6 de maio de 2015

Vídeo mostra soldado sendo agredido dentro de quartel do Exército no RJ

Jovem de 19 anos perdeu parte da visão do olho esquerdo após ser agredido com socos e chutes
Alexandre afirma que sofreu represálias dentro do ExércitoReprodução / Rede Record
Alexandre Costa Gomes, de 19 anos, resolveu denunciar as agressões que sofreu dentro de um alojamento de um quartel. Ele tomou essa decisão após ser dispensado do Exército.
Num dos episódios, o soldado levou chutes e pontapés de mais de dez homens. Um vídeo registrou o espancamento.
Nas imagens, é possível ver o soldado de casaco dentro do alojamento. O paraquedista é espancado pelos companheiros de farda. Ele leva chutes, pontapóes e até pauladas. O caso aconteceu em setembro de 2014, mas Alexandre se manteve calado até a sua dispensa.
— Tinha acontecido [as agressões] várias vezes. Não tinha como me defender. Era só esperar e apanhar. Eles faziam muito isso. Afogamento, botava a cabeça no vaso e dava descarga. Além disso, eu sofria constrangimentos e xingamentos.
Segundo o jovem, a situação piorou depois que ele denunciou o sargento para o comando da unidade. O paraquedista garante que a ordem para a agressão teria partido do próprio comando em represália às denúncias do soldado.
— Eu fiz uma quebra de comando sim, porque eu avisava para o comandante e ele não falava nada, aí eu fui ao comandante da companhia, tirei minha camisa e mostrei a marca. No momento da agressão estava uma gritaria e ninguém apartou. Quem estava de plantão na guarda, abriu a porta e só disse: "olha a bagunça aí".
Além de ter o sonho de ser paraquedista interrompido, Alexandre ficou com sequelas das agressões. Ele diz que perdeu parte da visão do olho esquerdo.
— Se reparar no vídeo, eles estão pisando na minha cabeça. Perdi quase totalmente a visão do olho esquerdo, só vejo vultos. Não posso fazer prova nem para a Guarda Municipal nem para a PM porque os testes são rigorosos.
O pai de Alexandre está a procura de um advogado para processar o Exército. O jovem afirma que situações como as que ele viveu são comuns.
— Isso que aconteceu lá dentro é uma coisa mínima. Mas para quem está de fora e não sabe o que acontece lá é uma brutalidade.
Em nota, o Comando da Brigada de Infantaria Paraquedista informou que, após tomar conhecimento do vídeo, determinou que fossem tomadas as medidas administrativas necessárias para esclarecer as condições do vídeo e a situação do ex-militar.
Alexandre Costa Gomes serviu na 1ª Companhia de Engenharia de Combate Paraquedista de 1º de março de 2014 a 9 de janeiro de 2015, quando foi licenciado por término de tempo de Serviço Militar.
R7/montedo.com

11 comentários:

Anônimo disse...

http://www.vecgaranhuns.com/2015/05/sub-comandante-do-71-bi-mtz-morre-apos.html

Anônimo disse...

Cadê o 'link' do vídeo?

Anônimo disse...

http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/video-mostra-soldado-sendo-agredido-dentro-de-quartel-do-exercito-no-rj-06052015

Anônimo disse...

Djalmão diz: Mais um querendo se aposentar às custas da nação! Se estava sofrendo violência, tinha que denunciar quando era possível verificar, via perícia, os ferimentos que alega ter sofrido...agora, passado meses ou ano, torna-se impossivel determinar a relação de causa e efeito entre as alegadas agressões e seu estado atual...vai ficar a palavra dele contra o EB...

Anônimo disse...

hummm... isso tá me cheirando vagabundagem querendo se encostar no EB...

Anônimo disse...

E qual o motivo dele ser tratado desta maneira? Porque os outros não eram tratados assim? Ou havia algum motivo que está oculto nas declarações desse indivíduo, ou isso é mais um golpe como tantos que se vê por aí.

Anônimo disse...

PODE ATÉ SER VERDADE, MAS TÁ TODO MUNDO QUERENDO ARRUMAR UM CABIDE SEM CONCURSO.

A SOLUÇÃO PARA O EB É : CONCURSO PRA TODO MUNDO, DO SOLDADO AO OFICIAL.

Ten Reis disse...

Tá na cara que é mais uma armação para tentar passar a vida tentando "mamar nas tetas do governo"...

celinho pc disse...

O cara foi espancado e tem.que ficar por.isso mesmo? O vídeo já foi mostrado várias vezes na TV! Fica evidente que foi crime e tem que ser apurado e os criminosos expulsos!o problema é que no exército entra qualquer um ,tem muito cara de favela sem instrucao alguma.deveria acabar com alistamento e todos os cargos,graduações ou posto por concurso público! Os oficiais mandam e demandam e os praças continuam a serem perseguidos e humilhados! Cadeia nesses vagabundos!

Alexsandre Martins disse...

Tem que desmascarar esses agressores

Anônimo disse...

Boto fé que nao é mentira nao pq eu ia servir nesse quartel ai mas fui pra reserva sei bem as pessoas e conheci ele era um rapaz tranquilao meio doido mas gente boa... fui ameacado varias vezes mas nem liguei mas pq de um erro fui dispensado...

~Aloprado

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics