16 de fevereiro de 2016

Perdemos feio quase todas as guerras

Cristovam Buarque*
Ao falar que o Brasil está “perdendo feio” a guerra contra a dengue, o ministro Marcelo Castro prestou um serviço à sociedade, embora incompleto, porque essa não é nossa única derrota feia.
Perdemos a luta contra a violência: o clima de guerra já se apossou tanto da sociedade que nos acostumamos a fugir das ruas, trancafiando-nos em nossas casas, condomínios fechados, carros e shoppings. A tal ponto que já não nos perguntamos como viver em paz, apenas como conseguir segurança, prendendo menores e liberando o porte de armas aos cidadãos.
Perdemos a guerra da educação. Com mais de 50 milhões de brasileiros adultos sem o ensino fundamental, ainda que um governo sério decida fazer a revolução na educação de base, as crianças já nascidas chegarão à idade adulta despreparadas para enfrentar o desafio da era do conhecimento; não serão capazes de levar o Brasil ao desenvolvimento que precisamos.
Perdemos feio a guerra contra a desigualdade social. Mesmo depois de 15 anos de Bolsa Escola/Família, continuamos campeões de desigualdade, e os resultados na luta contra a fome estão regredindo por causa da inflação.
Perdemos feio a guerra do desenvolvimento científico e tecnológico, da inovação e da competitividade. Em muitos setores, estamos atrás até mesmo de países pequenos e sem tradição de desenvolvidos. E nossa educação, nossas empresas, nossas universidades não estão preparadas para enfrentar esse desafio.
Perdemos a guerra da saúde. Não a tratamos como uma questão sistêmica que cuida da água potável, do saneamento, do trânsito, da saúde primária e de hospitais eficientes servindo ao interesse do doente, e não de empresários, sindicatos ou políticos.
Perdemos momentaneamente a guerra contra a inflação, e há sério risco de que não seremos capazes de vencer essa guerra por não querermos tomar as decisões necessárias. Perdemos feio a guerra contra a dívida pública; além de perdermos também a guerra do endividamento das famílias e das empresas.
Perdemos a guerra das cidades, transformadas em “monstrópoles”; violentas, feias, com trânsito atravancado, ruas inundadas e casas sem água. Perdemos também a batalha do transporte público.
Perdemos feio a batalha da gestão pública com um Estado ineficiente, dependente dos vícios dos partidos por aparelhamento, dos empresários por subsídios e desonerações fiscais; entregue à voracidade corporativa dos sindicatos, desprezando a eficiência e o mérito.
Perdemos a guerra contra a corrupção. Apesar da Lava Jato, a prática continua generalizada, e o crime, impune. Perdemos feio a guerra da credibilidade na política e nos políticos, e nada será feito se não for vencida.
Estamos próximos de perder a batalha da democracia: com um debate centrado no impeachment de uma presidente com mandato ou na conformação a um governo eleito com notória incompetência para vencer as guerras e conduzir o Brasil para o futuro.
Felizmente, ainda não perdemos a guerra da esperança.
*Senador pelo PPS (DF)
DIÁRIO do PODER/montedo.com

13 comentários:

Anônimo disse...

http://combateaedes.saude.gov.br/

Anônimo disse...

Então, quem poderá nos salvar?? "SEVERINOS"!

Anônimo disse...

A presidente Dilma disse que o Zika vírus não compromete a realização da Olimpíada. Como ela só fala a verdade e cumpre todas as promessas, acreditem.

Anônimo disse...

político oportunista, aliás como 90% dessa espécie

Anônimo disse...

Governo anuncia a compra de 10 caças para combater o Aedes aegypti em pleno voo

http://sacizento.bol.uol.com.br/blog/?p=17244

Anônimo disse...

Só podíamos ter perdido mesmo de 7 à 1.

Anônimo disse...

E no meio da nuvem de mosquito vão-se milhões facilmente, sem fiscalização.

Anônimo disse...

"Assustados com zika, brasileiros abrem a porta de casa para militares" vejam esta MANCHETE do portal UOL...e ai, sentiram a maldade desses FDP. Quer dizer que os brasileiros SOMENTE abriram as portas porque estão apavorados com o zika ou....se sentiram seguros com a presença dos militares? Imprensa PORCA COMUNISTA.

Anônimo disse...

Ao amigo das 13:37, leviano de sua parte que todo político é farinha do mesmo saco. Não acho ( e quero que o amigo me prove) o quanto ele foi oportunista! ou que ele diz em seu discurso não é a verdade? por favor, não me venha com a demagogia do oprimido, tem político safado sim! canalha! mas também existem pessoas interessadas, são poucas, não sei se são 10%, 20% ou 30%, enfim não aponte o dedo e nem acuse sem provas!!!

Anônimo disse...

Embaixadores de Países Árabes conhecem o SISFRON

https://www.youtube.com/watch?v=e6crO5c3Rbk

Anônimo disse...

O Sen Cristovan Buarque foi o Ministro da Educação do 1º Mandato do Presidente Lula, e alimentava bastante esperança deste cidadão, logo me frustrei. Parece que tem gente que nasce para ser pedra, quando escalado para ser vidraça, não corresponde.

Anônimo disse...

Com os militares no poder, perdemos alguma coisa; após os militares perdemos muito e quando os petistas assumiram, perdemos de goleada. Até a seleção de futebol levou a maior goleada para ficar na história "DESSEPAIZ". Mas nem tudo foi perda: ganhamos bastante bandidos em Brasília, furtando o nosso dinheiro.
deu agora a pouco na TV, que já existe uma vacina experimental contra a ZIKA. Resumindo: la vamos nós brasileiros servir de cobais para os grandes laboratórios farmacêuticos e dar mais lucro para eles.

Anônimo disse...

.

acp

Para quê divulgar esse comuna, lulista, anti-armas, demagogo?

acp

.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics