22 de setembro de 2015

Filha de militar é contra receber ‘mesada para sempre’

Num cálculo estimado, contando que o benefício há 30 anos é de R$ 6 mil, a viúva já teria recebido cerca de R$ 2 milhões da União

LETICIA FERNANDES
RIO - Rio de Janeiro, 1985. O dia estava ensolarado, perfeito para rasgar o céu da capital fluminense. Era só mais um dia de trabalho para o segundo-tenente do Exército. Ele entrou no avião para participar de uma demonstração de voo, mas problemas técnicos com o tanque da aeronave interromperam seus planos. O fim da viagem foi trágico: o militar morreu com uma pancada na cabeça depois da queda. Aos 21 anos e grávida da primeira filha, sua mulher o esperava em terra firme. Passou a receber pensão com o valor integral do salário do marido, de cerca de R$ 6 mil (valores corrigidos pela inflação), que irá para a filha quando ela morrer. Num cálculo estimado, contando que o benefício há 30 anos é de R$ 6 mil, a viúva já teria recebido cerca de R$ 2 milhões da União.
A filha do militar, de 29 anos, que preferiu não se identificar, contou ser contra o recebimento do auxílio vitalício:
— Não concordo com esse sistema de benefício, apesar de ter salvado a vida da minha mãe. Acho que ninguém deveria receber uma pensão vitalícia porque isso acomoda. Imagina receber uma boa mesada para sempre? — disse a jovem.
Ela, porém, não considera injusto que a mãe receba a pensão:
— A minha mãe acha justo a pensão ser vitalícia para a esposa e injusto ser vitalícia para o filho. Particularmente, não acho que as esposas não mereçam, porque realmente abrem mão de muita coisa, vão morar em lugares remotos, áreas de fronteiras, em geral abrem mão de suas carreiras e têm um papel importante na carreira do militar, ajudam nas promoções. Mas encaro como se a pensão não existisse. Minha mãe tinha 21 anos, ficou viúva grávida. Foi ela que viveu o perrengue para se reerguer e fazer faculdade com filho — disse.
O Globo/montedo.com

36 comentários:

Anônimo disse...

http://www.msn.com/pt-br/noticias/other/bolsonaro-chama-refugiados-de-esc%c3%b3ria-do-mundo/ar-AAeCfze?li=AAaB4xI&ocid=SL5MDHP

Não honra meu voto.

Unknown disse...

Moderador do site,por gentileza não fique publicando matérias deste tipo,fica dando ideia daqui a pouco os militares não terão pensão para filha e irão para a reserva com um posto a menos,a gente não tem direito à greve, fgts,adicional noturno etc...Colocando depoimentos como o da moça da matéria vocês estão sendo fogo amigo..

Anônimo disse...

Sem se identificar é fácil, quero que ela se identifique e simplesmente faça um documento registrado em cartório abdicando o beneficio quando tiver direito, se é que a pessoa existe, pois não quis se identificar, pode ser golpe do O Globo.

Anônimo disse...

Que estória é essa de alguém achar ruim um benefício, um direito que seu pai passou pra mãe e pra ela, que está recebendo sem fazer esforço algum.
Tá com cara de armação desse repórter pra atacar os militares que estão quietos.
A pensão militar é um DIREITO do militar e seus beneficiários em caso de morte.
Nos pagamos a pensão militar inclusive na reserva.
Já não temos direito a FGTS, greve, perdemos adicionais tempo serviço e a promoção a posto acima com a MP 2215, MP do mal, da trairagem .
Não podemos aceitar perder nem um centavo, visto que nossos salários já estão defasados e sempre perdendo pra outras carreiras de estado e para as PM de vários estados.
Por que o Jornal não faz matéria pra criticar e atacar os parlamentares que se aposentar com dois mandatos, 8 anos, apenas, tem reembolso ilimitado com gastos médicos, auxílio moradia, auxílio palito, etc, etc...
Por que não falam , criticando, os benefícios dos magistrados, que reajustam os próprios salários, tem auxílio educação pros filhos, auxílio moradia, etc, etc....

Anônimo disse...

Simples, minha filha! Doe o dinheiro para uma instituição de caridade ou deposite na minha conta. Não sejamos ingênuos, por causa desse comportamento perdemos vários direitos, enquanto os civis não estão nem aí e querem muito mais. Bonzinho morre coitadinho PT

Anônimo disse...

Primeiramente acho esta uma história de ficção. Do jeito que as pessoas gostam de dinheiro, nunca vi alguém reclamar por estar recebendo um dinheirinho a mais. Agora, a solução é simples, será que ela vai gostar? Basta ela abrir mão da pensão! Simples, não é mesmo?! Isto está parecendo uma matéria forjada para incitar a sociedade contra militares. Há um desconto mensal para que , após a extinção da pensão para filha que aconteceu em 2000, o militar deixasse a pensão para a filha, opcionalmente e irrevogável. Não precisa entender muito de Matemática, mas, se a pessoa for um pouco atenta, o valor descontado se aplicado em qualquer banco por todo esse tempo daria um rendimento mensal muito maior do que a pensão paga. Então, não pensem que o governo está sendo bonzinho com os militares, não. Outra coisa que eu vejo no brasileiro: 'Se você encontrar um brasileiro num buraco cheio de lama, para não dizer outra coisa, não dê a mão para tirá-lo, pois ele não vai pensar em sair e vai puxá-lo para dentro da lama também.'

Anônimo disse...

Paulo César.
O governo do PT fez um monte de M. e agora quer atribuir culpa a todo mundo, fazendo-se de inocente, e ainda encontra otários que acreditam que é verdade. Sinceramente, também estou ficando meio desconfiado com este Blog. Realmente, isto está parecendo matéria com objetivos maléficos. Este não é o primeiro caso deste tipo que vejo aqui neste Blog.

Amauri disse...

Ué!!!! É só a Srta (presumo) abdicar do direito qdo a mãe falecer.....

Anônimo disse...

Pior mesmo é o Auxílio Reclusão! Este paga por cada dependente de presos mais de R$ 900,00. Ao trabalhador aqui fora que ganha Salário Mínimo não é pago um Salário Mínimo para cada um de seus dependentes. Então, o Brasil está todo errado! A mesma coisa é esta redução do salário dos aposentados do INSS (Fator Previdenciário). As pessoas não deveriam cair nas armadilhas das mídias, não. Se forem "levantar o tapete' ... hum!!!

Anônimo disse...

Bolsonaro agora xingou os imigrantes. Só se envolve em polêmica negativamente. Não votarei mais nele.

Por favor não censure este comentário.

Anônimo disse...

Tranquilo, é só ela não se habilitar por ocasião do falecimento da mãe,,,simples

Garivaldino Ferraz - Brasília disse...

Efetivamente, nos dias atuais, quando as mulheres esforçadas conseguem ser independentes até mesmo de companheiros, a pensão militar para filhas de militares é um "fato social" obsoleto. Por isso, em extinção desde o final de 2000, com exceção dos que se propuseram a pagar mais na contribuição. Não tenho dados a respeito, mas acredito que tenham sido poucos os que optaram desta forma. Não tenho informações detalhadas a respeito dessa senhora citada na postagem, e por isso não me cabe duvidar de sua honestidade de propósito. Mas como sua mãe é viúva desde 1985, tendo ficado impedida de "repassar" à filha a Pensão Militar recebida, essa manifestação me parece um tanto extemporânea. Me lembra a fábula da raposa que não alcançava as uvas e, assim, demonstrava desprezo por elas.

Anônimo disse...

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/bolsonaro-chama-refugiados-de-escoria-do-mundo

Anônimo disse...

Pensamento coerente, atual, de acordo com a democracia capitalista que queremos. Pensões polpudas, saúde e previdência pública fornecida pelo estado, vencimentos integrais vitalícios, estabilidade para concursados, programas sociais para habitação e educação com financiamentos subsidiados pelo governo, etc, etc e etc, tudo isso é típico de sistemas de governo Socialistas comunistas. A democracia que a população pede nas ruas é aquela que dá o prêmio para quem merece, não para quem teve azar. Quem puder paga, quem não puder, fica sem. Ou estão pedindo o que não conhecem?
STen Honório.

Militar atento disse...

Ser contra é opinião dela, mais quando o pai dela resolveu ser militar, pensou na lei vigente a época e no conforto da mesma. Um conselho receba e faça doações, o militar não tem mais esse direito garantido.

Anônimo disse...

montedo uma dica : muda as fotos do colirio fardado elas estao muito antigas

charley disse...

Concordo com o companheiro Unknown pois também pode ser conspiraçao para ver se cola edda idéia.

charley disse...

Demagogo

charley disse...

Quero ver é devolver os 1,5% pagos todo mês. Isso não é de graça não. Pagamos por isso

JC Duran disse...

Hoje já não existe mais isso, agora q ela se beneficiou bastante, seja direta ou indiretamente, fica fácil querer dar uma de boa, ou seja , isso só vem pra nos colocar mais pra baixo, e muitos paisanos que vem aqui no blog, ficam achando q isso ainda existe. Montedo, seria interessante, você esclarecer as matérias tendenciosas, alertando os menos esclarecidos, fica a dica.

Anônimo disse...

O Governo agora está se metendo até na emissão de identidades militares. Não sei o motivo do interesse. Quem souber me fala aí...

Anônimo disse...

http://www.sociedademilitar.com.br/wp/2015/09/decreto-de-dilma-tira-identidades-de-oficiais-sargentos-temporarios-e-militares-prestando-servico-militar-inicial.html

keko marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Esse problema de identidade militar já está "enchendo o saco". Na Aer., não se sabe direito se a identidade continua valendo ou não, pois para os da ativa dizem que vale; para os da reserva dizem que não. Na Vila Militar, o Exército é que não aceita a identidade do Detran. Sei que o Brasil está uma "zona", mas assim já é de mais.

Anônimo disse...

essa jovem deveria se inomodar com o valor do salário familia dos militares que é de míseros R$0,16 por dependente, será que isto é um salário família digno

Anônimo disse...

Tá na Lei? Então,está certo. Quem tem filha e optou em desconto maior para beneficiá-la também está dentro da Lei. Se ela tem o direito e quiser recusar, procure fazer os trâmites legais para esse cancelamento ou faça doações ou outra ação.Se não me engano, é exigido que ela continue solteira e não tenha outra renda, caso contrário perderá o direito. Acho que é isso. São as "solteironas" por opção? Fiscalizar corrigiria algumas situações irregulares. Quem é que vai recusar receber seis mil reais conforme a Lei?

João Luiz disse...

Balela pura, essas porcarias de políticos que temos com 8 anos de mandato se aposentam integralmente e se morrerem a pensão vai para a família, da mesma forma juízes e desembargadores e ninguém nunca falou nada...porque mexer somente com os militares...é mais uma tentativa dessa mídia imunda do país em tentar desmoralizar os militares. Nós pagamos por essa pensão e nossa família tem todo o direito porque não foi de graça, essa corja de parasitas do governo que não contribuem e suas famílias recebem?

Anônimo disse...

o tema "Pensão de filha de militar" tem várias correntes, nem sempre ideológicas:
1- INSATISFEITOS: normalmente são aqueles q não optaram pela pensão, à época, e, por isso, acham o benefício ruim, os q aderiram ruins, as filhas ruins, tudo é ruim.
2- IDEOLÓGICOS: aqueles q não concordam com o mecanismo. Para estes, tal benefício afronta diretamente seus valores, conceitos e, assim, acham-no um absurdo. Neste grupo há, em esmagadora maioria, aqueles q não aderiram.
3- BENEFICIADOS: não podem ser classificados como satisfeitos, mas são, sem dúvida, os beneficiados pelo mecanismo e, para estes, é bom q se mantenha. Defendem, como disse, a manutenção do benefício, pois aderiram a ele.
Particularmente, acho hipocrisia atacar o benefício, mesmo por que não seremos nós, ao abdicá-lo, o propulsor das mudanças de q esse país precisa. Abrir mão não dará exemplo a ninguém, tampouco a quem não está sequer preocupado conosco.
E a velha máxima de q a mudança começa conosco - ou se inicia pelos pequenos gestos -, não se aplica, com absoluta certeza ao caso. Primeiro, não impusemos nada a ninguém, pelo contrário, já era algo conquistado e em vigor; segundo, não há exploração do sistema, do cidadão, de nada, pelo simples motivo q há contribuição para o referido benefício.
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

Decreto 8518, de 18 Set 15, atesta a veracidade da fé pública da identidade militar em todo o território nacional. Sempre aceitaram minha identidade militar em TODOS os órgãos (Detran, PM etc.) aos quais a apresentei.
Portanto, para os teóricos da conspiração, q só sabem ver perseguição, eis o "cala boca".
Link --> http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8518.htm
Maj QCO Leonardo

Anônimo disse...

A Lei de 1960 que garante a pensão para as filhas não fala nada se é solteira ou casada.Não quer a pensão ? Procure uma instituição séria que preste serviços relevantes e faça a doação.

Cristiane Jorge disse...

Esta garota bateu com a cabeça, ninguém em seu juízo perfeito falaria tamanha asneira. Ela literalmente não existe, é fruto de una imaginação perversa, valeu a tentativa, mas não colou. Como diriam os coronéis: "Isso é tiro no pé".

Anônimo disse...

É muito simples para essa mulher resolver, ABRA MÃO da pensão!!! Isto ela não vai fazer. Duvido!!! A previdência privada nos bancos funciona bem, pois as pessoas são descontadas para tal. Por que só nas FAs, que nos é debitado valor proporcional ao soldo, essa pensão (previdência também, semelhante ao banco) não seria correto?
Volto a dizer para nunca estender a mão para ajudar um brasileiro que caiu numa vala de cocô, pois ele em vez de sair dela vai puxá-lo também.

Luiz Gaspar disse...

Boa noite.

LEVIANA ESTA MATÉRIA...

1º - O sistema previdenciário é pago baseado nos lucros das aplicações financeiras feitas com nosso dinheiro descontado mês a mês no contra-cheque e administrado pelo Governo Federal. Não é favor algum pagar a pensão vitalícia, pois seu dinheiro está sendo aplicado pra isso, um montante de 30 anos. Depois que o pensionista morre o dinheiro fica TODO para a União, é um fundo extraordinário que é também extraordinariamente mal administrado, por isso o rombo.
2º - A filha do militar, da mesma forma, recebe fruto de contribuição previdenciária também complementada por seu pai. Se esta ou qualquer outra moça despreza a aplicação financeira que seu pai com sacrifício fez para ela, isso não a faz boa moça, independente do quanto ela acredite o contrário, é pura matemática. É como aquela que recebe uma herança deixada por seu pai que se preocupou com ela enquanto vivia, para ela que muitas vezes ainda nem havia nascido.

Sgt 2011 disse...

Bom, li alguns comentários e sei que serei duramente criticado, porém não posso deixar de tecer neste pequeno texto meu comentário.
Deixar um salário para a esposa, alguém que te acompanha e te apóia nas mais diversas situações, concordo plenamente, pois reflete nela suas aspirações e preocupações, porém para uma filha; alguém que tem plenas condições de buscar mediante seus meios, e motivações a sua vida financeira, isso me parece um desperdício de dinheiro público, que talvez pudesse ser melhor empregado na própria força, assim como um ensinamento de acomodação e desprezo a capacidade de seu decendente, no caso: a filha.
Não discorrerei muito sobre o assunto, pois apenas isso vai irritar as mentes mais intolerantes as opiniões divergentes.

Anônimo disse...

Esta lei de pensão para quem entrou após 2000 não vale mais. O cara quis entrar para a vida militar, que já está uma porcaria, após 2000 sabendo que a filha não teria mais direito, é problema dele. Mas a lei existe e terá de ser cumprida para os demais. Eu também perdi o direito do soldo acima por questão de dois anos, fui obrigado a aceitar isto. E daí?!!! Quando fui para a vida militar, abri mão de seguir outra carreira pensando, claro, nas vantagens que não pude desfrutar após 28 anos de efetivo serviço. Então, cada um com seu cada um!!!

Rogerio7777 Santos disse...

Direto ao assunto: o militar contribui para a pensão do conjuge/companheiro. Quem optou pela contribuição 1,5 % referente à pensão para filha, a esta transmite esse direito após seu falecimento. Não há nada de graça nessa história. Esses benefícios são baseados em contribuições descontadas mensalmente nos contracheques. Não é privilégio. Esse texto é, no mínimo, desnecessário. Na pior das hipóteses, é matéria tendenciosa e cretina.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics