18 de fevereiro de 2016

Exército poderá gastar até R$ 146 mil em serviços de bordo em voos de comandante

Em 2015, não houve despesas desse tipo
AMANDA GEROLDO, COM EDIÇÃO DE MURILO RAMOS
O Exército poderá gastar até R$ 146 mil em serviços de bordo em viagens oficiais do Comandante do Exército, Eduardo Dias da Costa Villas Bôas. O serviço será oferecido em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) originados nos aeroportos do Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus, Campo Grande, Recife e Porto Alegre. Os pagamentos, de acordo com o Exército, serão realizados conforme os serviços pedidos, que incluem café, lanche, almoço e jantar.
Segundo a assessoria do Exército, a prioridade do Comando é utilizar voos comerciais sempre que possível. Porém, justificam as despesas ao dizer haver ocasiões em que isso não é viável como, por exemplo, em voos para a Amazônia.
No ano passado, não houve gastos do Exército com serviços de bordo.
EXPRESSO (Época)/montedo.com

17 comentários:

Anônimo disse...

Ué? E a crise? E o "ajuste" que todos estão fazendo? Sinceramente não entendi. Numa situação de crise como a atual, o governo libera e o EB pode - se o comandante quiser - gastar quase cento e cinquenta mil reais com benesses em bordo???


Brasil, uma verdadeira esfinge: "decifra-me ou te devoro"!!

Anônimo disse...

A meu juízo de Praça da Ativa, não há nada de imoral ou ilegal nisso, porém na atual conjuntura que o país e o EB vive deveria o Exmo Gen Vila Boas evitar tais condutas.
Pedir as OM que cortem o café da manhã de seus militares, sabendo que os soldados são em sua maioria filhos de pobres e deixar comprar esses tipos de mimos pegam muito mau junto ao público interno.
Deveria o general determinar a quem de direito que quando voar pela FAB que seja feito um catanho para ele e toda sua equipe como forma de dizer que estamos todos no mesmo barco.
Seria pedir muito?

S Ten!

Anônimo disse...

A palavra convence, o exemplo arrasta, com atualmente na Instituição vivemos só de palavras jogadas ao vento, usemos outro ditado: o do pardal, apertou, caga, soltou voa, de preferencia para fora da Força, pois exemplos não temos um que se salve atualmente. É olhar para cima e não ver nada. Vida que segue.

Anônimo disse...

Enquanto isso, na OM em que sirvo, telefone foi cortado e o banho é frio.

MESSIAS DIAS disse...

Já não sei mais o que dizer.

"E essa febre que não passa
E meu sorriso sem graca"

Só decepções.


"Quando tudo está perdido
Eu me sinto tão sozinho"


"Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
Ou fingir estar sempre bem"

"FARINHA POUCA
MEU FEIJÃO PRIMEIRO"


MESSIAS DIAS disse...

Irrita? Nós militares estamos há anos irritados com a falta de reposição salarial, irritados com a falta de PNR, irritados com a falta de transparência nas promoções. irritados com cmt que somente se preocupa com a sua carreira de não liga pelo bem estar de seus subordinados, irritados com a perda de promoção de um posto acima, irritados com a perda da LE, irritados com a perda da grat tempo de serviço, querem mais irritação?

A mais pura verdade!

Militar atento disse...

A matéria diz. Poderá, não Gastará. Pois qualquer produto, material ou serviço prestado por terceiros, necessita do seu devido processo,(contratação, empenho, liquidação e pagamento), acredito que a matéria, deve-se por motivo de realização de algum pregão. Nada de anormal nos dias de hj.

Anônimo disse...

Isso aí é uma merreca à vista do que a Dilma e os parlamentares usam às custas do contribuinte! Deem uma olhada no que a Dilma gastou para levar 900 pessoas numa comitiva ao exterior!

Anônimo disse...

Nos voos comerciais servem um "excelente" lanche: saquinhos de amendoim.Outra empresa vende lanches caríssimos.isso é só o preço para a alimentação no deslocamento, fora a despesa com o avião da FAB.Será que ele aceita uma sugestão: leva uma lancheira, marmita ou ração operacional.

Anônimo disse...

Deveriam levar o que seus súditos levam nas missões. Ou seja suco em pó, pão com margarina rançosa e uma mariola.

Anônimo disse...

Senhores é lamentável a falta de informação de alguns..
Pra começar, a reportagem fala em poderá, como outro camarada disse pode se referir a algum Pregão: ainda bem, evita-se a "química" ou o uso do cartão corporativo; quem acha o valor alto, nunca viu um pregão na vida!
Vamos para de confundir: R$ 150mil não dá nem pra construir 1 PNR! não é nem a folha de pagamento de recrutas de um Btl; é a transf de apenas 4 praças para uma Gu Esp...o valor , a nível EB, é irrisório...
Hj no Eb não há restrição de comida. Se tá faltando ou nego tá controlando é MÁ GESTÃO!!
Por fim, vamos para de lutar contra a Força e juntar forças para lutar contra o verdadeiro inimigo do país.

Anônimo disse...

Engraçado é ver gente querendo justificar um erro citando outro. Se a Dilma gastou, mesmo nesta falada crise que não acredito, com 900 pessoas na sua "comessão", ela errou também! Portanto, não justifica esta situação dos comandantes. E também já é "manjada" a expressão "gastar até X", pois, para não dizer que gastaram muito, eles vão gastar "apenas" X - 1. Todo mundo sabe que sempre foi assim, não vai ser agora que isso vai mudar! A coisa só fica ruim para os subalternos, para os comandantes sempre sobra, mesmo que tenha de sacrificar os pequenos. Por isso que eles nunca reclamam, pois são os faraós remanescentes. O que está faltando é LÍDER, porque de chefes já estamos cheios!!!

Anônimo disse...

Irritados com analfabetos escrevendo M... aqui!

Anônimo disse...

"Por fim, vamos para de lutar contra a Força e juntar forças para lutar contra o verdadeiro inimigo do país."

Colega, o nosso maior "inimigo" é o próprio sistema militar. É evidente que se trata de "pode" gastar esse valor; é evidente que o comandante da Força pode ter esses e outros privilégios, porém, o país está passando por uma situação não muito confortável e nos mandam sempre "apertar o cinto". Mas, esse aperto é somente para a plebe. Na minha OM os privilégios do topo da pirâmide continuam, mas o comandante mandou retirar chuveiro elétrico das praças, restringir o rancho ao máximo, proibir até milico de carregar seu celular no quartel. Aí, ele usa aquele tom teatral de malvado, gritando com todos, para que ninguém o questione dos seus privilégios.


Essa é a questão dos comentários aqui. Na atual conjuntura, não deveria nem haver esse pregão ou intenção de o fazê-lo para essas benesses de bordo.

Simples assim.

Anônimo disse...

O "militar atento" 19 de fevereiro de 2016 04:56, devia mudar seu nick para militar puxa-saco, esse seria o nick apropriado. Sinceramente espero que ele seja um oficial, pq ser for um sargento vou sentir muita vergonha por ele. Lamentável viver, digo sobreviver de migalhas.

Anônimo disse...

Observei vários anônimos dizendo para nos unirmos contra o verdadeiro inimigo, mas ai vem a pergunta, como? se o inimigo principal que temos que combater primeiro, é o inimigo interno. Eu pergunto com toda a sinceridade aos militares, praças, que possuem mais de 25 anos de serviço, apenas uma, só quero uma, medida tomada pela Força, bem recebida pela tropa ao longo desses anos. Nesse meio tempo, quantos governos passaram, não é só o inimigo externo já conhecido por todos, temos que entender isso. Pois bem senhores, não dá para remar junto com aqueles que querem jogar o barco no abismo e o que é muito pior, quando se tem comandantes da mesma linhagem daquele que abandonou o Costa Concórdia, essa é a comparação mais justa. Não é mi mi mi, é a verdade, é muito difícil ter que dizer isso, mas é a verdade.

Anônimo disse...

Caramba! E como o homem vai trabalhar sem se deslocar e sem comer! É muito mimimi!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics