5 de fevereiro de 2016

Cabo da Marinha é morta em tentativa de assalto no RJ

Jovem cabo da Marinha é morta em tentativa de assalto pouco antes de viagem para o carnaval
Monique tinha 24 anos e trabalhava na loja do cunhado 

Uma jovem de 23 anos morreu numa tentativa de assalto ocorrida no fim da noite desta quinta-feira na Rua do Amparo, em Cascadura, na Zona Norte do Rio. Segundo testemunhas, a cabo da Marinha Monique Santanna dos Santos Nascimento estava em casa quando dois bandidos armados abordaram um grupo de amigas dela que colocavam as malas no carro - elas viajariam para Cabo Frio, na Região dos Lagos, onde passariam o carnaval. Atraída pelo barulho, a garota saiu de casa e foi até o portão. Ao abri-lo, fez um barulho que chamou a atenção dos criminosos. Foi quando um deles atirou e a acertou no peito.
Depois de ferida, a jovem ainda foi levada para o Hospital municipal Salgado Filho, no Méier, também na Zona Norte, mas não resistiu ao ferimento. As amigas da jovem não se machucaram. Os dois bandidos fugiram.
- Ela tinha marcado com as amigas na minha casa. Pararam o carro em frente ao portão. Começaram a tirar algumas malas e arrumá-las. Os dois indivíduos chegaram a pé. Não havia quase ninguém na rua, porque era tarde, umas onze horas. Eles viram as meninas e as abordaram na frente do portão. Pegaram celulares, as chave do carro e as meninas entraram correndo e bateram o portão. Minha filha foi ver o que estava acontecendo e os caras atiraram, fugindo depois - contou o pai da militar, Osanildo Magal.
Segundo ele, Monique era a caçula de três filhos.
- Tiraram metade da minha vida. E eu não culpo os bandidos por isso. Culpo os governantes. Eu sou um pai de família que culpa a presidente Dilma e o governador Pezão pela morte de sua filha. Os bandidos estão aí porque eles estão deixando. São incompetentes, não tomam providências na área de segurança. Minha mágoa maior é com o abandono da nossa segurança. Nós pagamos nossos impostos em dia. Agora eu estou aqui no IML e só Deus sabe que horas vão liberar o corpo para a gente poder enterrar - desabafou Osanildo.
Além de cabo da Marinha, Monique ajudava na loja de roupas do cunhado e terminava a faculdade de Odontologia. Na manhã desta sexta-feira, o cunhado dela postou uma mensagem de pesar em seu perfil no Facebook: “Desejo informar que a Lizzie não irá funcionar hoje, 05/02, e nem amanhã. Estamos em luto!”.
Um conhecido de Monique contou ao EXTRA que era ela uma garota alegre, que gostava de se divertir com as amigas:
- Ela era uma menina linda, super alto astral. Estava sempre rindo, cheia de vida, dava gosto de ver. Isso que aconteceu foi uma covardia. Lamentável.
As investigações do caso ficarão a cargo da Divisão de Homicídios (DH). A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que, de acordo com o delegado Fábio Cardoso, titular da unidade, "um inquérito foi instaurado para apurar as circunstâncias da morte de Monique Santanna dos Santos Nascimento. Foi realizada pericia no local e testemunhas estão sendo ouvidas. Diligências estão sendo realizadas em busca de informações que ajudem nas investigações".
Monique será enterrada neste sábado, no Cemitério Raiz da Serra, em Piabetá, na Baixada Fluminense, às 10h.
EXTRA/montedo.com

5 comentários:

Anônimo disse...

Cadê os canalhas dos "direitos humanos ?

Anônimo disse...

Até quando? Até quando o povo brasileiro vai suportar ver seus filhos estudiosos e trabalhadores serem mortos por marginais protegidos por uma Lei ultrapassada? Mais um crime para as estatísticas e esquecimento. Rio de Janeiro virou uma Medellin e as autoridades ficam perdidas e dando desculpas. Se as forças policiais não tem condições de resolver, que tire os "Severinos" da luta de mosquito e partam para cima desses vermes.Só vão fazer isso nas vésperas das Olimpíadas e após "acordo" com os traficantes? Todo dia se ver assaltos em plena luz do dia, parando carros com fuzis e matando pessoas. Se isso não for guerra ou atentado terroristas, não existe classificação. Estão descarados e certos que "padrinhos" nos órgãos de segurança o protegerão.

Anônimo disse...

Não devemos só culpar a Presidente e os Políticos. A Polícia a duras penas faz a sua parte. Devemos culpar também nossos queridos Comandantes que deixam sua tropa na penúria, sendo obrigada a fazer bicos para complementar seus salários, morar em áreas de risco, por não ter PNR suficiente e outras mazelas. Observe-se que nossos companheiros não tem a oportunidade de ficar viajando pra lá e para cá para complementar seus salários com gordas diárias de alimentação e pousada.

Anônimo disse...

Sempre diziam que a criminalidade é provocada pelos governos sem compromisso com as causas sociais; que não lutam contra a desigualdade e pelos direitos humanos. Pois bem, o Brasil está há 13 anos sob governo socialista, que se vangloria de ter reduzido as disparidades de classe e outras bazófias. Então, por que depois de todo esse tempo pessoas como esta jovem militar perdem suas vidas nas mãos de escórias como esses assassinos? Por que a violência não diminuiu no Brasil? Outra pergunta poderia ser feita a esses que são contra o direito à autodefesa armada: se a posse de uma arma pelo cidadão de bem deve ser proibida porque provocaria a reação letal do bandido, então por que esta moça foi morta, já que não estava armada?

Valério Lima. disse...

É mais uma perda do bem contra o mal,ao meu ver causado indiretamente e em grande parte pela repressão e manipulação do período militar que eu chamo mesmo é pelo nome que deve ser chamado : ditadura ! O que que aconteceu!? As esquerdas aproveitaram o ensejo para fazer com que a lei protegesse por demais ao cidadão mas acabou protegendo mesmo foi os bandidos.
E nessa, a pior parte da esquerdalha aproveitou para faser a festa que estamos vendo já a algum tempo.Ou seja a própria linha dura acabou plantando sem querer as sementes do caos que se seguiu.
Todos os dois lados erraram ao meu ver e o resultado está ai para todo mundo ver e sofrer com ele.
Perde todo mundo com esses radicalismos tanto da direita que foi muito autoritária, como as esquerdas que foram extremamentes lenientes com o crime a um tal ponto que acabaram se confundindo com ele.
Seria muito interessante para não falar mesmo de salvação no cenário nacional e internacional,aproveitar o que há de bom em cada um dos lados e tocar a bola para a frente sem necessidade de maiores tumultos institucionais

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics