29 de maio de 2016

Hahahaha!!!

20 comentários:

Anônimo disse...

De acordo com o contexto, posso afirmar que o nosso EB nos últimos 30 anos mudou bastante, tanto que os mais modernos já não respeitam os mais antigos como antigamente. Por exemplo os 3º Sgt lobinhos já não escutam mais os praças antigos (S Ten e 1º Sgt), mostram-se relapsos e ponderadores no tocante aos aconselhamentos para que se aperfeiçoem e melhorem como profissionais na carreira das armas que voluntariamente abraçaram. Por isso é que tenho minhas dúvidas se o Adjunto de Comando, até então um militar da confiança dos oficiais e nem sempre dotado de atributos de liderança nata, conseguirá mudar esse decadente cenário.

S Ten Art

Anônimo disse...

O Cmdo já cag.... para seus STen. Imagina o Adj Cmdo 1° sgt, vai "passar" por cima do STen mais antigo da OM, ao entrar em contato direto com o Cmdo? STen serve pra quê, a partir do momento que o mais moderno o " atropela"? Hierarquia só existe agora no meio dos oficiais? E ai subaiada, a última gota de dignidade vai se esvair sem ao menos um gesto de dignidade? Graduados, oh raça medrosa e desunida. Daqui a pouco os mais antigos prestarão continencia para o mais moderno ( no caso de ser o adj cmdo).

Sgt 2011 disse...

Acho que não é isso, é bem mais simples, o que mudou foi que antigamente os mais modernos não questionavam os mais antigos, nem mesmo quando notoriamente estavam errados ou equivocados.
Hoje alguns dos 3° ou 2° Sgt tem conhecimento suficiente para perceber quando as ordens ou orientacoes dos mais antigos são equivocadas ou descabidas, por favor não venham dizer que os mais antigos sempre tem razão pois muitos nada mais são que os fracos das nossas turmas, que ficaram antigos mas continuam os fracos e sempre.
E uma opinião por experiência própria,conhecimento assusta, para baixo e para cima.

Fabiano Rocha disse...

É meu caro STen Art deve ser pelo fato de não encontrarmos mais S Ten e 1° Sgt como antigamente....Fica a dica S Ten

Anônimo disse...

Sub decadente é a sua visão! Se aperfeiçoem e melhorem como profissionais na carreira das armas? Que carreira sub? Que aperfeiçoamento? Em todos os lugares o aperfeiçoado ganha mais, exerce função de chefia... No EB seja um Comandos, seja um GS ou um convencional o EB dá o mesmo valor! A mereca é a mesma! Os tempos são outros, vá para a reserva descansar sub!

Anônimo disse...

A mudança no comportamento dos militares é o reflexo do que se vive na sociedade. As influências que alteram o cenário da vida das pessoas são tantas que hoje é muito difícil não ser questionado.
Quando incorporei em 1988 fui muitas vezes orientado por praças mais experientes, St e 1 Sgt. Essas orientações ajudaram a fortalecer aquilo que me foi repassado, no seio familiar, como norteador da conduta na vida, nas relações sociais e no desenvolvimento profissional.
Nesse contexto obtive o que chamo de êxito, na minha simplória vida, que não cabe aqui explicar.
30 anos atrás muitos militares saíam formados das Escolas com uma bagagem menor de informações em relação aos de hoje, carregados somente com suas teorias e práticas. Dessa forma, os mais antigos dominavam muito bem o conhecimento castrense, tendo muitas vezes sua razão incontestável. Porém, hoje é fato que uma grande parcela de St/Sgt possui/está fazendo curso superior, ou melhor ainda, pós graduação, mesmo os mais novos. Quase sempre esse avanço cognitivo e benéfico não encontra um ambiente que condescende com alguém de menor patente; por outro lado, o iniciante deve ter consciência que vive sob ordem e levar seus aprendizados para a melhoria da instituição no futuro.
A falta de respeito não deve ser aceita em um país democrático, muito menos em uma instituição séria, pois deve-se obedecer o regulamento. Sempre vão existir os mais relaxados, seja qual for a instituição de Estado, mas mesmo aqueles que não nasceram com aptidão para liderança, quando bem preparados, vão exercer com muito louvor suas funções.

2 Sgt QE

Anônimo disse...

Isso pq na escola de sargento, infelizmente os lobinhos já aprendem que quem caga vence e que o exército e feito só pra oficiais e que o Praça e pau mandado de oficial, pq aqueles que formam os alunos são praças que também estão desmotivados,e acabam dizendo pro aluno pra quando chegar na tropa pra eles estudarem pra outro concurso e não para se especializaram ainda maia!! O erro está na formação e não no tratamento na tropa, pois na formacao o próprio aluno ja tem contato com a tropa no básico antes da escola, entao ele vê que é tudo teatro e que o pow pow e os blindados velhos vão sempre estar no dia a dia!!

Anônimo disse...

O Adj de Cmdo foi escolhido pelos oficiais e não pela tropa.
Porque a tropa deve escuta-lo, ele não a representa. Sim ele representa o Cmt junto a tropa.

Anônimo disse...

E qual terceiro sargento de carreira hoje em dia quer continuar na força ?

Eu, por exemplo, estou terminando minha faculdade e visando um concurso.

O exército hoje me proporciona um salário digno, mas o que me desanima é o plano de carreira defasado.

20 anos de serviço para aumentar 2400 reais ?

Muito obrigado, deixo para o próximo.

Lembrando aqui que não estou cuspindo no prato que como e sim vendo o que é melhor para mim.

Anônimo disse...

Isso aí subão, agora entender que o exército está evoluindo, desde o concurso que não é mais de nível fundamental, quem entra hoje tem no mínimo nível médio, e com certeza tem em mente, que entrou no exército sabendo que vai ser subordinado, mas jamais submisso, vejo na tropa terceiros e segundos(principalmente da formação após 2007, formação com mais de 10 meses) que lutam por mais direitos e igualdade do que Subtenentes que só sabem baixar a cabeça para os "Chefes", não falo para faltar com respeito, mas ponderar direitos que muito são deixados de lado, pelo ego de alguns... e não se esqueça ainda "grande" Subtenente, que esse preconceito mistificado ao chamar o terceiro de "lobinho", é o que faz com que um 3º sargento jovem no seu primeiro ano, seja a mesma coisa que um não tão jovem em seu 8º ano, e ainda assim é um terceiro "lobinho", enquanto isso os oficiais após 6 meses, já são pica das galáxias 2º tenentes, então meu caro essa tal valorização não se deve apenas para cima, mas cordialmente para baixo, ou você evolui camarada ou fica para trás...
Torno a dizer como em comentários anteriores, o Exército só vai evoluir quando muitos com essa mentalidade passada, tanto de oficiais, quanto de sargentos, deixarem espaço para as novas gerações, chega desse pensamento: "Eu sofri... na minha etapa era mais sugado, eu tenho que sugar... agora tá moleza..." ao invés de dar conselhos e valorizar os companheiros de farda...
Fé na Missão...
3º Sgt 8º Ano

Anônimo disse...

Só para lembrar que profissionalismo e experiência na caserna não se adquire nos bancos das faculdades e sim no dia-a-dia de trabalho e dedicação à carreira voluntariamente abraçada. Em muitos dos comentários dá para ver bem o pensamento dos profissionais de hj que estão mais preocupados com a sua faculdade, com o seu concurso e nada com o trabalho diário, passam se esquivando de missões, estudando pelos cantos em horário de expediente feito ratazanas, E ACHAM QUE TEM RAZÃO, mas não abrem mão do salário no 2º dia útil do mês que a instituição sem falta lhes paga, se comportando como verdadeiros mercenários. TENHO VERGONHA DESSE TIPO DE PROFISSIONAL.

S Ten Art

Anônimo disse...

É meus caros amigos hoje a Essa está tolerando candidatos com nota 5.0tamanha a dificuldade de nosso Exercito em capitanear novos profissionais, a dificuldade se deve a baixa remuneração, pouca ou perspectiva de promoção e a mudança para 35 anos de tempo de serviço.
Que venham os temporários, não esqueçamos que modernização exige qualificação, que exige excelente remuneração.

Anônimo disse...

Lobinho! Carrega tua mochila e para de mimimi.

Anônimo disse...

Sub pelo seu discurso percebo que és mais um que não abre a boca em prol de melhoria para as praças! Deve estar atrás da libertação deste mundo, precisa de uma estrela para ser feliz! Acorde para a realidade S Ten, hj em dia nem os Oficiais estão safisfeitos com o EB! Ganham hj em proporção, menos do que o Sr em tempos de lobinho! Para de cuidar a vida dos outros Sub, faça seu trabalho e vá para a reserva ficar com a família, a realidade sa caserna hoje é outra! Esse sgt que hj estuda, e que é apedrejado por Of e Praças, amanha o EB vai querer colocá-lo como Aux Jurídico do Btl... Já imagino o Sr QAO, falando mal das praças, achando que é Oficial o EB!

1 sgt inf disse...

Vou contar minha experiência de caserna: logo q saí da escola, me apresentei no batalhao, 2 meses depois, ainda sem funçao, o cmt do batalhão mandou reunir todos os sargentos que estavam sem funçao para escolher um para atender um pedido de uma determinada OM adm q necessitava de 1 sgt para exercer a funçao de aux fusex, pq o outro sgt q ali oculpava o cargo, um 1 sgt, estava tendo piripac com a carga de trabalho, kkkkkk. 5, era o numero de sgt q etavam na frente do comandante, todos antigoes, e eu o unico modernaço. Mas, a pergunta q foi feita, apenas uma, definiu o escolhido. Qual foi? "QUEM SABE MEXER EM COMPUTADOR?". Apenas um, somente, levantou o braço:EU. Fiquei surpreso com a pergunta e com o q aconteceu ali naquela sala. Ninguém, teve a preocupaçao de aprender o básico de informática. Depois deste dia, virei inimigo dos ditos antigões e permaneci a disposição daquela OM por 4 anos, ateh a minha movimentação,sendo perseguido por aqueles q se achavam dono da vaga q eu oculpava, por q , segundo eles, lugar de lobo, era na tropa. Naum discordo nem concordo com a opinião deles, isso eh irrelavante, mas deixo essa historinha para reflexão.

Anônimo disse...

Acho estranha essa briguinha entre os praças, Sub e o Sgt (novinho), quando o cara vem dizer que hoje a pessoa tem o ensino médio e que não é possível entrar, como era, só com o ensino fundamental. Na verdade, antigamente, o interessante era passar, conquistar a vaga, se o cara era autodidata, como vi vários que entravam para a carreira, não havia nenhum problema. Agora, lido na área do magistério, no ensino médio, e vejo um bocado de aluno do ensino médio que se encontra lá sem ter conhecimento suficiente do ensino fundamental. Passaram a pedir o ensino médio para tentar fazer que o cara entre sabendo, pelo menos, o fundamental, esta é a verdade. Isto aconteceu nas FFAA como também na PM, sendo que, no RJ, até a prova de Matemática tiraram para conseguir que candidatos passassem. Também conheço oficiais que nem parecem sê-los, de tantos erros de Língua Portuguesa que cometem, e eu não sou professor de gramática. Portanto, há mais coisas do que se imagina nisto tudo, bobagem essa discussão toda.

Anônimo disse...

Boa a conversa, todos as nações que "governaram" o mundo em todas as épocas tinha em seus exércitos o diferencial do conhecimento eram pessoas acima da média da população em termos de conhecimento, por isso temos que papirar sim e muito seja para tentar outra coisa ou para continuar no EB eu hoje aconselho sempre os "lobinhos" a estudarem e tentar outra coisa pq não vejo perspectiva de melhoras em nossa "carreira", hj um Sd PM do MT ganha muito mais que um 3° Sgt do EB, precisa falar mais???? Não tem patriotismo que aguente.
Outro ST de Artilharia

Anônimo disse...

As FFAA do Brasil só melhoraria se acontecesse igual nos EUA, onde há entrosamento entre elas. Lá, numa mesma base, existem órgãos das três forças. Trabalham em conjunto. Quando, conhecendo como sabemos que somos organizados, chegaremos a tal nível de funcionamento? Enquanto ficarmos aqui discutindo, na verdade, questão de imbecilidade do ego, nunca chegaremos a nada!!! Lá, o nível escolar dos integrantes tem as mesma, talvez pior, falhas que o nosso, alunos no curso técnico sem saber calcular percentagem, tentando decorar tudo porque não conseguem entender o que é explicado etc. Estamos muito enganados com as coisas. Estamos iguais a mágicos, vivendo de ilusão!!!

Anônimo disse...

Esse STen Art é do tempo em que se saia QAO só com o 1° grau. Ele ainda deve estar parado no tempo.

Anônimo disse...

Pelos comentários postados, tomara que eu esteja enganado mas, infelizmente percebo que está ocorrendo uma inversão de valores, em especial na Força Terrestre. Pois quando se defende valores básicos que são caros às FA, tais como Hierarquia e disciplina, dedicação à carreira e profissionalismo somos taxados de antiquados, analfabetos, anacrônicos etc... DESSE MODO NÃO RESTA DÚVIDA QUE ESTAMOS INDO MUITO MAL !!! Por último só quero dizer que nunca trabalhei e jamais trabalharei visando promoções, medalhas, elogios etc. Eu vivo o Hj, sou S Ten Art, turma 92/EsSA, se tiver que ganhar uma promoção ou uma medalha ela será bem vinda... cumpro a minha missão da melhor maneira possível para fazer jus ao meu salário seja ele pouco ou não. Não fico falando ou trabalhando mal na Força, VEGETANDO DE SOLDO EM SOLDO como muitos.

S Ten Art

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics