11 de março de 2016

Militar da aeronáutica morre após reagir a tentativa de assalto em MG

Ele seguia de ônibus para Brasília na BR-365 quando o veículo foi abordado.
Dois passageiros foram baleados e um assaltante morreu.
Do G1 Grande Minas
Um militar da aeronáutica morreu após reagir a uma tentativa de assalto nesta quarta-feira (09) na BR-365, em Buritizeiro, no Norte de Minas. Segundo as primeiras informações da Polícia Civil, ele estava em um ônibus que seguia para Brasília (DF), quando cinco bandidos abordaram o veículo.
Um dos criminosos entrou no ônibus utilizando colete a prova de balas e anunciou o assalto. O militar reagiu e houve troca de tiros. Três criminosos foram baleados e um morreu no local. Ainda de acordo com a Polícia Civil, uma passageira também foi baleada e um advogado foi atingido no pé; ele também seguia para Brasília, onde tomaria posse como promotor de Justiça. Os passageiros foram encaminhados ao hospital de Três Marias (MG). A esposa do servidor da aeronáutica, que estava no ônibus, foi hospitalizada em estado de choque.
Segundo a polícia, os dois assaltantes que não tiveram ferimentos levaram os comparsas feridos para o hospital de Três Marias e em seguida fugiram. O estado de saúde de um dos criminosos é grave, o outro já foi liberado e encaminhado à delegacia de Pirapora (MG).
As polícias civil, militar, rodoviária federal e aeronáutica montaram um cerco para localizar os outros dois criminosos.
G1/montedo.com

6 comentários:

Anônimo disse...

Vendo esta notícia, sou obrigado a postar um comentário em forma de narrativa, pois vivenciei situação semelhante.
Corria o ano de 2007 e eu trabalhava na guarnição de Brasília, meus filhos seguiam destino junto com a mãe para visitar os avós no estado do RS, num ônibus destes convencionais, que fazia a linha Brasília-Porto Alegre.
Em determinada altura da viagem, o ônibus foi abordado por assaltantes e invadido sob tiros de intimidação, um verdadeiro filme de horror para os passageiros, eram aproximadamente 23 horas da noite e o veículo foi retirado da rodovia pelos assaltantes e conduzido para uma estrada de chão, onde os meliantes fizeram a limpa nos passageiros. A desgraça só não foi maior porquê moradores da zona rural próxima ao ocorrido ligaram as luzes da entrada de uma propriedade e começaram a gritar, o que fez os assaltantes, depois de aproximadamente três horas de pavor que causavam, desistirem do seu intento.
Aos passageiros restou ficar na escuridão de uma estrada de chão pelo resto da noite e serem assistidos por moradores das proximidades, até que a empresa de ônibus mandasse um veículo substituto e fosse providenciado condução dos sinistrados até delegacia mais próxima. Os pertences dos passageiros foram levados pelos ladrões. Um de meus filhos teve arma de fogo disparada próximo a cabeça, pois sentava próximo a entrada, e o assaltante havia atirado em direção aos fundos do ônibus, sendo que além do susto ficou com um zunido no ouvido por alguns meses. Passaram-se os anos e até nos dias atuais se ouve noticia de assalto a ônibus de passageiros na região compreendida entre Brasília e limites de Goiás com Minas Gerais, tem se a impressão de que nada é feito para reprimir os assaltos! Graças ao bom Deus que para minha familia foi um susto e perda de pertences, mas o estado de tensão nervosa que passei na época, só eu e os demais envolvidos e vitimas sabemos, não vou nem citar os prejuizos financeiros acarretados, porquê a vida que é o bem maior continuou.
Até quando ouvirei noticia de assaltos nesta região? Em quase dez anos não deu para reforçar policiamento? Não existe estatística comprovando qua a região é alvo de assaltos constantes e covardes? Depois deste fato, viagem para o sul do país de preferência de avião, mais caro, porém mais seguro.

Anônimo disse...

Meus sinceros pêsames para toda a familia desse corajoso militar. Deus o receba de braços abertos.

Anônimo disse...

ATÉ QUANDO VAMOS FICAR SEM FAZER NADA?

Anônimo disse...

Isso chame poder paralelo. Quando o governo não faz a sua parte o crime assume o comando e fazem o que quer...
E desta forma a população fica sem nem ter a sensação de segurança que é dever do governo.

Anônimo disse...

Esse militar devia ser um oficial, pois a coisa mais difícil, pelo menos na FAB, é um graduado conseguir um PORTE DE ARMA. Na hora de adquirir uma arma, a fim de alguém levar um dinheiro, "enchem o saco", mas depois dificultam o porte. Outra coisa, no RJ, já vi capitão da FAB ser conduzido para delegacia porque estava com sua arma. Foi ruim de explicar para o "dotor" delegado a situação que, embora não conste na carteira de identidade, o regulamento permite. Mas garanto que se fosse um "sem terra" não teria nem ido para a delegacia, pois o PT está autorizado a andar armado, juntamente, com o tráfico. São colegas!!!

Anônimo disse...

O colega está falando algo que não procede, pelo menos aqui na área do 2 Comar , não temos dificuldades em obter a arma nem obter o porte, claro que cumprindo todos os trâmites legais. Sargentos e Cabos estabilizados teem sim seu porte e o comando não dificulta.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics