22 de dezembro de 2015

Major é expulso do Exército por envolvimento com aluna de 14 anos

Nota do editor
Gente, por razões óbvias, o processo tramitou em segredo de justiça.
O nome do major não será divulgado, pois assim determina a lei.

Oficial conheceu a menina no Colégio Militar de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira
Um major do Exército foi expulso da corporação por ter se envolvido com uma aluna de 14 anos do Colégio Militar de Juiz de Fora, na Zona da Mata. A decisão foi tomada por unanimidade pelo STM (Superior Tribunal Militar). O oficial, que perdeu o posto e a patente, ainda vai responder a uma ação penal na Justiça comum.
De acordo com a denúncia do Ministério Público Militar, o major se aproveitou da função que exercia para se aproximar da estudante. Em 2010, o militar enviou cerca de 300 mensagens para o celular da aluna. Todas tinham cunho amoroso, conforme laudo da Polícia Civil.
No mesmo período, ficou constatado que o major, no exercício da função de comandante da 3º Companhia de Alunos, permitia que a menina, parte de outra companhia do colégio, frequentasse a unidade escolar sob seu comando. A aluna teria, inclusive, acesso às chaves para abrir gavetas da mesa funcional de seu gabinete, fornecidas a ela sem conhecimento e autorização da Administração.
Em outra ocasião, como coordenador da viagem do Grêmio de Logística do Ensino Médio do Colégio Militar de Juiz de Fora, convidou a aluna para visitação ao Batalhão DOMPSA (Batalhão do Exército especializado na dobragem de paraquedas), no Rio de Janeiro (RJ).
O fato foi encarado pelo Ministério Público Militar como um pretexto para que ele se aproximasse dela, já que não havia previsão, no planejamento do Colégio, de participação de alunos do Ensino Fundamental na atividade. A presença da aluna, do 9º ano, foi a única exceção na viagem.
Leia também
MP denuncia Major do Exército por exploração sexual de aluna do Colégio Militar de Juiz de Fora
Diante dos fatos apresentados, das provas e dos depoimentos colhidos, o Conselho de Justificação concluiu que o major utilizou de sua função e atribuições para dar privilégios à aluna, ganhando assim a sua confiança e buscando uma aproximação que extrapolava a relação aluno-educador.
Para o promotor da Procuradoria da Justiça Militar de Juiz de Fora, os relatos e as provas que estão nos autos "deixam inconteste a prática indecorosa e censurável do oficial". A defesa do major levantou nove preliminares, que foram todas, por unanimidade, rejeitadas pelo Plenário do STM. Dentre elas, a de sobrestamento do Conselho de Justificação em virtude da existência de ação penal em curso na Justiça comum.
R7/montedo.com

36 comentários:

Anônimo disse...

E aí, vão criticar o STM
Na justiça comum não deu nada
mi mi mi

Anônimo disse...

Oficial não tem nome?

Anônimo disse...

Major namorador(com os dados da reportagem), foi um belo exemplo ser expulso do Exército, perder a Patente. E o caso do Vice-Almirante? não foi condenado ainda eu sei, mas, se for, vai perder a Patente? ou ele sabe demais? O Major parece-me que foi arrebatado por uma paixão, não que isso justifique mas, errou feio e é indigno ao oficialato, será que o Vice-Almirante também amoleceu o coração???

Anônimo disse...

kkk olha o recalque....mimimi, ainda bem que foi expulso!

Anônimo disse...


Projetos estratégicos serão mantidos, diz Aldo Rebelo.

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/governo/projetos-estrategicos-serao-mantidos-diz-aldo/

Anônimo disse...

...gostariamos de saber o nome do bruxo e a turma dele.Infelizmente Campo Grande -MS esta se tornou deposito/esconderijo de vagabundos.Proximo a fronteiras e todos os problemas que conhecemos relacionados aos nossos vizinhos.

Anônimo disse...

É...alguma vez ou outra ocorre a justiça.

Raramente o pau que dá em chico dá em francisco, deve ter acontecido muito mais para ocorrer essa expulsão.

Vida que segue.

Anônimo disse...

""...o major utilizou de sua função e atribuições para dar privilégios à aluna...". A minha carreira militar seria, sem sombras de dúvidas, impecável se não fossem pessoas como essa que passou por minha vida. Só para demonstrar poder, em detrimento dos direitos dos outros. Há! isso sempre foi normal. Pelo menos do meu lado do muro.

Anônimo disse...

A nojeira do pedófilo! Tinha de ser assim também nas escolas aqui fora. O Brasil está uma porcaria, e tem muitos desses porcos por aí em todas as áreas profissionais.

Iraaa disse...

Se o vice almirante for condenado a mais de 2 anos em regime fechado, ele perderá a patente sim

Anônimo disse...

Chupe sua manga!

Anônimo disse...

Pau nele! que sirva de exemplo para outros militares de CM que se acham o "rei da cocada". Obrigado Justiça. Queremos o nome do peixe! Velameeeeeeeeee!!

Amauri disse...

Está de parabéns o STM. Independente se é Praça ou Oficial, errou tem q ser rigorosamente punido!!!

Anônimo disse...

Tem pessoas que fazem comentários que não tem nada a ver com o assunto!!!

Anônimo disse...

Sou ex aluna de cm e infelizmente esse major não está sozinho...
Sai do sistema mas a vontade de falar tudo que vi não saiu de mim

MESSIAS DIAS disse...

Prezado Montedo.
Reitero que o maior prejuízo é para a família, que sai destroçada em virtude da atitude de um pedófilo!
Também reitero que o corporativismo é que é o alicerce desses crimes, pois com certeza, a OM, poderia ter agido preventivamente e evitado esse problema para a família. Mas quando se trata de oficiais ficam com vendas aos olhos.
Parabenizo o STM pela perfeita decisão.

Agora torço que a família da jovem se recupere dessa barbárie, enquanto que o pedófilo major curta não apenas a demissão, como a cárcere, se possível, em PEDRINHAS!

Rf disse...

Punição é pouco! Tem q indenizar a família da vitima! No minimo! Desgraçado!

Anônimo disse...

Tem é que terminar com este monte de temporário em Colégio Militar. Também com um monte de QAO em CM que só querem ver o tempo passar até a terceira estrela. Muito filho e mulher de oficial em CM como OTT e STT, as famosas "boquinhas". Façam uma pesquisa para ver? Colocar o militar Comandante de Companhia e monitores com especialização no CEP na área de educação e não de arma. Nomear Comandante de CM oficial que não seja segundo Comando, todos sabem que o segundo Comando em Colégio Militar ou outro lugar é para quem não vai ser General, tipo um "prêmio de contentamento". Comandante de CM tem que ser Oficial 01 de AMAN, ESAO e ECEME, que são diferenciados. O militar não pode ficar muito tempo em CM, no máximo três anos, para não pegar "vicios". Sugestão: CM tem ser somente QCO como professor. Não colocar militares de arma, estes tem que estar na tropa ralando e não de jaleco branco ministrando aula em CM. Terminar com este amparo de filho de militar sem concurso, igual para todos mediante concurso público. Valorizar o Sargento 01 de CFS e CAS, nomeando eles como monitores. Valorizar o Subtenente que possui nível superior e colocar eles em CM.

Anônimo disse...

"mi mi mi"

Com todo respeito, mas acho ridículo esses militares usarem essa expressão aí de cima. Expressem melhor suas opiniões. É o típico caso de quem não deve ter argumento e vai de "mi mi mi".


Vamos estudar, povo!

MESSIAS DIAS disse...

Comentarista de 23/12 as 07:53.
Só posso achar que o senhor está de brincadeira, e em parte falando sério. QAO é pai de família e se fossem comandantes de Cia Al o comportamento era outro. Você sugere valorização para que os primeiros das escolas de sargentos, sejam valorizados como monitor. Lhe pergunto qual se não tem nem PNR.

Acorde para a realidade e lembre-se que essas barbáries só são possíveis graças ao abuso de autoridades e corporativismo.

Sejamos felizes nesse natal e ano novo.

Quanto ao pedófilos que apodreça em Oedrinhas e pague uma baita indenização para a família!

Anônimo disse...

Comentarista de 07:53
Ainda bem que você é um milico que nunca vai mandar em nada.
"Terminar com este amparo de filho de militar sem concurso"
Sabe de nada

Anônimo disse...

Messias, você não sabe de nada.
Como normalmente opina só criticando mi mi mi
A OM tomou providências assim que soube do fato

keko marques disse...

Discordo do seguinte: não é pq o oficial seja "tríplice coroa, que será um bom cmt. Fui comandado por um desses, e sinceramente, foi o mais fraco que vi. Esses caras são bons no papiro, mas na lide de um cmdo de OM, deixam a desejar. Não é à toa, que está até hj tomando carona na promoção para general. Mas não larga o osso.

Amauri disse...

Sr comentarista do dia 23 de dezembro de 2015 07:53.

Poderia sanar algumas dúvidas:

1ª) E se o OTT possui nível superior de Letras, Matemática, Pedagogia e afins, ñ poderá servir nos CM?!?!
2ª) Digamos q um Oficial de Arma possua um dos cursos descritos na 1ª pergunta, pq ele teria q ficar "ralando" na tropa?!?!
3ª) Se Oficial de Arma tem que estar na tropa ralando, pq o Subtenente que possui nível superior (qq um?!?!?) seria agraciado como monitor no CM?!?! O Subtenente, tb, ñ teria q está na TROPA com Encarregado de Material?!
4ª) O q um o 3º Sargento Lobissímo, mesmo 01 de CFS, poderia "lecionar" para os Alunos do CM?!?!?

MESSIAS DIAS disse...

Meu amigo veja a realidade. A aluna tinha as chaves de tudo e ainda viajou para uma atividade que não fazia parte seu ano letivo justamente com o pedófilos. Pergunto os Cmt Cia Al, Cmt CA, Cmdo da OM, não sabiam e fecharam os olhos por corporativismo? Vamos a realidade companheiro. Só a verdade liberta!

Anônimo disse...

Montedo, feri susceptibilidades pelo visto, para VC não publicar meu comentário. Apenas expus o fato de que Of de AMAN, em muitos casos que não ganham vulto nem repercussão pública são brindados com transferências (convidados a retirarem-se da OM...) devido ao paternalismo e corporativismo entre eles, apenas transferem o problema de lugar. Se for praça, a mão desce pesada e a cara estampada no jornal. Falei algo incoerente?

Anônimo disse...

A maior imoralidade, nesse caso, é que a perda do posto será apenas a passagem para a reserva remunerada com vencimento integral, antecipada, ou seja um prêmio. Por que isso? Por que existe a baixaria legal (e tem energúmeno que vem falar ainda dos presos civis),de a esposa ficar recebendo os vencimentos do marido criminoso. Só no Brasil mesmo.
S Ten Honório.

Anônimo disse...


Comentarista de 07:53

Que texto horrível. Daqueles que saem do nada e chegam a lugar algum.
Muita incoerência. Afinal, o que querias dizer com essas pérolas:

Colocar o militar Comandante de Companhia e monitores com especialização no CEP na área de educação e não de arma. Nomear Comandante de CM oficial que não seja segundo Comando, ...Não colocar militares de arma, estes tem que estar na tropa ralando e não de jaleco branco ministrando aula em CM. ...Valorizar o Sargento 01 de CFS e CAS, nomeando eles como monitores. Valorizar o Subtenente que possui nível superior e colocar eles em CM.´
E para colocar ou não militar ??????? Te decide....

Anônimo disse...

Se vc viu algo anormal, omitiu-se no momento oportuno; agora vem aqui fazer acusações sem provas. Não tome a conduta de um mau militar como padrão dos demais. Apesar de achar que os CM não devessem existir, pois este tipo de ensino assistencial é uma aberração em relação às missões constitucionais da Força, não podemos deixar de reconhecer que eles funcionam e bem (lógico, não há como se comparar o investimento que é feito nos CM com qualquer instituição do sistema MEC).

General Anibal Barca disse...

Eu acreditava no sistema até o HGP sair General, depois dessa desse disparate eu joguei a toalha.

Anônimo disse...

Sugiro que o amigo leia a legislação, perda de posto, é acompanhada da perda do soldo. Entretanto, no caso da esposa, sem fonte de renda, visando nao desamparar a família, ela faz jus a receber parcialmente o soldo. Errado foi o major, nao faz sentido punir os filhos e esposa. Vide Estatuto dos Militares

Anônimo disse...

Nao entendo, ele foi punido, investigado e condenado. Queria mais o q? Arrancar o braço dele? Se houvesse omissão, iria pra baixo do tapete e nao foi, foi denunciado

Anônimo disse...

Neste caso ocorre a morte ficta ou civil, ou seja, a esposa recebe a pensão como se o militar tivesse morrido de fato.

Anônimo disse...

Observação errônea, feita por alguem que está se sentindo desvalorizado, e com certeza, é uma pessoa difícil de trabalho.

Anônimo disse...

Porquê esse privilégio de Colégio Militar?

Anônimo disse...

A esposa dele não receberá o soldo, ela é funcionária do MD e trabalhava no CMJF quando ocorreu o fato, eles foram transferidos para Campo Grande.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics