4 de maio de 2015

Exército mapeia 'vazios cartográficos' com radar produzido em SP

São feitas imagens de áreas desconhecidas e de difícil acesso do país.
Parte do território, como a Amazônia, tem mapas imprecisos.

Do G1 Vale do Paraíba e Região
São José dos Campos (SP) - Um radar desenvolvido em São José dos Campos está sendo utilizado por equipes do Exército em serviços de mapeamento na região amazônica. O objetivo do trabalho é conseguir imagens de áreas desconhecidas e de difícil acesso - os chamados vazios cartográficos.
O mapeamento é feito desde 2008 na região Amazônica - falta precisão aos mapas existentes da região. Isso porque a cobertura de árvores e de nuvens na região dificulta informações detalhadas sobre relevo, rios e fronteiras.
Atualmente, 80% do trabalho está concluído. Neste momento as equipes estão mapeando o Amapá. O avião percorreu 600 horas de vôo sobre o Estado, levando um radar desenvolvido por uma empresa do Vale do Paraíba.
Segundo Astor Vasques, presidente da empresa, o radar atravessa as copas das árvores, produzindo imagens com alto nível de detalhamento. "O diferencial é que esse radar trabalha com dois comprimentos de ondas: uma onda menor, que quando o avião passa com o radar ele emite sinais eletromagnéticos que retornam das copas das árvores. A outra onda tem um comprimento de entre 80 centímetros e um metro. Ela é grande, passa pela copa das árvores e consegue fazer o mapeamento do solo, embaixo da floresta", explicou.
Os resultados dos trabalhos são os mapas cartográficos, que podem revelar áreas desmatadas, pistas de pouso clandestinas no meio da floresta e até alterar alguns pontos da fronteira do país."[O radar] vai identificar contornos de divisas, mas obviamente, a homologação destas divisas vai depender de órgãos que são encarregados disso", disse o general Silva Neto, que é diretor de serviços geográficos do Exército.
As imagens feitas pelo radar também são processadas em São José. Segundo o general, os novos mapas podem orientar o desenvolvimento da região e de projetos dos governos locais e federal. "Os radares são usados na parte de controle ambiental, monitoramento, planejar grandes obras de infraestutura, traçado inicial das estradas; permitem identificar estruturas disponíveis no terreno, agrupamentos de povoamento humano", afirmou.
G1/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns ao EB por ser o maior responsável pelo mapeamento no Brasil.

Anônimo disse...

É sempre assim, o EB fazendo o que os outros órgãos não querem fazer... pergunta pro IBGE se ele quer fazer parte deste projeto... pergunta pra FUNAI porque sempre chamam o EB pra fazer suas demarcações de terras indígenas no meio da selva, ao invés de usar seus próprios servidores para isso... exército de severinos...

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics