9 de fevereiro de 2016

FAB Airlines...

Transporte de autoridades
É um desperdício imenso de dinheiro público, enquanto o povo não tem moradia decente, saneamento básico...
CÉLIO PEZZA*
Dentro da estrutura da FAB (Força Aérea Brasileira) existe, em Brasília, um grupo chamado GTE (Grupo de Transporte Especial), que é o responsável pelo transporte aéreo do presidente da República, ministros e demais autoridades.
Fora o avião presidencial, essa frota dispõe de 15 aviões, desde jatos executivos até aviões com capacidade de, aproximadamente, 50 passageiros.
Alguns modelos tiveram seus interiores modificados e transformados em salas VIPs, garantindo o máximo de conforto para seus usuários.
Em geral, o custo dessas aeronaves para deslocar autoridades chega a custar 20 a 50 vezes mais do que o valor das passagens aéreas em voos comerciais, mesmo considerando viagens em primeira classe.
Existem casos de políticos que viajaram para ver jogos da seleção, casos em que foram para Fernando de Noronha, mas que usaram aviões da FAB por questões de segurança e por aí vai
No caso de viajar somente um ou dois passageiros, o valor por passageiro fica astronômico.
Um avião pequeno custa, aproximadamente, R$ 150 mil para ir de Brasília ao Rio de Janeiro; se forem 3 passageiros, significa um custo de R$ 50 mil por passageiro.
A conta da gastança é simples.
Um levantamento efetuado de janeiro a setembro do ano passado mostrou um total de 2.206 voos para atender aos políticos, o que dá mais de 8 voos por dia.
É um desperdício imenso de dinheiro público, enquanto o povo não tem moradia decente, saneamento básico, segurança, saúde, transporte etc..
Por outro lado, a FAB efetuou somente 42 missões de transporte de pacientes e órgãos para transplantes nesse mesmo período, causando sérios problemas à população.
Só o Ministério das Cidades fez 187 viagens; o deputado Eduardo Cunha usou a FAB por 110 vezes, e assim por diante.
Em contraponto, no início do ano um menino de 12 anos não conseguiu receber um transplante de coração e morreu em Brasília pela falta de aeronave para transportar um órgão que estava disponível em Itajubá, no Estado de Minas Gerais.
A FAB simplesmente alegou que não podia atender ao pedido de transporte por “questões operacionais”.
Uma frase simples que causou a morte de uma criança. Vale lembrar que existe um decreto de 2002 que disciplina o uso de aviões da FAB e diz que seus jatos podem ser requisitados quando houver motivo de emergência médica, o que obviamente não foi considerado nesse caso.
Renan Calheiros usou jato da FAB para ir de Maceió até Porto Seguro para assistir ao casamento do senador Eduardo Braga.
Sua assessoria disse, na época, que Renan participou do compromisso como presidente do Senado e que tem direito ao uso de aeronave oficial, mesmo que a viagem não seja oficial.
Existem casos de políticos que viajaram para ver jogos da seleção, casos em que foram para Fernando de Noronha, mas que usaram aviões da FAB por questões de segurança e por aí vai.
O fato é que o desperdício do nosso dinheiro continua enorme, apesar dos discursos de muitos “representantes do povo”. Para todos os lados que olharmos com atenção, vamos verificar essa prática.
Até quando? Essa é a pergunta que continua sem uma resposta. Bem, agora é Carnaval e não podemos nos preocupar com esses detalhes.
Devemos nos preocupar com os blocos carnavalescos, com as marchinhas de alto padrão e com o desfile das escolas de samba.
Até quando? (R. A.)
*Colunista, escritor e autor de diversos livros, entre eles: As Sete Portas, Ariane, A Palavra Perdida e o seu mais recente A Tumba do Apóstolo.
MÍDIA News/montedo.com

12 comentários:

Anônimo disse...

É o Brasil meus amigos(PONTO FINAL)

Anônimo disse...

Bom dia Montedo.
Infelizmente as Forças Armadas não são do "povo" e sim da "elite". Esses lemas "Braço Forte" e "Mão Amiga", por exemplo são apenas propaganda para tentar impressionar, porém sabemos na verdade que não se pratica tais premissas. Outro lema que ouvimos em toda nossas carreiras no Exército é a tal de "Família Militar" outra falácia para tentar convencer-nos que todos "praças e oficiais" formamos um corpo, que o Exército "é nosso", porém sabemos que não é bem assim, no EB uns poucos usam os demais para alcançar seus objetivos, como dizem alguns somos "gado fardado".
Por exemplo existe tratamento diferenciado em hospitais militares quando se pertence a um determinado circulo, inclusive para os dependentes, consegue-se até cirurgia plástica eletiva para certas senhoras.
Outra situação, fato que presenciei, um certo inativo de 4 estrelas não se apresentou no mês de aniversário para fins de prova de vida em uma certa SIP, o correto é bloquear o pagamento do mês seguinte, porém por se tratar de Oficial General não foi feito, enquanto que naquele mesmo mês vários inativos e pensionistas tiveram seus pagamentos bloqueados pelo mesmo motivo, isso sem nenhum constrangimento da autoridade que determinou tal medida.
A matéria só vem a comprovar o quanto esses lemas são apenas propaganda e não são criados com o firme propósito de se ajudar o "povo brasileiro" verdadeiros motivos da nossa existência.
A porém a de se lembrar que existem verdadeiras ações de ajuda a comunidade, principalmente quando parte da "ponta da linha", ações de "coração e alma" para servir ao povo, vide o link http://montedo.blogspot.com.br/2016/02/profissao-militar-porque-vale-pena.html.
Mais do andar de cima não podemos esperar nada de sentimento verdadeiro para com o "povo", estão apenas visando efeitos futuros, para a carreira ou para cargos públicos quando na inatividade.

E tenho dito!

Anônimo disse...

O caso desse garoto mostra a grande responsabilidade e consequências da utilização das Forças Armadas para realizarem tudo pelo país. A FAB faz, digamos, dezenas de missões humanitárias e quando não pode realizar apenas uma, supõe-se que contribui para morte de uma criança e a sua imagem cai por terra. Outros meios também não poderiam ser acionados, como aeronaves do estado ou companhias aérea comerciais? Será que todos os jatos da FAB que estavam no chão estavam impedidos de voar? Em Belo Horizonte não teria ninguém disponível, nem um aviãozinho do governo para pegar o coração e levá-lo para BH? Esperar só pelas Forças Armadas não é única solução, tem que ter um plano B e C. Não entendo do assunto mas, até um avião como o Super Tucano não poderia transportar o órgão? E os digníssimos parlamentares, não dariam um pouco de sua verba para pagar as despesas dessa operação?

Anônimo disse...

Concordo totalmente com o Anônimo 9 de fevereiro de 2016 11:42.

Em quantos coquetéis participei, e a conversa que escutava era simplesmente de objetivos individuais, busca de status e de metas fora da força, para benefício de poucos.
Então acabou minha ilusão, antes viver na ignorância do que saber a verdade...

Infelizmente muitos da base da pirâmide ainda acredita...mero braço executor, como diz o comentarista: um gado fardado.

Espero mudanças, mas com essas lideranças que vemos em nosso país, duvido muito viu.

Selva!

Anônimo disse...

O que vejo, de fora, são muitas autoridades cheias de estrelas querendo se parecer com figuras lendárias nacionais e estrangeiras, alguns com seus charutos importados e bebidas caras, mas só sabem mandar, porque tem a autoridade, mas não sabem ou não tem coragem para resolver o problema crônico que se formou.Estão sem metas e só lhes resta pensar no seu futuro.

Anônimo disse...

Nunca vi demonstração tão grande de mesquinhez quanto a desses parlamentares e Ministros.Eles não querem gastar um centavo, nem se for com copo descartável ou papel higiênico. Sempre metem a mão no bolso de alguém, que normalmente é o contribuinte. O salário já seria suficiente mas querem sempre mais. Um dia esse "pote" seca. O povo não tem mais onde tirar dinheiro para pagar mais impostos.

Anônimo disse...

O GTE foi criado na década de 1960, tendo em vista os atentados e sequestros de autoridades.

Altevir Stall disse...

Senhores! Democracia....é o regime de governo em que o poder pertence ao povo e as decisões políticas visam o benefício do povo. Este país necessita de um tratamento de choque ou restará sempre a nossa indignação!!!

Anônimo disse...

Casos em que os alguns que detém alguma autoridade se prevalecem desta para extrapolar, não é raro. Já passei por uma. Depois de dois meses tentando consulta de retorno com cardiologista, depois de uma noite em UTI e uma semana internado, fui finalmente fazer uma esteira ergométrica,felizmente no próprio hospital que geralmente está em pane.Fui cedo e o médico que estava saindo de plantão demorou bastante para atender os pacientes do consultório. Ele atendeu três, lá pelas onze horas,.aí, ele veio todo sem jeito dizendo que tinha que ir no QG para providenciar um documento para um concurso, etc, etc.Uma conversa estranha, mas como não tinha jeito, pediu para retornar no final do expediente.Retornei às cinco da tarde e fui chamado lá pelas seis. Como mentira tem pernas curtas, ele foi acionado, agora pelo comando do hospital via telefone, e mesmo dizendo que estava atendendo um paciente teve que parar.Ao telefone, ele deixou escapar o verdadeiro motivo da interrupção da manhã: o comandante da área, chamou para que ele consultasse a mulher que estava em casa.Não posso afirmar que a senhora em questão é deficiente, era emergência ou impossibilitada de se locomover até o hospital,certamente com motorista. O coitado do médico,após a minha consulta ainda ficou lá e só iria para casa lá pelas nove da noite.Para não deixar de atender, ele comia alguma coisa durante os intervalos das consultas.Será que ele vai ficar para agradecer a "valorização" da Dilma?

Anônimo disse...

Fazendo uma comparação entre Brasil e EUA, após ver alguns documentários, é espantoso a distância de valores e capacidade dos políticos e presidentes, com algumas raras exceções. Nenhum pais é perfeito e nem os políticos totalmente honestos, mas se formos comparar os resultados pós guerra civil dos americanos e o nosso pós ditadura, que não deixou de ser uma guerra civil também, vira até piada. Até o último da ditadura, apesar dos pontos negativos, estávamos até bem. Só havia políticos honestos? não. Havia autoritarismo? Claro, como o de hoje também.Mas, a "bagunça" começou quando veio a "liberdade" de escolher o presidente.O povo não estava preparado e parece que piorou. Espero que depois dessa LAVA JATO, as coisas tomem um rumo melhor e expurguem muitos. Espero também que essas investigações acabem um dia e não se percam pelo caminho e fiquem no esquecimento como as CPI's.

Anônimo disse...

Um colaborador informou que o GTE foi criado por causa de atentados e sequestros de autoridades, que eu saiba não aconteceu nenhum sequestro com finalidades políticas nem atentados contra autoridades desde 1985, fim dos Governos Militares, logo esse GTE poderia ser extinto, mas será que o seu pessoal vai querer, deve rolar muitas diárias para os graúdos do GTE.

Anônimo disse...

Senhores. A solução para tudo isso parte do exemplo tomado pelas nações europeias, ou seja, dividir para conquistar.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics