16 de setembro de 2016

Exército deve entregar quinhentos novos imóveis funcionais para subtenentes e sargentos até 2018

Novas residências funcionais do Exército

Fortaleza
O Exército Brasileiro está prestes a disponibilizar novas residências funcionais para a família militar da Guarnição de Fortaleza. Trata-se do Condomínio da Vila Militar “Subtenente Milton Vieira de Paula”.
O Condomínio, que começou a ser construído em abril de 2014, agora está em fase de recebimento provisório. Constitui-se de 83 apartamentos e três casas. São duas torres, com quatro apartamentos por andar, quatro elevadores, salão de festas, bicicletário, salão de jogos, lan house e playground. Cada unidade habitacional possui cerca de 120 m² de área, três quartos, três banheiros, além de outras dependências.
Estes novos Próprios Nacionais Residenciais (PNR) são destinados a subtenentes e sargentos das organizações militares de Fortaleza. Segundo a 10ª Região Militar, responsável pela coordenação da obra, até o final de novembro, o Condomínio será entregue definitivamente, com todos os serviços finalizados.

Manaus
A Comissão de Obras do 2º Grupamento de Engenharia é responsável pela construção dos blocos de PNR na Vila Militar Plácido de Castro. A obra tem por finalidade proporcionar, às famílias de subtenentes e sargentos da Guarnição de Manaus, uma moradia de qualidade. Na fase final de sua implantação, a vila militar irá dispor de 17 blocos de seis andares, totalizando 408 unidades habitacionais.
O prédio possui 5.155 m² de área construída, seis andares, com 24 apartamentos. O pilotis possui dois elevadores, hall de circulação, escada, bicicletário, casa de bombas, medidores de energia, central de alarme contra incêndios, telefonia, depósito, wc de serviço e área de estacionamento para 24 vagas cobertas. Cada unidade habitacional possui área de 122 m², três dormitórios, sendo uma suíte, sala de estar e jantar, cozinha, varanda, wc social, área de serviço e dependência de empregada completa.
Dois blocos já foram entregues, beneficiando 48 famílias, e há a previsão da conclusão das obras de mais dois blocos, uma em setembro de 2016 e outra em fevereiro de 2018.
A Vila Militar Plácido de Castro está localizada na Avenida Coronel Teixeira, num local de fácil acesso a serviços e próximos aos principais quartéis de Manaus.
Noticiário do Exército/montedo.com

56 comentários:

Anônimo disse...

Logo, logo vem crítica.
Os leões de alojamento sempre criticam

Anônimo disse...

As fotos estão erradas o prédio pronto é em Fortaleza!!!!
Parabéns ao Exército Brasileiro.

Anônimo disse...

Excelente!
Que cada vez mais PNRs para praças sejam construídos.

Anônimo disse...

Olha aí, quero ver alguém reclamar da instituição, do general, do adjunto de comando, essas forças armadas brasileira é a melhor coisa do mundooooooo!

Anônimo disse...

Excelente !

Em breve esperamos nas outras GU, pois existem muitas com 10, 15, 20 PNR para para atender varias OM, as quais possuem um universo de 200 ou 300 ST/Sgt na Guarnição.

Exemplo: Praia Grande, Guarujá, Lins, Itú, Bagé, etc

Anônimo disse...

Ainda preferia o auxílio-moradia, que atingia a todos. Bons tempos aqueles que muitos nem morar em PNR queriam. Hoje, precisam morar em PNR pq o auxilio-moradia foi um dos direitos detonados com a MP do Mal.

Anônimo disse...

Excelente iniciativa, parabéns ao CMNE e CMA, agora o CMS deveria seguir esse modelo e começar a construir PNR também. Visto que, mesmo tendo um dos maiores contingentes de militares a maioria das guarnições a fila de espera para Praças passam dos 10 anos. Podemos pegar como exemplo: Florianópolis (10 anos + ou -) Joinville (14 anos + ou -) Curitiba (12 anos + ou -) Santa Cruz do Sul (+ de 10 anos) Itaqui, Bagé, Livramento, Pelotas... sem falar das demais guarnições do CMS. Acredito que nos demais CMA a falta de PNR seja grande.

Sgt 2002.

Anônimo disse...

Muito bom....agora gostaria de saber do resto, por que, pelos calculos, não dá pra todo mundo.... vai ser no Brasil inteiro? Ou isso é só um cala boca para dizer: A instituição está preocupada!!! Sei....sei...

Anônimo disse...

Já tive o privilégio de morar num apartamento de 110 m² recém-inaugurado em Manaus em 1999,PRN da Aeronáutica ,com garagem coberta para dois carros. Era primeiro-sargento na época e um desses aqui no Rio, não sai por menos de 500 mil. O meu apartamento, graças a Deus já quitado a muito tempo, tem pouco mais da metade da metragem deste.

Anônimo disse...

Excelente. Melhores condições para os nossos praças. Aos poucos o exército vai acertando.

Ten AMAN 2012

Anônimo disse...

Quero saber dos PNR de Brasilia. Tem que ser feito uma auditoria urgente. Quem estiver com mais de 10 anos na Guarnição ser movimentado para dar oportunidade para outros. Tem militar que foi para o Nordeste e está voltando para Brasilia e para o mesmo PNR. Quem vai para missão no exterior o PNR fica fechado. Outro lamentável fato muito QAO ocupando PNR de Praça.

Anônimo disse...

Oxe... E em Porto Alegre que nem tem PNR... A fila é eterna...
KKKKK
2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Fiquei 15 anos no Rio Grande do Sul e sempre na fila de pnr, nunca consegui. Existiam militares com imóvel na cidade ocupando PNR e com isto alugavam o imóvel para quem estava na fila de espera. O que dizem destas ações? Creio que somente a Justiça para resolver denúncia no MPM. PNR de Guarnição Especial tem que ser somente o tempo minimo. Manaus passou Localidade "A" e quem esta em "zona de conforto" não quer sair.

Anônimo disse...

Louvável, capitais devem serem contempladas prioritariamente, para que os sargentos consigam ter saúde financeira adequada.

Léo disse...

Espere, amigo. Mas espere deitado.De preferência numa rede, se balançando.

Anônimo disse...

Auxilio Moradia já, chega de paliativos!

Anônimo disse...

Imagina então, se em Porto Alegre que é a cidade onde está localizado o Comando Militar do Sul não existe nenhum PNR para Praça... Na minha opinião deveriam trocar ou mesmo vender áreas de campos de Instrução que na maioria das vezes não são totalmente utilizados com a iniciativa privada, por prédios. Nem que demore 5 ou 10 anos para ficarem prontos mas algo deve ser feito, é preciso algum COMANDANTE tomar isso como um ideal. Acredito na minha opinião, que infelizmente nesses 15 anos que faltam ou quem sabe 20 anos, pouca construção de PNR vá acontecer no CMS, mas quem sabe para a futura geração de Praças do Exército seja ao menos beneficiado com isso. Pois está difícil de manter e gastar todo o mês quase 1/3 as vezes até mais do salário com aluguel.

Inf 2002

Anônimo disse...

PORTARIA Nº 340, DE 18 DE JUNHO DE 1998, regula as situações dos próprios. Por este motivo é que estão contrariando a Portaria. Exemplo: PNR de Brasilia militares com duas décadas no PNR e não são movimentados. PNR de Guarnição Especial é somente para o tempo minimo. Militar que possui imóvel não pode ocupar PNR. (conheço colega que colocou o imóvel no nome do cunhado para residir no PNR). Conheço um colega que foi para Brasilia como 2º Sgt S/CAS. Como Subtenente foi para Gu Especial da Amazônia e voltou para Brasilia e agora como QAO foi para o Nordeste e voltou para Brasilia e sempre com PNR. Constitucionalmente e Juridicamente isto esta errado. Os Senhores Adjuntos de Comandos poderão analisar estes casos.Conheço outro que esta há 25 anos na mesma Guarnição e sempre solicitando Brasilia-DF e não consegue."cara alto nível com dois cursos superiores Direito e Engenharia), duas vezes majorado no concurso do QCO, sem punição, porém é discreto, fala pouco é extremamente profissional. Qual o critério para servir em Brasilia e receber Medalhas? Tem que existir uma rotatividade nas Guarnições "FILÉ", Brasilia, Natal, Manaus, Florianopolis e outras.

Anônimo disse...

Em Porto Velho também tem muito militar além do tempo e no pnr. manaus nem se fala. vamos lá adjuntos de comando. levem estes casos os Generais

Anônimo disse...

Ao Ten AMAN 2012,

mi mi mi ...

Anônimo disse...

Aos adjuntos de Comandos.
Sugestões e mister importante repassar aos Comandantes.
Pela legislação eles são os responsáveis pela fiscalização e também podem adaptar as mesmas:
1.Levantamento de quem esta ocupando PNR e tempo de ocupação.
2. Quem ocupa PNR sem dependente. (EX: separou e continua no próprio).
3. Comparecer ao Cartório de Imóveis e solicitar quem possui imóvel.
4. Fazer o permissionário assinar um documento que não possui imóvel no Brasil.
5. Oficiais QAO que ocupam PNR de Praças dar 90 dias para desocupar e ingressar na fila de Oficiais.
6. Colocar um limite de ocupação para Sgt QE. (Tem Guarnições que 100% dos PNR estão ocupados por Sgt QE).
7. Gu Especial e Também Localidade "A" somente o tempo minimo de permanência.(Estes próprios são para atender quem esta chegando).
8. Solicitar a FHE POUPEX quem possui financiamento imobiliário.
9.PNR de Brasilia somente o tempo minimo, depois desocupa para outros terem oportunidades.
10.Critério de ocupação, militar com maior número de dependentes. (ocorre muito que o militar que é só o casal ele e esposa, fazem um financiamento na FHE compram um imóvel, alugam para o colega que esta na fila de espera com família grande e as vezes com mãe e sogra doentes e juntos) e quem esta no PNR ficam na boa. (pagam o financiamento com o valor do aluguel recebido do colega que esta na fila).
11. Fila única, porque? ocorre que o militar que esta em uma OM "boca boa" hopital,CSM e outras, não quer ser movimentado e com isto as filas são paradas. Exemplo para ocupra um PNR de Hopital são 17 anos ou mais na fila de espera.
Fica a sugestão e lembrem os Comandantes que eles são os principais responsáveis, conforme a Legislação. Caso ocorrer problemas eles que vão sentar na frente do Homem de Preto (Juiz). Espero ter colaborado
Ou a melhor de todas sugestões pagar auxilio moradia de R$ 1.500 para todos.
Outro fato porque o militar que conclui a ECEME já chega na guarnição com PNR pintado e disponível. Porque o Aluno da ESAO tem PNR de alto nível e o aluno do CAS tem que alugar em Cruz Alta. Eu e minha família na EASA alugamos uma casa de madeira por R$ 850,00, chovia como na rua e os colegas colocaram o nome de casa "mil e uma frestas" devido as goteiras e furos nas madeiras. Não somos iguais perante a Constituição?? E eu com um filho de 3 meses no "mil e uma frestas".

Anônimo disse...

Esses imóveis são excelentes, mas não se esqueçam que é provisório, passageiro.Enquanto estão ocupando preparem-se para comprar o seu, dentro do orçamento e, certamente, não será de 120m. Conheci um casal da FAB, que foram um dos primeiros moradores de um dos apartamentos(PNR) recém-inaugurados, na década de 1980. Viveram lá durante toda a carreira do marido. O militar, por causa dos filhos, da localização e do excelente colégio da FAB que ficava atrás da vila, nunca foi e nem pedia para ser transferido, e assim deixou de conseguir alguma grana extra para comprar um imóvel.No final da carreira, com degradação dos salários e o aumento dos empréstimos consignados, apanhado pela "expulsória" por causa da idade, está morando de aluguel até hoje.A madame, mal acostumada com o bom nível e local dos imóveis da vila militar, só quis morar em bairro com o mesmo padrão. Pura ilusão, pois os aluguéis são caríssimos.

Anônimo disse...

não gostei das cores e do tamanho dos aptos...

não tem piscina e nem sauna, que adianta isso?


sgt levando com a barriga

Anônimo disse...

para terminar este mimi, auxilio moradia de 2.000 (dois mil) para todos. discordo da legislação de pnr. cada local é diferente. eu entrei na justiça pedindo os 30 anos que paguei de aluguel, vamos ver no que vai dar. caso ganhar já é uma jurisprudência para os colegas.

Anônimo disse...

Para a falta de PNR, temos uma saída fácil. Justiça, para reaver os alugueis. Muitos tem ganhado!

Anônimo disse...

Anônimo das 10:15 não é mais fácil o exército pagá auxílio moradia do que essa lista todinha pra fiscalizar.

Anônimo disse...

Em recife no 14 B .log tão gastado dinheiro em churrasqueira na vila militar ao invés de gastar o recurso nós PNR todos sucateado.

Anônimo disse...

Concordo com a maioria dos comentários, porém, não concordo com a opinião de que quem tem imóvel, seja qual for o local, não pode ter direito a ocupar PNR. Isso pra mim é falácia. Tem muitos militares por aí que ao invés de financiar um imóvel financia um carrão do ano e assim segue até o final da sua carreira.

Percebam que todo final de ano, muitos militares chegam em suas OM's com carro zero e pagando aluguel e assim ficam até serem transferidos. Meus caros, justiça seja feita, muitas se esforçam para comprar seu imóvel e andam com carro caindo aos pedaços. Aí fica a pergunta: é injusto esse militar não pegar PNR? Ora, vamos parar de ironia meus caros!

Na minha opinião cada situação deve ser analisada individualmente, independente se o militar possui ou não PNR, e digo mais, o militar que possui imóvel sempre deve ser consultado se quer ou não pegar o PNR. E tenho dito!

Anônimo disse...

comentarista de 17 de setembro de 2016 10:31, camarada falou tudo. No EB não é diferente. o cara ocupa pnr e no outro dia mete um carrão 0km.
o cara fica até o final da carreira no pnr depois vai morar com o sogro..kkkkk. Quanto as guarnições especiais vai ter mudança, ser ocupado somente o tempo mínimo não sei ainda Brasilia. Agora os adjuntos de comando vão levar isto aos comandantes e vai fluir estes pnr. veja bem o cmt que tem um qao no pnr de praça e sabe esta cometendo um crime de prevaricação bem como oficial superior em pnr de tenente.

Anônimo disse...

Importante que o acionamento judicial seja contra o gestor dos pnr da Guarnição no caso o comandante. Não adianta acionara a PMB de Basilia como tem ocorrido, tem que na guarnição, a PMB é somente com os próprios de Brasília é outra guerra. Já tem ganho de causa em andamento.

Anônimo disse...

estes caras ficam fazendo altas festas, sou aprovisionador e estou filmando tudo, Quando achar o momento vou jogar na midia. assina sargento pé de banha revoltado

Anônimo disse...

Não possuo imóvel, mas não concordo com os colegas que acham que militar com imóvel não deve ocupar PNR. Comparando com colegas da mesma graduação, as oportunidades de comprar imóvel são as mesmas: nossos salários são iguais, assim como os valores recebidos pelas transferências. A diferença é como se aplica o dinheiro - enquanto alguns priorizam comprar carro zero, outros preferem financiar um apartamento, e para isso continuam com o carro velho ou nem usam carro. Portanto, não acho justo que um sargento que economizou para comprar seu imóvel seja penalizado não podendo ocupar PNR em detrimento de outro que comprou um carro zero com o dinheiro da transferência e gasta com a cervejinha toda semana, e portanto não tem um imóvel. É tudo questão de escolha sobre o que fazer com seu dinheiro.

Anônimo disse...

As FFAA tem muitas áreas que há 50,100 anos, eram inabitadas. Hoje, muitas estão encravadas em áreas nobres. Aposto que muitas construtoras estariam de olho, algumas permutas e esse problema de PNR seria resolvido.

Fabio da Cruz disse...

Não acredito que o Adj Cmdo tenha poder para resolver o problema da falta de PNR. Não me parece algo tão simples assim.
Discordo da proposta de negar PNR à quem fez financiamento para comprar um imóvel próprio. Cada um tem suas prioridades e fico muito feliz quando vejo um sargento comprando casa própria. A maioria dos casamentos não duram tanto quanto o compromisso assumido com o banco.
Por último, é maldade ou desconhecimento seu comparar os PNR da ESAO com a situação do CAS. Como se o CAS, que não é uma movimentação, fizesse jus à PNR. Se o fosse, deveria ter PNR para quem fizesse o guerra na selva, o curso de Comunicações, o curso de blindados...

Anônimo disse...

quero saber de qao em pnr de praça e militar com mais de 4 anos em pnr de guarnição especial. também oficvial solteiro em pnr. vou aguardar um mês e depois vou denunciar no mpm e mpf. isto é prevaricação. assina sargento ivo. também dos militares com 30 anos no mesmo pnr em brasilia

Anônimo disse...

Muitos que choram que não possuem imóvel próprio e não estão ocupando PNR, apontam o dedo criticando quem conseguiu adquirir o seu, ocupando PNR ou não. Pois bem, certo que a maioria dos praças que possuem imóvel abriram mão de muitas outras aquisições, viagens, festanças, carrão, roupas caras, etc... Comecem olhando para sua conduta financeira. O que você fez durante anos para conquistar um imóvel? Era mesmo seu objetivo? Fez algo para tal ou sempre achou impossível, espera que caia do céu ou alguém se comova e dê um a você? Sua esposa rema junto, ajudando a gerar renda ou ao menos não gastando em excesso com supérfluos, rolhas? Seus filhos têm o mínimo de consciência quanto aos gastos. Sei muito bem que PNR é assunto muito crítico para nós praças. Optei por definir meu objetivo em prol de minha Família e com a contribuição dela, há um bom tempo. Com extrema dificuldade estamos conseguindo, sem esperar muito dos outros ou da instituição. Mas tem que sangrar, ser coerente nos gastos e priorizar sempre. Não precisa passar fome prá conquistar uma casa ou AP, tem como atingir o Objetivo e viver tranquilo. O Cmdo não se preocupa muito com o assunto há décadas todos sabem porque, pois um Of quase sempre tem esse importante apoio toda vez que chega em uma Gu. Desejo força aos que têm iniciativa de buscar sua casa própria. E aos que vivem para torrar o soldo suado em turismo, cervejadas e salão de beleza, ainda há tempo de melhorar sua administração financeira, seguir dessa forma, se está legal ou pelo menos parar de mimimi e botar olho em quem está em PNR ou já adquiriu imóvel. Não podemos generalizar, cada caso é um caso. Cada Família tem suas guerras para resolver. Mas que tem companheiro acomodado e lamentador, que ganha o mesmo que outros, tem! Brasil!

Anônimo disse...

Auxílio moradia decente para quem não ocupa PNR. Comandos Militares de Área e Regiões Militares devem verificar aonde as filas são maiores e construir PNR. Também seria importante diminuir reformas caras e sem necessidade em PNR de antigões, de 2 em 2 anos, atendendo ordens de esposas de 01.

Anônimo disse...

eu presenciei um primeirão que possuia 3 imóveis na cidade e alugava todos para os o colegas. Ele residia no pnr. ainda falava que era imoral mas não ilegal. tanto foi que denunciaram ele no mp. como era carreirista e viu que tomaria uma cipuada, desocupou o pnr no outro dia.kkkkkkk, a justiça esta ai para este fim. Isto é simples somente editar a legislação e colocara: "militar com imovel na guarnição" não pode ocupar pnr e tempo máximo é 5 anos, estar a resolvido

Anônimo disse...

Quanto mimimi com relação ao pessoal que tem imóvel. Comprou porque quis, ninguém obrigou... Vão ficar sem PNR sim, pois estão morando de graça já, e é o que manda a legislação. E após a reserva não precisarão morar com o sogro, como foi falado aqui. Terão a recompensa no futuro.

Aposto que o mesmo militar que reclama que não pode ocupar PNR porque possui imóvel seria contra se o pessoal solteiro reclamasse que não pode ocupar PNR. Afinal, eles iriam dizer a mesma coisa: "casaram e tiveram filhos porque quiseram... Por que ele pode ocupar PNR e eu não?"

Anônimo disse...

O meu colega milita só vive na cachaça possui 7 transferências esta perto de aposentar e não possui casa própria em nenhuma guarnição.

O milita não economiza, gasta o dinheiro de todas as transferências, e critica quem tem casa própria.

S e o militar e família lutaram para melhorar a situação ele deve ser penalizado.

Situação de ficar 30 anos no PNR eu conheço, talvez deva ter limite.
Proibição de ter terreno ou imóvel, estaria fomentando a falta de planejamento para adquirir casa própria. Muitas vezes o camarada começa com um imóvel mais fraquinho, que vai arrumando aos poucos.

Anônimo disse...

PNR ė funcional, e não assistencial, se fosse assistencialismo comandante de batalhão não tinha, quem financia apt está tão ferrado quanto quem está de aluguel.
Sgt 2003

Marinho disse...

Lembro que quando o primeiro bloco em Manaus foi inaugurado inúmeros praças abriram mão de pegar PNR pois o condomínio era muito caro. Se Não tem Vai entender...

Anônimo disse...

Essa questão do uso de PNR é polêmica e eivada de situações que beiram à injustiça (no sentido amplo, claro!) é até mesmo à irregularidade administrativa. Mas vejam bem, os problemas dos critérios de uso e distribuição de PNR é um problema que não depende da atuação de Deputado, Ministro da Defesa ou Presidente da República, basta algumas canetadas de algum General, pois é um problema doméstico do Exército, ou mesmo das Forças Armadas. Vejamos:
Sabemos que existem militares mercenários que ficam pulando de OM em OM a cada 5 anos por iniciativa própria, ou seja, são voluntários para serem movimentados e, basicamente, fazem isso para ganhar dinheiro com as movimentações e não para adquirirem VIVÊNCIA NACIONAL. Mas em contrapartida, existem militares que se estabelecem ou na sua cidade de origem, da qual é natural, ou se estabelecem noutra cidade/Estado que não o seu de origem, mas lá estabelecem por décadas e ficam até a reserva.
Sabemos também que a falta de PNR é um fator de perturbação financeira para militares que são movimentados ex-officio, ou seja, SEM SER VOLUNTÁRIO, pois se mudar sem ser voluntario necessariamente implica em custo de aluguel noutra localidade.
No Exército vivemos um cenário de falta de PNR para os militares movimentados SEM SER VOLUNTÁRIO por questão numérica (de existência física) e também por má gestão da distribuição dos PNR. Explico:
1 – Existem militares que são ocupantes de PNR na sua cidade de origem há mais de uma década. Isso corrobora para uma menor disponibilidade de PNR, pois dificulta a rotatividade de beneficiários no uso do PNR. Por exemplo, existem militares que ocupam PNR no bairro da Urca, área nobre e cara da cidade do Rio de Janeiro, há mais de duas décadas. O militar começou a ocupar o PNR quando era Terceiro Sargento e hoje como Tenente QAO ainda permanece ocupando o mesmo PNR. Em quanto isso, militares de outros Estados que são designados para servir na mesma não tem PNR disponível e tem que pagar aluguel no subúrbio ou zona oeste do Rio há duas horas ou mais de distância (com trânsito). Isso é justo? NÃO. Precisa de intervenção do Presidente da República? Também NÃO, basta uma canetada de General !
2 – É sabido que existem muitos Sargentos QE que ocupam PNR por mais de uma década nas suas cidades/Estados de origem, quando é sabido que tais militares não são movimentados ex-officio. Pois bem, tal qual o exemplo do item 1, esse tipo de ocupação corrobora para a diminuição de disponibilidade de PNR. Isso é muito notório nas regiões de fronteira, pois lá é que deveria haver uma disponibilidade maior de PNR, mas na prática muitos Sargentos QE acabam ocupando PNR até irem pra reserva e então poucos PNR ficam disponíveis para os militares de outros Estados que são movimentados para as regiões de fronteira.
3 – Não é obedecida nenhuma regra relativa a tempo máximo de permanência em PNR. Deveria haver um tempo máximo de ocupação que deveria ser o tempo mínimo ao que o militar é obrigado a permanecer na OM. Neste caso, o prazo poderia ser prorrogado enquanto o militar que já tiver cumprido o tempo mínimo e tenha pedido para sair da guarnição ainda não tenha sido atendido com a transferência solicitada. Mas do contrário, caso já tenha cumprido o tempo mínimo e não tenha manifestado o desejo de ser transferido, ou seja, presunção de que o militar irá se estabelecer na nova cidade/Estado, aí este deveria desocupar o PNR para um militar que tenha sido movimentado ex-officio. Se fosse em região de fronteira e o militar fosse voluntário a ficar mais um período além do obrigatório aí teria também que desocupar o PNR para outro recém chegado para cumprir o seu tempo mínimo de permanência na OM.
4 – Na prática hoje vemos muitos militares ocupando PNR por períodos muito longos nas suas cidades de origem e com muitos dos ocupantes sendo possuidores de imóvel próprio, os quais alugam auferindo lucro indiretamente com a ocupação do PNR, ou quando não na sua cidade de origem, nas cidades em que se estabeleceram após a primeira transferência.

Anônimo disse...

(continuação)
5 – Faz-se necessário criar um critério temporal para a ocupação de PNR, não devemos deixar como está hoje onde quem ocupa um PNR o faz muitas vezes para auferir lucro indiretamente com a locação do seu imóvel próprio ou financiado enquanto ocupa um PNR e em contrapartida um companheiro tem que arcar despesas de aluguel quando é transferido SEM SER VOLUNTÁRIO. Acho que deveria haver anualmente um censo nas OM’s para que o tempo de ocupação fosse informado ao escalão superior para haver uma fiscalização fora da OM, pois se feita na OM há o risco de haver esquemas de privilegiar militar A ou B em função de relações escusas.

Anônimo disse...

http://montedo.blogspot.com.br/2016/01/contrato-define-construcao-de-imoveis.html

Anônimo disse...

http://montedo.blogspot.com.br/2012/03/prefeitura-constroi-casas-e-guarita.html

Anônimo disse...

PNR: batalha jurídica sobre indenização de despesas com aluguel tem novo round.
Advogados afastam indenização a militar do PI que queria obrigar a União a arcar com despesas de moradia

http://montedo.blogspot.com.br/2014/11/pnr-batalha-juridica-sobre-indenizacao.html

Anônimo disse...

Se o problema e PNR, quem possui casa própria não deve ser transferidos para outra guarnição sem casa.

TERCEIRÃO PAPIRAO disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


ESTOU PAPIRANDO PARA VAZAR FORA


3 SGT COM 2013

Anônimo disse...

Companheiro reclamando que quem tem casa própria na guarnição não pode ocupar PNR? Primeiro que não tem legislação coibindo nada a respeito. Segundo que se tivesse seria bem inconstucional e nem vou entrar no mérito jurídico da coisa. Se querem realmente favorecer todo mundo que precisa,e eu me incluo nisso, que se construa mais PNR pra praças e se estabeleça um teto máximo de tempo de ocupação. Não venham com essa de penalizar alguém que abdicou de determinadas coisas pra conseguir outras como forma de equalização. Vida que segue.

Anônimo disse...

O classe desunida
E a culpa é dos oficiais. kkkkkkk!!!!!!!!!!!!!

Cap Rudi Rubens Weber disse...

Estou no meu querido Exército a mais de 36 anos de efetivo serviço, mesmo aqui distante na minha 14ª Delegacia de Serviço Militar (Sarandi-RS), e mesmo não sendo beneficiado diretamente, não posso deixar de prestar minha homenagem e meus cumprimentos a meus superiores por tão brilhante iniciativa. Construir PNR em todos os níveis significa família militar feliz. Voltar-se para parcela tão importante da nossa estrutura hierárquica, o praça, é valorizá-lo. Parabéns a todos nós pelo orgulho que temos da nossa segunda pele, a farda verde oliva!

Anônimo disse...

E o "caldeirão " dos milicos ferverndo...
milico querendo ferrar outros milicos que compraram seus imovéis....
Se conseguiram comprar é que soberam aplicar o dinheiro que ganharam, economizaram...deixaram de aproveitar de outras formas para pagar seus imoveis, ou a esposa ajudou a pagar tambem com o trabalho dela, ou seja, várias explicações plausíveis, e aí quando o cara pega um PNR vem outros querendo derrubar o cara...
o velho "caldeirão"...

Anônimo disse...

Dica, já que o assunto PNR é tão falado e reclamado com razão devido as longas filas de espera na maioria das GU ...

ECONOMIA
Feirões de imóveis representam oportunidades para sair do aluguel

http://odia.ig.com.br/economia/2016-09-21/feiroes-de-imoveis-representam-oportunidades-para-sair-do-aluguel.html

Anônimo disse...

A questão não tem nada a ver com caldeirão nenhum. A palavra de ordem que deve nortear as regras de ocupação de PNR é ROTATIVIDADE ! Não interessa se o militar A ou B gasta o dinheiro dele com cachaça, se compra carro zero, se gasta na casa das quengas, etc, etc... PNR não deve ser encarado como PRÊMIO PARA ACRÉSCIMO PATRIMONIAL de uma pequena parte dos militares. PNR tem que atender à necessidade do militar movimentado ex-officio SEM PEDIR TRANSFERÊNCIA, pois aqueles que "movem pausinhos" e PEDEM TRANSFERÊNCIA o fazem de olho grande no dinheiro que receberão e assim assumem o risco de terem despesa com aluguel na nova guarnição.

MAIS ROTATIVIDADE NO USO DOS PNR'S, COMANDO DO EXÉRCITO !!!! PNR NÃO PODE SER USADO COMO MEIO DA AUFERIR LUCRO POR AQUELES QUE MANTÉM IMÓVEL PRÓPRIO NA GUARNIÇÃO DE ONDE SÃO NATURAIS E MESMO ASSIM OCUPAM PNR !!!!

Anônimo disse...

O militar que tem sua casa própria abriu mão de muita coisa para poder comprar à vista ou financiar seu imóvel, ao contrario da grande maioria que só quer tirar onda de carrão novo (financiado) viajar todo ano no carnaval, festas, bebidas, roupas caras, celulares novos a cada 3 meses, etc ..........! Tem praça que quando pega a grana da transferência já está devendo quase tudo o que recebeu e o que sobra ele vai trocar de carro para chegar na nova OM com carro novo.
O militar que critica quem tem imóvel deveria era pensar em se organizar e planejar melhor sua vida financeira para pode comprar sua casa e não ficar 30 anos dependendo de PNR.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics