19 de julho de 2015

Terrorismo? Tiroteio em base militar americana deixa cinco militares mortos. Atirador também morreu.

Morre quinto militar ferido em tiroteio no Tennessee, nos EUA
Atirador disparou em dois centros militares e também morreu.
FBI ainda considera 'prematuro' especular motivações do ataque.

Local de recrutamento das forças armadas americanas com tiros nos vidros e isolamento policial em Chattanooga (Foto: (Tim Barber/Chattanooga Times Free Press via AP)
Local de recrutamento das forças armadas americanas com tiros nos vidros e isolamento policial em Chattanooga (Foto: Tim Barber/Chattanooga Times Free Press via AP)


Da France Presse
Um quinto militar dos Estados Unidos morreu neste sábado (18) após ser ferido nos ataques a instalações militares em Chattanooga, no Tennessee (sul dos EUA), informou a imprensa norte-americana.
A última vítima, um fuzileiro naval, morreu após ser ferido na quinta-feira (16), quando Mohammad Youssuf Abdulazeez, de 24 anos, abriu fogo em dois centros militares.
No total, cinco soldados foram mortos e outros dois ficaram feridos. O atacante foi morto pouco depois durante um confronto com a polícia.
O ataque foi inicialmente descrito como ato de "terrorismo interno" pelo procurador federal do distrito leste de Tennessee, Bill Killian, mas o FBI, que investiga o caso, considerado "prematuro" especular sobre as motivações do seu autor.

Foto de abril de 2015 mostra Mohammad Youssduf Adbulazeer, identificado como o atirador em centros militares no Tennessee nesta quinta-feira (16), depois de ser detido por infração de trânsito (Foto: Hamilton County Sheriffs Office via AP)O tiroteio
O ataque ocorreu num momento em que o Exército norte-americano e autoridades estão cada vez mais preocupados com a ameaça que "lobos solitários" representam para alvos dentro do país.
O suspeito, visto dirigindo um Ford Mustang conversível, primeiro foi para um centro de recrutamento militar em um shopping de rua e começou a atirar, acertando vários tiros na fachada de vidro. O atirador então seguiu para o Centro da Reserva da Marinha, a 10 quilômetros de distância, matando os quatro fuzileiros navais antes de ser morto a tiros em um confronto com a polícia.
A emissora NBC News relatou que Abdulazeez era naturalizado norte-americano, nascido no Kuweit. Autoridades dos Estados Unidos informaram que estavam investigando se ele foi inspirado pelo Estado Islâmico ou algum grupo militante similar.
G1/montedo.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Imagina de fosse no Brasil. O terrorista poderia ter cometido as mesmas mortes, ou até mais, e os policiais que o tivessem matado seriam afastados, investigados e teriam que responder pela morte do "pobre homem", que tinha problemas psicológicos.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics