17 de maio de 2016

Recriação do GSI: diretor da Abin se diz desprestigiado pelo novo governo e pede demissão

Wallace Martins -8.mai.2013/DA Press

RUBENS VALENTE
DE BRASÍLIA
A decisão do presidente interino Michel Temer (PMDB-SP) de recriar o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) sem antes discutir a ideia com o comando da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) gerou turbulência no setor e um pedido de demissão do diretor-geral da agência, Wilson Roberto Trezza.
O GSI havia sido extinto por Dilma em medida provisória de outubro passado, e desde então a Abin passou a se submeter a uma pasta comandada por um civil, a Secretaria de Governo.
O pedido de demissão foi feito pessoalmente por Trezza, que está há oito anos no comando da Abin, nesta segunda-feira (16) em reunião com o novo ministro do GSI, o general do Exército Sérgio Etchegoyen.
A saída definitiva, porém, poderá não ocorrer imediatamente, mas sim após as Olimpíadas, de forma a evitar problemas na condução da segurança do evento, da qual a Abin participa.
Além disso, o processo de substituição não é tão rápido, pois o indicado deve passar por sabatina no Senado.
Trezza e Temer haviam se reunido em sigilo há cerca de duas semanas no Palácio do Jaburu, quando o diretor-geral da Abin, segundo a Folha apurou, disse ao então vice que uma grande reivindicação da Abin era se subordinar diretamente ao presidente da República, sem "intermediários".
Trezza afirmou a Temer que um contato direto com o presidente permitiria cumprir melhor as funções da Abin, que incluem "assessorar" o presidente.

NOTA
A dificuldade de acesso aos presidentes é reclamação recorrente da Abin. Durante os governos de Dilma Rousseff, por exemplo, a presidente nunca recebeu Trezza para conversa privada –eles se encontraram apenas em reuniões ampliadas, com a participação de ministros– e também nunca esteve na sede da Abin, em Brasília.
Ao final do encontro com Temer, conforme versão apurada com duas fontes que pediram para não ser identificadas, o então vice-presidente disse que pensaria na proposta e voltaria a entrar em contato com Trezza.
Integrantes da Abin, porém, só souberam pelo "Diário Oficial da União" de sexta (13) que não só a Abin continuaria longe do presidente, mas também que voltaria a ser subordinada ao GSI, comandado por um militar.
A recriação do GSI também resultou em uma dura nota da Aofi (Associação Nacional dos Oficiais de Inteligência), formada por servidores da Abin. Intitulada "Informação ao ministro", a nota foi emitida para negar que a Abin tenha "rompido" relações com agências congêneres internacionais, informação atribuída pela imprensa a Etchegoyen.
A nota diz que o ministro "aparentemente também desconhece que as gestões do GSI nunca foram boas para a inteligência" e que a última delas, encerrada em 2015, "foi particularmente desastrosa para a atividade de inteligência de Estado".
Até 2015 presidente da CCAI (Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência) do Congresso Nacional, a deputada Jô Moraes (PCdoB-MG) considerou "um equívoco" o retorno do GSI.


OUTRO LADO
A assessoria do presidente interino, Michel Temer, informou que ele "não deve satisfações à Abin" na hora de decidir sobre os rumos do setor de inteligência no governo. "A lógica de ele ter que explicar o que está fazendo está invertida. Ele é o presidente, escolhe como vai ser a sua gestão."
A assessoria afirmou que Temer foi procurado recentemente pelo diretor-geral da Abin, Wilson Trezza, para receber explicações do órgão sobre as alegações de suposta espionagem que o vice teria sofrido em 2015. Ela confirmou que o ministro do GSI Sérgio Etchegoyen "está informado" sobre o pedido de demissão do diretor-geral da Abin.
Procurado, Trezza disse que não iria se manifestar sobre o assunto. 
Folha de São Paulo/montedo.com

21 comentários:

Anônimo disse...

Sindicalistas partidários de esquerda querendo aparelhar uma área tão sensível e estratégica do país, é necessário realmente tomar muito cuidado.

Anônimo disse...

O Temer entende bem disso, afinal foi, ou ainda é informante dos EUA.

Anônimo disse...

Sinceramente não vejo esse "terror" de conflitos nessa área de segurança e informações.Claro, não entendo da área, mas como as coisas estavam no governo petista, a ABIN não estaria sendo usada para fins políticos do governo? O gabinete é de segurança que engloba informações, então,basta ter um chefe, vice e fazerem as coisas andarem, sem intrigas e sem disputa de poderes.Acredito que o que deve ser de imensa importância, é o conhecimento técnico.

Anônimo disse...

A exemplo do que ocorre com a decadência salarial das forças armadas, a política da "farinha pouca, meu pirão primeiro", se eu fosse civil, me espelhando na prioridade que os recursos humanos recebem nas FFAA....(MP do Mal, falta de PNR, ou melhor, PNR só pra alguns...falta de representatividade..)
Eu acho que não seria uma boa ter militares a cargo da alta administração do meu órgão civil...

Anônimo disse...

É companheiro de 17 de maio de 2016 14:24, realmente, se não fosse a atuação da CIA, DO FBI e da NSA, a nossa competentíssima presidenta ainda poderia estar cuidando da classe miserável e das minorias de nosso país.

Anônimo disse...

Você acredita nisso nesmo companheiro? Passar informações do nosso país para estrangeiros quaisquer? Tá ficando complicado isso.

Anônimo disse...

Esse pessoal da ABIN precisa reencontrar o seu lugar na Historia desse país.Contratação de pessoal por meio de concurso público, indicações partidárias e etc...realmente existem várias controversas.O GSI é o padrasto para essa criança.E ninguém gosta de padrasto que cobra e aperta esse pessoal para produzir alguma coisa útil.Enfim esse diretor ficou inacreditavelmente OITO ANOS na função ! ou seja se fosse uma atividade estressante e exigente esse camarada já teria partido a alguns anos atrás enfim, já vai tarde. Manda quem é pra mandar e obedece quem é profissional e comprometido.Vá se embora cumpanheiro e leve os puxa sacos junto.

Anônimo disse...

Vaia con Dioz!

Anônimo disse...

Com a ida do Gen Etchegoyen para o GSI, a idea do Adj Cmdo deve ir pra gaveta. Afinal, ele foi o principal idealizador do projeto. Sera que o Gen Villas Boas, outro que comprou a ideia, vai continuar comandando a tropa? Ele, sendo mais antigo, vai se submeter ao Gen do GSI? Acho que o Adj Cmdo vai para o mesmo lado do Sgt Brigada depois disso.

Anônimo disse...

Ainda lembro de uma missão ASA que participei no Maracanã no final da Copa do Mundo e que tinha uma agente desse órgão de "inteligência" falando aos quatro cantos que era agente da ABIN, inteligência não se faz com pessoas concursadas e sim com gente preparada e com pendor.

Anônimo disse...

- Mais um rato pulando do barco antes de levar um pé...

Anônimo disse...

Prefiro que sejam informantes dos americanos do que dos cubanos, venezuelanos, russos, etc.Não adianta tapar o sol com a peneira. Quem domina a região são os americanos, gostando ou não.A maioria das nossas bases militares de hoje foram feitas por eles. Se, não estou enganado, a CSN(Companhia Siderúrgica Nacional)foi um "presente" deles pelo apoio na guerra e a FAB começou com o recebimento de aviões deles. Nem avião daqui se vende sem autorização deles.Querer bajular e se aliar a governos "podres" de esquerda é que não tem futuro.

Anônimo disse...

Das duas uma, ou não quer ficar sob o guarda-chuva da incompetência ou, não tem competência para ficar sob tal guarda-chuva.

Anônimo disse...

"Integrantes da Abin, porém, só souberam pelo "Diário Oficial da União" de sexta (13) que não só a Abin continuaria longe do presidente, mas também que voltaria a ser subordinada ao GSI, comandado por um militar."
Que órgão de inteligência, hein?

Eduardo Costa disse...

Vaya con Dios!!!!!

Anônimo disse...

Pois pra sua alegria amigo, foi publicado no BE de ontem 17 de maio, não só a criação da Função como a alteração no RISG incluindo as funções do Adj Cmdo...

Pode comemorar e comprar a cordinha....

Agora leia as atribuições prevista no RISG e analise como ficou a maior "passada de bola" do EB... fazer sindicância e ministrar instruções sem sequer ser classificado como instrutor (apenas monitor) é fichinha perto do Adj Cmdo

1° Sgt futuro Adj Cmdo da minha OM

Anônimo disse...

Um Ten Cel ex ELO da ABIN fez acusações essa semana dizendo que a agência estava trabalhando para o partido vermelho, grampeando ministros do STF e os procuradores da lava jato, ou seja, toda aparelhada com agentes sindicalistas a serviço do PT.

Anônimo disse...

Estou preocupado pois meu Cmt me disse que vai implantar o Adj Cmdo na unidade e eu serei o escolhido.

Anônimo disse...

Eiiiiita função IMPORTANTE!!! É pra PRAÇA nenhuma botar DEFEITO.....Aja puxa saco....kkkk

Anônimo disse...

Alem de comprar o alamar (cordinha), ja mandei o pessoal do PO confeccionar uma tablado, pra quando a tropa desfilar em continencia a mim...

Anônimo disse...

Sr sabetudo, no meu portunhol Dioz vay como eu quiser!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics