11 de agosto de 2015

Defesa quer dobrar medalhas de atletas militares nos Jogos Olímpicos do Rio

Agência Brasil
O Ministério da Defesa quer dobrar a número de medalhas conquistadas por atletas militares nos Jogos Olímpicos de 2016. Nos jogos de Londres, em 2012, os competidores ligados às Forças Armadas ganharam cinco das 17 medalhas conquistadas pelo Brasil.
“Estamos nos esforçando para que o Brasil esteja entre os dez primeiros no quadro de medalhas. Os militares defendem ser membros ativos, de modo que o país não só fique, mas permaneça nesse quadro”, disse o diretor do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, brigadeiro Carlos Amaral.
O brigadeiro coordena o Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento nas Forças Armadas. Pelo projeto, os atletas recebem salários, têm local para treinamento, além de plano de saúde, atendimento médico, odontológico, fisioterápico, alimentação e alojamento. Eles chegam ao programa por meio de concursos para vagas de militar temporário e podem ficar por até oito anos.
A expectativa é que 100 atletas militares participem dos Jogos do Rio. Nos últimos Jogos Panamericanos, em Toronto, no Canadá, a participação de atletas militares chamou atenção, porque, durante a cerimônia de premiação, eles prestavam continência à bandeira do Brasil.
Além dos gastos com segurança, o Ministério da Defesa estima investir R$ 120 milhões na reforma e construção de instalações esportivas para treinamento de atletas. “Vamos deixar para a sociedade um modelo de gestão esportiva, com nossas instalações como centro de alvos de tiro, pistas de atletismo e piscinas”, acrescentou o brigadeiro.
EBC/montedo.com

8 comentários:

Anônimo disse...

Inchando a nossa folha de pagamento, principalmente do exército. São mais de cem tecnico temporário de alto desempenho. Pergunto se não existe um ministério dos esportes com competência suficiente para administrar está missão. Fica a pergunta aos blogeiros: A defesa tem um orçamento, e parte dele é para pagamento de pessoal, estou certo? Então porque assumir um gasto desnecessário, se todos sabemos que estes atletas não tem na verdade missões militares ou de apoio. Foram formados em 45 dias, não tiram serviços, escala nenhuma, não dão instruções. Qual a vantagem para a força, marketing?. Não precisamos disto, pois graças ao nosso trabalho do braço forte e mão amiga somos a instituição de maior credibilidade no Brasil.

Anônimo disse...

A Defesa tem que dobrar é o nosso salário.

Por em votação a MP do Mal, álias pura maldade com atropa.

Preajuste em parcela única para os severinos da nação, os faz tudo.

Se ligue Ministro.

Anônimo disse...

O Brasil amanhã, caso o povo (FFAA) deixe o PT governar o Brasil
http://veja.abril.com.br/multimidia/video/caos-na-venezuela-e-maracutais-eleitorais

Anônimo disse...

Atletas militares? São atletas de aluguel; mais uma farsa brasileira...

Anônimo disse...

Excelente comentário do companheiro 09:02h.
Vida que segue...

Anônimo disse...

Concordo com vc ANONIMO 09:02.
CRISE financeira e as Forças Armadas gastando com marketing desnecessario.
O mesmo que a CAIXA ECONOMICA faz ao patrocinar time de futebol.

Anônimo disse...

O paisano olha e pensa que esta SOBRANDO dinheiro.Entao, pra que aumento?kkk

Anônimo disse...

Que tal usar estes 120 milhões em infraestrutura para os militares das forças armadas que diariamente tiram serviços em quartéis, navios e bases aéreas. Falam em deixar o legado dos estandes de tiro como se os simples mortais das tropa fossem usar depois, todos sabemos que será para uma minoria treinar tiro esportivo.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics