim a atitude que contrariou o decoro da classe e a ética militar.
Certos princípios não podemos perder no nosso Exército.

Aqueles que leram a publicação da punição em BI entenderão, com certeza, que a punição foi muito bem aplicada.

Inclusive sugiro ao moderador que revise o título da matéria.

Anônimo disse...

Feio mesmo, uma vergonha um cadete do Exercito agir de tal maneira tem que ser expulso a bem da disciplina mesmo. Antes hoje expulso fazendo algo errado porem por si só do que amanha como um oficial comandando uma OM, onde tera mais oportunidades de dar golpe.

Anônimo disse...

Isso não é falta de dinheiro (por mais pouco que se ganhe) e sim falta de dignidade e educação...

Anônimo disse...

Muito interessante isso, se a punição tem por base que e cara tem que manter a postura todo tempo já que somos militar 24h, pq que quando sofremos acidente fora DK quartel tem que verificar serem relação com a atividade? A expressão " somos militares 24h" só serve pra jogar pra tampa. O ilícito q o cara cometeu não tem nada haver com a atividade militar. Um bom advogado vai reintegrar o cadete .

Anônimo disse...

Kkk... infelizmente o perrengue chegou até na elite... espero que agora entendam os praças pois estamos todos no mesmo barco.

Anônimo disse...

O Cadete licenciado é um Cadete Angolano fazendo intercâmbio no país.

Anônimo disse...

Ao comentário de 23 de maio de 2015 22:14.
Brincadeira...Todos comentando a matéria tranquilamente, você já vem com um chute na canela...Assim não dá...Recordo de um grande professor que tive na faculdade. Dizia o ilustre: eu passo a noite imaginando um exemplo para ser dado na sala de aula, ai vem o aluno e me levanta esse assunto...Daí põe tudo a perder...

Anônimo disse...

Conheci alguns alunos de intercâmbio militar, não em academia, que recebiam em dólar e só queriam passear, sair com mulheres e quase não se formaram. Se não fossem os colegas brasileiros, estudantes, dando aulas extras para que eles conseguissem as notas mínimas, seriam desligados. Mas cada cabeça uma sentença e comportamento.

Anônimo disse...

Antes de criticar, solicito aos analfabetos funcionais que leiam a noticia corretamente !
O militar em questao é ANGOLANO ,!!!!

Anônimo disse...

Esses caras quando chegam aqui fazem o que querem...

Anônimo disse...

Por favor revise o título, cadete amgolano em intercambio e não cadete da Aman

Anônimo disse...

Sendo cadete Angolano ou não, que fosse de qualquer nacionalidade e até mesmo brasileiro, um militar tem que ter postura, dignidade, carater e ética. É um absurdo isso acontecer, pois amanha este sera um oficial e cobrara de seus subordinados coisas de postura, dignidade e ética coisa que não tem. Esta correto ser desligado e ainda tem que informar o país de origem o ocorrido para que seja desligado lá tambem.

Anônimo disse...

De repente isso no pais dele pode ser normal!!!

Anônimo disse...

Não precisa revisar o texto, fazendo ressaltar que o cadete é "angolano". Se não fosse, o tratamento seria rigorosamente o mesmo. Não é a primeira vez e nem será a última que um cadete é excluído por golpes desse naipe. Antes de nos envergonhar, nos engrandece saber que o Exército, de alguma forma e embora imperfeito, ainda exclui militares por falta de preceitos morais que inexistem já há muito em outras instituições. Envergonhado deve ficar o ex militar que se prestou a tal papel tão ridículo.

Anônimo disse...

Montedo: pelos comentários, parece que seu blog está sendo monitorado!

Anônimo disse...

O CAdete é angolano? Que porra é essa? Para ser oficial do Exército brasileiro não deveria ser brasileiro nato?

Anônimo disse...

Tá bom, entendemos. O cadete é angolano.
Mas já vi aspirantes e tenentes cometerem atos piores e serem acobertados por seus comandantes.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics