16 de fevereiro de 2016

Sargento do Exército é suspeito de estuprar menina de 14 anos no RS

Sargento do Exército é suspeito de estuprar menina de 14 anos em Rosário do Sul
Ato sexual pode ter sido consentido, mas polícia investiga possível problema psiquiátrico da menina

Naiôn Curcino
naion.silva@diariosm.com.br
A Polícia Civil de Rosário do Sul investiga um suposto caso de estrupo de vulnerável envolvendo um militar do 4ª Regimento de Carros de Combate (4º RCC), que tem sede na cidade. O caso teria ocorrido entre 21h e 22h do último sábado. O militar teria abusado sexualmente de uma menina de 14 anos em um campo atrás do Instituto Estadual de Educação Ruy Ramos, no bairro Presidente Vargas.
A vítima foi encaminhada para São Gabriel, onde passou por exame de corpo de delito no Posto Médico Legal da cidade ainda no sábado, para coletar provas para comprovar se houve ou não o abuso.
Conforme a delegada Karina Heineck, responsável pelo caso, a investigação está no início, por isso, ainda há poucas informações concretas. O jovem, que tem 23 anos e é 3º sargento temporário do 4º RCC, teria saído com a menina de carro e levado-a até o campo que fica atrás da escola, onde teriam ocorrido os atos sexuais. Depois, ele teria deixado a menina na frente da casa dela.
Existe a possibilidade de que a relação tenha sido consensual. No entanto, a família alega que a menina sofre de problemas psiquiátricos e não teria condições suficientes de discernimento para a prática de ato sexual.
– Foi a família da vítima que registrou a ocorrência após a menina contar os fatos. A investigação ainda está muito incipiente. Ainda não recebemos o laudo que comprova se houve ou não relação sexual. Já coletamos roupas da vítima e vamos começar a ouvir algumas pessoas. Recebi também um atestado médico de que ela não teria perfeitas condições neurológicas, mas precisamos apurar qual é o tamanho desse grau de comprometimento intelectual – explica a delegada.
Se não for comprovado nenhum problema psiquiátrico na vítima e se o envolvimento foi consensual, o suspeito não responderá por estupro de vulnerável, já que a vítima tem mais de 14 anos. No entanto, se for comprovado o problema psiquiátrico, o estupro de vulnerável se configura novamente. Para esse caso, a pena prevista no Código Penal vai de oito até 15 anos de prisão.

Exército vai investigar
O comandante do 4º RCC, tenente-coronel Vagner Knopp de Carvalho, afirma que a instituição tomou conhecimento do fato no sábado. O militar continua trabalhando, mas está afastado das suas tarefas rotineiras. De acordo com o comandante, o Exército se colocou à disposição da polícia. Além disso, o 4º RCC abriu um Processo Administrativo Disciplinar para apurar a conduta do militar.
– Estamos apurando a veracidade dos fatos. Se for comprovado, surge uma incompatibilidade com os princípios militares, éticos e com a permanência dele nas Forças Armadas, e ele será excluído da corporação – afirma.
DIÁRIO DE SANTA MARIA/montedo.com

11 comentários:

Anônimo disse...

Culpa dos oficiais que não orientaram ele

Anônimo disse...

Vamos acompanhar com atenção esse caso, o major do Colégio Militar de Juiz de Fora, cmt de companhia de alunos que se envolveu com uma aluna menor de idade foi punido com rigor,transferido para Campo Grande, sua esposa, que também trabalhava no CM, o acompanhou, e já foi promovido, servindo no Comando da 9ª RM. O que o EB fará com esse sargento temporário ? Aguardemos.

Anônimo disse...

Existem seres execráveis como ladrões e assassinos, mas estuprador não existe adjetivo que o classifique.Quando o crime é contra uma criança, pior ainda.Muitas vezes esses monstros se "escondem" atrás da fachada de "bons" cidadãos. Usam a profissão, parentesco ou amizade para facilitar o ataque.São verdadeiros lobos em pele de cordeiro. Quando acontece, como nesse caso, ainda ficamos em duvida quanto a veracidade dos fatos por ser uma criança e ainda ter problemas neurológicos e não querermos crer que um adulto faça tal coisa. Criança é sinal de pureza, inocência, sinceridade, alegria e energia pura. Só nos faz bem.
O mundo está cheio desses "lobos" vivendo entre nós. Nos anos oitenta,na cidade onde morei, havia uma moça bem nova, aparentava no máximo dezoito anos,muito bonita e atraente, que vivia andando pela cidade, bem arrumada, mas dava para saber pelo comportamento dela que tinha problemas mentais.Usava blusas decotadas que deixavam parte dos seios à mostra nos ônibus e entrava em qualquer empresa que tivesse facilitação. Invadiu até área do aeroporto. Alguns "lobos" da cidade se aproveitaram dessa situação mas o castigo veio logo: soube-se que ela tinha HIV.Foi um alvoroço na cidade.

Anônimo disse...

Se fosse um oficial os Leões de alojamento estariam destilando todo o seu veneno e rancor

Anônimo disse...

As pessoas são complicadas, começam fazer vários comentários sobre as notícias que lêem, sendo que muitas vezes sem conhecimento dos fatos. Primeiramente devemos agir de forma coerente e deixarmos a polícia investigar o fato antes de condenamos as pessoas. Claro se após as investigações for comprovado os fatos o cidadão deve ter pena de morte, porque isso não se faz. Mas já pensaram se o mesmo é inocente, a sua família vai ter passado por uma situação difícil sem necessidade, então esperamos o trabalho da polícia ser finalizado.

Anônimo disse...

Mesmo que tenha sido consentido, com 14 anos é considerado estupro de vulnerável.

Anônimo disse...

Não existem Leões de alojamento entre os oficiais de AMAN, de fato, porque não tem coragem, tampouco veneno..kkkkk, só podem pensar e agir como manda a cartilha da sacrossanta academia e como determina o CMT. Não se trata de ódio de classe, e sim ação e reação. Coragem moral e liderança são inerentes e endêmicos da personalidade e do caráter, não se aprende em apostilas, CIGRAS ou em palestras.

Anônimo disse...

Não importa se é oficial ou praça, se um verme desses comete esse tipo de crime, tem que apodrecer na cadeia. Se coloquem na posição do pai da menina.

Anônimo disse...

buáaa buáaaa buáaaa

Anônimo disse...

Sendo praça com certeza a punição será severa. Quando ocorre com oficiais a punição geralmente é uma transferência para abafar mais rápido o caso, o EB é deles e feito para eles, nada mudou, nada mudará, meu conselho as praças novas que já entram com uma mão na frente e outra atras, usem a força como trampolim, façam sua faculdade e prestem concurso publico, pq se esperar algo da Força, nada vai acontecer.

Anônimo disse...

Não amigo.14 anos se consentido não é estupro. Segundo a lei.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics