8 de março de 2016

O dia é delas!

13 comentários:

Anônimo disse...

Foi se o tempo que a tropa cantava: "O enfeite de uma mesa, é um garfo e uma colher, o enfeite de uma cama, é um homem e uma mulher...Onde trabalho, as mulheres, me desculpem a franqueza, não servem para absolutamente nada. Existem lugares apropriados para homens e mulheres, sempre foi assim, alguns lugares podem ser compartilhados, outros não. Onde trabalho, uma mulher serviria para ser minha Chefe, mas não minha colega. As coisas são assim...Lá vem os interessados...

Anônimo disse...

Essa presidente é uma piada. Sancionou a lei que obrigava as FA permitirem acesso das mulheres até 2017; ou seja: Foi na marra! É o começo do fim.
Tem um artigo muito bem feito por um TC do EB, na veja. Pesquisem. Ele detona os argumentos dos politicamente corretos que querem colocar mulher em todo lugar. Inclusive em trincheiras de guerra.
No passado: O macho ia pra guerra, a esposa ficava em casa cuidando das crias -o correto;
Num futuro próximo: A mulher vai pra guerra e o macho afeminado fica em casa lavando roupa e fazendo o rango das crianças.

Anônimo disse...

Hoje é o dia das mulheres, parabéns a todas.
Pena que nas FFAA elas não sejam um colaborador ativo e produtivo, pois não se trata de machismo e sim realidade. Pois lugar de mulheres não são nas FFAA, pode até ser nas forças auxiliares mas nas FFAA não.

Anônimo disse...

FFAA não foi feito para as mulheres...
Respeito os direitos dos sexos opostos e que ambos são inteligentes, porem na area operacional e fisica mulher não se compara ao homem por este motivo não é legal nas FFAA. Alem do mais são muito ponderadoras, reclamam de tudo, questionam tudo, não querem tirar serviço, fazer TAF e ir para campos e missões.

S Ten 1992 disse...

Fruto de já alguns longos anos de convivência pacífica. Quero aqui registrar minha satisfação com o seguimento feminino das Forças Armadas, em especial ao seguimento do Exército Brasileiro.
Uma vez que por força das Normas e Regulamentos, nos é imposta uma conduta ilibada a fim de que o superior hierárquico seja exemplo para o seu subordinado. É grande a relevância da presença feminina na caserna e sobre tudo na vida castrense, pois ela se torna mais branda as relações interpessoais o que muito contribue para a paz e harmonia nos quartéis.

Anônimo disse...

Discordo com o companheiro S Ten 1992. Podem se sair muito bem em hospitais, postos médicos, na administração, etc. Mas como relatou um integrante da Brigada Militar lotado em Porto Alegre-RS, na hora de subir o morro, para prender traficante, o segmento feminino fica se esquivando da missão, recorrendo a licenças e outras desculpas, algumas implorando para não ir. Senhores, imaginem as mulheres em uma guerra, que pode durar dias, semanas, meses ou mesmo muitos anos. Seria catastrófico. Essa ideia de querer colocar mulher em OM operacional é uma grande furada. Se ocorrer, surgirão problemas de toda espécie. Quem viver, verá.

Anônimo disse...

O sujeito que disse que as mulheres que trabalham com ele não servem para nada, deve ter problemas sérios. Onde servi, elas começaram a chegar aos poucos, causando um pouco de ciúmes das madames, mas as coisas se ajeitaram. Umas mais eficientes que os marmanjos, mas todas dando conta do recado. Compare a qualidade das que conseguiram alçar a carreira de pilotos de combate, muitas vezes com notas maiores que os homens.As de nível técnico atuam em áreas que precisam de gente com capacidade mental, muitas vezes, bem acima da média e fazem um trabalho muito bom.

Anônimo disse...

As mulheres nas FFAA querem somente ostentar o posto ou graduação, porem fazer jus ao seu salario e funçao não querem. Sou a favor dos direitos iguais para quem trabalha e faz as coisas iguais e não para quem esquiva como o seguimento feminino.

Poder Digitativo. disse...

É melhor carregar mulher nas costas do que homem nas costas.

Anônimo disse...

Minha opinião é a seguinte, as mulheres são bem vindas nas FA desde que sem privilégios. No quartel onde eu servia havia muitas mulheres, com raras exceções a grande maioria não queria tirar serviço de escala, missões nos FDS e cumprir funções extras como TREM, sindicâncias, exames de contracheque etc. Muitas literalmente jogavam seu charme em oficiais superiores, nitidamente com o intuito de fugir de missões, ninguém me falou eu observei. Eu sei que isso também existe na iniciativa privada, mas dentro de uma OM pode provocar sérios problemas disciplinares e hierárquicos, pq muitas fazem de forma descarada, sem nenhum pudor. Vi muitas tenentes OTT embaixo das asas de velhos coronéis, essas se tornavam intocáveis e o pior, quem as escalava para qualquer tipo de missão que não fosse a da seção era sumariamente queimado. Conclusão, muitas além de se esquivar, ainda prejudicam aqueles que realmente carregam o piano.

Anônimo disse...

Mulheres nas Forças Armadas, tradução:
ESPOSAS, FILHAS ETC..., 95% ENTRARAM SEM CONCURSO PÚBLICO APENAS POR CAUSA DO SOBRENOME.

Anônimo disse...

As regras são claras, e se algumas estão tentando "escamar", também com o grupo masculino existem os famosos "quiabos" que procuram escapar das missões boca-pobre e serviços extras. Basta o comando ordenar a participação de todos e, pronto, resolvido. Quem não gostar, carregue a "cruz".

Anônimo disse...

direitos iguais já!!!!!!!!!!!!!!!!!!licença paternidade para os homens de 6 meses...kkkk

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics