19 de abril de 2016

Após missão na África, sargento da Marinha morre de malária em Natal

Sargento Luciano Márcio de Macedo Teixeira morreu neste sábado (16).
Também com a doença, outro militar está internado em João Pessoa.
Do G1 RN
Um militar da Marinha do Brasil, diagnosticado com malária, morreu neste sábado (16) em Natal. Segundo a assessoria de comunicação do 3º Distrito Naval, o sargento Luciano Márcio de Macedo Teixeira, de 38 anos, estava internado desde a sexta-feira (15) na UTI do Hospital da Guarnição da capital potiguar. Outros dois militares, que segundo a Marinha também estão doentes, encontram-se internados em João Pessoa, na capital paraibana. "Em um deles, o caso está confirmado, ou seja, também tem malária. No outro, existe apenas a suspeita", ressaltou a assessoria.
Embarcados no Navio Patrulha Oceânico Araguari, os três militares participaram, no período de 24 de fevereiro a 16 deste mês, de uma missão em vários portos africanos e também no Nordeste brasileiro.
“A operação Obangame Express 2016 foi realizada em conjunto com outras 30 marinhas estrangeiras, destacando-se as marinhas da Alemanha, Angola, África do Sul, Bélgica, Dinamarca, Estados Unidos, Espanha, França, Holanda, Noruega, Portugal, Senegal, Togo e Turquia, tendo visitado os portos de Georgetown, São Tomé e Príncipe, Luanda e Jamestown, no continente africano, além dos portos de Maceió (AL) e Cabedelo (PB), no Brasil”, acrescentou o 3º Distrito Naval.
Por fim, a Marinha também informou que o último porto da viagem, em Cabedelo, foi verificado que três militares ficaram doentes, sendo necessária internação. Dois na cidade de João Pessoa e outro em Natal. “Dois deles, sendo um em João Pessoa e outro em Natal, foram diagnosticados com malária”, afirmou.
O Araguari atracou no píer da Base Naval de Natal na tarde de sábado (16) e todos os demais tripulantes foram recebidos por seus familiares e liberados para suas residências.
G1/montedo.com

3 comentários:

MESSIAS DIAS disse...

A doença na África é chamada de PALUDISMO. É importante destacar que o medicamento usado nos paises africanos tem sua cpmposiçào diferente em relação ao nosso tratamento.
Durante o período em Angola, minha família toda e, em especial, meus filhos foram acomedidos por mais de 5 PALUDISMO (malária).
Em 2014, o navio patrulha da MB, ficou no mar territorial de Angola e não podia, chegar em terra firme, muito menos retornar ao Brasil, pois vários militares estavam doentes. A época a preocupação foi com o Ebola, porém todos foram diagnosticados com febre tifoide.

Anônimo disse...

Ainda bem que não tenho perfil para esse tipo de missão. Enquanto tiver homens e mulheres com muitos, graças a deus, nunca, nunca, irão precisar desse que vos escreve. Meus pêsames a família!

O conde de monte cristo.

ALMANAKUT BRASIL disse...

OMS aprova vacina contra a malária

Antena 1/RTP - Portugal - 23/10/2015


A vacina contra a malária já tem o aval da Organização Mundial de Saúde (OMS). O comité de peritos da organização deu luz verde à utilização da vacina, a primeira vacina existente contra a malária, e destinada a crianças no continente africano, mas vai haver ainda uma fase piloto.

http://www.rtp.pt/noticias/mundo/oms-aprova-vacina-contra-a-malaria_a868355

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics