31 de maio de 2017

Auditor de carreira, novo ministro da Transparência já foi capitão do Exército

Júnia Gama e Renata Mariz - O Globo
BRASÍLIA - Alçado a ministro interino da Transparência após o impasse com a recusa de Osmar Serraglio em assumir o comando da pasta, Wagner Rosario que passou 27 anos servindo ao Exército. Antes de se tornar servidor da Controladoria-Geral da União (CGU), em 2009, Rosario era capitão com formação na Academia Militar das Agulhas Negras.
Sua vocação para a área de Controladoria se mostrou tardia. Antes de ingressar no órgão – que se tornou Ministério da Transparência sob a gestão Michel Temer –, Rosario teve uma ampla formação na área de Ciências da Saúde. A primeira formação foi em Educação Física, curso no qual se graduou em 2000, pela Escola de Educação Física do Exército. Depois, fez uma especialização em Fisiologia do Exercício e Avaliação Morfofuncional, na Universidade Gama Filho. Seu trabalho de conclusão foi sobre os “efeitos da suplementação de creatina no desempenho de corrida de 400m rasos”.
Em seguida, Rosario decidiu fazer uma especialização em Ciências Militares, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, para estudar a “Validação Cruzada do Procedimento antropométrico de COHEN para a estimativa do percentual de gordura em militares masculinos”. Em 2003, ele concluiu um mestrado em Educação Física na Universidade Católica de Brasília.
Foi somente em 2009 que Rosario se tornou auditor federal de Finanças e Controle. Em 2015, abraçou de vez a carreira e ingressou em um mestrado em Corrupção e Estado de Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha. Lá, publicou a tese “O papel do controle interno na luta contra a corrupção, com ênfase na investigação conjunta desenvolvida no Brasil e na Espanha”, em 2016. Pouco tempo depois de retornar ao Brasil da temporada de dois anos na Espanha, tornou-se secretário-executivo do ministério.
Wagner Rosário é apontado por colegas como um perfil técnico. Ocupou por seis anos um cargo na Coordenação de Operações Especiais da CGU, que participa de ações em conjunto com outros órgãos, como Polícia Federal e Ministério Público Federal, em casos graves de dano ao erário com evidências de corrupção. Por esse motivo, mantém bom trânsito entre as instituições, incluindo a Advocacia-Geral da União.
Ontem, Rosário convocou todos os servidores, após o protesto ao redor do prédio contra a indicação de Osmar Serraglio ao Ministério da Transparência, que rejeitou o cargo nesta terça-feira. Naquele momento, segundo funcionários do órgão presentes à reunião, o então secretário-executivo afirmou que a pasta é um órgão de Estado e que todos deveriam atuar de acordo com essa diretriz, independentemente do cenário político. Rosário é apontado por colegas como um servidor sem vinculação aparente com sindicatos ou partidos políticos.
EXTRA/montedo.com

32 comentários:

Anônimo disse...

Deveria ser ministro dos esportes

Anônimo disse...

Mais um que meteu o pé do EB.. pelo menos que seu passado eleve o bom nome da instituição...

Anônimo disse...

Como diriam os antigos: Não tinha vocação para a carreira das armas. kkkkkkkkk

Anônimo disse...

Quando percebeu a furada, meteu o pé.

Conta se paga com dinheiro e não com amor e dedicação exclusiva.

Rogério da Silva Gomes - 1ª Sgt disse...

Se já é ruim conseguir informações em relação as Forças Armadas, agora vai ficar pior.

Rogério da Silva Gomes - 1ª Sgt disse...

O Exército Brasileiro retirou da página do DGP a consulta " INFORMAÇÃO DE PESSOAL ". Deve ser para que deixamos de tomar conhecimento com o elevado número de Oficiais superiores e Generais que estão no regime de PTTC, isto é, vampirando.

Anônimo disse...

Excelente ! Um vencedor. Valeu todo o seu esforço, garra, determinação, etc ... É isso ai.

Desejo-lhe muito sucesso na nova função.

Anônimo disse...

afinal ele é o que?
tem umas inf bem desencontradas, saude??? educação??? direito??
corrupção, investigação???
toca 7 instrumentos, mas de que??
a unica coisa q sabemos é q é politico bem relacionado, mas relação com quem???? o mundo politico explodiu.
afinal ele é o que, alem da tapa buraco.

Anônimo disse...

Vamos às contas:

oficial da AMAN
27 anos de serviço
Capitão em 2009
tem coisa errada......ah já sei!!


Jornalistas esquerdistas!

Anônimo disse...

Onde estão agora os vários críticos dos Oficiais do Exército ... Vamos lá qual será a crítica agora...

Luis Fernando Smidt disse...

Essa biografia está um pouco confusa. Ele era capitão QAO? Senão era, como passou 27 anos no Exército sendo apenas capitão?

Anônimo disse...

Então senhores..

Vamos parar de chorar, de lamúrias, de mimimis...

E VAMOS PAPIRAR, só o papiro liberta você do sistema opressor.

Este aí é um dos exemplos. Foi capitão. Hoje ganha mais que o Chefe da Força.

Anônimo disse...

Wagner Rosário que passou 27 anos servindo ao Exército. Antes de se tornar servidor da Controladoria-Geral da União (CGU), em 2009, Rosário era capitão com formação na Academia Militar das Agulhas Negras. Ainda não entendi????

Anônimo disse...

Chego a seguinte conclusão: Se tá ruim para os oficiais e estão metendo o pé, imagina a pracinha! Partiu AFRF!

Anônimo disse...

Que honra ver o ex-capitão Campos alçar esse posto. Servimos juntos em Vila Velha-ES, ele é natural de Juiz de Fora, bom garoto e foi excelente oficial. Antes dele o ex-capitão Claudemir (comandos, FE, etc) também tomou posse na CGU, passaram no concurso juntos, Campos entrou um ano depois de Claudemir. Corrigindo a reportagem, ele não passou 27 anos no Exército, quando saiu era capitão recém promovido.
O 38º BI "perdeu" muitos oficiais e praças para grandes instituições públicas. Tudo começou em 1997 quando um 2º Sgt Sau entrou para a PF e despertou o entusiamos dos demais para o estudo. Se eu fosse enumerar aqui, certamente lembraria de uns 30, entre praças e oficiais que hoje são auditores estaduais e federais, estão na PRF, na PF, na AGU, professores universitários etc.
Lembro de um caso em que um certo tenente (não vou citar o nome) , primeiro lugar da AMAN passou para Auditor fiscal de SP. Quando foi chamado pelo Cmt para persuadi-lo a desistir pois tinha uma carreira brilhante na força por ser "Zero Um", ele respondeu automaticamente: "Cmt, porque vou esperar mais de 40 anos para ganhar como um general se vou receber mais que isso no próximo mês?"

#ficaadica.... Estudem e parem de reclamar

Anônimo disse...

Pelo que vi ele não vai ser o ministro mesmo... vai ser interino até que seja nomeado o ministro de fato. Seria uma boa que ele fosse o titular...

Anônimo disse...

Minha continência a este jovem. Como disse um camarada: contas são pagas com dinheiro. Sinceramente, tá difícil

Anônimo disse...

Caramba, o que vai render de comentário de praça revoltado ...ah a PRF ! aah a Puliça Federá ! aah eu tenho que ir embora kkkk

Anônimo disse...

Praça é coisa ruim mesmo..fica até o fim e roe o osso pra ser QAO...tristeza

Anônimo disse...

TURMA DE 1996 PREJUDICADA NO QA MAIS UMA VEZ !!!
A Força é bela e jurei com o sacrifício da própria vida ! Sacrifico meus filhos, minha esposa, tenho carro velho e cheio de emprestimo...o nome disso é c" com o sacrificio da própria vida."

João Batista de Castro Castro disse...

Capitão da Academia com 27 anos de serviço?

1 sgt inf disse...

tá disponível sim...mas só acessa com intranet (EB NET)

Anônimo disse...

Muito praça recalcado aqui. Deixe o capitão R1 fazer seu trabalho em paz, ô caldeirão!!!

Anônimo disse...

Excelente comentário:

Anônimo Anônimo disse...

Que honra ver o ex-capitão Campos alçar esse posto. Servimos juntos em Vila Velha-ES, ele é natural de Juiz de Fora, bom garoto e foi excelente oficial. Antes dele o ex-capitão Claudemir (comandos, FE, etc) também tomou posse na CGU, passaram no concurso juntos, Campos entrou um ano depois de Claudemir. Corrigindo a reportagem, ele não passou 27 anos no Exército, quando saiu era capitão recém promovido.
O 38º BI "perdeu" muitos oficiais e praças para grandes instituições públicas. Tudo começou em 1997 quando um 2º Sgt Sau entrou para a PF e despertou o entusiamos dos demais para o estudo. Se eu fosse enumerar aqui, certamente lembraria de uns 30, entre praças e oficiais que hoje são auditores estaduais e federais, estão na PRF, na PF, na AGU, professores universitários etc.
Lembro de um caso em que um certo tenente (não vou citar o nome) , primeiro lugar da AMAN passou para Auditor fiscal de SP. Quando foi chamado pelo Cmt para persuadi-lo a desistir pois tinha uma carreira brilhante na força por ser "Zero Um", ele respondeu automaticamente: "Cmt, porque vou esperar mais de 40 anos para ganhar como um general se vou receber mais que isso no próximo mês?"

#ficaadica.... Estudem e parem de reclamar

Anônimo disse...

"Cmt, porque vou esperar mais de 40 anos para ganhar como um general se vou receber mais que isso no próximo mês?"

#ficaadica.... Estudem e parem de reclamar

Entrou enganado para o EB ? Foi obrigado pela família ? Que exemplo ! O responsável pelo comentário com certeza é um invejoso recalcado, não passou em nenhum concurso e sofre ou sofreu muito quando servia. Um ser humano digno de pena.

Anônimo disse...

Mais um gênio que foi enganado ou mais um embromador, acochambrador, passador de missão, fura-olho, babão e golpista ?

Anônimo disse...

Há gente aqui muito preocupado com praças. Na Aeronáutica, é muito comum sargentos fazerem concurso para Auditor Fiscal e, mais importante, passarem. Vi vários amigos e colegas saírem para trabalhar na Receita Federal ou viraram fiscais do estado, todos com altos salários. Também conheci um vizinho, sargento do EB e professor aqui fora, que hoje em dia é Auditor Fiscal. Então, meu caro, não é dizer que oficial é inteligente ou esforçado. É, sim, determinação ou condição de cada um. Existe gente que é "bitolada" pela carreira militar. Tudo bem! É, a meu entender, hoje em dia, masoquismo; mas "cada um no seu cada um".

Anônimo disse...

Alfredo Nascimento nasceu em 1952 na cidade de Martins, no estado do Rio Grande do Norte (RN). Há mais de 30 anos adotou a cidade de Manaus e o estado do Amazonas como residência fixa, onde construiu sua carreira política e administrativa. Formado em Letras pela Universidade Federal do Amazonas, iniciou sua carreira profissional como COnTROLADOR DE VOO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA. Em sua vida pública exerceu os seguintes cargos:
· Secretário Extraordinário, Prefeitura Municipal, Manaus, 1983-1983;
· Secretário Municipal de Administração, Prefeitura Municipal, Manaus, 1984-1986;
· Secretário de Estado de Administração, Governo do Estado, 1987-1987;
· Prefeito Interventor de Manaus, 1988;
· Superintendente da Zona Franca de Manaus (Suframa), 1990-1991;
· Secretário de Estado da Fazenda , Governo do Estado, 1989-1989;
· Presidente do Conselho de Administração, Processamento de Dados do Estado (Prodam), 1989-1990;
· Presidente do Conselho de Administração, Banco do Estado, 1989-1990;
· Secretário Municipal de Economia e Finanças, Prefeitura Municipal, Manaus, 1993-1994;
· Vice-governador do Estado do Amazonas, 1994-1996;
· Secretário de Estado da Fazenda, Governo do Estado, 1995-1995;
· Superintendente de Estado da Saúde, Governo do Estado, 1995-1996

Em 1996, Alfredo Nascimento foi eleito prefeito de Manaus, para o período de 1997 a 2000. Em 1999, filiou-se ao Partido da República, tornando-se o primeiro prefeito de capital filiado a este partido. Disputou a reeleição em 2000 e foi reconduzido ao cargo de prefeito para o período de 2001 a 2004.

No início de 2004, Alfredo Nascimento aceitou convite do então Presidente Luís Inácio Lula da Silva e assumiu o comando do Ministério dos Transportes de 2004 a 2006. Sua gestão foi marcada pela ampliação dos recursos para investimento e pela retomada de obras pelo Governo Federal.

Em 2006 foi eleito Senador da República pelo Estado do Amazonas para o mandato de 2007 a 2015. Em 2007, no entanto, se licenciou para assumir o Ministério dos Transportes pela segunda vez, que se estendeu até 2011. Neste mesmo ano reassumiu o mandato no Senado Federal, onde permaneceu até o final da Legislatura, em 2015.

Desde 2010, Alfredo Nascimento é Presidente Nacional do PR e em 2015 assumiu o mandato como Deputado Federal para a Legislatura até 2019.

Vejam que temos vários exemplos pelo País de personalidades oriundas das FFAA, isso é uma questão de dedicação, estudos, perseverança, oportunidade e muito trabalho.
OBS. Mas o fator principal é...com qual pessoa você está caminhando lado a lado diariamente.

Anônimo disse...

...excelente ! Querem dinheiro ? metam o pé !! Querem perrengue, facadas nas costas, falsidade, carreira incerta (toda hora muda portaria e regra do jogo), salário familia de 16 centavos, falta de PNR , Comandantes Vagabundos e Mau caráter ?! Fiquem no EB.KKKKKK !

Anônimo disse...

Considerando o risco de assalto, todo cidadão tem que ter uma formação militar.

Anônimo disse...

Seu retardado invejoso

Anônimo disse...

so complementando o que o 31 de maio de 2017 16:22 disse, esse camarada que passou para auditor em SP, antes de ir para AMAN, formou-se Sgt Com na ESSA em 2003. O conheci pessoalmente, não era ninguém de uma inteligência fora do comum, então senhores lhe digo:

para passar em concurso so precisa de 2 coisas: disciplina e dedicação.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics