14 de abril de 2016

Adjunto de Comando do Exército faz palestra para 700 sargentos no RJ

Adjunto de Comando: experiência a serviço do Exército
Rio de Janeiro (RJ) – Na última sexta-feira, dia 8 de abril, aproximadamente 700 subtenentes e sargentos da Vila Militar do Rio de Janeiro assistiram à palestra, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, ministrada pelo Subtenente Osmar Crivelatti, Adjunto de Comando do Comandante do Exército. O encontro abordou os desafios e as responsabilidades dos graduados para com seus superiores e, principalmente, para com os soldados, desde a incorporação até o licenciamento.
O Adjunto de Comando é um cargo criado no Exército, em maio de 2015, com o objetivo de distinguir o subtenente ou o primeiro-sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal, valorizando, assim, a carreira do graduado. Na palestra, o Subtenente Crivelatti falou, ainda, sobre a motivação da carreira de sargento e o espírito de equipe.
Modelo na EASA
O Adjunto de Comando tem como atribuições ser o divulgador da ética e dos valores militares; o fortalecedor dos padrões do comportamento militar; o facilitador da comunicação entre o comando e os praças; o disseminador da missão e da visão da organização militar e dos conceitos de comando; e o assessor do comando em assuntos disciplinares, de instrução e do bem-estar de todos os membros da família militar; além de tratar sobre outros assuntos que envolvam os praças.
O embrião dessa nova função surgiu há mais de vinte anos, na antiga CIAS-Sul (hoje Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas – EASA), em Cruz Alta (RS), pelo seu primeiro comandante, o então Tenente-Coronel Sérgio Westphalen Etchegoyen, atualmente General de Exército e Chefe do Estado-Maior do Exército. Quando esteve à frente do Departamento-Geral do Pessoal (DGP), o General Etchegoyen foi responsável pela criação do cargo de Adjunto de Comando, com base na bem-sucedida experiência anterior.
Esse modelo, que teve pleno êxito e está consolidado na EASA, vem sendo testado em algumas organizações militares e, em breve, será adotado em todo o Exército. A nova função atende ao anseio dos subtenentes e sargentos de serem valorizados profissionalmente, com o emprego de sua larga experiência na caserna em prol da Instituição.
Fotos: EsAO
/montedo.com

60 comentários:

Anônimo disse...

E o reajuste, vai ter? A inflação está lá em cima, mas o nosso salário continua o mesmo!

Anônimo disse...

bom!
poderíamos também implantar a carreira em Y, pois ganhamos com 20/ 25a de serviço menos que um Aspirante de CPOR que nada conhece, recebe mais e tem menos atribuições.

Obrigado

Anônimo disse...

Valorização!
Mais um engodo.

Sgt Laureni disse...

Com Todas as exigências para ser adjunto se o Sub Ten ousar pensar ele está fora!!! O Subtenente ou 1º Sargento geralmente é um líder que leva as principais questões dos outros praças extra oficialmente ao comandante da Sub unidade, Com a criação do cargo de Adjunto ao Comando essa função fica regulamentada e é uma faca de dois gumes, pois o Adjunto sai da função louvado ou queimado. Entretanto,contudo,todavia, mas, porém isso pode acontecer com qualquer função no EB então.....Bora assistir palestras.

Anônimo disse...

Puxa, quantos jovens disfarçados atrás dos cabelos brancos e outros que rasparam tudo.
Propaganda, só isso, valorização não é isso, não é usar os conhecimentos adquiridos na vida civil com suor e lagrimas apos perseguição de um "chefe", escala se serviço brutal, ter o direito de não ter direitos e por ai vai.
Valorizar é ter vencimentos dignos, PNR quando de transferencia, e principalmente RESPEITO no trato diario.

Anônimo disse...

Ao invés de "Adjunto de Comando: experiência a serviço do Exército", seria melhor "Adjunto de Comando: conhecimento, bravura, destemor, sustentáculo do EB, responsabilidade e honradez a serviço do Exército" tem que acabar com dois dois EB que existem atualmente (Oficial e Praça) e unificá-los através da isonomia ampla (todas as frentes)!

Anônimo disse...

Dificil ter motivação com 34% de perdas salarias desde 1ª Mar 12.

Até setembro, serão mais 10%.

Estaremos ganhando a metade do que ganhavamos até Mar 2012.

E não ganhamos diarias prá completar a remuneração, movimentação a cada ano ou dois anos, PNR, combustivel, taifeiro, etc ...

Vida dificil da tropa.

Anônimo disse...

Penso que na GU do RJ, a classe ta mais lascada ainda. Tudo longe, sem PNR pra maioria, Ter motivação como ?

Anônimo disse...

Militares correm o risco de não receber 'reajuste' em agosto

​Caros Amigos(as) Repassando para conhecimento....... essa fala do Chefe do Estado-Maior do Exército nessa solenidade poderá ser uma sinalização que isso de fato poderá ocorrer mas acho que não devemos prejulgar nada. O PL nº 4255/2015 que trata do reajuste no soldo dos militares das FFAA está na seguinte situação:

PL 4255/2015
Autor: Poder Executivo
Data da apresentação: 31/12/2015
Ementa: Altera o soldo e o escalonamento vertical dos militares das Forças Armadas, constantes da Lei nº 11.784, de 22 de setembro de 2008.
Situação: Aguardando Designação de Relator na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN)
Portanto vamos aguardar para vêr o que irá acontecer!!!!!!!

Quem Viver........verá......​

Anônimo disse...

Será que alguém acredita nisso???Balela, conversa fiada. Querem colocar esse tal Adj Cmdo para resolver os problemas que eles deveriam resolver. Quanto as outras atribuições do Adj Cmdo, basta ler os regulamentos, não precisamos de um locutor. Concluindo: Mais uma missão inócua. Querem valorizar os praças? perguntem para os praças que estão na tropa, esses sim, sabem o que deve ser feito. A lista é grande!!!

Anônimo disse...

Trecho que destaco do texto para posterior análise/crítica:

"o objetivo de distinguir o subtenente ou o primeiro-sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal, valorizando, assim, a carreira do graduado."

Bem... agora avaliemos a tal função de Adj Cmdo no tocante ao seu motivo (valorizar a carreira do graduado):
- Se tal função visa valorizar o graduado, então há de convirmos que poucos serão "valorizadoa", haja vista que não haverá vagas para todas as Praças que preencham os requisitos. Logo, "valorizará" um universo bem pequeno de militares, uma minoria.
- Ter "reconhecida competência profissional e conduta pessoal ilibada" para ser um "cachorro do Rei" (Adj Cmdo) são atributos que não são exigidos para ser Rei (Oficial), pois nos quartéis afora vemos vários Comandantes, Subcomandantes e Cmt de Cia que não tem tais atributos (respondem a IPM, processos criminais e administrativos sobre fraudes, punições disciplinares, conduta civil desabonadora, etc), quando deveriam, pois eles são os responsáveis pela disciplina da tropa. Ou seja, para ser cachorro do Rei e um mero corretor (de corretagem) de informações é preciso ser um bom samaritano, mas para ser Rei basta ter o título de nobreza, independente da conduta!

Veja essa função como uma mera alegoria, tal qual a Rainha da Inglaterra !

Anônimo disse...

E porque não fizeste prova pra Academia? Ou pra qualquer outro órgão público?

Anônimo disse...


A implantação do Adj Cmdo já é um bom começo. Não adianta ficarmos resistindo, reclamando e criticando, temos que dar um voto de confiança p/ o projeto e de qualquer modo contribuirmos para o seu sucesso. Não conheço pessoalmente o S Ten Crivelatti mas só ouço elogios a seu respeito, fala-se que é um militar de alto nível. Desse modo tendo ele o perfil ideal p/ o cargo, inclusive como exemplo a ser seguido pelos futuros Adj Cmdo.

S Ten/91

Anônimo disse...

Lógico... Para ser rei basta ter passado no concurso público e ter concluído a AMAN...
Se vc não teve competência para tal....
Só lamento!!!!

Anônimo disse...

Existem várias palavras no vocabulário militar que tem significado diferente do dicionário da Língua Portugesa. Duas delas são: Valorização e Merecimento.

MESSIAS DIAS disse...

Penso que as intenções do Cmt Ex são as melhores para a evolução da carreira e, especial, para melhoria do ambiente e tratamento diário no círculo dos ST/Sgt e desses para com os oficiais e vice-versa. Importante destacar a importância da necessidade de aceitação dos Cmts de OMs, para a evolução desse processo.
Quanto ao QAO, sem embargo, só a aplicação dos princípios da administração, em especial, a legalidade e sobretudo a transparência, poderia permitir uma aceitação e respeito por parte dos ST/Sgt, pois atualmente, do modo que é realizado, sem dúvida, é o maior fator de desunião atual entre os subtenentes e sargentos e, também fator de descrença nos processos da Instituição.
Necessidade real está em PNR e a volta de direitos perdidos com a MP do mal (LRM)!

Anônimo disse...

Adj de Cmdo = alegoria, como descreveu o companheiro anônimo acima. De que adianta um cargo inócuo que vai "valorizar" 1℅ de um universo inteiro. Onde está a vantagem? Vejo ainda mais dissenções e segregações entre as praças, pois sempre haverão na coletividade os individualistas apreciadores do sistema feito para oficiais que moverao águas e terras para ocupar tal cargo. Não há melhoria nenhuma senhores, deixemos de ser hipócritas. O tal Adj de Cmdo não levará ao cmt, nada que ele não saiba.

Anônimo disse...

Aqui na guarnição da 10 Bda Inf Mtz já estamos com o Adj de cmdo funcionando e vejo que houve sim algumas melhorias e facilidades, sabemos que estas mudança não irão gerar impactos no dia de hoje, mas isso representa sim uma grande conquista, a exemplo de outros países, mas sei que muitos apenas pensam no seu próprio bolso e não na coletividade, por isso, atitudes como essa não são bem recebidas pelos nosso LEÕES DE ALOJAMENTOS.

Rogério da Silva Gomes - 1ª Sgt disse...

O Adjunto de Comando, para representar bem os Praças, deve também participar dos Conselhos Permanentes da Justiça Militar, digo, do Tribunal de exceção, onde os Praças são massacrados, hostilizados e atá humilhados, diferente dos vários Oficiais que são julgados por seus pares, ocorrendo um julgamento corporativista.

Anônimo disse...

" Nem sempre valorizar significa passar a bola...." Frase de um antigo jogador de bola ....

S Ten /91

Anônimo disse...

Esse STM...até quando a população vai aceitar essa aberração jurídica que serve somente para onerar os cofres públicas e chibatear os praças! Injustiçados, recorram ao STF, sempre vão ganhar! Vamos das publicidade quanto aos desmandos!!!

Anônimo disse...

Adj de Cmdo representa é o oficiais junto a tropa.

As promoções para Cb ou merecimento dos Sgt quem deveria conceituar deveria ser os próprios Sgt, ou um concurso com prova e títulos.

O CHQAO não e nível superior, como isto pode ocorrer se a maioria dos Sgt já possui curso superior. A quem isto esta beneficiando. Enquanto for nível médio sermos escravos e sem voz.

Os Adj de Cmdo possuem medalha de 20 anos de tropa? Caso não possuam quem eles estão representando.


daniel camilo disse...

Eu já comentei em um outro post daqui referente ao mesmo tema. Contudo, vou relatar o que aconteceu na década de 80 e 90 na Unidade onde servi. Havia reclamação dos cabos soldados e taifeiros quanto a campo de futebol nos dias de educação física e lazer nos finais de semana. Os Oficiais e Sargentos tinham campo de futebol e clubes então, um cabo antigo teve a ideia de ter uma audiência com o cmt da Base Aérea e falou sobre essas necessidades. resultado: Foi eleita uma comissão com soldados, cabos e taifeiros e foi feita por eles e votada por todos uma reivindicação de um campo de futebol e de uma área de lazer. O Cmt aprovou desde que as despesas ficassem por conta deles. Eles ratearam as despesas e o que faltou o comando ajudou. Construiram nos finais de semanas, o campo de futebol e uma área de laser com piscina, campo para futesal e vários quiosques para churrasco. Teve até inauguração com a presença do CMT e dos oficiais.
Essa comissão ficou muito tempo ajudando os cabos, soldados e taifeiros, inclusive melhorando o rancho.

Anônimo disse...

É exatamente exemplos como estes que deverão melhorar a vida na caserna....

Pois quem sente na pele terá seus anseios ouvido pelo comando, e terá na figura do Adj Cmdo alguém com o objetivo de esclarecer e fazer com que o Cmdo entenda a real necessidade da ponta da linha,
Pois normalmente os Cmt SU não levam os problemas com a mesma ótica das praças....

Não adianta acharem que é função do Adj Cmdo, correr atrás de aumento salarial...
Não caberá a ele...

Em um post anterior alguém falou da necessidade de Adj Cmdo no conselho de justiça...
Como uma das missões do Adj Cmdo é o devido assessoramento no tocante à disciplina...
As injustiças irão diminuir consideravelmente, o que já acontece hoje, pois acredito que na maioria das OM o assessor jurídico do Btl já é um Sgt, assim como na minha OM, onde sou eu, 2° Sgt que assessora o Cmdo em toda decisão jurídica tanto nas reapostas cívil quanto na esfera disciplinar, e posso afirmar para todos, que em todas as decisões que este Sgt orienta ao cmt, ele acata, e tudo passa por mim....

E nós conseguimos dar um senso de justiça a TODAS as solicitações de punição que julgamos fora da legislação....

E não é apenas o atual Cmt, o Cmt anterior também procedia assim...

Portanto, a presença do praça devidamente capacitado no conselho de justiça, é questão de tempo.

2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Valorização...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Parece um circo, sem lei que cria o cargo e decreto regule o acesso ao cargo, não existe base legal para o exercício da função.
Cargo e função ilegais.
Militar com desvio de função,
Praça exercendo função de chefia e direção, que atribuição de oficial.
Não existe na hierarquia das forças armadas.
Não existe o reconhecimento remuneratório.
Desvio de dinheiro público para formar militares para exercerem uma função de um cargo que não existe.

Isto é um grande circo.

Anônimo disse...

Quer ser valorizado St ou Sgt?!
Faça outro concurso pra área civil e seja feliz!
Experiência própria!

Anônimo disse...

Já "vibrei" muito, mas hoje, tenho a tristeza de dizer que a cada dia que acordo, tenho profundo desprazer de ir para o trabalho.
Minha motivação é ZERO e a impressão que eu tenho é que a instituição faz tudo que pode para desmotivar a todos.
(Ou talvez pense que somos um exército de acéfalos)

Anônimo disse...

Ô adjunto, aproveita e fala pro Cmt EB que se o "praça véio" está há mais de dez anos na mesma Guarnição, ele NÃO QUER ser transferido à revelia!

Anônimo disse...

Brastra.gif (4376 bytes)
Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

DECRETO-LEI Nº 4.840, DE 16 DE OUTUBRO DE 1942.

Extingue a graduação de sargento-ajudante e dá outras providências

O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o artigo 180 da Constituição,
decreta:
Art. 1º Fica extinta, no Exército, a graduação de sargento-ajudante, consignada no art. 85, § 2º, letra a, do decreto-lei n. 3.864, de 24-11-1941.
Parágrafo único. São, entretanto, conservados os sargentos-ajudantes atualmente existentes, sendo-lhes assegurados os direitos e deveres que, no Estatuto dos Militares, Ihes são devidos.
Art. 2º Passam a ser as seguintes as graduações militares das praças do Exército:
1) Aspirantes a oficial
2) Cadetes
3) Alunos das escolas preparatórias
4) Subtenentes
Primeiro sargento
5) sargentos - Segundo sargento
Terceiro sargento
6) Alunos dos centros ou núcleos de preparação de oficiais da reserva
7) Cabos.
Art. 3º As vagas oriundas da passagem para a reserva, reforma ou ou morte dos atuais sargentos-ajudantes não mais serão preenchidas, davendo o acesso processar-se diretamente da graduação de primeiro sargento a subtenente, resalvado contudo o direito de acesso dos sargentos-ajudantes presentemente existentes o que satisfaçam as exigências legais.
Art. 4º Em cada corpo de tropa, estabelecimento ou formação de serviço, e se der vaga de sargento-ajudante, as funções correspondentes serão preenchidas pelo primeiro sargento mais antigo, que dora avante se denominará primeiro sargento ajudante.
Parágrafo único, O quadro dos primeiros sargentos será assim aumentado de tantos primeiros sargentos quantos forem os sargentos ajudantes substituidos até o completo desaparecimento destes.
Art. 5º Revogam-se as disposições em contrário.
Rio de Janeiro, 16 de outubro de 1942, 121º da Independência e 54º da República.
GETULIO VARGAS.
Eurico G. Dutra

Anônimo disse...

Querem valorizar o praça??? Porque ao invés de ficarem criando funções que de nada servem, não constroem PNR, lutem por um aumento justo e digno com a classe que representamos, melhorem as condições de trabalho dos praças, isso sim esses generais "bundão" não fazem. O que adianta ser adjunto de Comando se o camarada não tem condições condizentes de morar. Eu to cansado dessa palhaçada: é CHQAO, adjunto de comando e um monte de invenções que repito: NÃO SERVEM PARA NADA. Isso tem um nome, desperdício de dinheiro público já que para elaborar essas bobagens vai dinheiro e tempo, que pelo visto para eles estão sobrando.

Anônimo disse...

Com mais de quinze anos de serviço vejo mais um projeto natimorto do Exército. Vejo o exemplo da minha unidade. Um militar que ao brincar com uma arma efetuou um tiro acidental e quase matou um soldado, que enquadrava os militares do rancho para que fornecessem restos de comida para seus cachorros, quando de sargenteante tirava da escala os soldados da horta porque os mesmos lhe forneciam legumes e verduras e também não escalava os soldados que vendiam escondido salgados para ele nos alojamentos. Como acreditar nessa função se neste caso foi escolhido o mais medíocre sargento da OM? só pode ser brincadeira com nossa inteligência

Anônimo disse...

Vai alguns assuntos ao qual o Adj Cmdo do Cmt do EB pode solicitar.
1º No mínimo 3 Adj Cmdo da guarnição de Brasília participar das reuniões de atribuição de pontos pela CPS/CPQAO, para evitar que haja manipulação da pontuação como está ocorrendo;
2º Alterar o regulamento de instrutor de TG, hoje somente pode pedir TG quem possui o CAS com conceito MB, ficando entendido que quem não é MB no CAS não tem competência para a função;
3º Solicitar a diminuição dos interstícios, pois promoções mais rápidas é sinal que estamos sendo valorizados;
4º Solicitar construção de PNR para sargentos nas guarnições;
5º Não haver mais perseguições e retaliações para aqueles militares que se julgam prejudicados pela Adm Militar, nas transferências e promoções e que entraram na justiça, pois quando duas partes não se entendem a justiça está aí para resolver quem tem razão, se a Adm Mil tiver razão o Juiz lhe dará ganho de causa;
6º Solicitar alteração da tabela vertical onde a porcentagem da diferença do Sten para 2º Ten seja menor, pois na redação da LRM de 2001 diminuiram essa diferença em 2000 a de 2º Ten era de 53,45% do soldo de Mar e a de STen era de 45,80%, hoje a diferença do Soldo de 2º Ten é de 52,89% do Soldo de Mar Ex e a do STen é de 41,46%, veja então que houve aumento na escala vertical para o 2º Ten/Major e diminuição para todos os praças.
Essas são apenas algumas valorizações que o Cmt do EB pode nós dar, mais para que isso ocorra é necessário que o Adj Cmdo se empenhe.
Abraços Crivelati e faça por merecer essa função realmente nos represente.
STen T 93

Anônimo disse...

Tá aí um defensor da "merirocracia", que teve papai e mamãe pagando escola particular, cursinho ou teve a sorte de ter podido estudar em colégio militar. Provavelmente se todos aos quais essa figura tenta desqualificar tivessem as mesmas oportunidades de estudo, provavelmente você não teria "pegado" uma das vagas. Não confunda inteligência com conhecimento( o quesito necessário para aprovação).

Anônimo disse...

Por que os graduados precisam de um "boi guia", se a grande maioria possui curso superior "de verdade" e não de "enrolaçao"?

Anônimo disse...

Fala das melhorias aí! Mas sem inventar.

Diego H disse...

Meu sonho é ser adjunto de comando....hahaha....por favor, outra piada inventada por esses generais frouxos...

Anônimo disse...

Caramba, talvez eu caísse nesse conto sobre a "bondade" dos cmt, em relação as punições, se eu não tivesse meus 20 anos de sv. Sempre vc, com "estorias". As "injustiças" que diminuiram (como voce se refere) só diminuiram porque a sargentada, hoje em dia, não pensa duas vezes em arrumar um advogado e processar, inclusive o cmt, no caso de haver realmente uma injustiça ou um justiçamento. Você está lá pra tirar o do cmt da reta. E para de "estorinha" pra boi dormir.

Anônimo disse...

Não é valorização. Isso é Valorisassão. Uma nova palavra, um neologismo, com o mesmo som, porém com significado diferente. Sinônimo de Sacanear.

Anônimo disse...

Mais um engodo para os militares de carreira. Enquanto isso! Nos QGs espalhados pelo Brasil cada dia entra mais OTT e STT. Puro Nepotismo travestido de legalidade. Ainda querem dar lição de moral nos políticos.Cadê o MPM?

Anônimo disse...

”isso não é para nós. ” Com essa sentença encerrei meu comentário publicado em 12 de abril de 2016 01:07. Aliás, foi devido àquela data, que decidi utilizar o pseudônimo SGT MWF (Sgt Max Wolf Filho). Em 12 de abril último, completaram-se 71 anos da morte daquele Sargento Paranaense. Lamentavelmente não somos bons na preservação e difusão de nossa história militar e, por conseguinte, pouco se sabe sobre fatos marcantes da vida desse intrépido Soldado. Sobre sua morte, apenas alguns sabem que Wolf foi voluntário para uma patrulha suicida. O comando necessitava de informações urgentes sobre o posicionamento inimigo a fim de ultimar o planejamento de ataque a Montese e por essa razão decidiu lançar uma patrulha de reconhecimento diurna. Qualquer Soldado de Infantaria sabe que, em um terreno ocupado pelo inimigo, uma patrulha deslocando-se sem a proteção da noite tem um alto potencial de risco. Por esse motivo, a patrulha foi constituída por 19 militares que se haviam destacado por competência e bravura em combates anteriores. Wolf foi voluntário para comandar. Sabendo do grande perigo que os aguardava, teria dito: “Eu vou na frente! ” Não consegui confirmar em registros históricos se ele realmente disse isso, mas é fato que “sua coragem invulgar e seu excepcional senso de responsabilidade” (http://www.esa.ensino.eb.br/maxwolf/) nunca permitiram que seus subordinados fossem submetidos a riscos desnecessários. Wolf sabia que a missão era suicida, mas também sabia que era necessária para salvar mais vidas. Morto, seu corpo foi recuperado três dias após a tomada de Montese. Esse é o Sargento que dá nome à nossa Escola. Esse é o Soldado cujo legado precisamos honrar. E como honrar tamanha história? Tomando conta de nossos subordinados. Isso é o que precisamos fazer...
SGT MWF

Anônimo disse...

Desculpem, precisei dividir o texto em partes:

II ...Esqueçamos os oficiais. Ele tem seu próprio mundo, com seus afazeres, com suas obrigações, preocupações, aborrecimentos e alegrias. Nós, Graduados, precisamos reconstruir e fortalecer o nosso! Não que eu ache que não precisemos dos oficias, precisamos sim! Tanto quanto eles de nós, mas necessitamos urgentemente parar de esperar que eles nos provejam com soluções, pois como eu escrevi acima, pertencemos a mundos diferentes e por esse motivo muitas vezes sua lógica não faz muito sentido para nós e vice-versa. Graças a Deus que é assim. Conseguem imaginar uma instituição como a nossa onde todos pensassem exatamente igual?
É nesse contexto que defendo a criação e desenvolvimento da nova função para nossos Graduados. Essa ideia não nasceu na mente de um oficial. Ela é fruto do trabalho, dedicação, profissionalismo e fé de muitos Sargentos (muitos já na reserva) que trouxeram experiências adquiridas fora do Brasil. Para alguns pode parecer impraticável a adoção de procedimentos desenvolvidos em outros países, mas lembro que importar soluções que dão certo economiza tempo e não significa necessariamente sua aplicação tal e qual foram concebidas lá fora. Essa nova função foi concebida a partir de uma experiência exitosa de 40 anos e que já foi adotada por vários outros exércitos. Será que nossa tentativa será pior que não fazer nada para mudar? Alguns arguem que não irá valorizar a todos. Infelizmente no primeiro momento não. Mas convém lembrar que isso ainda é muito novo. Tomará tempo ainda para a implementação, quem dirá para o seu desenvolvimento e aperfeiçoamento, o que só acontecerá com o empenho de todos nós. E nós podemos e devemos ajudar. Como? Simplesmente discutindo as ideias escritas aqui nesse blog. Ora, se temos um Graduado que, entre outras funções também será responsável pelo “bem-estar de todos os membros da família militar; além de tratar sobre outros assuntos que envolvam os Praças” (Agência Verde-Oliva/Montedo.com) porque não levar a ele tudo o que é escrito aqui? Outro detalhe é que essa função poderá fornecer oportunidades para fortalecer outras já existentes...
SGT MWF

Anônimo disse...

III ...Vamos começar a pensar no Adj Pel/Sec, depois passemos para o Sargenteante e terminemos com o Sgt Brigada. Quais são os critérios de seleção para essas funções? Estamos empregando os melhores Graduados nesses postos-chave? Deveríamos! Se considerarmos que o processo de escolha para Adj Cmdo exigirá uma seleção criteriosa, como não avaliar o desempenho dos possíveis candidatos nessas funções? Será praticamente obrigatório selecionar militares que tenham desempenhado tais atividades, pois são elas que estão ligadas diretamente com o cuidar do subordinado. Então imaginem que um Cmt GC (Inf) demonstre possuir atributos para ser Adj Pel e que quando o for demonstre capacidade de liderança para ser um (verdadeiro) Sargenteante que, no desempenho de sua função, demonstre ser zeloso e preocupado com seus Soldados e que isso o indique para ser um Sargento Brigada e que nessa função ele realmente seja um modelo a ser seguido pelos demais Praças. Agora imaginem no futuro, essas três funções trabalhando uníssonas em prol dos Soldados da Unidade. Imaginem que todos os militares que desempenham essas atribuições em uma OM serão orientados pelo Adj Cmdo. Sim, pois sozinho o Adj Cmdo não fará nada. Imaginem quando esses militares estiverem agindo como um verdadeiro time, uma equipe, todos preocupados com os Praças da OM. Precisaremos que os oficias se preocupem conosco nesse dia? Essa é a ideia principal. Infelizmente meus amigos isso exigirá tempo. Os Graduados que ora desempenham a função de Adj Cmdo, com toda certeza terão um papel histórico nesse processo, mas no futuro serão apenas retratos em alguma galeria de honra, pois a realidade é que os verdadeiros responsáveis pelas mudanças esperadas pelo Corpo de Graduados e demais Praças (sempre me refiro a nós dessa maneira – grafando em maiúsculo e distinguindo o graduado do não graduado) serão os garotos que estão iniciando a carreira hoje. Eles estarão – espero – livres dos vícios e contaminações que hoje nós carregamos. Por essa razão termino esse texto com a mesma sentença usada para iniciá-lo: “Isso não é para nós. ”
SGT MWF

Anônimo disse...

Bonitos comentários.

Cadê a medalha de 20 anos de tropa desses Adj de Cmdo. Pegue cada um e fiscalize. Acessem o almanaque. experiência em gabinete para assessorar o Cmdo. Não representa a tropa.

Anônimo disse...

Forças Armadas são todas a mesma coisa! Na Marinha, por exemplo, vemos muitos militares servindo embarcado por anos e anos, empurrando água em navios da Esquadra, em OMs de terra, acumulando funções, levando mijada de tudo quanto é jeito, e na maioria das vezes são militares competentes, por isso são escolhidos para certas funções ingratas, mas na hora da Viagem de Ouro no Ne Brasil, vai o SO/SG que está lá no Gabinete do CM! É mentira minha?

Anônimo disse...

Falou tudo comentarista de 15 de abril de 2016 07:07

Anônimo disse...

senhores parem de reclamar de tudo. O exército funciona, devemos so tentar maior desvalorização e o adj cmdo pode nos ajudar com isso
abraço!

Anônimo disse...

Pois é... Tbm não acredito em bondade de comandante não, acredito na ocorrência de decisões pautadas nas Leis... E é isso que tem ocorrido...

Pena que nos seus longos vinte anos, não tenha tido maturidade suficiente para enchegar a evolução das coisas, inclusive na parte disciplinar...

Concordo que os Sgt que se sintam injustiçados recortar a justiça civil para requerer o que lhe é de direito...

Talvez por isso e devido a ingerência de um praça neste elo é que em minha OM, estamos a doais anos e meio sem nenhum Sgt punido e sem nenhum processo civil..
E te afirmo que motivos tivemos, mas no fim dos casos acontecido, ninguém saiu prejudicado, principalmente os sargentos...

2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Sou militar da marinha e como muitos aqui, possuo bons amigos nas 3 forças.Antes de ler esse texto do "Sgt MWF" tinha a opiniao da grande maioria dos comentarios.Contudo acredito que algo novo tem que ser experimentado.UMA chance existe para isso da certo, observando pessimos exemplos da politica brasileira.Explico:Indicacoes do governo para diretoria de estatais como a Petrobras de "COMPANHEIROS" sem funcoes tecnicas quebrando a mesma.Indicacoes do governo para ministros do supremo como Lewandowski que poe em duvida a legitimidade da casa.Concluo se o Adjunto for indicado pelo COMANDO nunca dara certo.Indicacao do MN/SD mais moderno ao SO mais aintigo sim.Se pretendem inovar, agregue um pouco de democracia ao jogo.

Anônimo disse...

Mimimi. Ninguem me representa...

Anônimo disse...

Talvez essa função tenha lá a sua utilidade em uma OM ou outra. Não se espantem se no lugar de representar a tropa perante o comando, essa sinecura sirva para representar o comando perante a tropa. Lembrem-se que o EB é um exército bipolar: alguns são operacionais, mas existe uma grossa massa de burocratas.

Anônimo disse...

texto digitado por uma hiena...

Anônimo disse...

Mais uma invenção que vai levar a nada e a desvalorização continua a mesma, precisamos é de uma carreira dígna, coisa que não passa pela cabeça de nossos "chefes", pois para eles a coisa está ótima, transferência a cada 2 anos, promoções em dia, pnr onde chegam, ai fica fácil esse adjundo não vai melhorar a vida de ninguém.

Anônimo disse...

Prezado, esse tipo de situacao decorre da preguica ou mesmo comodismo do Cmt OM. Nao quero acreditar que o Cmt sabendo disso que vc descreveu, ainda assim nomeou o militar. Se foi isso mesmo, outra hipotese que tenho eh que o Cmt, sendo contrario a funcao mas obrigado a cumprir o determinado, escolheu o menos apto justamente para poder fazer um relatorio negativo sobre a nova funcao. Fique atento e observe...

Anônimo disse...

"Adjunto de Comando": mais uma balela para as praças se sentirem importantes.

Alguém já se esqueceu da grande "valorização" dada às praças com a, agora, feitura de sindicâncias? Acumulando as suas funções normais, agora terá de se responsabilizar por sindicâncias.

Com a nossa cultura permissiva, o cargo de Adjunto de Comando (apenas um militar por OM) será preenchido por aquele praça mais áulico dentre seus pares. Simples assim. Ou alguém aqui acha que o comando da OM vai nomear aquele sargento ou subtenente que sempre está a reclamar (usando os canais corretos e disponíveis) pelas injustiças causadas aos demais sargentos e aos cabos e soldados de sua subunidade? Claro que não. O comando quer aquele que vende a alma por pontos e conceito e entrega facilmente o seu irmão de arma.

No Exército Brasileiro, se não mudar a cultura subserviente e de castas, essas inovações para as praças não dão certo.

Anônimo disse...

Mais uma função rolha...Praça não tem e nunca terá voz ativa perante os oficiais. Eles nos encaram, em todos os sentidos, como seres inferiores e isso nunca vai mudar, é fato. O sgt pode ter doutorado, mais sempre será tratado como um serviçal, cuja a opinião não faz a menor diferença.

Anônimo disse...

Esse pessoal possui muita experiência em gabinete, pessoas certas para representar a tropa.

Anônimo disse...

Boa ideia se o subtenente tivesse promoção regulada por lei e con data certa para ser promovido iguais os oficiais. Simples, ao sair sub automaticamente minha esposa saberia o dia que seria promovido oficial e toda familia iria comemorar,e assim como subtenente adj cmdo nao teria essa preocupaçao nas costas e me preocuparia com meus superiores, pares e subordinados. EU SINCERAMENTE NÃO ENTENDO ESSE PRECONCEITO TOLO COM O PESSOAL DA EsSA NO FIM DE CARREIRA SER PROMOVIDO OFICIAL. CREIO QUE SEJA VAIDADE !!!

Anônimo disse...

Concordou com tudo que eu coloquei, só que com eufemismos para tentar não sair por baixo. Acabou a ditadura, pau que dá em chico, dá em francisco.

Anônimo disse...

Sou subtenente e comparo a função de adjunto de comando a de bobo da côrte. É mais uma missão inventada onde de forma sutil é passada a bola para a praça mais antiga de tentar segurar os ânimos da descontente e desmotivada classe. É mais ou menos o que fizeram com a sindicância, mas nesse caso tira-se um forte peso dos ombros dos subcomandantes e chefes de estado-maior das unidades, pois a cobrança por disciplina será primeiro em cima do bobo da côrte pois esse militar será uma espécie de muro das lamentações dentro de cada OM. Mais uma vez a praça se ferrando sem ter qualquer tipo de retorno, a não ser a tal da "valorização da profissão" uma balela, uma piada.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics