13 de dezembro de 2015

Senado discute projeto que permite às mulheres a prestação do serviço militar



A proposta (PLS 213/2015), de autoria da senadora Vanessa Grazziotin, já foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos (CDH) e agora tramita na Comissão de Relações Exteriores (CRE).

Senado/montedo.com

38 comentários:

Anônimo disse...

Espero que tenha alojamentos descentes se isso for aprovado. E sinceramente que melhorem os alojamentos masculinos....É muito lindo colocar no papel, mas na prática agente sabe como isso funciona.

Anônimo disse...

Quero ver qual mulher será voluntária a ganhar um salário "minguo", ralar, tirar serviço e não tentar aquele jeitinho de fugir de escala e missões. Só quem serve com mulheres sabe do qUE falo.

Anônimo disse...

E em alguns quartéis, nem cumprir missões, acampamentos, tirar serviço, etc... ou o que a modernidade lhe permite, sgt e oficiais do sexo feminino podem ou tiram, onerando as escalas, pois contam no efetivo, mas são meros enfeites na OM.

Anônimo disse...

Mais uma muchila pesada para carregarmos, pois toda atividade, por simples que seja, tem que ter alguém para ajudar.

Anônimo disse...

Já vi que quando a missão for BOCA PODRE, vai sobrar para os homens...

Agora as missões com diárias e de GABINETE...não vai ser mais os puxa sacos que irão...

Fora as escalas de serviços... conforme "Anônimo 13 de dezembro de 2015 12:05" disse.

Pelo menos na SAÚDE é assim.

Vida que segue...

Anônimo disse...

Pra mim seria uma grande oportunidade pq aqui fora vc rala igual um condenada pra vc nem se quer ter o direito do seu pagamento estar garantido, além de falar que no exército vc pode ter várias missão em outras formas de conhecer o mundo...
Ser for aprovada isso sou a primeira se candidatar ao serviço militar. ..

Amigos do JORJÃO disse...

Discordo completamente, CMP, 11° Região Militar e Base de Administração e Apoio são compostas de um quadro extenso de sgt e oficiais do sexo femino e todas tiram serviço e missões de escala como se exército fosse. Antes de difamar não generalize.

Anônimo disse...

Faz tempo Montedo que não aparece uma notícia boa para os militares, nada, nada nada, só problemas, cortes, prisões, acidentes, plano de carreira para o ano 2096, troca de alhos por bugalhos, mais cortes, estudos, promessas etc, então, não é de se estranhar ter soldada, caba(sim porque militares tratam a Presidente por Presidenta),é o papel do subserviente.
Obs: àquela menina que acredita que vai conhecer o mundo, não sabe a que preço!

Laine disse...

Creio que o companheiro acima seja alienado do serviço em que a mulher militar vem desempenhando nas forças armadas, sim com escalas de serviços, acampamentos e até em missões como a operação São Francisco na Maré - Rio de Janeiro, colocando sim nossa vida em risco em nome da Pátria, e se mesmo assim não bastar, já somos até Comandante de Unidades. Se informe melhor antes de fazer comentários que não auxiliam em nada a decisão de mulheres de seguir uma carreira ainda estável e das poucas que ainda tem credibilidade nesse país. Brasil acima de tudo. Ass: Elaine Cristina. Oficial Técnico do Exército Brasileiro

Anônimo disse...

Sabe nem do que tá falando....deixa vir depois posta seu comentário de novo. Isso se for mulher msm que esteja postando. Eu tenho minhas dúvidas.

Anônimo disse...

Sou contra o serviço militar feminino, sera um mero cabide de emprego, com a pequena quantidade que já temos vemos a mulheres reclamando e querendo se safar de tudo que é missão e escala. Sem contar do TAF que alem de ser menor muitas querem dar o golpe.
Sera só mais uma mochila pesada para carregar e na hora sobra para o efetivo masculino.
Se tiver que ter mulheres nas FFAA que sejam como servidoras civis, pois assim não onera a atividade militar.

Anônimo disse...

O EB está igual a politica brasileira. O que vai aparecer de boneca grávida. Não é o momento!

Ubirajara Felix disse...

Seja,bem vindas.

Anônimo disse...

"...além de falar que no exército vc pode ter várias missão em outras formas de conhecer o mundo"

Recruta conhecer o mundo? hahaha Só ser for o mundo da faxina!

Falando em faxina... Quando derem uma vassoura na mão delas, serão as primeiras a dizer que é preconceito e machismo!

Eu trabalho com uma 3º Sargento onde ela não respeita ninguém, 2S 1S e nem os Subs, pois é casada com um Major e se acha a oficial da OM. Agora virá uma soldada casada com o Coronel e vai ser mais antiga que qualquer um!!

Anônimo disse...

Sou contra mulheres nas FFAA. Somente na área de saúde.
De cada 10, 9 não tem padrão nem de recruta

Anônimo disse...

Também, no meu tempo da ativa, sempre arrumavam uma desculpa para não colocarem as mulheres nas escalas de serviço. Uma hora diziam que não tinha alojamento apropriado, outra hora diziam que eram poucas e não fariam diferença etc. Mas na hora do pagamento o salário vem igual!!!

Anônimo disse...

As FFAA nem conta da do efetivo masculino imagina das mulheres.
Diga não ao efetivo feminino nas FFAA.
As poucas que temos já dão muito trabalho não querendo tirar serviço, missões entre outros afazeres.
Tem que acabar com todo o efetivo feminino ou igualar em tudo com os do homem, inclusive TAF, Nos EUA O segumento feminino faz igual ao masculino eu sei pois estive lá e vi isso acontecer...
Tem que acabar com previlegios.

Anônimo disse...

Eu quero ver aqui na cidade, se vai aparecer alguma maluca pra servir 2 horas por dia e de graça.
Se a proposta viesse acompanhada de uma medida pra tirar essa obrigação ultrapassada do serviço militar das costas do homem mais uma reforma nas forças armadas seria mais interessante ainda do que essa tentativa de canetada, mas como contribuinte é querer demais.

Na dúvida é melhor visitar um clube de tiro e disparar 20 tiros no alvo que a vontade passa.

Nei Carmelita disse...

Puro feminismo, pauta das esquerdas revolucionárias para desestabilizar ainda mais as Forças Armadas, a Família e a sociedade. A mulher, que é a "explorada" no marxismo, deve não somente se igualar ao homem "explorador" mas sobrepujá_lo, mandando no homem, sendo seu chefe. A atividade combatente não deveria ser exercida por mulher, vai contra a sua natureza. Quem manda agora é Dilma e faz o que quer. A retórica marxista e igualitária dos sexos já entrou nas Forças Armadas, através dos Colégios Militares que se tornaram mistos e de mulheres em treinamentos junto com homens.
https://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://deolhonoassu.com.br/dilma-quer-mulheres-em-altos-postos-nas/

Anônimo disse...

A mulher exerce também papéis importantes no engrandecimento da sociedade brasileira. Portanto não vejo, nenhum problema em ombrear trabalhos com elas para o desenvolvimento/crescimento do Exército.
É claro que a mulher deve manter sim sua postura. Ficar grávida vai da conduta de cada uma.
E claro os políticos, fazem isso mesmo; criam inventam. Só que atras dessas decisões serão necessários preparo do Exército, principalmente em matéria de finanças. Eles não pensam nem em corrigirem nossos salários que estão defasados. Como será os efeitos de novos quadros dentro da Força. Isso tem que ser muito bem analisado.
Fora essas questão de finanças não vejo nenhum problema com elas servirem desde que não as obriguem, e que sejam voluntárias...

Anônimo disse...

Vai conhecer o mundo da faxina ...

Anônimo disse...

É senhorita, você acha que serviço militar obrigatório é moleza, então prepare-se para ser humilhada frente aos seus companheiros por coisas fúteis, fazer faxina até o c* cair da bunda e pegar serviço até o talo, paisano acha q eb é o céu e ainda ser obrigado a receber 500 reais por mês, menos que um salário mínimo, quando vc passar 5 dias grudado a um fuzil de 5 kg e uma mochila de 20 camos ver se vai ser bom, e de brinde vem um capacete duro e q pesa 1 kilo assando sua cabeça, exército é antigo e sucateado essa é a realidade

Lauro Costa disse...

Servi no 4º GAC e convivi 5 anos direto com cursos das alunas do CFS do quadro de saúde do Exército. Foi uma convivência normal que não alterou em nada a rotina do quartel e nem o comportamento do quadro masculino e muitas eram e continuam sendo mais competentes do que os homens. Convivo até hoje com essas sargentos e todas estão tirando Cmt da guarda e roendo o mesmo osso e ralando do mesmo jeito, pode ser que em alguns quarteis apareçam bons samaritanos para protege-las mas em Juiz de Fora o bicho pega pra todos!

Anônimo disse...

Não quer mulher servindo contigo? Convida o Jean Willys então uai...

Alef Ribeiro disse...

Para homens a situação já é precária, imagina para as mulheres, o serviço obrigatório brasileiro não passa de mão de obra barata, infelizmente o Brasil não se auto valoriza , os cargos de maior importância , são os cargos que não são valorizados, #acordabrasil vamos ser realistas , o Brasil só quer venha a mim e nada de fazer algo com intenção de formar o cidadão e sim de tirar um proveito próprio de cada situação para o Estado !!! Lixo

Alef Ribeiro disse...

Isso mesmo ✌

Anônimo disse...

Diga não ao serviço militar feminino.
Mulheres nas FFAA só se for servidora civil fazendo atividades burocraticas.
Mulheres são muito ponderadoras(e sem razão), não respeitam a disciplina e hierarquia, tudo reclamam e arrumam desculpa para não participar de missão, não querem tirar serviço, não querem fazer TFM, TAF diferenciado, são todas iguais inclusive as de saude.
Detalhe sou oficial de saúde e vejo isso acontecer em minha OM.

Anônimo disse...

Mais um problema para as insalubres e famigeradas incorporações. As condições de um recruta são precárias, os corpos das guardas parecem "masmorras", os soldados saem de serviço e alguns têm seções para trabalhar, a grande maioria é faxina "até o talo".Instruções somente no período básico. Em Corpo de Tropa, mulheres são "desenquadradas", questionadoras de ordem e em tudo veem problemas no quartel. Procuram fugir de todas as missões. Com o novo SGD (conceitos) a galera tá jogando "para o barro", inclusive algumas sem condições de reengajamento.E quanto mais aumenta o número delas no EB, vai acabando a paciência dos Comandantes e sargenteantes. Aqui na OM, todas estão nas escalas, inclusive as de saúde.Em uma parada diária, uma delas, estando de comandante da guarda, apareceu na parada sem o fuzil (E não foi esquecimento). Resultado: Começou o serviço, sendo lançada no livro e FATD. Sem falar outras raridades. Agora, para ir ao rancho, ACISO (se for na cidade, né), Fotos e desfile "para enganar paisano", tá bom. Quem não Vê problema em mulheres combatentes, nunca calçou um coturno.

Anônimo disse...

Não é a toa que o EB está do jeito que está, um antro de preconceituosos e incompetentes. Se a mulher escama e não trabalha corretamente, a culpa é do comandante machão que falta culhões de cobrar a subordinada. As mulheres tem as diferenças sim, mas só vem a engrandecer a força, cabe a nós militares abrirmos a cabeça e aceitar quem vem de bom grado.

BRASIL!

Anônimo disse...

Que venham ela!
Somos todos iguais e temos os mesmo deveres de defender a pátria.

Anônimo disse...

Resumiu tudo e muito bem! Serviço obrigatório no Brasil é sinônimo de escravidão!!! Observou bem. Parabéns!!!

Anônimo disse...

Tem uns camaradas bem desesperados querendo o serviço feminino obrigatório pra ontem...

Anônimo disse...

Como tudo nesse país é um faz de conta, então vale. Queria ver se a situação se sustentaria em combate real. Mulheres e Homens não são e nunca serão iguais. Vou falar aqui o óbvio ululante, mas mulher pode gerar uma criança, o homem não. O sistema reprodutor feminino é completamente diferente do masculino, portanto requer cuidados muito diferentes do homem. Imagine um simples exemplo em que uma tropa necessite ficar por dias dentro de um banhado com água suja, na altura do peito, aguardando, observando, preparando um ataque. Para o Homem, salvo pequenas exceções tudo ok. O organismo feminino não suportaria isso, é uma porta aberta para instalação de agentes infecciosos, e mesmo que resistisse no momento, futuramente teria problemas sérios que a incapacitariam para a vida operacional. Ovelha não foi feita para mato.

Anônimo disse...

Alguns militares devem se adaptar as novas realidades. É justo o direito delas se alistarem e a defenderem o seu país, com muito amor e carinho. Na 2° Guerra monstraram muita garra e profissionalismo. Sejam bem vindas as Forças Armadas.

MARCELO disse...

Hoje em dia na maioria das cidades, só serve quem quer. O contingente está tamanho que muitos pra entrarem precisam de um "peixe" no recrutamento. Daí eu pergunto: Qual vai ser o critério de escolha para o recrutamento feminino: Capacidade? beleza? Vibração? Muita coisa tem que mudar até isso ser possível.

MARCELO disse...

Eu quero saber qual será o critério para seleção no recrutamento: aptidão? vibração? beleza? cota?
Nos dias atuais tem mais gente querendo servir do que o contrário.
comentem aí abaixo qual será o critério pelo recrutamento feminino ao invés do masculino.

Anônimo disse...

Kkkkkkk, que mulher vai se submeter a um ano de escravidão, lavando privadas, juntando folhas, tirando serviço em escala de três por um, usufruindo de péssima alimentação, tendo seus direitos de cidadão violados por um RDE medieval e arcaico, e de lambuha um salário de fome? Só se estiver sofrendo de demência. Piada

Anônimo disse...

Esse pessoal tinha que conhecer o efetivo de mulheres que tiram serviço no QG de SP. Tem uma grande parte que gosta de dar o golpe, especialmente as que tiram oficial de dia, que não gostam de fazer a ronda. No dia do TAF é uma alegria, a maioria se arrasta. Mas é lógico que veremos algumas que entraram por peixada, vejam os sobrenomes dessas que ingressaram via seleção de OTT.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics