8 de setembro de 2015

Uma petista, é uma petista, é uma petista! Decreto que tirou poderes dos comandantes militares foi pedido da 'zero-dois' da Defesa, diz Governo

Segue a nóticia do Estadão. Volto ao final.

Dilma tira poderes de comandantes militares
Eva Schiavon: a culpa foi dela, diz a Casa Civil (Imagem:Bocão News)
Além das crises política e econômica que atingem o governo, o Palácio do Planalto agora enfrenta problemas com a área militar. Na quinta-feira da semana passada, a presidente Dilma Rousseff assinou decreto que estava na gaveta da Casa Civil há mais de três anos, tirando poderes dos comandantes militares e delegando ao ministro da Defesa competência para assinar atos relativos a pessoal militar, como transferência para a reserva remunerada de oficiais superiores, intermediários e subalternos; reforma de oficiais da ativa e da reserva; promoção aos postos de oficiais superiores; nomeação de capelães militares, entre outros.
Hoje, esses atos são assinados pelos comandantes militares. A medida foi recebida com "surpresa", "estranheza" e "desconfiança" pela cúpula militar, que não foi informada de que ela seria assinada por Dilma.
A responsabilidade pela decisão de o decreto ter saído da gaveta era considerada um mistério. No fim do dia, no entanto, a Casa Civil informou que o envio do decreto à presidente atendeu a uma solicitação da secretaria-geral do Ministério da Defesa, comandada pela petista Eva Maria Chiavon.
O comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que estava ocupando o cargo de ministro interino da Defesa, e que viu seu nome publicado no Diário Oficial endossando o decreto, disse que não sabia da existência dele.
"O decreto não passou por mim. Meu nome apareceu só porque eu era ministro da Defesa interino. Não era do meu conhecimento", disse o comandante ao deixar o desfile de Sete de Setembro.
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, que estava na China quando o decreto foi editado, também demonstrou surpresa com a medida. "Posso assegurar que não há nenhum interesse da presidente Dilma em tirar poderes naturais e originais dos comandantes", afirmou à reportagem.
"Ainda não estudei o decreto, mas ele visa normatizar as prerrogativas de cada instância com a criação do Ministério da Defesa e não tirar o que é da instância dos comandantes", justificou. Wagner lembrou que o decreto ainda não entrou em vigor e que "qualquer erro ainda pode ser corrigido".
Leia também
"É pá cabá!" Canetada de Dilma retira poderes dos Comandantes Militares
Repercussão
O decreto gerou "uma histeria geral", pela maneira como foi feita a publicação, sem que a cúpula militar fosse avisada. "Há uma preocupação de que este decreto, que estava dormindo há anos, foi resgatado por algum radical do mal ou oportunista, com intuito de criar problema", disse um oficial-general, ao lembrar que a publicação do texto foi "absolutamente desnecessária".
Outro militar afirmou que "faltou habilidade política de quem tirou o decreto da cartola, em um momento em que o governo já enfrenta tantas dificuldades, criando uma nova aresta, pela forma como foi feita".
Este mesmo militar comentou que, mesmo o ministro da Defesa podendo delegar aos comandantes os poderes previstos no decreto, a medida é uma retirada de atribuição dos chefes das três Forças e que, no mínimo, a boa regra de relacionamento ensina que você avise a quem será atingido. 
O Estado de S. Paulo/montedo.com

Voltei
Levei 'um pau' na área de comentários quando publiquei - em primeira mão, diga-se - o Decreto 8.515, do último dia 3. Agora, o fato ganhou destaque nas páginas do Estado de São Paulo, que dá detalhes da forma como se deu a assinatura e publicação do ato no Diário Oficial. 
Segundo a Casa Civil, o documento foi encaminhado pela Secretaria Geral da Defesa, Eva Maria Cella Dal Chiavon, sem o conhecimento do Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que era o ministro interino, uma vez que Jaques Wagner estava em viagem oficial à China.
Dona Eva Maria já foi notícia aqui no blog. Em 6 de janeiro, escrevi na postagem 

A "zero-dois" da Defesa:


Segundo informa a Agência Estado (notícia abaixo), a designação de Eva Chiavon, antiga colaboradora do Ministro Jaques Wagner, para o cargo de Secretaria-Geral da Defesa, surpreendeu a cúpula militar. O motivo seria 'a forte ligação esquerdista' da substituta de Ary Matos Cardoso, que deixou o cargo.
Se a surpresa foi mesmo verdadeira, passo a acreditar que o espírito da 'Velhinha de Taubaté' sobrevive entre os altos coturnos. Acaso o novo ministro não é, ele próprio, um influente quadro do PT? Quem os generais imaginavam que pudesse querer para seu braço-direito? Algum estrelado de pijama? Um diplomado da Escola Superior de Guerra? Um funcionário de carreira sem vínculo partidário?
A catarinense Eva Maria Cella Dal Chiavon é um quadro antigo do PT. Até dezembro, era a secretária-executiva do Ministério do Planejamento, por indicação de Miriam Belchior. Sob Lula, exerceu a mesma função no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República e no MTE. No Planejamento, já havia sido Assessora Especial em 2003.
 Ou seja, a Secretaria Geral da Defesa é uma petista, o Ministro é um petista, o Chefe da Casa Civil é um petista, a presidente é uma petista! Esperavam o quê? Respeito? Façam-me o favor!

34 comentários:

ESTA É A HORA, CONCORDAS? disse...

Mas "pau" porquê? Não entendi, mais cedo ou mais tarde alguem ia publicar mesmo. Aí vc ia colocar no blog mesmo.

Anônimo disse...

De qualquer forma, foi um erro não informarem ao Comandante da Marinha que respondia pelo MD.

Anônimo disse...

O Decreto 8515/2015, ao revogar o Decreto 62.104/1968, retira da competência dos Comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica, o caráter final para aprovar os Regulamentos das Escolas Militares.
A Presidente pretende influenciar diretamente nos currículos escolares das Forças Armadas.
Vários parlamentares devem apresentar Projetos de Decreto Legislativo para sustar os efeitos dessa malfadada norma.

Anônimo disse...

O decreto pode abrir caminho para a ingerência ideológica do governo na formação de militares porque também revoga uma antiga legislação, o decreto 62.104, de 1968, que delegava competência aos comandantes de aprovar os regulamentos das escolas e centros de Formação e Aperfeiçoamento. No Congresso, a proposta da presidente Dilma foi recebida com reserva e incompreensão. Para alguns parlamentares, o decreto é inconstitucional e deve ser revogado.

Amauri disse...

Peraí!!!! "O decreto não passou por mim. Meu nome apareceu só porque eu era ministro da Defesa interino. Não era do meu conhecimento"!!! Assinou sem lê?!?!?!?!
"Ainda não estudei o decreto, mas ele visa normatizar as prerrogativas de cada instância com a criação do Ministério da Defesa e não tirar o que é da instância dos comandantes" !!! Tinha conhecimento, mas ñ reuniU seus subordinados para informa-los da mudança?!?!?!?!
"No fim do dia, no entanto, a Casa Civil informou que o envio do decreto à presidente atendeu a uma solicitação da secretaria-geral do Ministério da Defesa, comandada pela petista Eva Maria Chiavon". Manda mais (ou tem mais coragem) q o 01?!?!?!??

Amauri disse...

Peraí!!!! "O decreto não passou por mim. Meu nome apareceu só porque eu era ministro da Defesa interino. Não era do meu conhecimento"!!! Assinou sem lê?!?!?!?!
"Ainda não estudei o decreto, mas ele visa normatizar as prerrogativas de cada instância com a criação do Ministério da Defesa e não tirar o que é da instância dos comandantes" !!! Tinha conhecimento, mas ñ reuniU seus subordinados para informa-los da mudança?!?!?!?!
"No fim do dia, no entanto, a Casa Civil informou que o envio do decreto à presidente atendeu a uma solicitação da secretaria-geral do Ministério da Defesa, comandada pela petista Eva Maria Chiavon". Manda mais (ou tem mais coragem) q o 01?!?!?!??

Anônimo disse...

Num pais sério com HOMENS de brio no poder os comandantes militares teriam entregue os cargos em sinal de protesto. Mas aqui...

Anônimo disse...

Acredito não se tratar de antipatia, mas sim de adequação, pois também foi assinado um decreto delegando poderes aos comandantes. Está na Folha de SP de hoje.

Anônimo disse...

Não percebem?
Xeque: A medida foi na calada da noite, pra evitar esperneamentos.
Xeque Mate: O segundo ato será a promoção de Luiz Inácio Lula da Silva a Ministro da Defesa, que receberá imunidade por crimes cometidos que proverão das denúncias que ocorrerão pelas próximas semanas vindas da Justiça do Paraná. Ainda, com isso, terá os Oficiais sob o seu poder e julgo, movendo-os pra onde quiser, evitando assim qualquer tentativa de manifesto.

Anônimo disse...

Teremos daqui para a frente comandantes com pensamento alinhado ao PT. Embora os céticos não acreditem, e não se queira admitir por pura retórica, tudo, absolutamente tudo, passará pelas mãos do civil que ocupa o cargo de ministro da defesa, e seus acessores (nao significa que sejam militares, pois esse decreto foi assinado na surdina, tal qual um punhal na espalda...) o que antes era apenas assinado sem ler-se as entrelinhas, de agora em diante vai ter seu devido destaque e apreciação. Logo, ao meu estreito entender, muita coisa poderá ser trocada em sua "ordem natural das coisas". Será que teremos comandos e cargos dentro da força sendo barganhados por politicagem, como nas polícias militares, que de militar só têm o nome? Um comandante certa feita, como se diz no meu RS, discursando ao palanque, afirmou com verdade, que no EB nada vêm de graça, tudo se conquista. Essa dogma acabou de ser derrubada pelo PT, dentro do último bastião de moralidade nesse país, as FA. O último a sair apague a luz....
2Sgt

Anônimo disse...

Se os comandantes militares tiver brio,pudor ou respeito pela carreira e pela Força que representa,colocariam o cargo a disposição ! Ficar no cargo pelo o poder e ser humilhado não condiz com o pendor militar !

Anônimo disse...

Mas báh tche, nesse País que virou anarquia, não nada mais surpreende, Mas como o Sr diz é pra acaba mesmo. Acaba com os Cmt e põe uma Eva graduada em Enfermagem e Obstetrícia, especialista em Saúde Pública e em Plane- jamento Estratégico Público Participativo (Fonte Revista da FAB ano V nr 7 novembro 2014 ) senhores uma enfermeira pra comandar Generais com mais de 45 anos de experiências militares. O que TÚ espera de bom?
desse balaio sai de tudo menos o felino. Tudo na surdina. O povo da reserva deve se envolver nisso pois logo aparta os soldos. E vem mais, se preparem e não se assustem. Abraços a todos e saudações Cavalarianas. Hipo!

Anônimo disse...

Se modificar os RQuero, e enquadra-los na constituicao, ja e lucro.

Anônimo disse...

O governo perdeu credibilidade, perante o povo brasileiro, depois de tantas denuncias contra o PT. Os comandantes precisam entender que a atitude politica tomada pelo decreto, simplesmente, demonstra falta de confiança, retira uma atribuição centenária e se cai no descredito.E se a ideia de subdelegar for intenção do Ministro da Defesa ficará mais claro ainda que não precisava nada disso e que bastava deixar como estava e aí teremos erro em duplicidade.

Anônimo disse...

Ministério da Defesa vai delegar poder aos comandantes militares

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/09/1679131-diante-de-polemica-defesa-devolvera-poderes-a-comandantes-militares.shtml

Anônimo disse...

Essa preocupação e irresignação das Forças Armadas sobre o Decreto da presidenta Dilma, na verdade, é um misto de "fogueira da vaidade" por supostamente perderem o poder para um Civil (Ministro da Defesa) aliado ao sentimento nutrido por militares que ainda acham que são os donos do poder (resquícios do período 1964-1985). Ora senhores, o poder das Forças Armadas pertence a sociedade civil e como militares somos subordinados a ela. Entendo perfeitamente normal que as regras da caserna sejam ditadas por civis. Abaixo a "Fogueira da vaidade" e a presunção de "senhor absoluto do poder".

att. S Ten Ponderador.

Anônimo disse...

Isso chama deslealdade no meio militar, usou no momento de que o MD e o Alm que estava lá sem saber de nada para jogar o decreto no forno...
Mulher perigosa esta secretaria...

ESTA É A HORA, CONCORDAS? disse...

Jah ctrl z
http://click.uol.com.br/?rf=m_home-uol-manchete-2_1&u=http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/09/1679131-diante-de-polemica-defesa-devolvera-poderes-a-comandantes-militares.shtml

Anônimo disse...

Parabéns amigo Montedo, quando vi essa notícia no Jornal O Dia e no site do Uol, já tinha lido a matéria no dia anterior no teu Blog.
Montedo é sinistro!!! hahahhah
Show de bola!

Anônimo disse...

Aparelhamento ideológico.... Simplesmente mais do mesmo. Quando o pt não estava no governo, costumavam não cumprir nenhum tipo de lei para atingir os objetivos, agora que chegaram ao poder, esperam que todos cumpram suas leis para se manterem nele!

Anônimo disse...

É no mínimo preocupante, a base do militarismo é a hierarquia e a disciplina, se o ministro estava fora, o almirante estava como interino como um documento passa direto para a presidência sem o conhecimento deles? A meu ver essa história está mal contada com intenções nebulosas.

Anônimo disse...

Esse almirante não tem Adjunto de Comando para auxiliá-lo.......Se não tem a culpa é do Adjunto de Comando assim mesmo!!!!

Anônimo disse...

PQP. MP 2215 e decreto 8515, tá tudo dominado.

Anônimo disse...

Ao att. S Ten Ponderador de 8 de setembro de 2015 21:31
Me desculpe, meu caro, mas vc não é militar, é doutrinador petista de carteirinha.

Anônimo disse...

Só para controle a Srª Eva Dal Chiavon, coincidentemente esposa de Francisco Dal Chiavon (o Chicão, militante histórico da cúpula do MST), este (zero dois) do MST e ela (zero dois) da Defesa,
Precisa explicar? Parece que não houve muito acaso na publicação do Decreto, se foi mesmo ela quem desenterrou este assunto, vale lembrar do pronunciamento sobre o tal “exército do MST nas ruas”?

Anônimo disse...

Vamos nos filiar ao PT.
Bolivarização das FFAA. MST controla o MD.

Anônimo disse...

Com uma gratificação de R$ 14289,85 fora as mordomias, será que o Comandante do Exército está preocupado com a situação da tropa ?

Anônimo disse...

Só por uma hipótese, digamos, que se um dia os militares se rebelassem e resolvessem "chutar o balde" e botar para correr essa "gangue ostentação" do poder, de que adiantaria esses super-poderes do ministro da defesa? Nada. Se os comandantes vão ficar de boca fechada e não reclamar de nada, não precisa nem desse decreto.

Anônimo disse...

Generais exigem que Dilma revogue Decreto 8515 e exonere da Defesa Eva Chavion, ligada ao MST

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Ten Reis disse...

Virou bagunça mesmo, a verdade é uma só: qualquer zé ninguém manda nas Forças Armadas e fica tudo por isso mesmo, voz ativa dos Generais só para baixo...são por essas e outras que estão acontecendo, que as Forças Armadas estão caindo no crédito da população, basta observas nas redes sociais...

Anônimo disse...

A desinformação ou a contrainformação petista está funcionando nos comentários aqui do blog.

P.S.: me desculpem, mas não consigo acreditar, nem confiar, em quem usa a expressão PRESIDENTA para se referir a atual presidente do país.

Anônimo disse...

Ora, ora, já temos então subtenente "bolivariano" almejando ser promovido ao posto de Coronel! rsrsrs

Anônimo disse...

Esta secretaria deveria ser exonerada do cargo publico por passar por cima do MD substituto. Pois uma coisa que tem que existir seja ela secretaria e civil é saber respeitar a hierarquia coisa que existe no meio militar e civil.

sgt EsSA disse...

eu li as mudanças e nao sao assusadoras assim não, so delegam ao ministro da defesa as atribuições

e se verem bem eram atribuiçoes da prestidenta.

por fim concordo com o sub que milico so sabe reclamar.
nao ha nada errado eu li o decreto

att: sgt da EsSA

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics