4 de setembro de 2015

Navio boliviano foi flagrado com carregamento de armas para o Estado Islâmico

Guarda Costeira da Grécia encontrou 5.000 fuzis e cerca de meio milhão de munições que seriam entregues aos terroristas. As autoridades investigam se além de armas, o cargueiro também era usado para o tráfico de refugiados do Egito para Turquia
Autoridades gregas tomam um cargueiro de bandeira boliviana, transportando um carregamento clandestino de armas que seguia da Turquia para a Líbia, no porto de Heraklion, na ilha de Creta
Leonardo Coutinho
Autoridades gregas tomam um cargueiro de bandeira boliviana, transportando um carregamento clandestino de armas que seguia da Turquia para a Líbia, no porto de Heraklion, na ilha de Creta
Cargueiro boliviano Haddad 1, ancorado no porto grego de Heraklion. Tráfico de armas para os terroristas do Estado Islâmico(Hellenic Coast Guard/Divulgação)
A Guarda Costeira da Grécia divulgou ontem uma apreensão que coloca o governo de Evo Morales no centro da crise humanitária que já levou à morte de mais de 330.000 pessoas na guerra civil da Síria e gerou um saldo de cerca de 4 milhões de refugiados internacionais. As autoridades gregas aprenderam no Mediterrâneo um navio de bandeira boliviana carregado de armas que seriam entregues para os extremistas do Estado Islâmico (EI).
O carregamento de 5.000 armas, principalmente fuzis, e cerca de meio milhão de cartuchos estava escondido em catorze contêineres embarcados na Turquia e que tinham como destino a cidade Líbia de Misurata. A Líbia está sob embargo da Organização das Nações Unidas para o comércio de armas, pelo fato de o país ser uma das áreas sob controle dos extremistas dos EI.
O navio Haddad 1, partiu da cidade egípcia de Alexandria e, entre 17 e 29 de agosto, passou pelas cidades de Famagusta, no Chipre, e Iskenderun, na Turquia. As autoridades turcas suspeitam que, antes de ser carregado com armas no porto turco, o cargueiro boliviano tenha sido usado para transportar refugiados do Egito para Turquia.
Registrado sob a responsabilidade do Ministério da Defesa da Bolívia, o navio Haddad 1 tem seus movimentos e registros de carga sob responsabilidade do governo de Evo Morales. Por lei, os armadores precisam reportar as rotas e os despachos de carga às autoridades de La Paz. Como a embarcação está envolvida em uma violação dos embargos da ONU, o governo de Evo Morales será obrigado a prestar contas sobre o uso de um navio com a bandeira de seu país em um caso de tráfico de armas e em outro possível crime: o de tráfico de pessoas.
Veja/montedo.com

6 comentários:

Anônimo disse...

Brevemente o goverrno do pt sairá em defesa do índio cocaleiro. o evo , o maduro e Fidel são da mesma escola desse nosso desgoverno.

Anônimo disse...

http://pensabrasil.com/justica-responde-a-portugal-nao-tem-como-lula-sair-do-pais-sem-nosso-conhecimento/

Anônimo disse...

A casa caiu do Indio Evo Morales...
Acho que vai cair antes da nossa presidenta.
Pois no Brasil é tudo moroso.

Anônimo disse...

Muito divertida a nota, navio boliviano com um nome hilario.

Anônimo disse...

Na, verdade, isso não é muita novidade. Qualquer veículo ou barco vindo de lá com contrabando não surpreende.O "cacique" que se apossou de tudo, agora deve dizer que não sabia de nada e que o navio não é dele.O pessoal da Dilma é bem capaz de mandar uma comitiva para negociar a liberação.Nesses governos o impossível é possível.

Anônimo disse...

Será que o Evo está contando com a ajuda do EI para evitar a saída da Dilma? Será que as palavras de Evo eram bravata mesmo?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics