20 de agosto de 2015

Marinha: a história se repete

1280px-USS_DAVIDSON_(FF-1045)
Na década de 90 a Marinha do Brasil (MB) viu-se numa encruzilhada: seus contratorpedeiros das classes Fletcher, Allen M. Sumner e Gearing recebidos na década de 70 estavam sendo desativados e a construção das corvetas classe “Inhaúma” que previa 16 navios, ficou somente em 4 unidades.
A solução encontrada pela MB na época foi adquirir 4 fragatas classe “Garcia” desativadas pela U.S. Navy (foto acima).
No século XXI, depois das tentativas de se construir navios de guerra no Brasil, o expediente deve se repetir, com a aquisição de navios usados.
A escolta mais nova da Esquadra brasileira é a corveta Barroso, que demorou 14 anos para ser construída. Em comparação, a China constrói 8 corvetas Type 056 por ano!
A Esquadra brasileira encontra-se atualmente em situação bem mais difícil, seus navios estão mais velhos e no mercado internacional existem poucas opções de usados. Em setembro, a MB deve desativar a fragata Bosísio (F48) e, em 2016, a fragata Niterói (F40).
Como agravante temos uma crise política e econômica no país que tão cedo não será resolvida e os planos de construção de novos navios para a Marinha não têm previsão de serem colocados em prática.
O Comandante da Marinha do Brasil está visitando os EUA e pode voltar com novidades para solucionar o grave problema da Esquadra. Pelo jeito, a história pode se repetir com a compra de 4 fragatas dos EUA, desta vez navios da classe “Oliver Hazard Perry” – OHP.
DN-ST-91-05246
As fragatas OHP não têm mais o lançador de mísseis Mk.13 da proa, mas mesmo assim são navios que podem operar com os novos helicópteros Sikorsky Seahawk SH-16. Além disso, empregam a turbina LM2500 que também é usada nas corvetas classe Inhaúma e Barroso.
A transferência de 4 fragatas OHP à MB permitiria a desativação das três corvetas classe “Inhaúma” que estão paradas há muito tempo e que dificilmente voltarão a operar a contento.
Por outro lado, as OHP poderiam dar à Esquadra mais um fôlego até a chegada das corvetas classe “Tamandaré” e das fragatas do programa Prosuper, se este vier mesmo a se concretizar.
Fragatas OHP atracadas
Na tabela abaixo pode-se ver o status das fragatas OHP construídas nos EUA, entre as quais algumas estão disponíveis para transferência.

Nome da fragataIndicativoVisualConstrutorComissionamento–DescomissionamentoDestino
Oliver Hazard PerryFFG-7Bath Iron Works1977–1997Inutilizada para desmanche, 21 de abril de 2006
McInerneyFFG-8Bath Iron Works1979–2010Transferida ao Paquistão como PNS Alamgir (F-260)
WadsworthFFG-9Todd Pacific Shipyards (Todd), San Pedro1978–2002Transferida à Polônia como ORP Gen. T. Kościuszko (273)
DuncanFFG-10Todd, Seattle1980–1994Transferida à Turquia para sobressalentes
ClarkFFG-11Bath Iron Works1980–2000Transferida à Polônia como ORP Gen. K. Pułaski (272)
George PhilipFFG-12Todd, San Pedro1980–2003Descomissionada para ser desmanchada, em 24 de maio de 2004
Samuel Eliot MorisonFFG-13Bath Iron Works1980–2002Transferida à Turquia como TCG Gokova (F 496)
SidesFFG-14Todd, San Pedro1981–2003Descomissionada para ser desmanchada, em 24 de maio de 2004
EstocinFFG-15Bath Iron Works1981–2003Transferida à Turquia como TCG Goksu (F 497)
Clifton SpragueFFG-16Bath Iron Works1981–1995Transferida à Turquia como TCG Gaziantep (F 490)
construída para a Austrália como HMAS AdelaideFFG-17Todd, Seattle1980–2008Desativada e afundada para servir de recife artificial, 13 de abril de 2011
construída para a Austrália como HMAS CanberraFFG-18Todd, Seattle1981–2005Desativada e afundada para servir de recife artificial, 4 de outubro de 2009
John A. MooreFFG-19Todd, San Pedro1981–2000Transferida à Turquia como TCG Gediz (F 495)
AntrimFFG-20Todd, Seattle1981–1996Transferida à Turquia como TCG Giresun (F 491)
FlatleyFFG-21Bath Iron Works1981–1996Transferida à Turquia como TCG Gemlik (F 492))
FahrionFFG-22Todd, Seattle1982–1998Transferida ao Egito como Sharm El-Sheik (F 901)
Lewis B. PullerFFG-23Todd, San Pedro1982–1998Transferida ao Egito como Toushka (F 906)
Jack WilliamsFFG-24Bath Iron Works1981–1996Transferida ao Bahrain como RBNS Sabha (FFG-90)
CopelandFFG-25Todd, San Pedro1982–1996Transferida ao Egito como Mubarak (F 911), rebatizada Alexandria em 2011
GalleryFFG-26Bath Iron Works1981–1996Transferida ao Egito como Taba (F 916)
Mahlon S. TisdaleFFG-27Todd, San Pedro1982–1996Transferida à Turquia como TCG Gokceada (F 494)
BooneFFG-28Todd, Seattle1982–2012Descomissionada para ser desmanchada, 23 de fevereiro de 2012
Stephen W. GrovesFFG-29Bath Iron Works1982–2012Descomissionada para ser desmanchada, 24 de fevereiro de 2012
ReidFFG-30Todd, San Pedro1983–1998Transferida à Turquia como TCG Gelibolu (F 493)
StarkFFG-31Todd, Seattle1982–1999Descomissionada para ser desmanchada, 21 de junho de 2006
John L. HallFFG-32Bath Iron Works1982–2012Descomissionada para ser desmanchada, 9 de março de 2012
JarrettFFG-33Todd, San Pedro1983–2011Descomissionada para ser desmanchada, 26 de maio de 2011
Aubrey FitchFFG-34Bath Iron Works1982–1997Descomissionada para ser desmanchada, 19 de maio de 2005
construída para a Austrália como HMAS SydneyFFG-35Todd, Seattle1983-Em serviço ativo (Royal Australian Navy)
UnderwoodFFG-36Bath Iron Works1983-2013Descomissionada para ser desmanchada, 8 de março de 2013
CrommelinFFG-37Todd, Seattle1983-2012Descomissionada para ser desmanchada, 26 de outubro de 2012
CurtsFFG-38Todd, San Pedro1983-2013Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 25 de março de 2013
DoyleFFG-39Bath Iron Works1983-2011Descomissionada para ser desmanchada, 29 de julho de 2011
HalyburtonFFG-40Todd, Seattle1983-2014Descomissionada, 6 de stembro de 2014
McCluskyFFG-41Todd, San Pedro1983-2015Descomissionada, 9 de janeiro de 2015
KlakringFFG-42Bath Iron Works1983–2013Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 22 de março de 2013
ThachFFG-43Todd, San Pedro1984-2013Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 1 de novembro de 2013
construída para a Austrália como HMAS DarwinFFG-44Todd, Seattle1984-Em serviço ativo (Royal Australian Navy)
De WertFFG-45Bath Iron Works1983-2014Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 4 de abril de 2014
RentzFFG-46Todd, San Pedro1984-2014Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 9 de maio de 2014
NicholasFFG-47Bath Iron Works1984-2014Descomissionada para ser desmanchada, 17 de março de 2014
VandegriftFFG-48Todd, Seattle1984-2015Descomissionada, 19 de fevereiro de 2015
Robert G. BradleyFFG-49Bath Iron Works1984-2014Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 28 de março de 2014
TaylorFFG-50Bath Iron Works1984-Descomissionada em maio de 2015
GaryFFG-51Todd, San Pedro1984-Descomissionada em agosto de 2015
CarrFFG-52Todd, Seattle1985-2013Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 13 de março de 2013
HawesFFG-53Bath Iron Works1985–2010Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 10 de dezembro de 2010
FordFFG-54Todd, San Pedro1985-2013Descomissionada para ser desmanchada, 31 de outubro de 2013
ElrodFFG-55Bath Iron Works1985-2015Descomissionada, aguardando venda militar estrangeira, 30 de janeiro de 2015
SimpsonFFG-56Bath Iron Works1985-Em serviço ativo, para ser descomissionada em agosto de 2015
Reuben JamesFFG-57Todd, San Pedro1986-2013Descomissionada para ser desmanchada, 30 de agosto de 2013
Samuel B. RobertsFFG-58Bath Iron Works1986-Em serviço ativo, para ser descomissionada em maio de 2015
KauffmanFFG-59Bath Iron Works1987-Em serviço ativo, para ser descomissionada em setembro de 2015
Rodney M. DavisFFG-60Todd, San Pedro1987-2015Descomissionada em 23 de janeiro de 2015, programada para desmanche
IngrahamFFG-61Todd, San Pedro1989-2014Descomissionada em 12 de novembro de 2014
PODER NAVAL/montedo.com

6 comentários:

Anônimo disse...

Serví a Marinha do Brasil por longos anos e ví a chegada da fragata Niterói ! Uma pena o Brasil viver de restos de navios,verdadeiras sucatas que serviam somente para gastar zarcão e tinta além de inflar o ego de oficiais que queriam que marujos fizessem milagres em tantas ferrugens a base de prisão,impedimentos e todas a sorte de arbitrariedade ! Espero que tenha mudado esta mentalidade ! Um país que pleiteia um assento no Conselho de segurança da ONU não pode e nem deve pensar tão pequeno !

Anônimo disse...

E quem seria o ou os responsáveis por essa falta de planejamento e falta de investimentos? De que adianta ter tanta gente chegando ao topo do comando e não poder fazer nada? Alguma saída deve existir ou correr o risco de voltarmos às caravelas, não aquela construída para os quinhentos anos que pode navegar.

Anônimo disse...

Melhor desativar a Armada, economizar e investir mais em pessoal: viagens, cursos no exterior, representações e diárias. Pixuleco.

Anônimo disse...

Se os navios não prestam, só gastam dinheiro e dão prejuízo, então, usem para como museu e visitação que vai render mais, ou vende na sucata.Do jeito que as coisas andam por aqui, quando o submarino nuclear brasileiro for terminado, se terminarem, não terá mais serventia.

Anônimo disse...

Do jeito que anda daqui a pouco a 4 frota proposta pelos EUA vai patrulhar as costas brasileiras já que o Brasil não faz o seu papel. Os paises estrangeiros vão adorar.
Pais que não garante a soberania nacional, não manda na propria casa.

Anônimo disse...

Uma saída: servir de alvo de artilharia e, depois que afundar, irá contribuir para atrair mais peixes.Agora que não tem mais navios, não adianta espernear, pois falta coragem e dinheiro.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics