23 de agosto de 2015

Os 100 anos do 'piri-pipi'

Créditos: arte de Sylvio Moya sobre charge do blog Radio Amadorismo Carioca
Sylvio Moya
O Serviço Rádio era bem mais antigo que o C Infor/3, tendo sua origem em 1915, com a criação do Serviço Rádio do Ministério do Exército (SRMEX), por meio do Aviso Ministerial nº 1.243, em 23 de agosto daquele ano. Com sede em Brasília e operado por seções em cada Comando de Região Militar, o SRMEX gerenciava a Rede Rádio Fixa (RRF), responsável pela transmissão de mensagens, os radiogramas , entre todas as Organizações Militares do Exército. Por várias décadas, a radiotelegrafia constituiu-se no principal meio de comunicações do Exército e pelas ondas de rádio trafegavam as notícias de movimentações, promoções e variadas informações de suma relevância para a rotina administrativa das OM e dos militares em geral.
Em 1994, o SEC evoluiu com a implantação da Rede Integrada de Telecomunicações do Exército ( RITEX ), que tinha por objetivo estabelecer comunicações telefônicas privativas, com maior segurança e praticidade, no âmbito do Exército, pavimentando assim o caminho para novas tecnologias da informação. A RITEX aproveitava-se de Linhas Telefônicas Privativas contratadas para a transmissão de telegrafia automatizada (teletipo), que eram compartilhadas com sinais de voz.

7 comentários:

Anônimo disse...

UM grande abraço aos antigos e atuais integrantes das SERRA em especial aqueles que fizeram parte da SERRA/9 em campo grande - MS, até a extinção dos Serviço Rádio Regional Área em 1997 com a criação do CTA - e com a STI hoje o CITEX foram muitas histórias e com um trabalho fantástico executados por estes profissionais em um período que a tecnologia não acompanhava a capacidade destes profissionais tentem imaginar telefonia em forte Coimbra, cáceres em 1994, 1990, 1980, 1975 agora vejam o potencial daqueles que fizeram do exército o que ele é hoje nesta área. só para os mais novos entenderem a telefonia celular analógica começou em 1998 no Brasil, internet nas capitais como São Paulo e Rio de Janeiro e Brasília em 1999.

Anônimo disse...

Parabéns RT pelo profissionalismo e dedicação!

Fernando disse...

Fui do antigo SRMG, por ser radiotelegrafista 1ª classe (carteira expediado pelo antigo DCT), por ordem do ministro da época fiquei a disposição do QRE (quadro rádio do exército), por vários anos, depois fui para C.com de um grande comando e finalmente no C.com/Gab Min Ex, nos anos 90, foi um prazer prestar serviço no antigo Serviço Rádio, me traz muitas recordações.

Anônimo disse...

ACREDITEM: os CT/CTA´s são os inimigos da REDE RÁDIO FIXA DO EXÉRCITO.

quem é telegrafista sabe disso.

raras exceções...

S/17 - 2004

Anônimo disse...

pena que hoje em dia o sv radio esta abandonado, pelo menos aqui na área do 1º cta.

MARNO MATTE disse...

Não vamos dizer que está abandonado... Com novas formas de comunicação a casa teve que se reformular também. O velho espírito de Cândido Mariano da Silva Rondon continua no nosso coração. RONDON.
DPF

Anônimo disse...

O Serviço Rádio acabou, não se iludam, depois da última portaria do DCT que regulou o Serviço Rádio, ele perdeu o status de serviço estratégico para o EB. Hoje os Radiotelegrafistas não são exclusivos da Estação Rádio, desempenham outras funções e cargos nas OM, tiram serviço em outras escalas e só vão para a Estação quando são acionados por telefone. Antes o Serviço era 24 hs, poderiam ser acionados a qualquer hora, na atual legislação a Estação Rádio funciona no mesmo horário de expediente da OM, terminou o expediente tranca a porta e vai embora. Antes a Rede Rádio Fixa era estratégica, funcionava 24h/7 dias. Quando havia alguma Operação Militar real como apoio às eleições ou GLO os operadores davam suporte como PDR da rede operacional dos Comandos Militares de Areas, usando a interface PIRF e trafegando em cw e dados e integrando as redes operacionais e de inteligência.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics