4 de setembro de 2016

MPM denuncia sete pessoas por corrupção em batalhão do Exército

PJM RECIFE DENUNCIA SETE PESSOAS POR CORRUPÇÃO EM BATALHÃO DE CAMPINA GRANDE

Resultado de imagem para quartel do 31º Batalhão de Infantaria MotorizadoA Procuradoria de Justiça Militar no Recife ofereceu denúncia contra três militares e quatro civis por superfaturamento em serviços, obras e compras realizadas no 31º Batalhão de Infantaria Motorizado, localizado na cidade de Campina Grande – PB, nos anos de 2011 e 2012. Os militares e uma civil, esposa de um 3º sargento denunciado, incorreram no crime de corrupção passiva, previsto no art. 308 do Código Penal Militar. Os outros civis, proprietários de empresas que prestavam serviços para o Batalhão, foram incursos no crime de corrupção ativa, descrito no art. 309, também do CPM.
As investigações começaram após o recebimento de notícia-crime anônima na PJM Recife, informando sobre irregularidades naquela unidade do Exército. Na apuração, foram verificados pregões eletrônicos concretizados sem a anuência do órgão gerenciador e do fornecedor beneficiário da Ata de Registro de Preços; inexistência de processos administrativos; inversões nos estágios do processo de despesa; além da inexistência dos projetos básicos.
De acordo com os autos do Inquérito Policial Militar, os militares envolvidos receberam diretamente para si vantagem indevida em razão das funções que exerciam no 31º Batalhão de Infantaria Motorizado. Relatório de Análise de Documentação, feito pela 7ª Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército, constatou que, em 2011 e 2012, o Batalhão pagou aproximadamente R$ 156 mil por materiais de limpeza, descartáveis e material de expediente, que não foram incluídos em seu patrimônio e não entraram no Almoxarifado da unidade. Da mesma forma, há registros de pagamentos por materiais de construção e ferramentas, superiores a R$ 255 mil, também não encontrados.
Levantamento do sigilo bancário dos denunciados e das empresas fornecedoras de materiais e serviços ao Batalhão revelou que os três militares receberam em suas contas correntes valores provenientes das empresas dos civis denunciados. Um dos 3º sargentos denunciados recebeu em sua conta corrente e na conta de sua esposa cerca de R$ 87 mil. O outro 3º sargento, teve créditos de RS 31 mil e o major recebeu $ 7.122,20.
Outro detalhe que reforça a ocorrência de irregularidades era a quantidade adquirida de alguns materiais, incompatível com a demanda do Batalhão. Como exemplos: a aquisição de 150 colheres de pedreiro, 180 baldes de ferro para concreto e 40 engradados de plástico vazados.
Vistoria realizada pela 7ª Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército em obras realizadas pela empresa administrada por um dos civis denunciados, concluiu que, dos 22 itens relacionados, 17 não foram executados. Por todo serviço, foi pago o valor 77.607,81. Os 17 itens não executados correspondem a R$ 61.150,55, ou seja, 78,79% do total gasto.
A denúncia foi recebida pela Auditoria da 7ª Circunscrição Judiciária Militar e a inquirição de testemunhas do MPM foi agendada para 14 de setembro próximo.
MPM/montedo.com

19 comentários:

Anônimo disse...

Investigue mais, que tem peixe Grande atrás de tudo isso, sem a aquiescência do OD, Almoxarife, Tesoureiro e Fiscal Administrativo

Anônimo disse...

Vacilões ... olho grande ... e os terceirebas "passaram a perna" no major ainda. Um sério trabalho do almoxarifado é fundamental pra evitar falcatruas, enfim tudo tem que ser recebido lá.

Anônimo disse...

http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2015/09/22/confira-65-fotos-incriveis-de-militares-tiradas-no-momento-certo.htm?fotoNav=19#fotoNav=57

Anônimo disse...

E quem autorizou o Pregão ?

Quem assinou e não viu as quantidades exageradas ?

Quem autorizou o pagamento ?

Anônimo disse...

Não são bandidos. São amadores esses três idiotas.

Anônimo disse...

Comentaristas,olhem esta noticia:

http://diariodopoder.com.br/noticia.php?i=63896711390

Anônimo disse...

Vejo alguns criticando... querendo reaponsabilizar outras pessoas... Mal sabem de risg. ..Querem falar de direito publco. .. Só vejo militar bundao nesses comentarios... eh um tal de sgt acusar of...vice e versa

Anônimo disse...

É necessário ir muito mais fundo. Tenho certeza que outras unidades do Exército estão cheias dessas pessoas.

Anônimo disse...

Terceiro passando a perna em OF Sup, formado na Academia? Não, isso é impossível! Os semideuses nunca seriam enganados por terceirebas! Seu ridículo!

Anônimo disse...

Há muito tempo esse batalhão vem roubando. Se mexer nos outros batalhões também vai achar algo.

Magno disse...

Se eu vir, não tenham dúvidas que serão denunciados.

Anônimo disse...

Peço que verifique a informação passada. O que consta na movimentação do processo está errado, não houve nenhum Major denunciado o dito Major na verdade é um tenente temporário que já deu baixa do Exército no início de 2011. E o período investigado foi além dos anos informados na reportagem. Obrigado.

Anônimo disse...



Para quem desejar fazer qualquer denúncia, inclusive anônima, pode acessar o site abaixo:
http://www.mpm.mp.br/ouvidoria/
Mas não se esqueça: quanto mais informações, mais fácil a investigação.
É preciso indicar o nome dos envolvidos, o numero do contrato, da licitação, do empenho etc.
Sem isso, o MPM arquiva de cara.
Eles só investigam se houver informações detalhadas e coerentes.
Não podemos deixar de denunciar crimes que ocorrem nos quartéis.
Muitos oficiais contam com o nosso medo para cometer crimes, por isso precisamos denunciar.
27 de agosto de 2016 22:08

O QUE O MPM PODE FAZER POR VOCÊ?
O QUE É CRIME MILITAR?

Os crimes militares de competência do Ministério Público Militar são aqueles praticados por integrantes das Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica – no exercício da atividade funcional. Também são considerados crimes militares aqueles cometidos por militar da reserva, reformado, ou por civil, contra as instituições militares, neste caso contra a ordem administrativa militar. As infrações praticadas contra o patrimônio das Forças Armadas, como fraudes previdenciárias de pensionistas das FFAA ou irregularidades em licitações conduzidas pelas Forças, também são da área de atuação do MPM.

Além dos crimes militares, o MPM é responsável, pelo controle externo da atividade policial judiciária militar e pelo inquérito civil objetivando a proteção, prevenção e reparação de dano ao patrimônio público, ao meio ambiente, aos bens e direitos de valor histórico e cultural, a proteção dos interesses individuais indisponíveis, difusos e coletivos, e a proteção dos direitos constitucionais no âmbito da administração militar.

QUANDO ACIONAR O MPM?

Sempre que verificada a ocorrência de um crime militar, o Ministério Público Militar deve ser acionado. Abusos e ou omissões praticados pelos integrantes das Forças Armadas também devem ser comunicados ao MPM. Da mesma forma, deve-se levar ao conhecimento do MPM as irregularidades e os danos relacionados ao patrimônio público (um dano a prédio do Exército), ao meio ambiente (a invasão de uma Área de Proteção Ambiental das FFAA), aos bens e direitos de valor histórico e cultural no âmbito da administração militar (a depredação de um monumento militar).

COMO DENUNCIAR?

Não há a necessidade de advogados ou procurações para falar com o Ministério Público Militar. Qualquer cidadão pode entrar em contato direto com o MPM, os canais são os seguintes:

o Serviço de Atendimento ao Cidadão – Fale com o MPM pode ser acionado eletronicamente, na página do MPM, pelo telefone 0800 021 7500 (ligação gratuita), ou fisicamente, no endereço: Av. Presidente Vargas, 522 – 5º e 9º andares – Centro
CEP 20071-000 – Rio de Janeiro – RJ;
o Serviço de Informação ao Cidadão – SIC, disponível na página eletrônica do MPM, também pode ser solicitado para encaminhamento de denúncias;
as Procuradorias de Justiça Militar – 14 Procuradorias de Justiça Militar, além da Procuradoria-Geral de Justiça Militar, estão distribuídas pelo território nacional. Veja, no botão Procuradorias, na barra superior dessa página, aquela cuja a área geográfica de atuação corresponde à sua localidade e entre em contato, seja pelo telefone, seja pessoalmente.

Anônimo disse...

Tem que estar bem embasado. Eu denunciei ao MPM, foi aberto a investigação.
Não deu em nada e ainda fui punido por falsa notificação de crime.

Marco Soares disse...

Sgt que denunciou CMSM foi escrotizado.....foi para a reserva proporcionalmente, depois de mais de 20 anos de tempo de serviço por incapacidade para ser militar, atestado por uma psicologa temporária do Hospital Militar.....conseguiu voltar depois de muita briga....E o CMSM foi investigado????? É para levar a sério????

Anônimo disse...

Major deve ser em outro Batalhão de Infantaria por este nosso Brasil.

Léo disse...

A GERAÇÃO ATUAL DE MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS,A MAIS PREJUCADA,FINANCEIRAMENTE,NOS ÚLTIMOS 40 ANOS.

Junto com o aumento para 35 anos de serviço para as Forças Armadas serão modificados- QUESTÃO DE TEMPO- :

- todos os intestícios,para o militar passar mais tempo na graduação ou patente,até a longínqua e próxima promoção;

-Para receber o Auxílio-Fardamento, passará dos 3 anos atuais para ,no mínimo, 4 anos, quem sabe 5;

-Acabará a possibilidade do militar receber os 15 % do soldo, referentes à Gratificação de Permanência na ativa , após completar 720 dias- caso seja promovido -, depois dos 35 anos de serviço( Pois quem vai aguentar ficar mais 2 anos,depois de 35 ? Só os Generais,é claro), ao ser promovido;

Para isso, para permitir que essa corja de políticos corruptos, Saqueadores das Estatais e dos cofres do povo, formadores de quadrilha, lavadores de dinheiro sujo engane,minta, mais uma vez, para a tropa , alegando de forma fraudulenta, que precisam equilibrar as Contas públicas- A MESMA MENTIRA SAFADA DO ANO 2000 (NÃO ESQUEÇAM JAMAIS O PREJUÍZO QUE OS COMANDANTES CAUSARAM AO PERMITIREM A EDIÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA DO MAL), mais uma vez, a tropa será enganada.

Anônimo disse...

O negocio é o seguinte:
Tem que ser anônimo e bem documentado!
TODA DENUNCIA ANÔNIMA BEM DOCUMENTADA E ACEITA.
Por mais que queiram prejudicar os OF tem medo,eles precisam saber que estão sendo vigiados,e MPM não alivia ninguém,no caso de dúvida manda também para MPF e Portal da Transparência,para assegurar.
Conheço uma unidade que o Cmt esta transtornado para descobrir que fez uma denuncia no MP,porém ele nem imagina que não foi traição(feita por sargentos) e sim conspiração(feita por oficiais),já que nesta unidade ele puniu todos oficiais temporários e uns de carreira com exceção do seu afilhado de crisma,no qual ele chama de fulaninho,independente do nome de guerra,por exemplo JOSÉ DE ALMEIDA (chamaria de Zezinho),inclusive o mesmo colocou a Adjunto de Comando para investigar quem fez a denuncia(Peculato) porém o Adjunto de Comando nunca foi amigo de Praça.
É necessário TRANSPARÊNCIA na Administração Pública Militar.

Anônimo disse...

Os milicos roubam bem pouquinho. Só não roubam o sol porque é longe demais.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics