2 de fevereiro de 2016

Militar do Exército é torturado e morto por traficantes no RJ

Militar do Exército é torturado e morto por traficantes na Zona Norte
Jorge Fernando Souza foi assassinado no interior do Complexo do Chapadão na noite do último domingo. Um ex-soldado também morreu e outra vítima conseguiu sobreviver
ADRIANO ARAÚJO E PAULO HENRIQUE GOMES
Rio - Um agente do Degase e um cabo do Exército e um ex-militar foram sequestrados e torturados por traficantes do Complexo do Chapadão, em Costa Barros, na Zona Norte. Segundo informações, o caso aconteceu na noite do último domingo e o agente conseguiu sobreviver, mas o militar, identificado como Jorge Fernando Souza, de 30 anos, e o outro, que não teve o nome revelado foram assassinados.
Elias Souza, pai de Jorge Fernando, diz que eles trabalhavam como taxistas em um ponto no Village Pavuna, na Zona Norte, e foram pegos por se recusarem a transportar traficantes em fuga. "Durante uma operação policial no domingo à noite, os bandidos deram uma ordem para que os taxistas os retirassem da comunidade. Não foi a primeira vez que isso aconteceu. O meu filho e outros recusaram a ordem e eles levaram os motoristas a um determinado local do Chapadão. Balearam três. Um sobreviveu e outros dois morreram", diz.
A família de Jorge Fernando afirma que o corpo dele ainda está dentro de um veículo que se encontra no interior do conjunto de favelas. "As pessoas que viram disseram que o corpo do meu filho está dentro da mala do carro. Foi passada essa informação para a delegacia, mas a polícia ainda não foi lá. Eles (bandidos) afirmaram que se a polícia e a imprensa fossem envolvidas, sumiriam com o corpo. Falaram também que ao longo da noite de segunda-feira iriam liberar o meu filho, mas como até às 9 da manhã ninguém nos passou nada, resolvemos falar", desabafa.
O registro foi feito na 31ª DP (Ricardo de Albuquerque) e transferido para a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), já que o corpo de Jorge Fernando ainda não foi localizado. "Eu registrei o caso na 31ª DP, mas eles só registraram como desaparecimento. A DH disse que não poderia registrar o homicídio porque não tem o corpo", afirma Elias Souza.
O pai lembra que além de ser lotado no 25º Batalhão Logístico Escola, em Magalhães Bastos, Jorge Fernando era estudante de administração e praticava esportes. Elias Souza disse que pediu auxílio ao Exército, mas que não recebeu nenhum tipo de ajuda. "A minha esposa, mãe dele, foi no quartel onde meu filho serve. A informação foi passada para eles e não tivemos suporte algum do Comando Militar", finaliza.
Procurados, o Comando Militar do Leste e o Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) ainda não se pronunciaram sobre o caso. Já a PM afirmou ter feito operações constantes na região, mas garante não ter recebido informações sobre nenhum corpo encontrado na comunidade.

Amigos lamentam pelas redes sociais
Pelas redes sociais, amigos lamentaram a morte brutal do militar: "Apagaram seu sorriso mano, amigo de infância e depois de alguns anos amigos de trabalho, irmãos de farda. Descanse em paz meu parceiro, a ficha ta custando a cair". "Até quando mais irmãos vão ir embora desse jeito ? Que raiva pelo que fizeram com ele, era novo e um grande parceiro e teve um fim assim. Irá deixar saudades, Jorge Fernando Souza. Adeus, amigo e que Deus possa te encaminhar para o paraíso".
O Dia/montedo.com

38 comentários:

Lopes disse...


Lamentável.Lamentável. È doloroso ler este tipo de notícia. Que Deus conforte seus familiares.
SE fosse no Exército dos USA, Comandos teriam entrado na favela e resgatado, mesmo morto, esse irmão de farda. Mas aqui...

Anônimo disse...

O fato expõe a preocupação dos comandos com seus subordinados.
A filosofia do boi impera.
Se fosse feita uma pesquisa sobre a credibilidade do comando/comandantes. qual seria o resultado?????/
pensar, pensar, pensar

Anônimo disse...

Subir o morro pra fazer marketing pra esse governo pode né ??? Se fosse um fuzil já teria um batalhão lá, é o valor que temos para instituição.
Fora que se tivéssemos um salário digno o pobre coitado do Severino não estaria fazendo bico de taxista.

Anônimo disse...

Porque iriam tomar a iniciativa de resgatar nosso irmão de farda? Porque tratam-nos como lixo? Porque não brigam por nós? Porque aceitam qualquer missão sem ao menos ponderar? Porque esse desprezo pelos seus subordinados a ponto de nos tratar como seres inferiores? Sabem porque? Porque nenhum deles quer se indispor com ninguém e perder suas mordomias e boquinhas num carginho de terceiro escalão ao qual possam vir a receber. Não nos representam. Se analisarmos direitinho esses senhores são sim nossos verdadeiros inimigos.

Anônimo disse...

Está na hora de nossos CMT da uma resposta a sociedade,se fosse filho de um bacana tava toda imprensa e polícia dentro da favela.

Anônimo disse...

Onde está os " Direitos humanos",a Maria do Rosário,os deputados do PSOL,PT,PSTU e afins ? Se fosse um militar que matasse um bandido eles estariam na mídia enchendo o saco ! Está mais que na hora dos comandantes dizerem de que lado estão !

Anônimo disse...

02 Fev 16 ==> Noticias da caserna na Imprensa hoje ...

http://g1.globo.com/pernambuco/netv-1edicao/videos/t/edicoes/v/soldados-do-exercito-realizam-nova-etapa-do-mutirao-contra-o-aedes/4773132/

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Geral/2016/1/578293/Exercito-conta-com-apoio-da-Smam-para-liberar-vias-em-Porto-Alegre-

http://correio.rac.com.br/_conteudo/2016/01/campinas_e_rmc/410572-escola-de-cadetes-faz-passagem-de-comando.html

http://www.portalcbncampinas.com.br/?p=130245

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/jornal-do-almoco/videos/t/edicoes/v/forcas-armadas-vao-atuar-contra-o-aedes-aegypti/4772695/

http://g1.globo.com/pe/petrolina-regiao/noticia/2016/02/tropa-com-35-militares-vai-combater-aedes-aegypti-em-petrolina-no-sertao.html

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2016/01/autoridades-estaduais-e-municipais-se-reunem-para-recuperar-porto-alegre.html

http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/exercito-comeca-a-atuar-no-combate-da-dengue-em-salvador-nesta-terca-feira-2/?cHash=100df0e9b07a268e6f3199ff14bf1315

http://entretenimento.r7.com/programa-da-sabrina/videos/sabrina-encara-desafios-do-exercito-brasileiro-na-amazonia-30012016

http://odia.ig.com.br/esporte/olimpiada/2016-02-01/investimentos-das-forcas-armadas-tornam-o-brasil-uma-potencia-olimpica.html

https://www.tribunadabahia.com.br/2016/02/02/exercito-vai-de-casa-em-casa-combater-aedes-aegypti

http://cidadeverde.com/operacaomatamosquito/74784/mobilizacao-nacional-exercito-atuara-em-oito-cidades-do-pi-contra-o-aedes-aegypti

Anônimo disse...

Não se faz mais militar como antigamente. Se fosse nos EUA, o Comando não teria entrado para resgatar, não. Não seria necessário isso porque a própria polícia já teria resolvido o problema. O Brasil está uma vergonha!!! Embora anônimo aqui, para quem me conhece ou trabalhava comigo, saberá quem sou pela seguinte frase: Nós, aqui no Brasil, estamos parecendo mágicos, pois estamos vivendo de ILUSÃO! E é verdade, estamos vivendo somente de ilusão.

Anônimo disse...

Uma solução: dar 30 dias para as pessoas humildes saírem. Depois colocar nossos tanques de guerra apontado para o interior dessa comunidade (FAVELA) e destruir tudo. Depois o Estado que se vire...

Anônimo disse...

Quero ver a "operacionalidade" do comandante da NONA, agora. Cobrar a amarração do cabo de solteiro e entubar a tropa é mole, colocar a segunda seção pra ver quem está nas paradas da vila antes do toque de ordem, mais mole ainda.
Vamos ver se a brigada vai se coçar ou vai querer meter fatd em quem faz bico.
Ass: Cara de Tigre.

Anônimo disse...

Infelizmente essa região do Complexo do Chapadão é mais uma Area Liberada na cidade do Rio de Janeiro. Um territorio livre onde a vagabundagem e o mal predominam.Esse militar já sabia disso.O trabalho agora é identificar e qualificar os autores .Esse marginais desfilam com seus carroes com vidros escurecidos ; entram e saem do local a hora que querem para irem ao shopping gastar o dinheiro roubado e para praia como pessoas normais pois sequer são fichados na policia...
Enfim se quiser pegar é só trabalhar.

Anônimo disse...

A HORA É ESSA..., invadam, mostrem força, mostrem poder, mostrem que não estamos mortos, mostrem quem realmente nós somos, mostrem os nossos valores e ideais, invadam, vão atrás, VINGUEM, NÓS SOMOS O EXÉRCITO, temos que impor o respeito, do nosso jeito!!!

Anônimo disse...

A única coisa que me faz ter orgulho nessa profissão é um lema que diz mais ou menos o seguinte: "NINGUÉM...,ABSOLUTAMENTE NINGUÉM FICA PARA TRÁS..." por favor deixe eu acreditar que isso é verdade!!!

Anônimo disse...

Eu não entendo esses precs e esses FE. Vejo pagando embuxe direto, q o curso é pau, q faz marcha com infinitos quilos na mochila (só festim, mundo da fantasia). Qndo o pau quebra e a bala come, cade eles? Aí vem o " veja bem" o "mas é que". Servi no MS, e la a PM tinha uma pratica boa, matou PM ou PC, a casa caia, nao tinha essa de to na folga ou de ferias, juntava 100% , só paravam qndo prendiam, ou matavam.

Anônimo disse...

Em que país estamos vivendo? onde uma vida não vale mais nem 1 centavo!!! Traficantes matam uma pessoa e depois ficam ameaçando sumir com o cadáver em um lugar que a polícia tem medo de ir pelo alto risco de morte. Já passou da hora de tirarmos as mordomias dessa corja que nos colocou nessa situação: "toda a classe política (com essa ideologia esquerdista de proteger bandido) e nossa mídia que só se presta atualmente para denegrir nossas instituições e vangloriar a atividade marginal.

Anônimo disse...

"Anônimo disse...
Porque iriam tomar a iniciativa de resgatar nosso irmão de farda? Porque tratam-nos como lixo? Porque não brigam por nós? Porque aceitam qualquer missão sem ao menos ponderar? Porque esse desprezo pelos seus subordinados a ponto de nos tratar como seres inferiores? Sabem porque? Porque nenhum deles quer se indispor com ninguém e perder suas mordomias e boquinhas num carginho de terceiro escalão ao qual possam vir a receber. Não nos representam. Se analisarmos direitinho esses senhores são sim nossos verdadeiros inimigos." 2 de fevereiro de 2016 16:20

Concordo com a postagem.

Anônimo disse...

Ao contrário do caso Amarildo, em se tratando de um militar, mal será divulgado pela mídia.

Anônimo disse...

É o que eu digo sempre aqui, farinha pouca, meu pirão primeiro. Não devemos ter comprometimento com uma instituição que só pensa em tirar o melhor do profissional quando esse retorno não existe. A tão cobrada e vomitada em incansáveis reuniões, LEALDADE, no Exército atualmente é uma via de mão única. Esse não é um caso isolado, eu mesmo presenciei companheiros de fardas serem literalmente ameaçados e expulsos de suas casas por traficantes e ladrões e quando pediram ajuda em suas Unidades Militares de origem obtiveram pior do que um não, um covarde e estático desprezo. Desprezo esse, vindo da notória incapacidade de reação a esse tipo de situação. É muito triste ver uma tropa federal que ao meu ver, em nosso país, na prática deveria ser o ultimo recurso em termos de segurança, não conseguir proporcionar segurança nem mesmo a seus quadros. Nesse caso específico, o minimo que deveria ser feito nessa situação, até por uma questão de honra, já que a tragédia foi consumada, seria nossos "Chefes" darem a ordem de resgate do corpo do militar e devolve-lo a seus genitores. Não é isso que nos pregam todos os dias em nossos quartéis? E aquele jargão de que "ninguém fica para trás", só vale em acampamentos e manobras? Cade a nossa tropa de elite para entrar no morro e fazer esse resgate. É vivemos uma guerra irregular e nesse tipo de combate não se respeita poderes constituídos, até pq eles não existem atualmente no pais. Existe um poder dentro do poder, onde a pena de morte é sumária e quando isso ocorre a justiça deve ser feita independente de formalidades da Lei. Vou pegar o gancho nesse assunto, e parabenizar a PM de São Paulo e tbm a PM do Paraná, mais especificamente a de Londrina. Para cada homem morto em combate da força regular temos que eliminar dez da força irregular, guerra é guerra, senão perde-se o medo e o respeito, atitude correta desses respeitados Órgãos de Segurança. O inimigo precisa sentir que existe a pronta resposta e essa tem que ser enérgica, mesmo que para isso alguns inocentes paguem, pois nesse país vivemos em estado efetivo de guerra. Nossos Comandantes não podem esperar que essa "justiça" venha de nossos fracos poderes constituídos, de uma sociedade corrompida e de uma mídia parcial e tendenciosa. Tem que agir na clandestinidade, tem que ser pontual, missão real para a tropa operacional. Para isso, falta coragem moral, atitude e confiança dentro da própria instituição, sob pena de nossas tropas federais caírem em descredito, o que já ocorre perante o nosso publico interno mas também quanto ao publico externo, que ainda não conhece nossa realidade atual. Lembro das palavras do meu primeiro Comandante: "Senhores, somos profissionais da violência" O que aconteceu? O que mudou? Acho que não há necessidade de ser mais claro.

Anônimo disse...

Este caso terá o mesmo destino do cabo Michel Augusto Mikami das forças de pacificação do Exército na Maré. Morto em novembro de 2014. Na época pensei que o Exército daria uma resposta aos marginais, mas infelizmente não foi o que aconteceu! Mas se fosse um marginal morto pela polícia, seria manchete de primeira página no Extra. A imprensa exploraria o assunto a exaustão!

Anônimo disse...

Fico triste, muito triste com o comando. Pq? Não podemos deixar o militar apodrecer na favela. Sabemos onde é. ..uma boa varredura encontra o corpo. Não se pode dizer que é procurar uma agulha no palheiro. Existe uma zona identificada. Pelo amor de Deus, onde estão nossos comandantes!!!!???

Anônimo disse...

Infelizmente missões rolhas a combate a dengue isso os nosso comandantes aceitam, agora uma missão real de buscar um militar da força que esta preso e sendo torturado em meio a uma comunidade ai sim se fazem de desentendidos e omissos.
Isso da vergonha das nossas FFAA...

Anônimo disse...

Não é tão simples subir no chapadão senhores , infelizmente não é bem assim , só com mega operação e planejamento , chegamos a um ponto no rio de janeiro em que as coisas estão assim , a policia não pode subir lá a hora que quer , só com blindados e apoio aéreo é com vergonha que escrevo isso , mas é a mais pura realidade .

jmendes visqueira disse...

Diferente do Cabo Michel Augusto Mikami das forças de pacificação do Exército na Maré, Morto em novembro de 2014, que a família passou a receber os proventos post-mortem, o Cabo que fazia bico como taxista nada vai receber, pois foi morto no desempenho de uma função estranha a Força Terrestre. Quem acha que estou blefando, quero deixar claro que servi muitos anos no Setor de Inativos e Pensionistas da extinta 9ª CSM em Santa Maria -RS. Quem duvidar da minha posição, faça suas considerações com argumentos palpável em Regulamentos e Atos Normativos do Exército.

Anônimo disse...

A questão não é buscar um corpo de um militar do Exército, é buscar a honra do Exército que há muito tempo está perdida... O corpo é da família, mas a honra é do Exército em demonstrar força para uma cambada de vagabundos magricelos desnutridos!!!!
Comandantes, prestem bem atenção... os senhores estão dia após dia perdendo a consideração e o respeito dos seus comandados cada vez que nós verificamos a omissão de parte dos senhores.
Se fosse uma merda de um fuzil do Exército que tivesse sido roubado de uma quartel a Brigada Paraquedista já teria sido mobilizada para fazer pressão nas vias de acesso da favela como já ocorreu várias vezes!!! Comandantes, se os senhores estão cagando e andando para o resgate do corpo do Cabo Jorge Fernando então nos permitirá concluir que um fuzil vale mais do que um militar,certo ? Não quero caminhar por tal linha de raciocínio (Praças X Oficiais), mas diante da inércia dos senhores até o momento, me permito especular se tal omissão também ocorreria se fosse o corpo de um Oficial, se fosse Coronel assassinado nas mesmas condições, se o tal "Braço forte, mão amiga" faria alguma coisa...

Anônimo disse...

Já sei até o que alguns estrelados irão argumentar quando algum subordinado resmungar do porquê o Exército nem se coçar para resgatar o corpo do Cabo Jorge Fernando... por certo o chefe falará algo parecido com: "o cara foi assassinado fazendo bico, logo isso é trabalho da polícia..."
Mas aí o subordinado deverá retrucar: "mas meu chefe, matar mosquito não é trabalho do militar, assim como também não é limpar as ruas após temporais, missões essas dos servidores civis das Prefeituras e Estados e mesmo assim o Exército executa, então não poderia, por questão de honra, abrir uma exceção para ir à favela e ordenar que os traficantes devolvam o corpo do MILITAR ?" Após ouvir tal réplica certamente o chefe ficará desconcertado e ficará sem argumentos.

Anônimo disse...

No tempo do Emilio(30 de outubro de 1969 e 15 de março de 1974), se esses canalhas escondessem a sete metros debaixo da terra, seriam encontrados e pagariam o preço pelo crime que ousaram praticar com nossos honrados soldados.

Anônimo disse...

Estamos sem moral,sem comando e sem vergonha na cara !Fechem as portas dos quartéis pois militar hoje só serve para capinar,limpar,matar mosquitos fazer faxina,isto para praças pois os oficiais somente servem para coquetéis e puxação de saco de autoridades !

Garivaldino Ferraz - Brasília disse...

Durante o Comando do recentemente falecido General Manuel Valdevez Castro no CML, houve o furto de dois fuzis por Soldados de Serviço na EsCEME. O Comandante do CML determinou o "fechamento" da favela em que os Soldados residiam, entrou na favela e falou com o chefe da associação de moradores, avisando que NINGUÉM entraria ou sairia da área sem ser revistado pela tropa. Contam que teria dito que, "agora não tem Garotinho, nem Rosinha, nem Direitos Humanos, nem nada! Quem manda sou eu!". Não sei se é exagero, mas por volta das 10h do dia seguinte os fuzis foram "encontrados" em um latão de lixo em outra favela. Dos soldados ladrões, nunca mais se ouviu falar. Quem tem boa memória lembra de um áudio divulgado anos depois pela Globo - sem se referir ao que o motivou, onde o tal chefe da favela - depois candidato a vereador, preso como traficante de armas, etc - avisava os chefões do tráfico sobre a necessidade dos fuzis aparecerem.
Bons tempos em que havia General que se indignava.

Anônimo disse...

Em um dos eventos teste da olimpíada, ano passado, um paisano meteu a mão em um dos militares do PBCVU lá da vila,em frente ao BESCOM. Um certo gen fez uma reunião com os oficiais e disse que a culpa daquilo era dos comandantes de unidade que não cobravam postura da patrulha. Ora, o militar vai pra rua sem preparo algum para aquela atividade e o comando não assume sua omissão.
A paisanada sabe que, pode cuspir na cara do militar ou bater em uma viatura que, o máximo que acontecerá, é ir pra chefia de polícia da DE.Aliás pode até matar o militar que a força vai apenas emitir uma nota de pesar.
E da-lhe EDL, TFM centralizado, corridinha na vila. puro embuste.
Ass: Cara de Tigre.

Anônimo disse...

Militar fazendo extra! militar fazendo "um por fora"! Trabalhando de garçom particular em clubes! Trabalhando de segurança em eventos e shows diversos! Trabalhando de marido de aluguel! Trabalhando como mecânico....poderia citar várias atividades desenvolvidas por militares em suas horas de folga, e tais militares sofrem críticas ferrenhas, são acusados de não dedicar a profissão.
Só que os criticos se esquecem que estes mesmos militares que fazem bico tem familia, mulher, filhos, alguém que depende deles para sobreviver,e, ao contrário de bandidos que querem dinheiro sujo e fácil, tais militares que correm atrás para botar a comida na mesa sem prejudicar ninguém, já que estão dando seu jeito de sobreviver a penúria, tem consigo um valor que está se perdendo com o tempo, a vergonha na cara. Meus sentimentos a familia do guerreiro.

Anônimo disse...

Uma pessoa escreveu aí que o Chapadão é uma área muito complicada, exigindo planejamento detalhado para se realizar uma incursão nela e até concordo com isso, pois toda missão, por mais insignificante que seja, exige planejamento. Sendo assim, planeje-se então, pois é inadmissível que uma força do tamanho do Exército não tenha capacidade de entrar lá e resgatar o corpo do militar. Se não for capaz de entrar lá e enfrentar aqueles "funkeiros" encardidos, armados com armas leves (fuzil, para fins militares, é considerado arma leve) então não serve para enfrentar um exército oponente equipado com canhões sem recuo, carros de combate, artilharia e outros aparatos militares pesados.Outro cidadão fez uma crítica muito forte às tropas especiais, mas tenho certeza de que se dependesse deles, entrariam lá e fariam um grande estrago,mas mesmo sendo especiais, ainda são militares, dependentes de ordens de seu escalão superior. Se fosse com um policial civil ou militar ou até com um Guarda Civil Metropolitano ( em algumas cidade são chamados de Guardas Municipais), tenho certeza de que encontrariam um modo de entrar lá, com planejamento ou não, e resgatariam o corpo de seu companheiro tombado. O pior de tudo é que ainda ouço alguns lacaios dizerem que nosso Exército é melhor do que o dos Estados Unidos e de outras potências mundiais (talvez até seja mesmo no quesito inércia e desconsideração com seus militares). Que Deus cuide da alma do cabo e conforte sua família. Abraços!

Anônimo disse...

Não se preocupem! Nossos chefes devem estar, neste momento, em alguma confraternizaçao "rolha", alguma inspeção de "sucatas", na inauguração de diversos museus dentro de OMs, no envio de milhares de convites para alguma comemoração desnecessaria, correndo atrás do seu, é lógico. Mas nao sd preo upem, apos cumpridas estas missões inadiáveis, cuidaremos dos problemas da tropa. " alguém anota isso aí pra mim, que vai ser prioridade". Kkkkk...

Anônimo disse...

Hulk diz: "Generais fracos, exército fraco!"

Anônimo disse...

Senhores Comandantes. Os senhores estão matando de vergonha o Povo Brasileiro que tanto valoriza as Forças Armadas. Seus subordinados, esses sim os verdadeiros militares que sempre estão aptos a cumprir qualquer missão a qualquer dia e qualquer hora tem nosso valor. Até quando os senhores irão debochar de sua tropa, os tratando como verdadeiros lacaios e subservientes? Isso além de me envergonhar me causa nojo.

Anônimo disse...

Garivaldino Ferraz, o problema é que o material tem mais valor que o pessoal.

Poder Informativo disse...

As pessoas também são matéria, pois matéria é tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço.

MESSIAS DIAS disse...

Devemos realmente lamentar e ficarmos triste com o descaso.
Se quer uma nota a respeito.
O nosso maior veículo de verdadeira e isenta informação é o Montedo, pois Informex é rol...
Lamento a perda do companheiro.
Devemos realmente buscarmos dias melhores na Caserna.
"é a verdade que assombra, o descaso que condena, a estupidez é que destroi, vejo tudo que se foi e que não existe mais"
Lamentável realidade.

Valério Lima. disse...

A muito tempo que sou contra golpe e quartelada,mas entendo a indignação dos Praças,Faço das suas palavras as minhas ,até pq eu iria estar reclamando praticamente do mesmo jeito também da falta de apoio dos comandos,dos altos escalões das Forças Armadas e das PMs.
Quando era adolescente me empolguei com a vida militar e resolvi que queria ser militar e servir como militar, faser carreira nas Fs.ARs .Mas quando comecei ainda adolescente a ver o sofrimento e as humilhações passadas pelos recrutas,principalmente.Desisti da ideia e disse para mim mesmo que não era isso que eu queria para mim!
Fui escoteiro, e muita coisa do escotismo(foi criado por outro militar:Baden Powell) tem haver com a vida militar:Quem já foi os dois sabe o que estou falando! Meu Pai e tio também foram Militares do exército partícipes da segunda Guerra mundial sendo que meu Pai teve a honra de ter transmitido para todo o estado onde moro a noticia diretamente do alto-comando Aliado(Na Europa) do fim da Guerra no continente europeu e meu tio participando "in loco" do teatro de guerra na Itália.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics