2 de novembro de 2015

Comandante do Exército defende afastamento de general que criticou o governo e diz não haver motivo para intervenção

“Há uma crise ética, mas instituições cumprem seu papel”
Tânia Monteiro / Brasília
Dois dias depois de se ver obrigado a demitir o comandante militar do Sul, general quatro estrelas Antonio Hamilton Martins Mourão, e transferi-lo para a Secretaria de Economia e Finanças, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, concedeu entrevista ao Estado na qual avisou que quem fala pela Força é somente ele. Mourão fez declarações de cunho político nas quais pregou o “despertar de uma luta patriótica” e afirmou que “a vantagem da mudança (da presidente da  República) seria o descarte da incompetência, má gestão e corrupção”. Apesar da ressalva, o comandante defendeu que “militar pode falar” e “tem de falar”, destacando, no entanto, que “cada um na sua esfera de atribuição”. “Em questões institucionais”, afirmou, “quem se manifesta é o comandante”.
Villas Bôas declarou que “há uma crise ética no País”, embora ressalve que a chegada do PT ao poder “não tem responsabilidade nisso”. Disse também que “a corrupção está instalada no Brasil”, mas que todas as instituições estão em pleno funcionamento e que “não há chance” de intervenção dos militares.
Ao citar os cortes orçamentários afirmou que houve forte impacto na Força, que já tem “problemas nas fronteiras” e que está faltando munição. Disse ainda que a substituição dos 226 mil fuzis FAL, da década de 1960, pode demorar 226 anos porque atualmente só há recursos para se comprar mil fuzis por ano.

A demissão do general Mourão foi uma punição exemplar?
Trata-se de um oficial reconhecido na Força, que tem todo o respeito do comandante. Mas essa questão não pode ser abordada de maneira simplista. Essa movimentação teve o sentido de que toda e qualquer manifesta ção do Exército tem de ser institucional.

O sr. teme que possa haver solidariedade ou indisciplina na Força?
Dentro do Exército, não. Se não se tomasse nenhuma providência poderia ser um precedente. A intenção é fazer um sinal de que esse procedimento não pode ser aceito.

Militar não deve falar?
Militar tem de falar, pode falar. É lógico que, cada um na sua esfera de atribuição e nas questões institucionais, quem se manifesta é o comandante. A sociedade se desacostumou a ouvir os militares e sempre qu e os militares se manifestam isso causa alguma reação, repercussão e não deve ser assim. O segmento militar faz parte da sociedade e do Estado e tem um papel muito importante.

O sr. falou do risco de uma crise política atual se transformar em crise social, que isso preocupa e diz respeito às Forças Armadas.
O Exército passou 14 meses na Favela da Maré, no Rio, porque havia risco de crise social. Nos preocupa sim porque se a crise econômica prossegue, o desemprego e a falta de perspectiva aumentam e é natural que isso acabe se transformando em um problema social. E problema social que se agrava, se transforma em violência, passa a nos dizer respeito diretamente. Esse é o papel constitucional do Exército. Nosso papel é manter a estabilidade e qualquer coisa que venha eventualmente a quebrar essa estabilidade preocupa.

Mas isso não tem nada a ver com intervenção política?
Absolutamente. Não tem. E é bom que fique claro isso. O Brasil é um País com instituições sólidas e
amadurecidas, que estão cumprindo seus papéis.

O governo está com baixíssima credibilidade e sob acusação de corrupção, problemas econômicos. A presidente tem condição de enfrentar e superar este momento?
Cabe às instituições solucionarem. Temos o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público, o Tribunal de Contas da União, a Polícia Federal. Todas as instituições do Executivo, do Legislativo e do Judiciário estão funcionando. A gente sente que há uma incerteza. São tantos atores, as variáveis que se movimentam, que é difícil dizer qual será o desfecho disso. Mas eu acredito que esta situação vai se solucionar sem quebra da normalidade institucional do País.

O presidente da CUT convocou a população a pegar em armas e ocupar trincheiras para defender o mandato da presidente Dilma.
Esse tipo de manifestação nos preocupa porque se trata de incitamento à violência. Ela não contribui para a estabilidade do País e a normalidade do funcionamento das instituições. Mas é algo que diz respeito à segurança pública diretamente. Então nos preocupa, mas de maneira nenhuma vai provocar nossa atuação.

O sr. teme que, caso o Congresso decida pelo impeachment da presidente, haja uma convulsão social e o Exército tenha de entrar?
O Exército deve estar preparado para qualquer emprego previsto na Constituição.

Um presidente da Câmara dos Deputados acusado de vários crimes é um problema?
Esse é um problema que toca diretamente e deve ser solucionado no ambiente do Legislativo. Não faz parte das atribuições do Exército.

Há uma crise ética no País?
Há uma crise ética no País. Inclusive, está muito mais comum do que se pensa as pessoas pedirem que o Exército tome providências para solucionar a crise. Elas estão demandando, na verdade, os valores que as Forças Armadas representam e a sociedade está carente. Sem a restauração desses valores é difícil que o Brasil recupere trajetória de evolução, do progresso e do desenvolvimento.

A chegada do PT ao poder tem responsabilidade nisso?
Não, absolutamente. Isso já vem de algum tempo. Essa crise ética da sociedade brasileira é um processo que não se instaura de um momento para o outro. Nem mesmo a autoridade da professora na sala de aula está sendo mais reconhecida.

O sr. concorda que a corrupção está instalada no Brasil?
Concordo. Mas eu diria que esse é um estado de coisas que nós vivemos. Durante a Operação Pipa, no Nordeste, 60% dos 6.800 caminhoneiros que trabalham na distribuição de água tentaram algum tipo de fraude. Não se trata de estigmatizar os caminhoneiros. Eles fazem parte da sociedade brasileira. São práticas que se tornaram comuns na sociedade e isso é a base de uma pirâmide. A medida que vai subindo, vai se potencializando.

Os cortes vão trazer problemas para as fronteiras?
Já temos problemas nas fronteiras. Apesar de todo o esforço e sacrifício de nosso pessoal, temos dificuldades para cumprir nossas missões. O Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), por exemplo, já está ameaçado. A previsão original era de instalação em dez anos, de 2012 a 2022. Com os seguidos cortes, a conclusão foi adiada para 2035 e, agora, não ficará pronto antes de 2065. Ou seja, todas as tecnologias desenvolvidas de agora já estarão obsoletas.

Os nossos armamentos como os fuzis estão obsoletos?
Usamos ainda o fuzil FAL da década de 1960, que já está se tornando obsoleto. A Imbel desenvolveu o fuzil IA2, que está sendo usado pelas tropas brasileiras no Haiti. Mas ele está sendo produzido num ritmo muito menor do que seria necessário. Precisamos substituir os 226 mil fuzis. Mas só estamos comprando mil deles por ano. Também está faltando munição e isso deixa o adestramento  prejudicado.

Isso quer dizer que caso precise haver emprego da Força, nós poderemos ter problemas?
Poderemos.
ESTADO DE SÃO PAULO, via Resenha do Exército/montedo.com

54 comentários:

Anônimo disse...

Esse comandante é o general Enzo com grife. Veio com muita fama de ser o bom, o melhor, o cara. É tipo um carro off road, lançamento, pintura metálica, design inovador e motor 1.0

Anônimo disse...

Infelizmente mais um cooptado pela lógica esquerdista, travestindo a calamidade em legalidade. Fico perplexo em perceber que em uma época em que nem a "autoridade de um professor é reconhecida em sala de aula", a letargia irresponsável adotada pelas FA é calcada em uma legalidade que somente as FA reconhecem. As forças armadas de hoje serão vistas pelas gerações futuras, não por sustentarem um estado independente e democrático, mas pela conivência descarada e comprada por bandidos eleitos por fraudes eleitorais e néscios dependentes de "bolsa-alguma-coisa". Que DEUS nos ajude.
2Sgt

Anônimo disse...

O gen. Mourão é tão gen. De exército quanto esse CMT, garanto que se um dos dois convocar a tropa quem será ouvido será o gen. Mourão.

Anônimo disse...

Tbm tô achando....
Mtos olofortes e pouco produtivo....
Preparado pra estar onde estar.... Só se manifesta de acordo com a conveniência do governo....
Ele não nos levará a lugar algum
2° Sgt 2002

Anônimo disse...

Cmt, na Maré, tombou o Cb Mikami por conta desses problemas sociais. Nada foi feito.
Um louco, que faz parte do braço armado do PT, diz que vai pegar em armas e o Sr diz que é caso de polícia? Vamos deixar o caos se instalar?
As instituições estão funcionando? O Sr tem visto o que acontece no STF?
Estás vendo essa onça aí atrás do Sr? Vai chegar a hora dela beber água, o Sr vai ver.

Anônimo disse...

Se continuar assim seremos obrigados a sair do anonimato, unidos e sem medo de falar a verdade. O praça VEI tá no limite e não aguenta mais essa omissão.

Jardel disse...

O Cmt da força não disse que o Gen Mourão mentiu. Disse, apenas, que somente ele ( Cmt do Exército ) poderia tratar de tais assuntos. Trabalhei com o Gen Mourão e posso dizer: Militar de alta capacidade de chefia e liderança, íntegro e leal a instituição e ao país. O Gen Villas Bôas, sabe disso, e com certeza agiu de maneira a preservar a pessoa do Cmt Mil do Sul e por consequecia do Exército. O Brasil passa por um momento difícil, mas que de ter como solução a atuação de suas instituições respectivas: Legislativo, Judiciário, Ministério Público, TCU, Povo, etc... Por mais que, como integrantes desse povo (Brasil), tenhamos um sentimento de tristeza e indignação, não podemos esquecer que o Exército tem suas atribuições estipuladas na constituição Federal de 1988. Sendo, assim, vamos aguardar que cada um cumpra o seu papel político específico e estipulado. Brasil acima de tudo.

Anônimo disse...

Ta correto general, esse militar cometeu um erro, transgrediu, se fosse praça tava punido!!!

Anônimo disse...

Como sempre, mais um medroso, mamando da teta que lhe foi dada.
Nunca tive tanto descrédito em algo como tenho pelo governo hoje, porém tão culpados quanto quem comete o crime, é quem omite o socorro!

Anônimo disse...

Intervenção é uma coisa. Golpe, é outra bem diferente. Aquela está na Constituição Federal. Este, está na cabeça de alguns que ainda dividem o mundo entre capitalistas e comunistas. Se lessem mais e refletissem, sem lavagem cerebral, perceberiam que o tempo é outro e que ele não volta. Não somos os donos da verdade e estamos sujeitos à lei. General Mourão e o almirante dono da Eletronuclear são a prova disso. Idem os verdadeiros donos do Brasil: Odebrecht, Camargo Correia, OAS, etc.

Anônimo disse...

Nossa! quanta gentileza nas palavras. Se fosse um advogado o Gal conseguiria fazer uma vítima de estupro pedir perdão ao estuprador. ele é bom no uso das palavras. Pelo jeito, vamos ficar uns 03 anos sem reajuste.

Anônimo disse...


Boa noite prezadas senhoras e senhores

Sem querer polemizar.
Lembremos da manifestação do Comandante do Exército afirmando ser amigo pessoal do Senhor Aldo Rebelo, Ministro da Defesa.
Os demais Comandantes também se manifestaram demonstrando estarem alinhadíssimos com a ordem vigente.
É DO CONHECIMENTO DE TODOS (UMA OBVIEDADE) QUE OS COMANDANTES DE FORÇA SÃO CARGOS DE CONFIANÇA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA (NO MOMENTO A SRA DILMA).
NO MOMENTO QUE DEIXAREM SER ATENDER AO SISTEMA VIGENTE (HOMENS DE CONFIANÇA), SERÃO EXONERADOS. SIMPLES ASSIM!!!
OS COMANDANTES SOMENTE PERMANECERÃO COMANDANTES ENQUANTO ATENDEREM AOS INTERESSES DE QUEM OS NOMEOU/EMPOSSOU...
Seguindo está lógica óbvia, lhes pergunto: Por que tanta polêmica?
Entendo que os Comandantes somente estão fazendo o que lhes cabe fazer - agir de acordo com o sistema para continuarem sendo "HOMENS DE CONFIANÇA" da Presidente Dilma.
Nas palavras do Comandante do Exército - que a toda hora as profere/reforça/ratifica - as Forças Armadas, sobretudo o Exército Brasileiro precisa manter a "LEGITIMIDADE, a ESTABILIDADE e a LEGALIDADE"
Vai chegar o momento em que a população perguntará: LEGITIMIDADE, ESTABILIDADE e LEGALIDADE para quê, para os interesses de quem?
Quando se trabalha com profissionalismo, competência e sobretudo para o BEM COMUM, não se precisa invocar a todo o momento os pilares das Forças Armadas - HIERARQUIA E DISCIPLINA.
Infelizmente na nossa cultura militar a HIERARQUIA E DISCIPLINA são muito mais instrumentos de cabresto, submissão total e subserviência. Quem é militar como eu sabe como esses conceitos indispensáveis ao estamento militar (em todo o mundo) são distorcidos, manipulados e “conduzidos” de acordo com os interesses dos chefes militares que por sua vez – MUITAS VEZES - não “VISAM O BEM COMUM”, mas somente seus interesses carreiristas e pessoais. O que interessa é manter o cargo, suas benesses e a expectativa de se perpetuar no serviço público onde os Oficiais Generais (no meio militar) são tratados como "deus" em detrimento da tropa que está quase convulcionando.
A propósito, Comandante, o senhor sabe perfeitamente que a propalada coesão das forças armadas é uma falácia!!!!
Infelizmente muitos discursos são vazios de significado e ardilosos na essência, constituindo-se em verdadeiras falácias...

TODOS NOS PRECISAMOS ACORDAR PARA O SENTIMENTO PATRIÓTICO!!!

QUE DEUS ILUMINE A TODOS PARA QUE SAIBAMOS AGIR OBJETIVANDO O BEM COMUM.

Anônimo disse...

Muito conversa.. Medo de falar mal do Pt....pra não perder o cargo.....e o salario.......

Anônimo disse...

Concordo com o Anônimo de 2 de novembro de 2015 17:13
Como sempre digo, oficial bom não passou de cadete.
Continua ainda não me representando. Depois do cumprimento da última ordem recebida. menos ainda.
QE

Anônimo disse...

A grande verde é que não temos representantes a altura da Dignidade da Tropa. Ele não está nem aí pois ganha como Ministro e desfruta de todas as mordomias. Ele também está morrendo de medo da Venezuela, Bolívia e Movimentos Sociais que apoiam o Governo do PT.

Anônimo disse...

Não me admira terem escolhido esse geral conservador, só preocupado em manter seu status quo. Agora quer jogar panos quentes e desanimar a tropa.

Jorge Costa disse...

"São práticas que se tornaram comuns na sociedade e isso é a base de uma pirâmide. A medida que vai subindo, vai se potencializando."
Com essa afirmação o Comandante do Exército demonstra todo o seu equívoco. A pirâmide está invertida e é a corrupção vinda de cima, do próprio governo, que a sustenta e impulsiona.

Anônimo disse...

Esse novo cmt do EB é outro q daqui a pouco estará apoiando o PT!! Muito fraco, não tá nem aí p tropa!

Anônimo disse...

Disse tudo. Aos poucos, este mostrará a que veio... do nada pra coisa nenhuma.

Anônimo disse...

Tudo dentro do previsto. Esperavam que ele fosse criticar o governo? Se está onde está pelo governo ... só espero que não para o governo.

Anônimo disse...

Faltam líderes nas FFAA de hoje. Co-mandar é fácil, basta utilizar os regulamentos.

MELÂNCIAS ==> VERDES POR FORA E VERMELHOS POR DENTRO.

Vida que segue e enquanto isso, a tropa que não tem diárias para complementar os seus salarios e nem mordomias, top ... top ...

Anônimo disse...

Neste aspecto o Comandante do Exército está correto, como falar mal da Comandante das Forças Armadas e ainda por cima, foi ela que a promoveu.
Afinal de contas quantos militares do Exército são a favor ou contra o governo, talvez a quantidade de militares a favor do governo do PT seja maior do que se pensa, principalmente os praças. A remuneração das Forças Armadas foi beneficiada com o governo petista, a MP do mal foi no governo do FHC e a criação do Ministério da Defesa idem. A modernização das FA também ocorreu no governo do PT. A constituição/88 ampara o sistema capitalista, mas com restoque de socialismo. É um sistema econômico misto que tende se pende por um lado ou outro dependendo do partido que está no governo, não há como separar. Todos devem conviver com isso.

Anônimo disse...

O que o Gen Enzo fez no apagar das luzes, foi prejudicar militares da ativa e inativos no apagar das luzes, suspendendo o pagamento das férias não gozadas do tempo de recruta.

Eles chegam da "acadimia" com tudo certo e os praças ....

Qual era o recruta que poderia na época exigir as suas férias ?

A resposta era, não tem direito. Pronto. Simples assim.

Do jeito que ficou, houve vantagens de alguns e prejuizos de outros. pois muitos da ativa gozaram as férias e receberam 1/3 em dindim. Muitos inativos que se inativaram nos últimos 5 anos, receberam uma remuneração no posto atuasl.

E tudo fica por isso mesmo ? Mão amiga lá fora sendo severinos e braço forte com os de casa.

Só na SIP/11 são 258 prejudicados, cujos requerimentos ficaram engavetados por um ano ou mais. Enquanto outras SIP pelo Brasil, com militares engajados no trabalho, foram rápidos e os vinculados receberam.

O militar reclama muito quando tem um direito cerceado, mas quando o direito é do companheiro, não tá nem ai, engaveta, pede dispensa, entra de ferias, e tudo parado.

Isso é Justiça ?????

Parabéns Gen Ex Enzo, Ex Cmt do EB.

Anônimo disse...

Esta entrevista reflete a fraqueza de nosso Exército. " Viva o PT "

Anônimo disse...

A tropa é utilizada politicamente em beneficios pessoais de quem co-manda.

Severinos da nação, que fazem de tudo no lugar de funcionarios formados, treinados para aquele fim e não oa fazem.

Somos faxineiros, empregados em missões não constitucionais, tais como, limpar praças, dengue, vacinação de cães e gatos, policia, cadastramento no TRE, consertar telhados, pintar escolas, levantamento de veiculos que trafegam em estradas, pontes, tapa buracos em Campo Grande-MS, conserto de rodovias, etc

Mas na hora de melhorias para a tropa, cadê os nossos generais para falarem alto ?

Não adianta discursos nas visitas as OM, o militar tá em forma depois de ser sugados nos faxinões e treinamentos, pensando em seus problemas, dívidas, e descrente com as palavras vãs.

Falta confiança nos Chefes, Dir e Cmt. Simples assim. Tudo real.

Tivemos reajuste em 01 Mar 12 e com muita sorte só em Set 16, quase 04 anos sem reajuste numa inflação de quase 10% ao ano. Pode isso Arnaldo !!!!!

O governo com os Ptralhas roubam e quebram a nação e a tropa formada por gente humilde, do povo, paga a conta ? O que temos com isso ?

De 01 mar 12 a Set 15, a inflação estava em 27,5% pelo IPCA e até Set de 2016 quanto estará ?

Confiar em quem meu Deus !!!!!

Anônimo disse...

imprensa burra demissão, foi transferido e ainda ganhou um dinheiro pela transferência

Anônimo disse...

E o reajuste salarial, faltou essa pergunta, só não entendo uma coisa que general é esse que deixa uma mulher gastar não sei quantos bilhões na compra de caças e não tem orçamento para trocar fuzil da tropa. Que merda é essa ? Não consigo entender juro pra vocês..... Só me vem a memória quando será oficializado o reajuste
..........

Anônimo disse...

Sabe Comandante!
Com muito respeito lhe digo, que ha muitos subordinados que estão em situação de penúria em virtude do achatamento salarial, muita noites de insonia, muitos maus pensamentos de as vezes colocar um PONTO FINAL,
O General MOURÃO me representa, pois este COMANDANTE foi capaz de expressar a indignação da TROPA, que não aguenta mais ser pisada, humilhada e calada, tivemos um comandante anterior, que nada fez nos anos permaneceu, pelo menos do Senhor esperávamos uma ATITUDE, estamos inquietos, nossas familias clamam condiçoes dignas, salarios dignos.
TRISTE SERMOS ESMAGADOS POR UM REGIME COMUNISTA!
ASSINADO-UM MILITAR QUE VIVE EM INSONIA!

Anônimo disse...

E mais liso que mussum ensaboado...

Azimute disse...

Acredito que o Gen VB deveria demonstrar um pouco mais de lealdade para com seu subordinado, e na pior das hipóteses, falar que a transferência do Gen Mourão foi simplesmente mais um ato corriqueiro da administração, defendendo pois o mesmo. Se, como ele mesmo comentou, houve indícios de transgressão que o repreendesse conforme prevê o RDE, e não "punisse" o Gen com politicagem praxe do desgoverno brasileiro. A mensagem foi "estou jogando panos quentes".

Anônimo disse...

Li corretamente a frase dita pelo cmt do EB?

"...embora ressalve que a chegada do PT ao poder “não tem responsabilidade nisso”.

QUERO DESCER

Anônimo disse...

Para bom entendedor "um pingo é letra".
Não foi o General Villas Boas quem falou, quem falou foi o Exército, da ativa e da reserva.
Ponto final.

Anônimo disse...

Esse CMT !!! Sinceramente, ele falou que as instituições estão funcionando, só ele não ver o clamor da sociedade pedindo socorro, fica calado porque tem medo que a Dilma faça com ele o que ele fez com Gen Mourão, ou seja, como na mão da presidente !!!!

Léo disse...

226 anos.226 anos.Esse ê o tempo no qual a sociedade brasileira tera um Exército com Fuziz novos.O Hugo Chaves,há quase 10 anos comprou 100 mil uma vez só.Mas as nossas instituições estão funcionando.Acorda Brasil!!!!

Anônimo disse...

A ditadura transformou José Dirceu em herói. A democracia mostrou que ele era um bandido.

A ditadura transformou Lula em mito, o operário que liderou a primeira greve e foi preso pelos generais. A democracia mostrou que ele é um corrupto mentiroso e que acabará preso pelos policiais.

Querer uma quartelada em 2015 é não ter aprendido nada com a história do Brasil. É simplesmente fazer o que a esquerda mais deseja: fazer o papel de vítima. A democracia está deixando claro como a esquerda é incompetente, como seus dogmas econômicos e sociais são uma falácia e uma inutilidade prejudicial ao Brasil. Isso as pessoas mais espertas já sabem desde o começo, lá em 1917, na Rússia. Mas a democracia agora está mostrando que além de incompetente ela é imoral e corrupta, derrubando da cabeça de Lula a sua auréola de pureza e retidão.

Se o general Mourão reunisse todo CMS e resolvesse marchar sobre Brasília, São Paulo e o RJ, Lula voltaria a ser um herói, Dilma se tornaria uma vítima e mais "Josés Dirceus", "Josés Genoínos", "Lamarcas" apareceriam. E daqui a vinte ou trinta anos, esses novos "heróis contra o Golpe de 2015" pediriam pensões que nossos netos teriam de pagar. A mesma história de 1964.

Então, nada de golpe. Nada de insubordinação. Melhor continuar com a democracia que tirará a máscara do PT e de toda a esquerda socialista, mais cedo ou mais tarde.

O Cmt do EB está coberto de razão, e o Gen Mourão está equivocado.

Anônimo disse...

A Desordem no governo é tão grande, que até Instituições secular, como o Exército Brasileiro está sofrendo o desgaste, basta ver as criticas contra o EB por conta desse episódio. Temos que concordar que quem fala pelo Exército é o Comandante, mas ninguém tem sangue de barata para ver o Brasil ser depenado que nem galinha e não fazer nada.

Anônimo disse...

Instituições funcionando X nem a autoridade do professor é respeitada. Há algo contraditório nisso!

As instituições funcionam a favor dos safados!

Anônimo disse...

Ai aparece o anônimo comparando alhos com bugalhos novamente...comparando a fala do Gen Mourão com a cantilena da Praça. Aqui onde sirvo, não conheço nenhuma Praça que tenha conhecimento suficiente, mesmo que genérico para dar uma declaração. Na maioria são formados pelos correios(IAD), pensando só no umbigo deles próprios e completamente analfabetos politicamente. Para aqueles que diziam que o Cmt não havia afastado o Gen, fica aí a resposta. O Cmt age como um advogado, ou seja, defende ferrenhamente a parte que o contratou, só isso.
(Deixo claro, para quem possa ter se ofendido que não é minha intenção, observem bem, "no local onde sirvo", fora conheço Praças extremamente inteligentes e politizados).

Anônimo disse...

Nossa como é fácil aos leões de alojamento o confronto entre o governo e o exército.
Estão pregando que a força destitua a presidente eleita pra colocar quem no poder?
Já fizemos isso antes e, após uma abertura lenta, gradual e irrestrita deu no que deu, esse lixo de partido no poder e seus lacaios de todas as matizes (demais partidos) sugando a nação.
Senhores não temos, atualmente, quadros políticos à altura da complexidade que é governar esse pais com capacidade gerencial colocando as coisas em ordem respeitando o estado democrático e de direito. Temos uma súcia de vagabundos, hipócritas, sem caráter e imorais, mas daí fazer o quê?
Será que a solução de colocar a tropa na rua resolverá?
Somos centenas de milhares com armas em punho e somos também centenas de milhares de famílias com suas extensas ramificações.
Acham que se acaso essa hipótese de "quartelada" se concretizar não haverá derramamento de sangue de inocentes?
Até parece que se o exército, como alguns pregam, assumir para si a condução do país teremos, da noite para o dia, a solução de todos os problemas do país, não creio que os senhores sejam tão inocentes.
O que se extrai das palavras do comandante do exército é que a solução dos problemas do país cabe às instituições e não as armas.
É o povo quem tem que resolver isso e como vivemos em uma democracia a solução tem que partir das instituições civis legalmente incumbidas de conduzir os destinos da nação.
Esse não é o papel do exército.
Não sejam inocentes.
Tudo que essa corja de vagabundos encastelados no poder querem é um pretexto para colocar brasileiros contra brasileiros.
Temos que nos organizar para democraticamente apear essa farândola e isso só será possível com manifestações ordeiras e voto consciente.
O povo tem que andar por suas próprias pernas.
Está correto o comandante do exército em não incitar a quebra da ordem democrática.
Se cada militar quiser, como cidadão se manifestar é livre para isso, mas pela tropa quem fala é o comandante do exército e com a tropa sobre política quem fala também é o comandante do exército.
Cada um de nós na sua esfera de atribuições, como disse o general villas boas é responsável, inclusive pela vida dos pares e subordinados e, numa escala maior também a vida de civis.
Cumpramos o nosso papel de garantidores da lei e da ordem e o povo, por intermédio de suas instituições, que resolvam o que quer que façamos.
A paz queremos com fervor!

Anônimo disse...

CMT cadê o auxílio moradia prometido? Vim transferido aqui para o Rio mas como não há PNR estou pagando R$ 1500,00 de aluguel, pode isso coma andante?

Anônimo disse...

Só ELE fala pela FORÇA, então, haverá um silêncio enorme até o fim da carreira dele. Os "EX" guerrilheiros agradecem!

Anônimo disse...

Enfim, mais um a seguir o padrão "albuquerque-enzo".

Anônimo disse...

Galera, amigos do do MONTEDO, UM FORTE ABRAÇO PARA VOCÊS,

2º SGT

Estou me despedindo da FORÇA após 17a de serviço (3a de cb e sd), pois passei em um concurso de também nível médio, porém com salário um pouco melhor(6.700,00 inicial, mais 15% triênio, 22,00 de refeição, pré-escolar e plano de saúde), porém são 35a de Sv.

Forte abraço a todos!!!

eu não tive, mas gostaria que todos tivessem a L.E

Anônimo disse...

Comunista detectado: 2 de novembro de 2015 22:33

"principalmente praças"... Não diga besteiras comedor de mortadela!

Anônimo disse...

Ao comentarista de 3 de novembro de 2015, 09:09, informo-vos que Ensino à Distância escreve-se EAD e não IAD, senhor "letradão", ou será que você, possuidor de tanta cultura e dotado de grande consciência política escreve "insino"? Estudou na escola da Carla Perez, grandioso e eloquente oficial da "acadimia"?

Anônimo disse...

"Voto conciente" nunca ouviu falar da smartmatic? Concordo com você que o exército seja utilizado somente como último recurso e dentro da legalidade, mas é muita ingenuidade acreditar no sistema eleitoral e que a corja que está no poder vai deixar as pessoas protestarem pacificamente! Viu em Brasília os coitadinhos do mtst com tenis de mais de mil reais e relógio caro? Os blackblocs aquela vez financiados por gente do psol? Não sejamos ingênuos!!! Ou nossos filhos e netos pagarão o preço da nossa covardia e omissão!!

Anônimo disse...

Ao "comunista" 2 de novembro de 2015 22:33,

Sou praça e não sou, nunca fui e nunca serei a favor de bandido, digo, de petista. O PT não me representa, nem a minha família. Não sou do tipo que faz "vista grossa" a bandido, simplesmente, porque o bandido quer me dar uma pedaço do pão que furtou.

Finalizando, como disse o colega aí de cima:"Não diga besteiras comedor de mortadela!"

Anônimo disse...

Gen Mourão para PRESIDENTE !!! Nas próximas eleições...
Isso se derem jeito nas urnas.

Unknown disse...

Parabéns. Colocação inteligente e lúcida. Triste país que precisam de líderes. Precisamos de instituições sólidas que funcionem.

sgt EsSA disse...

CONCORDO COM O COMANDANTE DA FORÇA

Comandante os sargentos são punidos por se manifestar politicamente e transferidos por concorrer a cargos políticos. Nada mais que justo.

Acabemos com essa mentalidade de intervenção. Intervenção não, porque o povo elegeu e não há nenhuma manifestação nas ruas contra o governo.

Anônimo disse...

Estranho: ele já sabia das declarações e a formatura, que foi o estopim, tinha até convite, mesmo assim ocorreu sob suas vistas e seu comando.... é muita cara de pau!

Anônimo disse...

Fico impressionado com o nível dos comentários! Concluo que ha somente mangão e pracas aqui !

Anônimo disse...

Ao Anônimo 4 de novembro de 2015 23:09

O que dizer de um comentário como esse seu? Post cheio de vaidade, preconceito, soberba! Diga-se de passagem, o que estraga o EB é a vaidade demonstrada por muitos que se julgam melhores que outros.

Meu amigo, quer ser uma pessoa melhor na vida? Acrescente um pouco de humildade na vida! Muitos aqui não possuem um cargo melhor por falta de oportunidade e muitos desses que são "praças e mangões", como você disse, estão incluídos nesse universo.

Então meu caro, se você teve oportunidade de ter um cargo melhor do que os "praças e os mangões" agradeça a Deus por essa oportunidade. Não despreze quem você não conhece, já que não sabe o que acontece ou aconteceu na vida de cada um!

Avante!

Amauri disse...

Concordo com o comentarista do dia 3 de novembro de 2015 09:48!!!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics